MANIFESTO ANTI VIVISSECÇÃO E EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL       REÚNEMAIS DE 50 CIDADES DE DENTRO E FORA DO PAÍS  A atividade bus...
Ainda sobre esta prática, Greif garante ser possível questionar o argumento de que seres humanos eanimais   domésticos   s...
VIVISSECÇÃO/EXPERIMENTAÇÃO ANIMALNo Brasil, as faculdades de medicina, medicina veterinária, biologia, psicologia, odontol...
SERVIÇOO que: II Manifestação Anti Vivissecção e Experimentação AnimalQuando: dia 27 de abril –Onde: RECIFE: em frente ao ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Release ii manifestação anti vivissecção e experimentação animal

1,227 views
1,184 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,227
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
866
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Release ii manifestação anti vivissecção e experimentação animal

  1. 1. MANIFESTO ANTI VIVISSECÇÃO E EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL REÚNEMAIS DE 50 CIDADES DE DENTRO E FORA DO PAÍS A atividade busca denunciar e conscientizar a sociedade em relação aos inúmeros casos de exploração e tortura de animais que são presos em universidades e laboratórios para fins de experimentação. Dia 28 de abril, a partir das 15h – em diversas cidades do Brasil e do exterior-Em Recife, a manifestação acontecerá, excepcionalmente, no dia 27 de abril de abril, às 10 h, em frente ao Centro de CienciasBiologicas da UFPEIndignação e Informação. Este é o lema do2º Manifesto Anti Vivissecção e Experimentação Animal,que será realizado no dia 28 de abril, às 15h, simultaneamente, em diversas cidades do Brasile doexterior. Idealizada pelo grupoCadeia Para Quem Maltrata os Animais(hoje com mais de 30 milmembros) e pela WEEAC (World EventtoEnd Animal Cruelty) – ambas com ativismo abolicionista pelo fimda exploração dos animais-a atividade pretendeabrir discussões sobre métodos éticos alternativosexistentes, empregados e reconhecidos por inúmeras faculdades e instituições de ensino, bem comodenunciar a utilização de animais vivos com propósitos experimentais.Para o biólogo Sérgio Greif, co-autor do livro A verdadeira face da Experimentação Animal: a suasaúde em perigo e redator do Manifesto que lançou oficialmente o evento em questão, osexperimentos prévios realizados em animais, sustentados na ideiatentar de impedir queos sereshumanos corram os “primeiros” riscos dos efeitos ainda não mapeados, não garantem segurança para asociedade, muito menos apontam caminhos precisos, sobretudo do ponto de vista científico. “É grandeo número de drogas aprovadasque são recolhidas das prateleiras no prazo de um ano após suacolocação no mercado. O motivo deste recolhimento é a detecção de efeitos colaterais na populaçãohumana, efeitos estes que não haviam sido detectados em testes em animais”, afirma o ativista.
  2. 2. Ainda sobre esta prática, Greif garante ser possível questionar o argumento de que seres humanos eanimais domésticos são diretamente beneficiados com as pesquisas.“Ocorre que, emboraexaustivamente testados e aprovados em animais, os tratamentos se mostraram falhos em sua fase detestes, sem sinais de efeitos promissores em seres humanos. Muitos deles, apesar da segurançacomprovada em animais, produziram efeitos colaterais, e muitas vezes a morte de muitas pessoas”,complementa o ativista.EM RECIFESegundo a Coordenação do Evento em Recife, Aline Gusmão ( MDA) “ a manifestação foi antecipadapara o dia 27, tão logo soubemos que a UFPE está construindo um biotério, na contramão do que ocorrenas maiores universidades do Brasil e do mundo, que estão fechando os seus espaços de tortura animal.Nosso protesto será pacifico e silencioso, em luto pelos milhares de animais ainda torturados e mortosanualmente, no país, em nome de uma “falsa ciência”.Os manifestantes estão sendo convidados a usarem preto, em sinal de luto, e a concentração será apartir das 09 horas, em frente ao Centro de CienciasBiologicas da UFPE, na Cidade Universitária.LINHA DO TEMPOEm 2011, as cidades que participaram foram Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Brasília e BeloHorizonte. À época, o grupo Cadeia Para Quem Maltrata os Animais programou a manifestação pelaocasião do Dia Internacional de Protesto contra Experimentação Animal, 16 de abril. A proposta levouàs ruas das cinco capitais manifestantes que procuraram conscientizar a população através de gritos deordem, cartazes, folhetos e performances que sensibilizavam para a necessidade de abolir o uso deseres vivos não humanos em experimentos científicos, uma vez que já existem pesquisas que se baseiamem análises feitas em computadores e/ou simuladores que substituem métodos arcaicos de pesquisas.Para 2012, mais de 50 cidades brasileiras já confirmaram participação, de norte a sul, além dePortugal, Austrália, United Kingdom – Birmingham, Los Angelis - Califórnia e Argentina – Buenos Aires.Norah André, responsável nacional do manifesto, relembra com entusiasmo o percurso que foi traçadocom a ideia da ação, desde o ano passado até a atualidade. “No ano passado fomos cinco capitaisbrasileiras. Este ano, faremos muito melhor e maior! A cada dia, mais pessoas se juntam a esta causa;mais cidades se mobilizam nesta luta. Essa livre resposta de adesão é a prova de que ninguém aceitamais o fato de muitos ainda insistirem em destituir e interditar os animais de sua individualidade comosujeitos, tão sujeitos como os indivíduos humanos”, pontua a organizadora.
  3. 3. VIVISSECÇÃO/EXPERIMENTAÇÃO ANIMALNo Brasil, as faculdades de medicina, medicina veterinária, biologia, psicologia, odontologia, ciênciasfarmacêuticas, enfermagem, dentre outras, possuem aulas práticas onde são utilizados animais vivos.Na vivissecção- cuja origem é atribuída ao médico romano de origem grega, Cláudio Galeno, no século I,DC. -animais são encaminhados vivos para a sala de aula, onde são contidos e anestesiados (nem sempreadequadamente) para em seguida, com a presença do professor e alunos, serem utilizados em diversosexperimentos de aprendizagem. Após a prática são sacrificados.Na Europa e Estados Unidos, muitas faculdades de medicina não mais utilizam animais, nem mesmo nasmatérias práticas, como técnica cirúrgica e cirurgia, oferecendo substitutivos em todos os setores. NosEUA, mais de 100 escolas de medicina (quase 70%) incluindo Harvard, não utilizam animais. NaInglaterra e Alemanha, a utilização de animais na educação médica foi abolida. Na Grã-Bretanha(Inglaterra, País de Gales, Escócia e Irlanda) estudantes são proibidos, por lei, a praticarem cirurgia emanimais.LINKS SOBRE A II MANIFESTAÇÃO ANTIVIVISSECÇÃO E EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL- Manifesto redigido por Sergio Greif, em 17/02/2012http://contatoanimal.blogspot.com/2012/02/manifesto-da-ii-manifestacao-nacional.html- 1º vídeo informativo:http://youtu.be/olyMkGAS7Ik- 2º vídeo informativo:http://youtu.be/BpHzPoFrgpM- BLOG com textos informativos sobre o tema:http://contatoanimal.blogspot.com/- RELAÇÃO ATUALIZADA das cidades brasileiras que integram o evento nacional e internacional:http://contatoanimal.blogspot.com/2012/02/ii-manifestacao-nacional-anti.html- PETIÇÕES e pedidos de assinaturas:http://contatoanimal.blogspot.com/2012/02/peticoes-relacionadas-vivisseccao-e.html
  4. 4. SERVIÇOO que: II Manifestação Anti Vivissecção e Experimentação AnimalQuando: dia 27 de abril –Onde: RECIFE: em frente ao Centro de Ciencias Biológicas da UFPEHorário: a partir das 09 horas ( concentração)Realização: Cadeia Para Quem Maltrata os Animais – WEEAC- e Movimento de Defesa Animal dePernambuco.

×