Modelo de Autoavaliação das BE

  • 730 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
730
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares
    Valdemar Silva
  • 2. Avaliação
    Porquê?
    Para quê?
    Valdemar Silva
  • 3. Porquê?
    É uma das componentes essenciais na estratégia de desenvolvimento das BE portuguesas
    Para servir de instrumento de regulação e melhoria contínua
    Para justificar a razão de existir das BE no panorama escolar português
    Valdemar Silva
  • 4. Para quê?
    Finalidade instrumental – permitindo melhorar a execução, corrigir e ajustar
    Finalidade estratégica – mobiliza a aprendizagem organizacional e a participação de vários actores e consolida a visão estratégica;
    Finalidade substantiva – a avaliação é um instrumento para melhoria contínua, permite a reconceptualização das políticas, projectos e programas.
    Valdemar Silva
  • 5. Sistema de avaliação: auto-avaliação
    Dos vários sistemas de avaliação, a nossa atenção recai na auto-avaliação por ser:
    Valdemar Silva
  • 9. A Biblioteca Escolar nos nossos dias
    É UM ESPAÇO
    JÁ NÃO É APENAS
    Organizado em função das literacias
    Biblioteca
    Um espaço que oferece recursos e dinamiza actividades para a comunidadeescolar
    Interactivo, que oferece recursos e informações em diversos suportes
    De aprendizagem que permite transformar informação em conhecimento
    Deve, por isso, estar em sintonia com as metas de aprendizagem e sucesso definidas pela Escola
    Privilegiado para o trabalho articulado com os professores
    Valdemar Silva
  • 10. Fundamentação Teórica da Missão da BE
    • Construtivismo
    • 11. InquirybasedLearning
    • 12. Evidence-basedpractice
    Valdemar Silva
  • 13. A recolha de Evidências
    O que são evidências?
    Como recolhemos evidências?
    Que alterações temos de fazer nas nossas práticas para termos estas evidências que suportam a avaliação?
    Que tipos de evidências podemos recolher?
    Conceito de EVIDENCE-BASED PRACTICE de RossTod
    Valdemar Silva
  • 14. Domínios a Avaliar
    Valdemar Silva
  • 15. Análise SWOT
    Valdemar Silva
  • 16. Tarefa
    • Em pequenos grupos, faça a análise SWOT da sua Biblioteca de um dos domínios de intervenção da BE
    Discussão do trabalho desenvolvido por cada um dos grupos
    Valdemar Silva
  • 17. Etapas do Processo
    Valdemar Silva
  • 18. Os Envolvidos
    Valdemar Silva
  • 19. Impactos esperados
    O programa da BE passe a estar integrada nos planos estratégicos e operacionais da Escola;
    Haja mais reforço no conceito de cooperação, baseado na planificação e no trabalho colaborativo
    Se potencie a BE como pólo dinamizador da Escola, através da apresentação de evidências e da comunicação contínua com os diferentes actores e stakeholdersna escola
    Desenvolva uma cultura de avaliação
    Implemente um desenvolvimento do curriculum efectivamente baseado em conhecimentos e competências
    Valdemar Silva
  • 20. Os Resultados
    Valdemar Silva
  • 21. Bibliografia
    CONDE, Elsa (2009). Guia da Sessão 10 de GOBE,. Disponível em:
    http://www.avaliacao.faefi.ufu.br/index.php?id=9
    Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares(2008). Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares
    Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares Documento PDF
    Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: instrumentos de recolha de dados
    Todd, Ross (2008) “TheEvidence-Based Manifesto for SchoolLibrarians”. SchoolLibraryJournal.
    Valdemar Silva