Projeto Carreteadas em Viamão
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Projeto Carreteadas em Viamão

on

  • 2,118 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,118
Views on SlideShare
593
Embed Views
1,525

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

10 Embeds 1,525

http://mundogaucho.blogspot.com 805
http://tradicaogauchargs.blogspot.com 660
http://www.tradicaogauchargs.blogspot.com 30
http://tradicaogauchargs.blogspot.com.br 15
http://mundogaucho.blogspot.com.br 7
http://www.mundogaucho.blogspot.com 3
http://www.blogger.com 2
http://www.google.com.br 1
http://www.google.com.br 1
http://www.tradicaogauchargs.blogspot.com.br 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Projeto Carreteadas em Viamão Projeto Carreteadas em Viamão Presentation Transcript

  • PROJETO CARRETEADAS EM VIAMÃO ESTÂNCIA GRANDE – CAPELA SÃO VICENTE MÁRTIR REALIZAÇÃO: IGREJA MATRIZ NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO – CAPELA SÃO VICENTE MÁRTIR ASSOCIAÇÃO RÁDIO COMUNITÁRIA SANTA ISABEL – FM 87.7 ASSOCIAÇÃO MULEIROS DO VIAMÃO CONTATOS: WERNEK VIAMÃO BANDEIRA DA COSTA (51) 8406 8286 VALTER FRAGA NUNES (51) 9807 5404“Um passeio nos tempos de antigamente”
  • Introdução O uso do transporte tracionado por animais ultrapassa alguns milhares de anos. Desde a descoberta da roda no início dos primeirosagrupamentos humanos, o homem já imaginava uma maneira de utilizar animais para o trabalho mais pesado. Com o passar dos séculosveículos tracionados por animais foram criados e aperfeiçoados, tornando-se o principal meio para transportar qualquer coisa. Espalhadaspelo mundo inteiro, as carretas levaram dentro delas, muitas vezes, famílias que iriam estabelecer novos povoados e futuras metrópoles. NoBrasil chegaram através dos portugueses que, inicialmente, teve sua principal utilização na indústria açucareira, das plantações aosengenhos e desta para as cidades. Com a expansão da colonização para o interior do País, as carretas eram as principais vias decomunicação e troca de material. Da cidade levavam material de construção, utensílios, ferramentas, roupas, sal, açúcar, etc. e das lavourastraziam as produções agrícolas. Dependendo do tamanho do veículo e peso da carga eram utilizados até 20 juntas de bois. Com o crescentedesenvolvimento das áreas urbanas, melhoramento das estradas e a evolução dos meios de transportes, a carreta cantadeira de duas rodasvai dando espaço para os carroções de quatro rodas, muitas vezes puxados por muares que além da força adicionava velocidade nalocomoção. Nas cidades mais desenvolvidas aparecem as diligências tracionadas por cavalos para transporte exclusivamente humano elogo em seguida os bondes coletivos puxados por muares. Aos poucos as velhas carretas e carroções foram deixados para trás, muitasapodreceram ao relendo e limitaram seu uso ao meio rural, onde encontramos até hoje alguns exemplares auxiliando na movimentaçãodentro das propriedades. Viamão é um dos mais antigos povoados do Rio Grande do Sul. Segundo Padre Carlos Teschauer, por volta de 1688, missionáriosportugueses da Companhia de Jesus teria construído uma edificação (hoje só existe ruínas) na localidade chamada Estância Grande, quenaquela época se estendia por muitas léguas de sesmaria, incluindo a atual sede urbana do Município. Em 1740, Francisco Carvalho daCunha se estabelece nesta propriedade e em abril de 1741, ele doa terras, gado e cavalos para em 14 de setembro do mesmo ano iniciar aconstrução de uma capela que mais tarde daria origem a Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição. Em seu entorno começou a sedesenvolver o segundo núcleo urbano do Estado. Nesta época as carretas eram o único meio de transporte veicular terrestre possível,responsável pela condução e distribuição dos primeiros imigrantes açorianos que chegaram por Itapuã em 1752 e dali se dispersaram pelosCampos de Viamão ocupando vários lotes de sesmarias. As carretas cruzavam em abundância as estradas de Viamão em todos os sentidos, levando consigo os produtos da colônia para osgrandes centros e em troca trazia mercadorias que faltavam para complementar à sobrevivência no campo. Atualmente poucas carretas estão em funcionamento em Viamão, restringindo-se apenas a zona rural, e quase sempre trabalhandodentro da própria propriedade. Em contrapartida encontramos muitas carretas enfeitando jardins na área urbana, inclusive com floresplantadas dentro da mesma. Em propriedades mais tradicionais elas são guardadas como relíquias ou até mesmo como obras de artes,simbolizando a dispersão e a colonização humana em nosso Planeta.
  • Justificativa A importância desde veículo para a expansão humana é incontestável, além de transportar cargas e pessoas (vivas ou mortas, poisfoi usada também como carro fúnebre) para qualquer lugar, servia muitas vezes de casa ambulante, hospitais nas guerras, mercearia,prostíbulo, escritório, sala de reuniões (muitas decisões importantes foram tomadas dentro de carretas), em fim, desempenharam tudo quese possa imaginar em relação locomoção e abrigo. Viamão tem muito a contar sobre as carretas que trafegavam por nossas terras, documentada nos relatos dos ilustres viajantes quepassaram por aqui e da própria população mais antiga que vivenciaram os tempos auges da carreta. O naturalista Saint Hillaire em 1818 emsua passagem por Viamão usufruiu deste veículo secular para carregar todo o material científico coletado por suas andanças nos pagos doRio Grande do Sul. No século XIX e início do XX, os carreteiros de Viamão transportavam praticamente toda a sua produção para Porto Alegre emunicípios vizinhos, sendo que alguns subiam a serra, levando peixe seco de Itapuã a São Francisco de Paula, atravessando as cidades deGravataí e Taquara. Outros tomavam o rumo das Missões e outros para o Sul até Pelotas. E assim se fazia a troca de produtos, sempretrazendo novidades para nossa terra. Este projeto traz em sua essência a materialização do espírito carreteiro, que outrora rasgava o chão Gaúcho na esperança decontribuir para a construção de comunidades cada vez melhores. Em sua simplicidade guerreira, transbordava energia e vontade de vencer,pois suas aventuras ao logo dos caminhos percorridos eram árduos e muitas vezes perigosos, enfrentando todo os tipos de adversidadespara a carga chegar em segurança ao seu destino. Seu companheirismo fraterno, honestidade e a alegria em que enfrentavam o tranco dalida, tornaram-nas figuras amadas e respeitadas por onde passavam, levando e trazendo consigo a esperança de uma família ou de umpovoado. As carreteadas em Viamão visam mostrar para a geração atual a importância que este meio de transporte teve na formação dosgrandes núcleos urbanos e reverenciar a figura humana do carreteiro, embora simples, mas grande nos seus objetivos. Nesta 1ª edição será homenageado o Sr. Máximo Caetano da Costa – Vô Chino, carreteiro viamonense de Itapuã, nascido em 19 demaio de 1903 e falecido em 15 de agosto de 1998.
  • ObjetivosA presente manifestação popular pretende alcançar os seguintes objetivos: 1- Despertar na população o aspecto histórico deste veículo, bem como sua importância na formação e desenvolvimento dos núcleos humanos; 2- Reconhecer, valorizar e respeitar a figura humana do carreteiro, sendo que em cada edição será homenageado um carreteiro viamonense; 3- Chamar a atenção da população, dos meios de comunicação e dos órgãos públicos sobre o potencial em todas as esferas sociais que este tipo de evento pode gerar; 4- Desenvolver planos de ação na área do Ecoturismo, Colocando Viamão junto aos municípios turísticos que resgatam sua própria história, tradição e cultura aliada a preservação ambiental; 5- Reconstituir os costumes que envolvem a vida cotidiana do carreteiro; 6- Atingir as escolas e que elas passem a redescobrir nossos antepassados; 7- Promover debates, seminários, painéis que contribuam para o conhecimento e difusão da tradição carreteira; 8- Facilitar o encontro entre famílias carreteiras para confraternizarem e trocarem experiência sobre seu dia a dia; 9- Manter viva e revigorar o uso da carreta nos meios rurais; 10- Disponibilizar assistência e acompanhamento no manejo dos animais; 11- Desenvolver o espírito de companheirismo e fraternidade entre as famílias carreteiras; 12- Aumentar a alta estima dos Viamonenses, mostrando que nosso município pode contribuir para o mosaico histórico do Rio grande do Sul.
  • Metodologia/Execução A carreteada será realizada na localidade da Estância Grande, município de Viamão / RS e sua sede, acampamento e concentração naCapela São Vicente Mártir, situada na Estrada da Estância Grande, 1005 que está sob a responsabilidade da Igreja Matriz de Viamão NossaSenhora da Conceição. Atualmente locada para a Associação Rádio Comunitária Santa Isabel. Possui uma área total de 1,5 ha, tendo comoedificações: 1 igreja (em reforma), 1 galpão de alvenaria, 1 galpão de madeira (aberto nas laterais), 1 prédio onde fica a rádio e uma casa decaseiro. O restante é área aberta. A área de acampamento será no piquete atrás do galpão de alvenaria e o número de carretas será limitado de acordo com a áreadisponível, conforme mapa anexo, podendo uma carreta participar da carreteada, mas não necessariamente precise acampar dentro da áreadestinada para este fim. A data prevista será no dia 08 de outubro (sábado), às 13:30hs, percorrendo um total de 9km de chão batido. As inscrições serão feitas antecipadamente, podendo os participantes chegarem no dia 07 (sexta-feira) a partir das 09:00hs. No local de acampamento terão diversos pontos de água e energia elétrica, sendo necessário que cada participante traga extensões (fioselétricos), cabos, suporte, lâmpadas, etc. para melhor iluminar a sua área. Banheiros e chuveiros estarão disponíveis na área interna do galpão. A carreteada terá dois segmentos: o 1º e principal com as carretas tradicionais e o 2º com as carretas não tradicionais, cavalaria, carrosde apoio, etc. Consideramos carretas tradicionais a que apresentarem as seguintes características básicas: 1º – Carretas de madeira, com 2 ou4 rodas (carroção) de madeira com chapa de ferro na volta; 2º – Os animais permitidos para tração serão bois ou muares (apenas paracarroções); 3º – As carretas poderão ser abertas ou toldadas. Quando toldadas, serão permitidos cobertura de lona de pano em cores discretas,zinco, couro de gado, taquara, Santa fé, ou outro com comprovado uso antigamente, sendo vetado o uso de lonas plásticas. A estrutura do toldonão pode ser de material sintético; 4º – A carreta pode se conduzida de dentro da própria por meio de cordas ou por cavaleiro carregando aaguilhada (picana ou guiada). Haverá palestras, mesa redonda, projeções de imagens de carreteadas no RS e exposição do Departamento de Memória da SecretariaMunicipal de Cultura e Esportes Durante o evento deverá ser observado a tradição e costume dos antigos carreteiros, mantendo a ordem e o respeito entre osparticipantes e visitantes. Cada carreteiro será responsável pelos cuidados dos seus animais, levarem a lenha, os utensílios e os ingredientes para seu uso próprio,bem como manter e deixar limpo os limites do seu local de acampamento. Respeitar o Toque de Silêncio para o descanso adequado dos participantes.
  • CronogramaDia 07 (sexta-feira)09:00hs – Credenciamento e demarcação do acampamentoDia 08 (sábado)08:00hs – Hinos e hasteamento das bandeiras08:15hs – Credenciamento, demarcação do acampamento e concentração12:00hs – Almoço13:30hs – Saída da frente da Capela São Vicente17:00hs – Retorno ao acampamento na Capela São Vicente20:00hs – Jantar e Tertúlia01:00hs – Toque de SilêncioDia 09 (domingo)08:00hs – Hinos e hasteamento das bandeiras08:15hs – Café da Manhã09:00hs – Missa Crioula10:00hs – Palestra, Painel, etc.12:00hs – Almoço e Tertúlia13:30hs – Palestra, Seminário, depoimentos, causos, etc.15:00hs – Entrega dos Certificados de Participação16:30hs – Encerramento e dispersãoConfirmar a presença até o dia 06 de outubro.A área destinada para o acampamento de cada carreteiro será de 96m² (12m x 8m) com fonte mínima de energia e água. A iluminação serábasicamente por fogo de chão, lanternas antigas e tochas.
  • Localização Geral
  • Trajeto de aproximadamente 9,5 km
  • Área da Capela São Vicente Mártir
  • 10 09 30 17 08 24 16 07 23 Entrada 6 29 06 15 22 28 6 14 05 21 27 6 04 26 13 Capela 20 Galpão 6 03 25 12 19 Rádio 6 02 11 18 6 01Loteamento do arranchamento das Carretas (acampamento)