• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Recursos Naturais   Utilização E Consequências
 

Recursos Naturais Utilização E Consequências

on

  • 11,662 views

 

Statistics

Views

Total Views
11,662
Views on SlideShare
11,662
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
205
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Recursos Naturais   Utilização E Consequências Recursos Naturais Utilização E Consequências Document Transcript

    • Escola Básica dos 1º, 2º e 3º Ciclos do Bom Sucesso O Homem, desde sempre, tem vindo a retirar do ambiente natural, no qual se insere, todos os recursos indispensáveis à sua sobrevivência. Temos vindo a assistir a profundas alterações do equilíbrio natural dos ecossistemas decorrentes da intervenção humana na Natureza. Daí a necessidade de se fazer uma gestão sustentável dos recursos que existem na Natureza. Recurso natural – é tudo o que existe na Natureza e serve para satisfazer as necessidades da Humanidade. Os recursos naturais classificam-se em: • Recursos minerais; • Recursos biológicos; • Recursos hídricos; • Recursos energéticos. Os recursos naturais dividem-se em: • Recursos naturais renováveis • Recursos naturais não renováveis Recursos naturais renováveis – são recursos que não se esgotam com grande facilidade, devido à rápida velocidade de renovação e capacidade de manutenção. EX. Recursos biológicos, recursos hídricos e as fontes de energia alternativa. 1
    • Recursos naturais não renováveis – são recursos que se esgotam a uma velocidade superior à da sua renovação, que é de alguns milhões de anos. EX. Recursos minerais e alguns recursos energéticos (combustíveis fósseis). Os minerais são um dos materiais mais antigos utilizados pelo Homem. EX. Bronze, ferro, ouro. Actualmente, dependemos dos recursos minerais para satisfazer a maioria das nossas necessidades. EX. Vidro, porcelanas, tintas, materiais de construção, automóveis, indústria óptica e electrónica, confecção de alimentos e produção de energia. Recursos minerais – são acumulações ou concentrações de rochas e minerais na crusta terrestre. Quando estas acumulações de rochas ou minerais têm um interesse económico rentável para o Homem, designam-se jazidas minerais. Os recursos minerais podem ser classificados em dois grandes grupos: • Recursos minerais metálicos (EX. cobre, chumbo) • Recursos minerais não metálicos (EX. areia, cascalho, calcário) Portugal é um país com uma tradição mineira milenária. Jazidas minerais portuguesas: • Jazidas de urânio; • Jazidas de ferro; • Jazidas de pirite; • Jazidas de volframíticos. 2
    • A extracção das substâncias minerais da crusta terrestre é feita através da actividade mineira. Consequências da utilização dos recursos minerais: Poluição ambiental, com alterações profundas da paisagem da região onde está inserida. • Corte da vegetação; • Remoção da cobertura do solo; • Construção de estradas e edifícios para as lavagens e tratamento do minério; • A separação dos minerais envolve um processo de trituração – a moagem – que implica a libertação de poeiras em quantidade suficiente para provocar distúrbios nas vias respiratórias do Homem; • A ventilação das minas é causadora de poluição atmosférica; • Minerais que não são removidos podem causar a poluição das águas. A extracção dos recursos minerais do subsolo deve ser feita em equilíbrio com a Natureza, de forma a salvaguardar o meio ambiente para as gerações futuras. 3
    • Recursos biológicos – englobam um conjunto de materiais e energia que o Homem pode obter a partir de outros seres vivos. Como se exploram os recursos biológicos? • Agricultura A alimentação é uma necessidade primária da qual depende a sobrevivência da Humanidade. A agricultura moderna pretende produzir excedentes para a comercialização. É praticada através de máquinas agrícolas, em vastos campos de monocultura. • Caça Há cerca de 300 anos, a caça era uma actividade bastante generalizada na Europa. Hoje, em Portugal, está praticamente restrita a áreas condicionadas, com o objectivo de não colocar em perigo a preservação das espécies • Pecuária O Homem utiliza os animais para diversos fins como por exemplo, para alimentação, vestuário, calçado, mobiliário, medicina, etc. • Pesca O peixe é uma das grandes riquezas extraídas do mar, constituindo uma importante fonte de proteínas da alimentação humana. A sardinha, o carapau e a cavala constituem o principal volume de pescado da nossa plataforma continental. 4
    • A piscicultura, criação de peixe em cativeiro, tem vindo a crescer como actividade económica por todo o Mundo. Graças ao desenvolvimento desta actividade, chegam mais rapidamente aos mercados várias espécies de peixe, que, normalmente, demorariam muito mais tempo a atingir as dimensões exigidas para a sua captura no mar. • Florestas Este recurso biológico engloba uma série de produtos, dos quais destacamos a produção de madeira para as indústrias do papel. Apesar das novas tecnologias o papel, é ainda hoje, o suporte mais utilizado na escrita. Em Portugal, a principal matéria-prima usada no fabrico do papel são os eucaliptos, criados em estufas das próprias indústrias de produção de pasta de papel. Além do papel, os recursos florestais são utilizados para vários fins. EX. cestaria e construções com aplicações de madeira. Consequências da utilização dos recursos biológicos: Devido ao aumento demográfico e à sobreexploração, dos recursos é cada vez mais difícil de manter o equilíbrio dos ecossistemas naturais. • A perda de biodiversidade é a principal consequência da atitude do Homem ao querer obter, mais rapidamente os produtos de que necessita para se alimentar e sobreviver. • A destruição das florestas está a afectar gravemente cerca de 80% dos mamíferos e aves em vias de extinção. • O aumento demográfico, aumenta a vulnerabilidade das espécies, causada pela poluição atmosférica e a da água. • O sobrepastoreio conduz à degradação dos solos, enquanto que a introdução de novas espécies pode afectar a sobrevivência das espécies nativas, quando as introduzidas são mais ágeis na luta pela sobrevivência. 5
    • Recursos Hídricos – representam a quantidade de água superficial e subterrânea que está à disposição do Homem. Da água existente na Terra, 97,5% é salgada e existe nos oceanos e mares. Os 2,5% restantes representam a água doce (lagos, rios, ribeiros, lençóis de água subterrânea – aquíferos). Actualmente, quase 60% da população mundial tem nos lençóis de água subterrânea a sua fonte principal de água potável, uma vez que a disponibilidade de água doce superficial não é suficiente. Como se utiliza e como se gasta? A água doce do planeta é utilizada, com grande desperdício, no consumo doméstico, na agricultura e nas actividades industriais. Cerca de 10% de água utilizada no Mundo destina-se ao consumo doméstico. Nas últimas décadas o consumo de água aumentou. Cerca de 75% da água que gastamos em nossas casas é usada na casa-de- banho. A agricultura gasta cerca de 70% de água, mas mais de metade perde-se através da evaporação ou escorrência, devido à irrigação não controlada. Na tentativa de diminuir a quantidade de água utilizada na agricultura, têm sido adoptadas novas técnicas, como, por exemplo, a micro-irrigação. A indústria consome os restantes 20% da água, muitas vezes de forma ineficiente e, na última década, este consumo aumentou mundialmente. Consequências da utilização dos recursos hídricos: 6
    • A água, apesar de ser considerada como um recurso natural renovável, pode vir a ser considerada como um recurso limitado. Isto porque a sua qualidade está ameaçada pelas actividades humanas – excreções naturais, resíduos agrícolas e industriais. À medida que a população aumenta, as regiões que hoje possuem recursos hídricos poderão entrar no que se chama stress hídrico, ou seja, sofrer de falta de água doce. Até 2005, prevê-se que a população sem fornecimento de água doce ascenderá a quatro mil milhões, ou seja, metade dos habitantes do planeta. Quanto maior o consumo, maiores serão os riscos da qualidade da água diminuir. • As águas residuais domésticas contêm poluentes, resultantes da utilização exagerada de detergentes, que circulam através dos sistemas de esgotos. • A agricultura espalha adubos artificiais, que poluem os cursos de água. • A indústria é responsável pela contaminação das águas, através da libertação dos resíduos tóxicos. Apesar da existência de dispositivos purificadores, continuam a lançar directamente nos rios as suas águas residuais. A qualidade da água potável, ou seja, a água que é boa para beber, não depende exclusivamente do factor poluição. A presença de certos iões imprime à água um carácter próprio. 7
    • Assim, podemos classificar as “águas minerais”, atendendo à composição química em: • Águas de nascente – água de circulação superficial caracterizadas por serem pouco mineralizadas. • Águas minerais – águas captadas em profundidade que apresentam uma maior concentração de um ou mais elementos químicos (iões). • Águas termais – águas aquecidas e muito ricas em sais minerais. Resultam normalmente da passagem de cursos de águas junto de câmaras magmáticas. • Águas medicinais – águas utilizadas para fins terapêuticas, devido às suas características químicas. Consciente do problema, o Concelho da Europa, em 1968, aprovou a Carta Europeia da Água e, actualmente, anunciou: “ a água é um património que é necessário proteger, tratar e defender como tal”. 8