ERA VARGASApresentação montada por Celso Idamiano S. Júnior – celsoidamiano@gmail.comVisite o blog “História em Foco” – ht...
ANTECEDENTES O ano de 1889 marcou a queda do Império e a  Proclamação da República no Brasil. Os militares, personagens ...
ANTECEDENTES Os governos subseqüentes consolidaram a  chamada “República do Café com Leite”. As elites latifundiárias de...
ANTECEDENTES A eleição dos oligarcas era viabilizada pelos  dispositivos da Política dos Governadores;  • Câmara de verif...
Charges representando a divisão do poder entre SP e MG (esq.) e o voto de cabresto (dir.).
A ALIANÇA LIBERAL Em 1929 a economia brasileira foi  diretamente afetada pela quebra da Bolsa nos  EUA. O presidente Was...
A ALIANÇA LIBERAL Em meio àquela crise sucessória, MG, RS e PB  se reuniram na “Aliança Liberal”. Os aliancistas apostar...
A ALIANÇA LIBERAL Imediatamente a Aliança Liberal utilizou o fato  para mobilizar a população brasileira. Ainda em 1930,...
Manifestações ocorridas durante um comício da Aliança Liberal (1929).
Getúlio Vargas (esq.) e o seu vice João Pessoa (dir.)
Vargas e os aliancistas a caminho do Distrito Federal (RJ).
GOVERNO PROVISÓRIO                     (1930 – 1934) Ao chegar no poder em 1930, Vargas revogou  a Constituição que vigor...
GOVERNO PROVISÓRIO                     (1930 – 1934) O novo presidente buscou reorganizar os  ministérios que o auxiliari...
GOVERNO PROVISÓRIO                    (1930 – 1934) Durante o Governo Provisório Vargas buscou  regulamentar também a pro...
GOVERNO PROVISÓRIO                  (1930 – 1934) Os paulistas, no entanto, não se conformavam  com a ilegitimidade do go...
Vargas e seus aliados logo após a posse no Rio de Janeiro.
Convocações constitucionalistas para a guerra.
As tropas constitucionalistas perfiladas em 1932.
CONSTITUIÇÃO DE 1934 Mediante as pressões, Vargas nomeou uma  Assembléia Nacional Constituinte em 1933. Comandados por A...
CONSTITUIÇÃO DE 1934 O processo eleitoral foi reformulado e as casas  legislativas foram reabertas;  • Criação da Justiça...
O General Gois Monteiro (esq.) e Antônio Carlos, presidente da Assembléia Constituinte (dir.).
Medeiros Netto assinando a Constituição promulgada em 1934.
GOVERNO CONSTITUCIONAL                    (1934 – 1937) Getúlio Vargas venceu as eleições indiretas de  1934 com larga va...
GOVERNO CONSTITUCIONAL                     (1934 – 1937) O Governo Constitucional, no entanto, foi  marcado pela radicali...
GOVERNO CONSTITUCIONAL                    (1934 – 1937) Já a extrema esquerda era representada pela  “Aliança Nacional Li...
GOVERNO CONSTITUCIONAL                    (1934 – 1937) Atuando na ilegalidade, os partidários da ANL  organizaram a Inte...
Plínio Salgado (esq.) e um cartaz de propaganda integralista (dir.).
Luís Carlos Prestes (esq.) e o noticiário da Intentona Comunista (dir.).
Leia estes versos:                     Mataram-nos à traição quando dormiam,                      E foram companheiros que...
O GOLPE DE 1937 Após a intentona e a decretação do Estado de  Sítio, a Constituição de 1934 foi suspensa. Entre 1935 e 1...
O GOLPE DE 1937 Sendo assim, em 1937, o presidente divulgou  na Hora do Brasil, o Plano Cohen. Redigido por Vargas e pel...
XVIII - OS REFÉNS       “No plano de violências deverão figurar, como já foi dito  atrás, os homens a serem eliminados e o...
ESTADO NOVO                       (1937 – 1945) Logo na inauguração do Estado Novo as casas  legislativas brasileiras for...
ESTADO NOVO                     (1937 – 1945) Em uma atitude ditatorial, Vargas fechou os  todos os partidos políticos br...
ESTADO NOVO                       (1937 – 1945) No âmbito da economia, o Brasil passava por  dificuldades devido à Segund...
ESTADO NOVO                   (1937 – 1945) Para o desenvolvimento da cultura, o governo  Vargas sistematizou o ensino pú...
Getúlio Vargas em uma cerimônia no Mato Grosso.
A boa imagem de Vargas reproduzida pelo DIP.
ESTADO NOVO                  (1937 – 1945) Em 1942 o Brasil rompeu sua neutralidade,  entrando na Guerra a favor dos Alia...
ESTADO NOVO                    (1937 – 1945) Pressionado, Vargas se comprometeu a  reabrir o Brasil para a democracia. S...
ESTADO NOVO                    (1937 – 1945) No final de 1945, Vargas nomeou seu irmão  para Chefe de Polícia do Distrito...
A participação dos pracinhas na Segunda Guerra.
O símbolo da FEB e o retorno das tropas ao Brasil, em 1945.
CONSIDERAÇÕES FINAIS O governo de Getúlio Vargas se caracterizou  pelo corporativismo político. O presidente não era sem...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Era vargas1

3,516

Published on

Ideal para o Enem

Published in: Education
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
3,516
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
148
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Era vargas1

  1. 1. ERA VARGASApresentação montada por Celso Idamiano S. Júnior – celsoidamiano@gmail.comVisite o blog “História em Foco” – http://historiaemfoco.ning.com
  2. 2. ANTECEDENTES O ano de 1889 marcou a queda do Império e a Proclamação da República no Brasil. Os militares, personagens importantes para o movimento, foram os primeiros presidentes; • Marechal Deodoro (1891) • Floriano Peixoto (1891 – 94) Das eleições de 1894, saíram vitoriosos os latifundiários, apoiados por Floriano.
  3. 3. ANTECEDENTES Os governos subseqüentes consolidaram a chamada “República do Café com Leite”. As elites latifundiárias de Minas (PRM) e de São Paulo (PRP) se revezaram no poder. Sob o comando da oligarquia, este período foi marcado pela ausência de políticas públicas. Práticas como o Convênio de Taubaté (1906) revelam as reais intenções dos políticos.
  4. 4. ANTECEDENTES A eleição dos oligarcas era viabilizada pelos dispositivos da Política dos Governadores; • Câmara de verificação de poderes; • Coronelismo e o “voto de cabresto”. Tais fraudes eleitorais eram acobertadas pela Constituição de 1891. Sendo assim, diversos opositores tentaram em vão derrubar oligarquia do poder.
  5. 5. Charges representando a divisão do poder entre SP e MG (esq.) e o voto de cabresto (dir.).
  6. 6. A ALIANÇA LIBERAL Em 1929 a economia brasileira foi diretamente afetada pela quebra da Bolsa nos EUA. O presidente Washington Luís (SP) não apoiou Antônio Carlos (MG) para a presidência. O PRP indicou Júlio Prestes, um novo paulista, para as eleições daquele ano. Tal atitude dos paulistas desagradou as elites mineiras que romperam o café com leite.
  7. 7. A ALIANÇA LIBERAL Em meio àquela crise sucessória, MG, RS e PB se reuniram na “Aliança Liberal”. Os aliancistas apostaram na nomeação de Getúlio Vargas (RS) para as eleições. Apesar da força dos três estados, Vargas perdeu as eleições para a oligarquia. Logo após as eleições, no entanto, o vice de Vargas, João Pessoa, foi assassinado.
  8. 8. A ALIANÇA LIBERAL Imediatamente a Aliança Liberal utilizou o fato para mobilizar a população brasileira. Ainda em 1930, portanto, Washington Luís foi deposto com o auxílio de parte do Exército. Getúlio Vargas assumiu o país prometendo realizar reformas estruturais na constituição. Iniciava assim, um governo provisório, até que as mudanças fossem realizadas.
  9. 9. Manifestações ocorridas durante um comício da Aliança Liberal (1929).
  10. 10. Getúlio Vargas (esq.) e o seu vice João Pessoa (dir.)
  11. 11. Vargas e os aliancistas a caminho do Distrito Federal (RJ).
  12. 12. GOVERNO PROVISÓRIO (1930 – 1934) Ao chegar no poder em 1930, Vargas revogou a Constituição que vigorava no país. As casas legislativas foram fechadas, e novos presidentes de estado foram nomeados; • A maioria dos cargos couberam aos tenentes; • João Alberto foi o interventor de São Paulo. Aos poucos, todos os defensores da oligarquia foram afastados pelo novo presidente.
  13. 13. GOVERNO PROVISÓRIO (1930 – 1934) O novo presidente buscou reorganizar os ministérios que o auxiliariam a governar; • Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio; • Ministério da Educação e Saúde Pública. As primeiras leis trabalhistas foram elaboradas ainda durante o Governo Provisório; • A sindicalização “oficial”; • A implementação da Carteira de Trabalho.
  14. 14. GOVERNO PROVISÓRIO (1930 – 1934) Durante o Governo Provisório Vargas buscou regulamentar também a produção agrícola; • Instituto do Açúcar e do Álcool; • Conselho Nacional do Café (CNC). Getúlio ainda construiu um novo aeroporto no RJ e renovou o porto de Santos. Aos poucos o corporativismo de Vargas ia se configurando na política brasileira.
  15. 15. GOVERNO PROVISÓRIO (1930 – 1934) Os paulistas, no entanto, não se conformavam com a ilegitimidade do governo provisório. Sendo assim, o PRP comandou a Revolução Constitucionalista em 1932. Em pouco tempo a luta armada tomou conta do estado de São Paulo. Ainda em 1932, no entanto, a reação varguista conseguiu conter os revoltosos.
  16. 16. Vargas e seus aliados logo após a posse no Rio de Janeiro.
  17. 17. Convocações constitucionalistas para a guerra.
  18. 18. As tropas constitucionalistas perfiladas em 1932.
  19. 19. CONSTITUIÇÃO DE 1934 Mediante as pressões, Vargas nomeou uma Assembléia Nacional Constituinte em 1933. Comandados por Antônio Carlos, os trabalhos foram encerrados em 1934. A Constituição, que foi inspirada na República de Weimar, foi a que menos vigorou no Brasil. Algumas reivindicações dos paulistas foram inseridas no texto da Constituição.
  20. 20. CONSTITUIÇÃO DE 1934 O processo eleitoral foi reformulado e as casas legislativas foram reabertas; • Criação da Justiça Eleitoral. • Voto fechado e extenso a homens e mulheres. A Constituição ainda previa a estatização de bancos e das riquezas do subsolo. Apesar das reformas eleitorais, as eleições de 1934 seriam indiretas para a presidência.
  21. 21. O General Gois Monteiro (esq.) e Antônio Carlos, presidente da Assembléia Constituinte (dir.).
  22. 22. Medeiros Netto assinando a Constituição promulgada em 1934.
  23. 23. GOVERNO CONSTITUCIONAL (1934 – 1937) Getúlio Vargas venceu as eleições indiretas de 1934 com larga vantagem. Ao iniciar o governo constitucional, portanto, o presidente precisava do apoio popular. Sendo, assim, o governo financiou a compra de rádios para a população brasileira. Estrategicamente foi criada a “Hora do Brasil”, em que o presidente se dirigia ao povo.
  24. 24. GOVERNO CONSTITUCIONAL (1934 – 1937) O Governo Constitucional, no entanto, foi marcado pela radicalização política nacional. A extrema direita era representada pela “Ação Integralista Brasileira” (AIB); • Partido fundado em 1932 por Plínio Salgado; • Inspiração nos partidos fascistas europeus. Vargas manteve uma relação dúbia com os “Camisas Verdes” durante seu governo.
  25. 25. GOVERNO CONSTITUCIONAL (1934 – 1937) Já a extrema esquerda era representada pela “Aliança Nacional Libertadora” (ANL); • Partido fundado em 1935, dissidente do PCB; • Liderança exercida por Luís Carlos Prestes. Ainda em 1935 foi lançada a Lei de Segurança Nacional, colocando o país em alerta. Concomitantemente, Vargas colocou a ANL e os seus membros na ilegalidade.
  26. 26. GOVERNO CONSTITUCIONAL (1934 – 1937) Atuando na ilegalidade, os partidários da ANL organizaram a Intentona Comunista (1935); • Tentativa de tomada simultânea de quartéis; • O movimento se deu de forma desorganizada. Dada a desorganização do movimento, Vargas conteve os revoltosos ainda em 1935. A ação dos comunistas abriu espaço para que o presidente declarasse Estado de Sítio.
  27. 27. Plínio Salgado (esq.) e um cartaz de propaganda integralista (dir.).
  28. 28. Luís Carlos Prestes (esq.) e o noticiário da Intentona Comunista (dir.).
  29. 29. Leia estes versos: Mataram-nos à traição quando dormiam, E foram companheiros que os mataram Não foi a guerra, foi o crime que os matou Dormiam no quartel, de madrugada, Mas a seu lado, Em sinistra vigília, Companheiros sem alma conspiravam, Sem alma porque a tinham vendido Ao estrangeiro de vestes vermelhas.... Eram os filhos malditos de Caim. MAUL, Carlos. “Toque de Silêncio” .É CORRETO afirmar que, nesses versos, o autor faz referênciaA) à insurreição de novembro de 1935.B) à Revolução Constitucionalista de 1932.C) à Revolução de Outubro de 1930.D) ao golpe civil-militar de 1964.
  30. 30. O GOLPE DE 1937 Após a intentona e a decretação do Estado de Sítio, a Constituição de 1934 foi suspensa. Entre 1935 e 1937 o Brasil se manteve envolto em um clima de tensão. Vários rumores relativos a um novo levante comunista corriam o país. Getúlio Vargas, que sairia da presidência em 1938, se aproveitou do “perigo vermelho”.
  31. 31. O GOLPE DE 1937 Sendo assim, em 1937, o presidente divulgou na Hora do Brasil, o Plano Cohen. Redigido por Vargas e pela AIB, o plano falso previa um suposto novo levante comunista. A divulgação do plano acabou atingindo seus objetivos, ou seja, mobilizando a população. Com um grande respaldo popular, portanto, Vargas aplicou golpe de estado em 1937.
  32. 32. XVIII - OS REFÉNS “No plano de violências deverão figurar, como já foi dito atrás, os homens a serem eliminados e o pessoal encarregado dessa missão. Todavia, tão importantes quanto estes serão os reféns, que, em caso de fracasso parcial, servirão para colocar em xeque as autoridades. Serão reféns: os Ministros de Estado, presidente do Supremo Tribunal, e os presidentes da Câmara e do Senado, bem como, nas demais cidades, duas ou três autoridades ou pessoas gradas. A técnica para a colheita de reféns será a seguinte: os raptos deverão ser executados em pleno dia, nas próprias residências, que serão invadidas por grupos de 3 a 5 homens dispostos e bem-armados e munidos de narcóticos violentos (clorofórmio, éter em pastas de algodão empapadas) e serão transportadas para pontos secretos e inatingíveis, com absoluta segurança. Em caso de fracasso, proceder ao fuzilamento dos reféns”. (SILVA, p.283-4) Trecho do suporto Plano Cohen.
  33. 33. ESTADO NOVO (1937 – 1945) Logo na inauguração do Estado Novo as casas legislativas brasileiras foram fechadas. Para configurar a ditadura porvir, o presidente outorgou a Constituição de 1937; • Leis inspiradas na constituição da Polônia; • Poderes plenos ao Executivo e fim do federalismo; • Eleições indiretas para a presidência; • Admissão da pena de morte para alguns crimes.
  34. 34. ESTADO NOVO (1937 – 1945) Em uma atitude ditatorial, Vargas fechou os todos os partidos políticos brasileiros. Se sentindo traídos, os membros da extinta AIB realizaram a Intentona Integralista (1938). No intuito de fortalecer a sua ditadura, Vargas nomeou órgãos políticos estratégicos; • Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP); • Dep. de Administração do Serviço Público (DASP).
  35. 35. ESTADO NOVO (1937 – 1945) No âmbito da economia, o Brasil passava por dificuldades devido à Segunda Guerra. Buscando substituir as importações, Vargas investiu nas indústrias estatais de base; • Criação do Conselho Nacional do Petróleo (CNP); • Criação da CSN em Volta Redonda (1941); • Instalação da Vale do Rio Doce (1942); • Construção da Fábrica Nacional de Motores.
  36. 36. ESTADO NOVO (1937 – 1945) Para o desenvolvimento da cultura, o governo Vargas sistematizou o ensino público gratuito. O ensino superior e a proteção ao patrimônio cultural brasileiro também se valorizaram. Amarada pelo DIP, a homogenização cultural, fortaleceu o nacionalismo brasileiro. Além da CLT (1943) Vargas criou o SENAI e o SENAC para o treinamento da mão de obra.
  37. 37. Getúlio Vargas em uma cerimônia no Mato Grosso.
  38. 38. A boa imagem de Vargas reproduzida pelo DIP.
  39. 39. ESTADO NOVO (1937 – 1945) Em 1942 o Brasil rompeu sua neutralidade, entrando na Guerra a favor dos Aliados. Vargas, que agia claramente como um ditador, contra o fascismo em solo europeu. Aproveitando da situação, parte da população passou a exigir a renúncia do presidente. Os queremistas, no entanto, clamavam pela manutenção de Vargas no poder.
  40. 40. ESTADO NOVO (1937 – 1945) Pressionado, Vargas se comprometeu a reabrir o Brasil para a democracia. Sendo assim, no ano de 1945, a liberdade para a reorganização dos partidos foi concedida; • Fundação do PTB e PSD por Getúlio Vargas; • Criação da UDN e do PCB pela oposição. Ainda em 1945, em uma ação democratizante, Vargas anistiou os presos políticos.
  41. 41. ESTADO NOVO (1937 – 1945) No final de 1945, Vargas nomeou seu irmão para Chefe de Polícia do Distrito Federal. Aquela ação evidenciou uma provocação por parte do presidente às Forças Armadas. Sendo assim, o alto escalão do Exército iniciou um movimento para depor Getúlio Vargas. Em outubro de 1945 o presidente foi deposto sem que sofresse punições jurídicas.
  42. 42. A participação dos pracinhas na Segunda Guerra.
  43. 43. O símbolo da FEB e o retorno das tropas ao Brasil, em 1945.
  44. 44. CONSIDERAÇÕES FINAIS O governo de Getúlio Vargas se caracterizou pelo corporativismo político. O presidente não era sempre fiel a uma mesma ideologia. Vargas não era um fascista, apesar das semelhanças entre os governos. Getúlio Vargas foi realmente o “Pai dos Pobres”? Ou seria mesmo a “Mãe dos Ricos”?
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×