Ppp2012

5,065 views
4,948 views

Published on

Ppp2012

  1. 1. SUMÁRIOI. IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR 11. Quadro de Identificação dos Funcionários 22. Quadro de Organização das Modalidades 3II. CARACTERIZAÇÃO E PLANO DE AÇÃO PARA OS SEGMENTOS 41. Concepção Pedagógica 42. Caracterização da Comunidade 63. Comunidade Escolar 73.1. Caracterização 73.2. Plano de Ação para a Comunidade Escolar 103.3. Avaliação 154. Equipe Escolar 154.1. Professores 154.1.1. Caracterização 174.1.2. Plano de Formação para os Professores 184.1.3. Avaliação do Plano de Formação 224.2. Estagiárias de apoio 224.2.1. Caracterização 234.2.2. Plano de Formação para as Estagiárias de apoio 234.2.3. Avaliação do Plano de Formação 234.3. Funcionários 234.3.1. Caracterização 234.3.2. Plano de Formação para os Funcionários 244.3.3. Avaliação do Plano de Formação 255. Conselho de Escola 255.1. Caracterização 255.2. Plano de ação do Conselho de Escola 285.3. Avaliação 29III. ORGANIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO PEDAGÓGICO 291. Objetivos 292. Levantamento de Objetivos Gerais e Especificos 303. Levantamento de Objetivos e Conteúdos por Área de Conhecimento 304. Rotina 474.1. Estudo do Meio 535. Avaliação da Aprendizagem dos Alunos 536. Acompanhamento dos Instrumentos Metodológicos 557. Ações Suplementares 557.1. AEE – Atendimento Educacional Especializado 55IV. REFERÊNCIAS 55V. ANEXOS 56
  2. 2. 1
  3. 3. I - IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLARDENOMINAÇÃO, ENDEREÇO E TELEFONES EMEB “Hygino Baptista de Lima”, localizada na Rua Abramo Luchesi, nº 6, Jardim Leblon, SãoBernardo do Campo, CEP: 09781-030; telefones 4127 –7133 e 4335-5509; e-mailhygino.baptista@sec.saobernardo.sp.gov.br; CIE 35085807.IDENTIFICAÇÃO DA EQUIPE GESTORA Diretora - Edjane de Andrade Silva - formada em Pedagogia – licenciatura Plena com Habilitaçãoem Administração e Supervisão Escolar e Magistério de Disciplinas Pedagógicas. Mestre em Filosofia daEducação. Trabalha há vinte e seis anos com educação, sendo quinze anos como diretora de EducaçãoInfantil. Atuou no magistério de Ensino Fundamental e Médio e Ministrou aulas em disciplinaspedagógicas do Ensino Superior. Professora de apoio à direção – Denise Calazans Russi - formada em Pedagogia Plena comAdministração Escolar trabalha com educação há vinte e nove anos. É professora com jornada de 40horas, atualmente exerce a função de PAD, eleita pela equipe escolar. Coordenadora Pedagógica – Valdirene Garcia Ciola – formada em Letras com bacharelado elicenciatura plena, e licenciatura plena em Pedagogia com habilitação em Administração e SupervisãoEscolar. Pós-graduada em Arte-Educação e Linguagens da Arte. Trabalha há quatorze anos com EducaçãoInfantil.IDENTIFICAÇÃO DO ORIENTADOR PEDAGÓGICO Mara Lúcia Finocchiaro da Silva - Pedagoga com habilitação em Administração e SupervisãoEscolar. Pós- graduada em Violência Doméstica Contra Crianças e Adolescentes e Educação Infantil,atuando há vinte e oito anos na Educação Infantil da Rede Municipal de Ensino.MODALIDADES DE ENSINO, PERIODOS E HORÁRIOS Atendemos as seguintes modalidades de ensino: Infantil III, Infantil IV, Infantil V e período integral.Os períodos e horários estão descritos no quadro a seguir: De segunda à sexta-feira Turmas Manhã Tarde Entrada Saída Entrada Saída Infantil III, IV e V 07h30 11h30 13h00 17h00 Integral(semi) 07h00 13h00 11h30 17h30 A unidade escolar está aberta para atendimento ao público de segunda à sexta-feira das 7h às17h30. 2
  4. 4. 1. QUADRO DE IDENTIFICAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS HORÁRIO DE PERÍODO NOME MATRICULA FUNÇÃO/CARGO TRABALHO DE FÉRIAS ABIGAIL DA SILVA SANTOS 31.065-0 PROFESSORA 13h00/17h00 JANEIRO AUXILIAR DE ANAHI APARECIDA JUSTO 60.510-8 6h30/16h00 SETEMBRO LIMPEZA ANGELA ARAUJO BARBOSA 37.987-2 PROFESSORA 7h30/17h00 JANEIRO OFICIAL DECAROLINA CRISTINA LEME DE ALMEIDA 33.184-8 7h00/16h00 JANEIRO ESCOLA CLAUDIA ALEXANDRA MATIOLLI 35.989-2 PROFESSORA 7h30/11h30 JANEIRO CLAUDIA CRISTINA SANCHEZ DARE 23.745-2 PROFESSORA 7h30/11h30 JANEIROCLEONICE MARIA DOS SANTOS TACONI COAN COZINHEIRA 7h00/4h48 JANEIRO DÉBORA ALEXANDRE FERNANDES 36.384-9 PROFESSORA 7h00/!3h00 JANEIRO AUXILIAR DE DÉBORA ANDRADE DIAS 60.680-3 8h30/18h00 JANEIRO LIMPEZA 2ª 7h30/19h30 3ª 7h30/16h30 4ª e 5ª DENISE CALAZANS RUSSI 7.626-8 PAD JANEIRO 9h00/17h30 6ª 7h30/17h30 2ª 10h30/19h30 3ª e 4ª EDJANE DE ANDRADE SILVA 25.372-1 DIRETOR ESCOLAR 7h30/17h30 JANEIRO 5ª 7h30/16h30 6ª 10h00/17h30 ELIANE BATTISTINI 21.613-3 PROFESSORA 7h30/11h30 JANEIRO ELIANE FERNANDES FEITOSA 77.664-4 ESTAGIÁRIA DE APOIO 7h30/13h30 JANEIRO ELIZANDRA PERFEITO DE CAMPOS 21.613-3 PROFESSORA 7h30/17h00 JANEIRO AUXILIAR DE ENEDINA QUINTINO SILVA COAN 7h00/4h48 JANEIRO COZINHA AUXILIAR DE GERALDO FEREIRA DA SILVA 19.300-6 6h30/16h00 JANEIRO LIMPEZA AUXILIAR DE GISLENE DE OLIVIRA 19.495-5 6h30/16h00 MAIO LIMPEZA IVANILDA GUEDES VENANCIO 36.924-3 PROFESSORA 7h30/17h00 JANEIRO AUXILIAR DE JANAINA DA SILVA 60.602-3 8h30/18h00 JANEIRO LIMPEZA KÁTIA RODRIGUES TARANTINI 31.708-4 PROFESSORA 7h30/11h30 JANEIRO LEILA GERALDA PEREIRA 22.425-7 AJUDANTE GERAL 9h00/18h00 JULHO AUXILIAR DE LINDOMAR LEONOR DA CONCEIÇÃO COAN 7h00/4h48 JANEIRO COZINHALUCIANA SILVA GONGORA DOS SANTOS 35.943-6 PROFESSORA 13h00/17h00 JANEIROMARIA ELISABETE DA PENHA CAMPAGNARO 33.301-0 PROFESSORA 7h30/17h00 JANEIROMARIA RAIMUNDA FERREIRA DOS SANTOS 28.471-8 PROFESSORA 13h00/17h00 JANEIRO 3
  5. 5. MARIANE FALCO 31.659-1 PROFESSORA 7h30/11h30 JANEIRO OFICIAL DE PEDRO FURTADO 33.753-5 8h30/17h00 JANEIRO ESCOLA RENATA CRISTINA GOMES DA SILVA 36.933-2 PROFESSORA 11h30/17h30 JANEIRO AUXILIAR DE SANDRA RUBIA DOS SANTOS 19.009-2 8h30/18h00 JANEIRO LIMPEZA SILVIA HELENA NEVES DE SOUZA 26.749-3 PROFESSORA 13h00/17h00 JANEIRO SOLANGE SLEMER ALVES MOREIRA 35.330-9 AUXILIAR DE EDUCAÇÃO 7h30/17h00 JANEIRO TATIANA RODRIGUES CALIAN DOS PROFESSORA 18.367-1 7h30/11h30 JANEIRO SANTOS SUBSTITUTA TEREZINHA RIBEIRO DE JESUS 31.120-8 PROFESSORA 13h00/17h00 JANEIRO 2ª 7h30/19h30 3ª7h30/17h30 COORDENADORA VALDIRENE GARCIA CIOLA 26.679-8 4ª 9h30/17h00 JANEIRO PEDAGÓGICA 5ª e 6ª 7h30/16h30 VALDISA MARIA DE CALDAS 25.722-0 PROFESSORA 7h30/11h30 JANEIRO VALÉRIA GARCIA DE OLIVEIRA 25.789-8 PROFESSORA 7h30/11h30 JANEIRO ESCANUELA AUXILIAR DE VANESSA RODRIGUES DE ARAUJO COAN 7h00/4h48 JANEIRO COZINHA 2. QUADRO DE ORGANIZAÇÃO DAS MODALIDADES TOTAL DE ALUNOS TOTAL DE ALUNOSPERÍODO AGRUPAMENTO TURMA PROFESSORA ESTAGIÁRIA/AUXILIAR POR TURMA POR PERÍODO A BETE 18MANHÃ Infantil III 36 B ELIZANDRA 18 A ELIANE 20MANHÃ Infantil IV B VALÉRIA 22 83 C CLAUDIA D. 21 A VALDISA ELIANE 25MANHÃ Infantil V B MARIANE 24 74 C CLAUDIA A. SOLANGE 25MANHÃ INTEGRAL DÉBORA 25 25 C SILVIA H. 26TARDE Infantil III 51 D IVANILDA 25 D ANGELA 30TARDE Infantil IV E LUCIANA 30 60 F ABIGAIL 30 4
  6. 6. D RAIO 27TARDE Infantil V E TEREZINHA SOLANGE 27 81 F KATIA 27TARDE INTEGRAL RENATA ELIANE 25 25 TOTAL REGULAR 395 TOTAL REGULAR+SEMI 395+50 445II – CARACTERIZAÇÃO E PLANO DE AÇÃO PARA OS SEGMENTOS DE ATUAÇÃO DA ESCOLA 1. CONCEPÇÃO PEDAGÓGICA No ano de 2010 fizemos um levantamento do que acreditamos ser o papel educativo dosdiferentes atores da equipe escolar e retomamos em 2011 para discussão e adequações necessárias.Nesta escola, temos conquistado ao longo dos anos o comprometimento de todos com o bem estar dascrianças, priorizando o atendimento às suas necessidades. Independente da função legal de cada membroda equipe escolar, nossa prioridade é a criança, e isso se tem efetivado nos cuidados diários. A seguirdescrevemos o que a equipe levantou do papel educativo de cada membro da equipe escolar, levando emconsideração as especificidades de sua função e tendo como princípio o atendimento às necessidades dascrianças. Em 2012 optamos por manter a mesma escrita.OFICIAL DE ESCOLA: Respeitar o aluno e priorizar suas necessidades; Zelar pela frequência dos alunos (no caso de baixa frequência - deve ser avisado pelo professor e tomar as devidas providências); Transmitir recados entre pais e professoras, ser um elo de ligação entre as necessidades das famílias e da equipe escolar; Ser exemplo de conduta ética; Escutar e acolher as necessidades das famílias que procuram a escola.PROFESSORES:  Favorecer a qualidade de ensino;  Respeitar a diversidade;  Promover a integração entre família e escola;  Escutar, acolher e atender as necessidades dos educandos, inclusive quanto à higiene;  Ser exemplo de conduta ética;  Promover o exercício de cidadania.ESTAGIÁRIAS DE APOIO À INCLUSÃO/AUXILIAR EM EDUCAÇÃO:  Ser referência para toda turma;  Ser exemplo de conduta ética;  Estar inserida no planejamento da turma;  Trabalhar em sintonia com a professora;  Ser apoio para a professora com alunos com necessidades educacionais especiais;  Ter comprometimento com a educação inclusiva.  Desenvolver trabalho educativo que favoreça a construção da autonomia infantil. 5
  7. 7. EQUIPE DA COZINHA  Ser exemplo de conduta ética;  Zelar e cuidar da alimentação dos alunos;  Preocupar-se com a qualidade e higiene dos alimentos;  Estabelecer parceria com os projetos culinários desenvolvidos pelas turmas;  Ter postura de educador no trato com as crianças nos horários de refeição;  Auxiliar as professoras em ensinar às crianças os procedimentos na hora do lanche.EQUIPE DE LIMPEZA/APOIO  Zelar pela limpeza da escola;  Ser exemplo de conduta ética;  Disposição para atender as necessidades imediatas das crianças (troca de roupa, higiene, acidentes)  Ter clareza de seu papel educativo em todos os momentos de trato com as crianças.AUXILIAR DE BIBLIOTECA: Ser exemplo de conduta ética; Zelar pela organização do espaço da biblioteca Disponibilizar material de apoio no desenvolvimento de projetos; Auxiliar na organização do trabalho de pesquisa das turmas; Estar efetivamente envolvido com o trabalho escolar; Atender à comunidade.TRIO GESTOR  Acompanhar a atuação de todos os funcionários da escola;  Promover a integração da equipe escolar;  Respeitar as individualidades dos membros da equipe escolar;  Promover formação;  Exercer papel mediador entre família e escola e equipe escolar;  Ser exemplo de conduta ética. PRINCÍPIOS QUE NORTEIAM O TRABALHO NESTA UNIDADE: DIVERSIDADE CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO RESPEITO À INFÂNCIA DE HOJE APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA INTERAÇÃO AUTONOMIA GESTÃO DEMOCRÁTICA CONCEPÇÕESSER HUMANO: É um ser singular e social constituído de razão, emoção, sensações e conflitos; capaz derecriar, fazer escolhas e transformar a realidade a partir de sua história e do meio em que vive, estandoem constante evolução. 6
  8. 8. CONHECIMENTO: Experiência significativa, vivida de maneira direta ou indireta, que promove a percepçãode si, do outro e do meio. É construído através de interações, em um processo contínuo e inacabado,sendo a mola propulsora que transforma o ser humano.SOCIEDADE: É um agrupamento de pessoas sustentado por valores e regras construídas por um processodinâmico ou herdadas culturalmente, que devem ser seguidas de maneira ética para que haja uma melhorconvivência.EDUCAÇÃO ESCOLAR: Processo de desenvolvimento de potencialidades de uma pessoa, que o espaçoeducativo deve propiciar através da interação da comunidade escolar; respeitando as diferenças,promovendo a autonomia e buscando a formação global do indivíduo, que visa a sua atuação crítica etransformadora na sociedade.ALUNO: É um ser único e em desenvolvimento. É constituído de razão, emoção, sensações e conflitos.Está em constante movimento, necessitando de orientações e conhecimentos sistematizados para quepossa ser capaz de fazer escolhas e atuar de maneira crítica e reflexiva no meio em que vive.ESCOLA: Ambiente que promove relações e acolhe todos os envolvidos no processo educacional. Nesteambiente o indivíduo tem a oportunidade de conviver com as diferenças e desenvolver, através destatroca, suas potencialidades, capacidades e habilidades através de ações pedagógicas sistematizadas earticuladas com política educacional vigente. Nesta escola, essas ações pedagógicas estão direcionadaspara o desenvolvimento da autonomia, visando o atendimento das necessidades individuais doeducando, com a participação ativa da comunidade escolar.COMUNIDADE: É composta por funcionários, alunos, famílias e todas as pessoas que interagem nesteambiente, norteados por valores e regras de conduta construídos num processo dinâmico e seguido demaneira ética. A interação da comunidade escolar acontece através de reuniões com pais, eventosabertos à comunidade, Conselho/APM, agenda do aluno, comunicados diversos e acesso à participaçãodas famílias na rotina escolar. 2. CARACTERIZAÇÃO DA COMUNIDADE A vizinhança desta Unidade é composta por algumas escolas estaduais de 5ª a 8ª séries e deensino médio, duas EMEBs que atendem crianças de 0 a 3 anos, cerca de cinco EMEBs de 1ª a 4ª série,outras cinco EMEBs que atendem crianças de 4 a 6 anos, uma EMIP, com o CRAS da Vila do Tanque, alémde quadras de esporte e praças. Contamos também com uma Unidade Básica de Saúde em frente, um Batalhão de Corpo deBombeiros próximo, além de comércio local, sendo que esse comércio é composto por supermercado,posto de gasolina, um representante de rede de fast food, um representante de uma grande rede devenda de materiais de construção, além de pequenos comércios, padarias, igrejas evangélicas e umaigreja católica. Estão em construção outro supermercado e um grande shopping Center, com previsão de entregapara o próximo ano. Nos últimos anos esta unidade fez parte do projeto Cult-circuito, que realizava apresentaçõesteatrais infantis bimestrais aos sábados, gratuito e aberto à comunidade. Esses eventos sempre foram bastante procurados pelas famílias do bairro e de fora dele, sempre 7
  9. 9. bem avaliados pela comunidade, tanto local quanto distante, já que o mesmo era divulgado para toda acidade, porém desde 2009, esta unidade não faz mais parte do roteiro de apresentações. A equipe entrouem contato com a Secretaria de Cultura e foi informada que outra unidade passou a fazer parte desseprojeto, porém há grande interesse da equipe em participar desse projeto. Ainda nesta unidade são oferecidos para a comunidade: Ginástica para a Comunidade: às 2ªs, 4ª e 6ªs feiras às 18h00 a comunidade utiliza o salão daUnidade para ginástica. O grupo é orientado pelo Sr. Rubens Cypriano e atende cerca de 40 pessoas. Ballet para crianças: às 2ª e 4ª feiras uma das salas de aula é utilizada para aulas de Ballet paracrianças de 4 a 12 anos. Ao final do ano as crianças fazem uma apresentação num dos teatros da cidade.Atualmente 70 crianças frequentam as aulas de Ballet Clássico. Sempre que há uma oportunidade ascrianças fazem apresentação para nossos alunos. Empréstimo da quadra para escolinha de futebol: eventualmente crianças e adolescentes seutilizam da quadra para prática esportiva. Utilização do Espaço Escolar por entidades filantrópicas: Durante o ano o espaço escolar ésolicitado por diversas entidades do bairro para eventos, sem finalidade lucrativa. Nos últimos anos a Biblioteca Interativa da unidade escolar realizava as quartas-feirasatendimento da comunidade para empréstimos de livros, pesquisas na internet, revistas e jornais, porémeste ano, por não contar mais com auxiliar de biblioteca, esse atendimento está temporariamentedesativado e só será retomado quando houver contratação de novo auxiliar de biblioteca. 3. COMUNIDADE ESCOLAR 3.1. CARACTERIZAÇÃO Um diagnóstico percentual da comunidade foi realizado com base nos dados colhidos em umapesquisa realizada na primeira reunião do ano, sendo que os dados colhidos foram apresentados nosinfográficos a seguir: 8
  10. 10. 9
  11. 11. Os dados levantados são importantes e mostram algumas características, porém podemos sabermais sobre a comunidade que nos cerca através da observação, de conversas com os pais, do retorno dasavaliações realizadas anualmente pela escola e pelas expectativas colhidas na reunião com pais. Ascaracterísticas observadas nessa pesquisa nos auxiliam em reforçarmos nossa atuação como escolapública e laica, já que nos mostra quão diversa é a comunidade atendida. Na pesquisa do perfil realizada no início do ano levantamos as expectativas dos pais, sendo queem 2010 tivemos o retorno de 276 pesquisas, nas quais os pais responderam “O que você espera destaescola para seu filho”. A partir do levantamento das expectativas, percebemos que parte das famílias espera que ascrianças tenham uma aprendizagem que as leve à alfabetização ao término da educação infantil. Esperamque seus filhos tenham uma escola onde “aprendam a ler, escrever e contar”, levando em consideração asua faixa etária. Percebemos, portanto que os pais mostram grandes anseios quanto às aprendizagenscognitivas, mas também estão preocupados com a socialização, com a convivência e com o respeito.Aparecem também expectativas quanto aos procedimentos e uma preocupação pouco expressiva com asbrincadeiras infantis. Grande parte das famílias mostra-se satisfeita com o trabalho realizado pela escola esperando quecontinue sendo “uma escola boa” onde seus filhos possam interagir com outras crianças. Pudemosobservar uma preocupação com o respeito à diversidade e na importância da parceria entre escola efamília. Diante desses relatos, pretendemos nas reuniões com pais, ampliar a visão destas famílias para aspossibilidades educacionais, voltadas aos princípios estéticos, éticos e políticos que se desdobram emsensibilidade, criatividade, cooperação, visão de uma sociedade sustentável, levando em conta asdiferentes linguagens, o trabalho para a construção de autonomia das crianças de forma a dar maiordimensão para as possíveis aprendizagens das crianças. Falas como “Que minha filha aprenda a conviver em grupo, a dividir e que aprenda a respeitar ooutro”, “Espero que a escola junto com a família ajude a formar as crianças como pessoas melhores, comvalores e conhecimentos”, “Espero que ajude meu filho a ser um adulto feliz, seguro, confiante, capaz detomar decisões” mostram que as famílias acreditam na educação como meio de mudança social edepositam suas esperanças na escola. Algumas famílias reivindicam maiores cuidados no que se refere à segurança, cuidados ealimentação, que seja uma escola comprometida com seu trabalho. Nas avaliações realizadas ao término do ano os pais mostram satisfação em relação à escola,porém estão mais críticos e reivindicam com maior segurança aquilo que acreditam ser o mais importantepara a vida escolar de seus filhos. Percebemos que nos últimos anos as crianças vêm ingressando mais novas na escola e muitos nãopossuem escolaridade anterior. Aproximadamente 19% das crianças matriculadas nesta unidade nãofrequentaram escola anteriormente, esse dado nos ajuda a pensar na adaptação dessas crianças. Em 2010, com a implantação do fundamental de 9 anos, as faixas etárias em cada turma forammodificadas, a classificação das turmas de Educação Infantil portanto é: Infantil III – crianças nascidas deabril a dezembro de 2007; Infantil IV – crianças nascidas de abril de 2006 a março de 2007; Infantil V –crianças nascidas de abril de 2005 a março de 2006. As crianças de janeiro a março de 2005 passaram aser atendidas no Ensino Fundamental. Neste ano, diferente dos anos anteriores, toda a demanda foi contemplada e como não tivemos 10
  12. 12. lista de espera para as turmas de regular abrimos duas turmas de integral. Por não haver escola que ofereça período integral em sua região de moradia, algumas famíliasprocuraram esta escola apenas com a intenção de concorrer ao integral, porém apenas 50 crianças foramcontempladas, sendo que 39 permanecem em lista de espera. Quanto aos eventos e reuniões de pais realizados, precisamos levar em consideração o grandenúmero de pais que trabalham e que não podem participar efetivamente desses momentos. Paraatendimento aos pais oferecemos horários alternativos para aqueles que não podem participar dasreuniões. Quanto aos eventos, realizamos alguns aos sábados, como a mostra cultural e o dia da família.Realizamos a festa de encerramento das turmas de infantil V no período da noite e percebemos umapresença marcante de familiares. 3.2. PLANO DE AÇÃO PARA COMUNIDADE ESCOLAR A gestão democrática tem sido um dos grandes desafios dos últimos anos. Esta ação se tornaainda mais desafiadora quando se trata do segmento “família”. Um de nossos focos nesta questão éestabelecer um vínculo de confiança, respeito e parceria entre a comunidade escolar. Nossa maior açãotem sido nas reuniões com pais, pois acreditamos ser esse um momento privilegiado de formação epartilha de expectativas em relação a escola. Também temos procurado garantir reuniões individuais comas famílias para pontuar questões demandadas pela professora ou pela família. Outras ações realizadassão eventos aos sábados, como Dia da Família e Mostra Cultural, momentos em que os familiares podempartilhar com as crianças suas produções e participar ativamente de algum projeto realizado na escola, jáque a maioria dos pais trabalha. A avaliação feita com a comunidade ao final de 2011 retrata que as famílias consideram a escolamuito boa, quanto à aprendizagem, aos cuidados com as crianças, à organização e limpeza, aoacolhimento, ao trabalho das professoras, às relações estabelecidas; consideram bom o período eacolhimento; consideram as atividades realizadas pela escola com a participação da comunidade, comoMostra Cultural e Dia da Família; mostram-se satisfeitos quanto ao trabalho e atendimento da secretaria;mostram-se satisfeitos quanto ao trabalho, atendimento e acolhimento do trio gestor; mostram-sesatisfeitos quanto ao trabalho dos demais funcionários; o empréstimo de livros do acervo da escola paraserem lidos em casa é avaliado como bom e como uma forma de estimular a leitura; as formas decomunicação da escola com os familiares é considerada eficaz. Quanto ao que consideram importante ou necessário ser melhorado na escola, para o próximoano, muitas famílias consideram que a escola precisa de reforma, principalmente troca urgente do piso;necessidade de maior segurança com um guarda em tempo integral na escola; acreditam que o lanchepoderia ser mais variado e que poderiam ser servidas frutas de época. Percebemos que houve pouca mudança quanto ao conhecimento das ações da APM/Conselho,portanto essa será uma ação proposta para continuidade este ano. A seguir estão expostos gráficos que retratam o resultado da avaliação com a comunidade escolarao final de 2011. 11
  13. 13. 12
  14. 14. 13
  15. 15. Quanto à avaliação do Plano para a Comunidade feito pela equipe escolar, grande parte do plano de açãode 2011 foi considerado efetivado, porém alguns pontos terão continuidade em 2012. Quanto aos desafios apontados para 2012 a equipe apontou: Representação de membros da APM/Conselho nas reuniões com pais; Um representante por sala de aula nas reuniões de APM/Conselho; Considerar os saberes das famílias; Mostrar aos pais das produções da escola; Segurança 24h na escola. Desse modo o Plano de Ação ficou assim definido: 14
  16. 16. PLANO DE AÇÃO PARA COMUNIDADE ESCOLARJustificativa Objetivos Gerais e Ações Propostas Responsáveis Prazo/periodicidade Específicos (Metodologia)Participação das Ampliar a Comunicar e Equipe Escolar Mensalmentefamílias nos eventos participação dos convidar as famíliasainda em número familiares nos com antecedência epouco significativo eventos através de diferentes formas (calendário mensal, convites, cartazes) espalhados pela escola O conhecimento do Envolver os Estabelecer Equipe escolar Durante todotrabalho escolar, por familiares em parcerias com asparte das famílias, atividades /projetos famílias através deainda é pouco. desenvolvidas na pesquisas, unidade escolar. entrevistas, contribuições com seus saberes, envolvendo-os em projetos das salas como o de brincadeiras tradicionais; Organizar apresentações de produto final para as famílias; manter os murais atualizados com atividades dos alunos; mostrar as produções da escola não necessariamente em uma Mostra de fim de ano; divulgação do blog da escolaFalta de Divulgar as ações da Enviar para as APM/Conselho de Durante todo anoconhecimento da A.P.M. e Conselho famílias Boletins Escolacomunidade escolar a de Escola. sobre as reuniões darespeito da atuação APM/Conselho;da A.P.M. e Conselho colher sugestõesde Escolar para pauta através 15
  17. 17. de bilhetes enviados a todas as famílias; eleger um representante por sala de aula nas reuniões de APM/Conselho; representação de membros da APM/Conselho na reunião com pais.Algumas Garantir a Agendar com SE APM/Conselho de Durante todo o ano.devolutivas presença de um reuniões para Escolanegativa as famílias vigia na escola esclarecimentos eacerca da encaminhamentossegurança. acerca da segurança da escola 3.3. AVALIAÇÃO A cada reunião com pais é proposta aos mesmos uma avaliação não apenas da reunião, mas dotrabalho desenvolvido pela escola. No final do ano é proposta uma avaliação única para todos comperguntas sobre cada ponto da escola que possa ser melhorado ou reestruturado. Fazemos a tabulação quantitativa das avaliações e a encaminhamos à S.E., bem como, no anoseguinte a divulgamos para a equipe escolar, Conselho de Escola, APM e aos pais na 1ª Reunião de Pais.Nestas ocasiões procuramos esclarecer pontos que se façam necessários bem como traçar novosencaminhamentos para as questões levantadas. No aspecto qualitativo procuramos dar uma devolutiva individual para questões pontuais em queas famílias tenham se identificado, o que é opcional na avaliação. 4. EQUIPE ESCOLAR 4.1. PROFESSORAS Nome Situação Escolaridade Tempo na Tempo na Observação funcional PMSBC escola Graduação Pós-Graduação PedagogiaAbigail da Silva Professora licenciatura Educação Infantil Oito anos Três anosSantos efetiva plena PedagogiaAngela Araujo Professora Professora de licenciatura Três meses Três mesesBarbosa efetiva 40 horas plena 16
  18. 18. Claudia Pedagogia ProfessoraAlexandra licenciatura Dois anos Dois anos efetivaMatiolli plenaClaudia Cristina Professora Dezessete Dezessete PECSanchez Daré efetiva anos anosDébora Pedagogia Professora Professora deAlexandre licenciatura Dois anos Três meses efetiva 40 horasFenandes plena Pedagogia Professora Vinte e umEliane Battistini licenciatura Vinte anos efetiva anos plenaElizandra Professora Professora dePerfeito de Três meses Três meses efetiva 40 horasCamposIvanilda Guedes Professora Professora de Psicopedagia Um ano Três mesesVenancio efetiva 40 horas Atua como professoraKatia Rodrigues Professora Letras Onze anos Três anos substituta noTarantini efetiva outro período nesta unidade. Atua comoLuciana Silva Pedagogia Professora professora de AEEGongora dos licenciatura Dez anos Três meses efetiva no outro períodoSantos plena em outra unidade.Maria Elisabete Pedagogia Professorada Penha licenciatura Oito anos Quatro anos efetivaCampagnaro plena Atua como professoraMaria Raimunda Pedagogia Professora Educação substituta noFerreira dos licenciatura Dez anos Cinco anos efetiva especial outro período emSantos plena outra EMEB da rede de SBC. Pedagogia ProfessoraMariane Falco licenciatura Sete anos Cinco anos efetiva plenaRenata Pedagogia Professora Professora deCristinaGomes licenciatura Educação infantil Quatro anos Três meses efetiva 40 horasda Silva plenaSilvia Helena Professora PEC Ciências Treze anos Um anoNeves de Souza efetiva 17
  19. 19. Tatiana Pedagogia ProfessoraRodrigues Calian licenciatura Nove anos Três meses substitutados Santos plena PedagogiaTerezinha Professora Psicopedagogia e licenciatura Nove anos Três anosRibeiro de Jeseus efetiva Educação infantil plena Atua como Pedagogia professoraValdisa Maria de Professora Violência contra licenciatura Treze anos Doze anos efetiva no outroCaldas efetiva a criança plena período em outra rede.Valéria Garcia de ProfessoraOliveira Psicologia Psicopedagia Treze anos Treze anos efetivaEscanuela 4.1.1. CARACTERIZAÇÃO Nosso grupo de professoras traz como expectativa de trabalho o desenvolvimento daspotencialidades das crianças, a parceria e cumplicidade de toda equipe escolar, maior formação e apoiopara o trabalho com as crianças com necessidades especiais. Contamos com o horário de HTPC (2 horas) e também as Reuniões Pedagógicas para discussão deassuntos pertinentes à prática pedagógica. Neste ano, uma professora que possui duas matrículas nestaUnidade realiza o HTPC semanal também em outra escola. Mensalmente continuaremos tendo o HTPC destinado prioritariamente ao planejamento,solicitação sempre presente nas avaliações das professoras, baseada na afirmação da importância eriqueza deste momento, onde o grupo planeja coletivamente projetos e sequenciadas, troca ideias,experiências, etc. Acreditamos que tais momentos também fazem parte da formação das professoras,pois concordamos com Juliana Davini quando diz “... o desafio de todo educador na construção doplanejamento é conhecer o que planeja; para isso precisa estruturar os objetivos de sua prática quenortearão a organização de sua ação. Ação organizada não significa ação estática, mas ato constante dereflexão, de intervenção na realidade. Na concepção democrática de educação, planejar não émeramente fabricar planos...” Consideramos como momento ideal para exercer o direito de reflexão ereelaboração de planos e ideias, os horários coletivos dos HTPCs, pois há possibilidade de avaliação detrabalhos, discussões em grupo, levantamento de hipóteses e trocas de experiências que favorecem todaa equipe. Para esses encontros é priorizado o uso da biblioteca por ser um espaço adequado e acolhedor, oolhar para os planejamentos dos encontros acontece sistematicamente, cuidando para as pauta sejammelhor elaboradas, com objetivos bem definidos. Os momentos de estudo fundamentaram-se em algunsdocumentos, como PPP, caderno de validação e Proposta Curricular. Foi também uma solicitação daequipe de professoras momentos de tematização de práticas, esse momento será inserido nos encontros. Outro momento bem avaliado pelas professoras foi a realização um encontro para discussão sobreaprendizagem de algumas crianças nos moldes do Conselho de Classe realizado nas escolas de ensinofundamental, o que chamamos de “conselhinhos”, sendo que serão inseridos nos encontros deste ano. 18
  20. 20. 4.1.2. PLANO DE FORMAÇÃO PARA OS PROFESSORES Na avaliação de 2011, o grupo de professoras apontou como um dos grandes desafios o trabalhocom a alimentação escolar. Há um consenso de que precisamos incentivar a experimentação de novosgêneros, mas também é necessário respeitar a individualidade e gostos de cada criança. Outro grandedesafio sempre apontado é conseguir durante a rotina momentos sistemáticos de planejamento emparceria com a estagiária ou auxiliar em educação. Além da questão das adaptações curriculares foi apontada a necessidade das tematizações deprática e realização do que chamamos de “conselhinho”, já que esses momentos de troca de experiênciassão primordiais para o aprimoramento da prática pedagógica. Foi apontado também pelo grupo de professoras que há necessidade de todos da equipe escolarter uma linguagem educativa com as crianças, para que ela sinta que está em um ambiente em que todossão co-responsáveis por ela. A formação em Música foi muito bem avaliada e fica como desafio para esse ano manter essa áreacomo parte integrante do planejamento e não apenas como atividade independente. A seguir, descrevemos ações que serão foco de formação permanente para tentarmos sanar asdificuldades apontadas pelos professores, neste ano nosso plano de formação estará centrado no estudoda concepção histórico-cultural e acreditamos que muitos desses pontos serão tocados nessa formação.Justificativa Objetivos Gerais e Ações Propostas Responsáveis Cronograma Específicos (Metodologia)Troca entre os pares Refletir e rever o Planejamento em Professoras Mensalmentee reflexão sobre as planejamento. parceria em horário Equipe gestorapráticas pedagógicas Trocar experiências de H.T.P.C. entre os pares.Necessidades de Estruturar o Planejamento em Equipe gestora, Mensalmente (conformeplanejamento em trabalho cotidiano parceria entre Professoras, possibilidade das pessoasparceria com a com a estagiária de professora, Estagiárias de envolvidas e organização daestagiária de apoio à apoio à estagiária de apoio à Apoio à Inclusão e rotina escolar)inclusão/ auxiliar em inclusão/auxiliar em inclusão, Professoraeducação. educação. coordenadora Itinerante. Melhorar o pedagógica e atendimento à quando possível criança com professora necessidades itinerante. especiais.Necessidade de troca Aprimorar a prática Tematização de Equipe gestora Trimestralmenteentre pares e pedagógica práticas em horário Professorastematização de boas de HTPCpráticas pedagógicas Conselhinhos em Semestralmente HTPCNecessidade de Conhecer os Utilizar o PPP nos Equipe gestora Mensalmente 19
  21. 21. atualização do PPP e princípios e planejamentos Professorasconhecimento concepções mensaiscoletivo do construídas no PPPdocumento para aprimorar a Utilizar o PPP nas prática pedagógica e tematizações de ir reconstruindo o prática e estudos documento realizados em HTPCAcompanhamento Refletir sobre a Devolutivas escritas Equipe gestora Quinzenalmentemais efetivo da prática pedagógica e e/ou orais dogestão nas práticas questionando planejamento epedagógicas, práticas tradicionais registrocuidando denecessidades Observaçõesespecíficas dos sistematizadas daprofessores rotina escolarNecessidade de Propiciar a Realizar pesquisas Equipe gestora Permanente durante o anoenvolver as famílias participação das com os familiares Professorasnos projetos e famílias no trabalho sobre assuntosatividades pedagógico tratados em sala depedagógicas aula Incentivar voluntariado de familiares na horta Apresentação das produções das crianças não apenas na Mostra Cultural, fechamento de projetos com a participação dos familiares Usar os murais como meio de demonstrar às famílias as produções das criançasEstudo do meio como Viabilizar estudos do Pesquisa sobre Equipe gestora Trimestralmenteenriquecimento meio que ampliem possibilidades de Professorascurricular as vivências passeios relativos escolares mesmo aos projetos 20
  22. 22. que ultrapassem o pedagógicos horário regular Parceria com transportadores e merendaNecessidade de Utilizar todos os Monitoria das Equipe gestora Permanente durante o anootimizar o uso da BEI recursos da BEI para crianças mais Professoras enriquecer a prática experientes na Professoras pedagógica organização de usos Integral de recursos da BEI Desenvolver processos de Planejamento pesquisa antecipado das ações na BEI para efetivar parceria com o auxiliar de biblioteca (quando houver) ou com as professoras do integral que realizam PIE.Necessidade de Propiciar Música na rotina Equipe gestora Permanente durante o anoampliar experiências multiplicidade de como uma área de Professorascom diferentes experiências e conhecimentolinguagens linguagens Oficinas de Percurso sistematizadas na rotina Ampliar o uso da horta Sistematizar na rotina experiências científicas (receitas, minhocário etc) Utilizar o caderno de escrita com atividades significativas de registro Registro de atividades diferenciadas para 21
  23. 23. compor acervo da escolaNecessidade de Ampliar a Mediar na hora do Trio Gestor Permanentemediar a degustação degustação de lanche a degustação Professorasde novos alimentos novos alimentos. de gêneros Equipe de apoiodo cardápio escolar, diferentes, acuidando para Ampliar a organização erespeitar gostos e autonomia no limpeza das mesas.preferências. lanche, com a mediação adulta Investir emConsiderar o lanche para organização e atividades deum importante limpeza. culinária utilizandomomento de os gêneros daaprendizagem merenda. Às crianças que demonstrarem não aceitação aos gêneros diferentes como recheio do pão, oferecer manteiga ou maionese como opção.Necessidade de Atender melhor as Professoras de 40h Equipe de apoio Permanenteauxiliar de sala para crianças de infantil auxiliarão Professoras 40 has turmas de integral III em suas professoras dee infantil III, pois as necessidades infantil III e emcrianças são muito momentos de ateliêpequenas e em Atender as crianças e circuito no turnogrande quantidade em suas oposto à sua necessidades em regência (quandoNecessidade de momentos de não estiveremorganização para atividades no ateliê substituindo)minimizar tempos de e circuito,espera no ateliê e diminuindo tempocircuito de esperaCuidados com Agir de maneira Orientação com Equipe de gestão Permanenteacidentes eficaz quando SAMU ou bombeiros Professoras ocorrem acidentes (palestra Equipe de apoio na escola informativa de primeiros socorros) Retomar combinados e 22
  24. 24. procedimentos da escola quando ocorrem acidentesEscola inclusiva Aprimorar a prática Formação em HTPC Equipe de gestão Permanente pedagógica no e/ou reunião Professoras atendimento a pedagógica com Professora AEE crianças com nee professora de AEE Estudo e discussão de casos Troca entre paresNecessidade de troca Trocar experiências Formação em HTPC Equipe de gestão Semanalmenteentre a equipe de formação que a e reuniões Professoraspedagógica sobre rede vem pedagógicasexperiências de oferecendo àsformação professoras e equipe gestoraConhecimento ereflexão sobre a Refletir sobre as Tematizações deconcepção histórico- concepções de práticacultural do ensino quedesenvolvimento permeiam ocomo importante cotidiano escolar econtribuição para avançar em práticaspensar um educação que propiciem oda infância desenvolvimento das crianças alinhadas à concepção histórico- cultural 4.1.3. AVALIAÇÃO DO PLANO DE FORMAÇÃO PARA PROFESSORES Realizamos semestralmente uma avaliação das ações formativas para revê-las e replanejá-lasconforme a necessidade. 4.2. ESTAGIÁRIOS DE APOIO À INCLUSÃO/AUXILIAR EM EDUCAÇÂONome Situação Escolaridade Tempo na PMSBC Tempo na Observação funcional escola GraduaçãoEliane Estagiária de Cursando pedagogia Um mês Um mês Acompanha a sala daFernandes apoio à (terceiro semestre) professora Valdisa noFeitosa inclusão período da manhã e auxilia as professoras 23
  25. 25. do Período Integral no almoço, escovação e hora do repouso. Acompanha as salasSolange das professoras Auxiliar em Pedagogia licenciaturaSlemer Alves Dois anos Um ano Claudia A. no período educação plenaMoreira da manhã e Terezinha no período da tarde 4.2.1. CARACTERIZAÇÃO Temos uma estagiária de apoio à inclusão de meio período (6 horas por dia) e uma auxiliar emeducação. Elas apontam que sentem falta de uma formação mais consistente, pois na maioria das vezeschegam à escola sem ideia alguma de como atender às crianças. A aprendizagem se faz no cotidianoescolar, na troca entre professora e estagiária. 4.2.2. PLANO DE FORMAÇÃO PARA ESTAGIÁRIOS DE APOIO À INCLUSÃO Um dos maiores desafios é promover os encontros para planejamento em parceria com aprofessora dentro da rotina escolar, já que esse momento poderia acontecer em HTPC, mas tantoestagiárias quanto auxiliares não realizam esse horário de formação. Para planejamento dentro da rotinaescolar é necessário organização da rotina escolar para não prejudicar o atendimento às crianças. Justificativa Objetivos Gerais e Ações Propostas Responsáveis Cronograma Específicos (Metodologia)Necessidades de Estruturar o Planejamento em Equipe gestora, Quinzenalmenteplanejamento em trabalho cotidiano parceria entre Professoras, (conforme possibilidadeparceria entre entre estagiária de professora, Estagiárias de das pessoas envolvidas eprofessora e estagiária apoio à inclusão e estagiária de apoio à Apoio à Inclusão e organização da rotinade apoio à professora. inclusão/auxiliar em Professora escolar)inclusão/auxiliar em Melhorar o educação, equipe Itineranteeducação atendimento à gestora e quando criança com possível professora necessidades itinerante especiais. 4.2.3. AVALIAÇÃO DO PLANO DE FORMAÇÃO PARA ESTAGIÁRIOS DE APOIO ÀINCLUSÃO/AUXILIAR EM EDUCAÇÃO Realizamos semestralmente uma avaliação das ações formativas para revê-las e replanejá-lasconforme a necessidade. 4.3. FUNCIONÁRIOS 24
  26. 26. 4.3.1. CARACTERIZAÇÃO A maior parte do quadro de funcionários possui uma boa estabilidade em relação ao tempo detrabalho nesta Unidade. A grande maioria encontra-se na escola há vários anos. Não temos, portanto,grande rotatividade, o que permite uma continuidade favorável no desenvolvimento do projetopedagógico. De um modo geral, caracterizam-se por ser um grupo bastante envolvido com a rotinaescolar, extrapolando, quase sempre as atribuições que lhes cabem. Assim, o pessoal da limpeza e dasecretaria participa ativamente dos cuidados com os alunos, da distribuição de bilhetes, informações,materiais, etc. As funcionárias da cozinha, embora sejam terceirizadas, também possuem um bomenvolvimento com a escola. Dentre as quatro merendeiras, duas delas, entre ela a cozinheira está naescola há 10 anos. Todos participam das Reuniões Pedagógicas, envolvendo-se mesmo que timidamentenas discussões e reflexões do grupo. A quase totalidade do pessoal de apoio possui uma escolaridade acima do que é exigida para ocargo que ocupam. Duas delas, possuem ensino superior e duas são técnicas de enfermagem. Contamosainda com uma figura masculina, o que ajuda muito na limpeza externa, colaborando ainda compequenos reparos. Os funcionários do apoio são representados por um de seus pares na APM/Conselho de Escola. Emanos anteriores houve necessidade de se fazer eleição para escolha dos representantes. Em 2012 noentanto, como apenas uma funcionária se candidatou(Anahi), a mesma foi eleita por aclamação. Estarepresentante participa ativamente das reuniões mensais, trazendo necessidades do seu segmento eparticipando das discussões feitas. Na avaliação do Plano de Formação feita em 2012, foi apontado como avanços a garantia dereuniões periódicas e a minimização dos conflitos de ordem pessoal. Porém foi apontado que taisreuniões tiveram como pauta apenas a reorganização das rotinas de trabalho, não tendo sido priorizadoum caráter mais formativo nas mesmas. 4.3.2. PLANO DE FORMAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOSJustificativa Objetivos Gerais e Ações Propostas Responsáveis Prazo/ Periodicidade Específicos (Metodologia)Necessidade Aprimorar a rotina de Reuniões mensais; Diretora/PAD Reuniões mensaisconstante de limpeza da escola reuniões individuaisaprimorar a rotina de para avaliação dalimpeza da escola planilha de trabalho coletiva e individualFormação Destacar o papel Participação nas Trio gestor/EOT Reuniões Pedagógicaspermanente educativo com os Reuniões Reuniões mensaisenquanto parceiras alunos; Pedagógicas;no trabalho educativo Reuniões com pautasdos alunos que destaquem o papel educativo de quem trabalha em escola; Oferecer formação 25
  27. 27. inicial aos funcionários que ingressarem na unidadeConsiderar o lanche Ampliar a autonomia Investir em atividades Professoras/Pessoal Durante todo o anoum importante no lanche, com a de culinária utilizando de apoiomomento de mediação adulta para os gêneros daaprendizagem organização e merenda. limpeza.Cuidados com Agir de maneira eficaz Orientação com Todos os funcionários Uma vez no ano, deacidentes quando ocorrem SAMU ou bombeiros acordo com a acidentes na escola (palestra informativa possibilidade do de primeiros SAMU ou bombeiros socorros) Retomar combinados e procedimentos da escola quando ocorrem acidentes 4.3.3. AVALIAÇÂO DO PLANO DE FORMAÇÃO Ao final ano letivo. 5. CONSELHO DE ESCOLA/APM 5.1. CARACTERIZAÇÃO O Conselho de Escola/APM, GESTÃO 2012, foi composto em Assembléia Geral no dia 06 de marçode 2012, no que se refere ao segmentos dos pais. Para esta Assembléia foi confeccionada uma faixa paramelhor divulgação da mesma, a qual foi exposta no local de entrada das famílias na escola. Quanto aosfuncionários de apoio houve indicação, através dos pares, para um representante titular e outro suplente,para o Conselho de Escola e um representante para compor a APM. No que se refere às professoras,suas representantes foram indicadas por seus pares em HTPC, totalizando cinco professoras, além daPAD e Coordenadora Pedagógica, bem com da Diretora, como membro nato dos dois órgão colegiados. Amaioria dos representantes fazem parte tanto do Conselho de Escola como da APM. O grande desafioestá na participação das representantes das professoras, já que nem sempre podemos contar comsubstitutas. A primeira reunião do Conselho de Escola/APM ocorreu no dia 04 de abril, com a seguinte pauta: 26
  28. 28.  Apresentação dos novos membros  Devolutiva da Reunião com Pais  Saldo  Compras e Serviços  PPP O ítem da pauta “devolutiva da Reunião com Pais” referiu-se à presença de representantes doConselho/APM na reunião com pais, quando se apresentaram e ouviram os pais quanto à sugestões,reclamações e solicitações das famílias. Os principais pontos levantados referiram-se ao transporte.escolar e questões sobre lanche. Tais assuntos farão parte do Plano de Ação de 2012. COMPONENTES DO CONSELHO DE ESCOLA - GESTÃO 2012/2013 Nome Segmento Função MandatoDenise Calazans Russi Funcionária Titular 01/04/2012 a 31/03/2013 01/04/2012 aValdirene Garcia Ciola Funcionária Suplente 31/03/2013 01/04/2012 aAnahi Aparecida Justo Funcionária Titular 31/03/2013 01/04/2012 aMaria Elizabete da Penha Campagnaro Funcionária Titular 31/03/2013 01/04/2012 aEliane Battistini Funcionária Suplente 31/03/2013 01/04/2012 aEdjane de Andrade Silva Funcionária Titular 31/03/2013 01/04/2012 aIlca Carneiro Silva Mãe de aluno Suplente 31/03/2013 01/04/2012 aAna Paula de Queiroz Cosme Francisco Mãe de aluno Titular 31/03/2013 01/04/2012 aMaria Auxiliadora de Almeida Mãe de aluno Suplente 31/03/2013 01/04/2012 aMaria Suzana Lima de Souza Menezes Mãe de aluno Titular 31/03/2013 01/04/2012 aJoseilda da Silva Cordeiro Santos Mãe de aluno Titular 31/03/2013 01/04/2012 aVânia Pereira Mascarenhas Battistini Mãe de aluno Titular 31/03/2013 01/04/2012 aAndréia Andrade Cardoso de Alencar Mãe de aluno Coordenadora 31/03/2013Maria Raimunda Ferreira dos Santos Funcionária Titular 01/04/2012 a 27
  29. 29. 31/03/2013 01/04/2012 aAngela Cristina A. Brito Mãe de aluno Suplente 31/03/2013 Funcionária 01/04/2012 aLeila Geralda Pereira Suplente 31/03/2013 COMPONENTES DA APM - GESTÃO 2012/2013 Nome Segmento Função Mandato 01/04/2012 aValdirene Garcia Ciola Funcionária Primeira Secretária 31/03/2013 01/04/2012 aAnahi Aparecida Justo Funcionária Segunda Secretária 31/03/2013 01/04/2012 aMaria Elizabete da Penha Campagnaro Funcionária Presidente 31/03/2013 01/04/2012 aEliane Battistini Funcionária Conselho Fiscal 31/03/2013 Presidente do 01/04/2012 aEdjane de Andrade Silva Funcionária Conselho Especial 31/03/2013 01/04/2012 aIlca Carneiro Silva Mãe de aluno Conselho deliberativo 31/03/2013 01/04/2012 aAna Paula de Queiroz Cosme Francisco Mãe de aluno Conselho Fiscal 31/03/2013 01/04/2012 aMaria Auxiliadora de Almeida Mãe de aluno Conselho Fiscal 31/03/2013 01/04/2012 aMaria Suzana Lima de Souza Menezes Mãe de aluno Conselho deliberativo 31/03/2013 01/04/2012 aJoseilda da Silva Cordeiro Santos Mãe de aluno Conselho deliberativo 31/03/2013 01/04/2012 aVânia Pereira Mascarenhas Battistini Mãe de aluno Primeira Tesoureira 31/03/2013 01/04/2012 aAndréia Andrade Cardoso de Alencar Mãe de aluno Diretor Executivo 31/03/2013 01/04/2012 aMaria Raimunda Ferreira dos Santos Funcionária Primeira Secretária 31/03/2013 01/04/2012 aMarta Sueli da Silva Guerreiro Mãe de aluno Conselho deliberativo 31/03/2013 01/04/2012 aVanessa Rodrigues de Araújo Mãe de aluno Segunda Tesoureira 31/03/2013Lidenir Silva Santos Mãe de aluno Segunda secretária 01/04/2012 a 28
  30. 30. 31/03/2013 Vice-diretora 01/04/2012 aFranciélia Auzeni Mascarini Mãe de aluno executiva 31/03/2013 Ao final de 2011 o Plano de Ação do Conselho/APM foi avaliado como efetivado em quase suatotalidade, uma vez que houve melhor divulgação assuntos tratados nas reuniões; houve um maiorentendimento das famílias quanto à laicidade da escola; as sugestões de compras e serviços foramatendidas em sua quase totalidade, bem como a segurança da escola, que conta agora com vigias à noitee aos finais de semana. De acordo com a avaliação do Plano de Ação, feita na última reunião do ano,permanecem ainda os seguintes desafios para 2012: tentar garantir segurança 24 horas na escola; tentaroferecer transporte escolar para todos os alunos que necessitarem e viabilizar a participação dosrepresentantes dos Conselho/APM nas reuniões com pais. 5.2.PLANO DE AÇÃO DO CONSELHO DE ESCOLA/APMJustificativa Objetivos Gerais e Ações Propostas Responsáveis Prazo/periodicidade Específicos (Metodologia)As famílias não Esclarecer quem Participação de Membros do Bimestralmente.conhecem os são os representantes do Conselho Escolar,representantes representantes de segmento dos pais segmento dosdos pais do pais; manter um em todas nas pais.Conselho/APM; contato mais reuniões com pais;dificuldade em próximo com os eleger umlevantar as familiares; fazer representante pornecessidades das levantamento das sala de aula nasfamílias. necessidades das reuniões de Famílias. APM/Conselho.Através das Divulgar com Boletins bimestrais Membros Durante o ano todo.avaliações da mais eficiência as para divulgação d as Conselho/APM.comunidade, foi discussões e ações discussões e dosverificado que boa do Conselho de encaminhamentos.parte das famílias Escola.ainda desconhecesobre as discussõesfeitas no Conselhode Escola/APM.Na 2ª. reunião Atuar junto a SE, Agendar reuniões Membros do No início do ano ecom pais foram buscando com o setor da Conselho de quando se fizerapontadas muitos esclarecimentos e merenda da SE, Escola. necessário.questionamentos fazendo sugestões divulgar o cardápiosobre a acerca do cardápio no mural da escola ealimentação dos oferecido aos no blog.alunos na escola. alunos. 29
  31. 31. Também na 2ª. Mediar a relação Organizar reuniões Membros do Sempre que se fizerreunião com pais entre famílias e com os Conselho/APM – necessário.foram apontados transportes transportadores segmentos dosquestionamentos escolares escolares. pais.sobre o transporte particulares.particularcontratado pelasfamílias.A escola necessita Atuar junto à SE Contactar e agendar Membros do 1º. Semestre.de reformas no para garantir as reuniões com os Conselho depiso interno e reformas setores responsáveis Escola.externo; nos necessárias. por reformas na SE.sanitários; noescorregador deconcreto; nosmurais das salasde aula.A insegurança dos Atuar junto à SE Organizar reuniões, Membros. Durante todo o anotempos atuais para ampliar a fazer solicitações porgera a presença de um meio de ofícios ounecessidade da vigilante na escola abaixo-assinados.presença de um 24 horas por dia.vigilante na escola24 horas por dia.Um grande Atuar junto à SE Solicitar reuniões Membros. 2º. Semestre.número de para todas as para esclarecimentos.famílias necessita famílias quede transporte necessitarem doescolar. transporte escolar sejam atendidas. 5.3 AVALIAÇÃO Avaliação ao final do ano letivo.III. ORGANIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO PEDAGÓGICO 1. OBJETIVOSTemos como objetivo o que nos traz a LDB relativo à Educação Básica e Infantil:“Art. 22 A educação básica tem por finalidades desenvolver o educando, assegurar-lhe a formação 30
  32. 32. comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-lhe meios para progredir no trabalho e emestudos posteriores.”“Art. 29 A educação infantil, primeira etapa da educação básica, tem como finalidade o desenvolvimentointegral da criança até seis anos de idade (ou zero a cinco, na medida em queas crianças de seis anosingressem no Ensino Fundamental), em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social,complementando a ação da família e da comunidade.”2. LEVANTAMENTO DE OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS  Oferecer a todos os alunos possibilidades de aprendizagem pautadas no conhecimento historicamente construído e na socialização de experiências significativas e dinâmicas.  Colaborar para que os alunos desenvolvam-se plenamente em todos os aspectos, ampliando suas possibilidades de relação com o mundo.  Caminhar para a busca efetiva do respeito à diversidade, considerando a singularidade de cada sujeito, tendo clareza de que respeitar a diversidade, a individualidade não é proporcionar privilégios a ninguém.  Trabalhar com as “diferenças” considerando-as como um desafio produtivo para todos.  Comprometer-se com a preservação do meio-ambiente através da formação de atitudes de respeito com a natureza.3. LEVANTAMENTO DOS OBJETIVOS E CONTEÚDOS POR ÁREA DE CONHECIMENTOLÍNGUA PORTUGUESAInfantil IIILeitura – Objetivos  Perceber a atividade de leitura como parte integrante de seu cotidiano;  Realizar leituras utilizando diferentes estratégias ;  Conhecer e familiarizar-se com diferentes gêneros e portadores textuais;  Desenvolver o prazer pela leitura;  Apreciar leituras feitas pelo professor, por colegas e outros;  Interagir com os recursos da Biblioteca Interativa, pelo intermédio um adulto, para que desenvolva uma postura de leitor e pesquisador;  Compreender o uso social da língua escrita. Conteúdos  Leitura de textos diversos - parlendas, cantigas de roda, cantigas de ninar, poesia, contos de fadas;  Observação de práticas sociais de leitura e escrita;  Utilização de diferentes estratégias de leitura; Orientações didáticas 31
  33. 33.  Propiciar momentos de leitura e releitura coletiva e individual;  Ler para os alunos diferentes gêneros de texto (poesias, parlendas, fábulas, trava-línguas, contosde fadas, histórias em quadrinho);  Proporcionar aos alunos a interação com os diversos recursos da Biblioteca Interativa;  Mostrar para os alunos como estão agrupados os livros na Biblioteca Interativa, dandoinformações necessárias para que os alunos saibam como procurar um livro, um tema. Oralidade – Objetivos Utilizar a linguagem oral em diversas situações comunicativas e gêneros discursivos; Compreender a necessidade de dialogar em diferentes situações comunicativas; Formular e responder perguntas, argumentar e sugerir; Ampliar seu vocabulário oral; Narrar fatos utilizando uma seqüência coerente; Saber contar temas do cotidiano e transmitir recados. Conteúdos Produção de textos coletivos; Situações coletivas como: rodas de conversa, reconto de histórias, produção e reprodução de textos literários, canções, textos coletivos, recados, diálogos, socialização de pesquisas. Orientações Didáticas Ouvir atentamente as crianças, dando-lhes as respostas solicitadas e buscando manter diálogos; Proporcionar às crianças momentos de escuta de histórias, sendo a professora a leitora ou solicitando que uma criança assuma este papel; Propor o reconto de histórias pelas crianças, utilizando figuras ou livros como suporte; Propor recitar poesias memorizadas, jograis ou dramatizações; Trazer sempre disparadores para o momento da roda de conversa, pensando em perguntas que possam ampliar a participação e despertar o interesse das crianças em participar, como: caixa- surpresa, adivinhas, entrevistas, gravar os próprios alunos para assistir e conversar, jogo da rima; Fazer registro das rodas, a fim de modificar / melhorar as intervenções realizadas; Promover diferentes momentos de uso real da linguagem oral (dramatização, declamação, diálogo com autoridades, recados, solicitações de empréstimos, conversas informais, etc.); Oferecer jogos simbólicos (ex: situações com telefone - fazer uso de diferentes linguagens); Observar as narrativas das crianças nos jogos simbólicos. Escrita – Objetivos Refletir sobre a língua escrita em diferentes contextos para compreender seu funcionamento; Participar de produção de textos coletivos, tendo o professor como escriba, colocando em jogo seus conhecimentos sobre a língua, ampliando-os; Reconhecer seu próprio nome e escrevê-lo; Identificar seus trabalhos e objetos através da escrita de seu nome; 32
  34. 34. Conteúdos  Nome;  Textos da vida cotidiana: listas, rótulos, receitas, cartas, avisos, bilhetes, encartes de CD, DVD;  Textos memorizados;  Textos de anúncios;  Sistema de escrita. Orientações Didáticas  Promover pesquisas e utilização de estratégias de leitura em textos diversos;  Ser escriba para os alunos em atividades de produção de textos;  Ler, em roda de conversa, todo o tipo de texto que circula na escola;  Produzir com as crianças listas e textos do cotidiano; em geral poderia retirar;  Confeccionar cartazes, crachás e fichas utilizando-se de letras maiúsculas de fôrma;  Oferecer atividades como bingo de letras, de nomes e de palavras e quebra-cabeça.Infantil IVLeitura – Objetivos Perceber a atividade de leitura como parte integrante de seu cotidiano; Realizar leituras de diferentes gêneros e portadores textuais; Utilizar diferentes estratégias de leitura em contextos significativos; Desenvolver o prazer pela leitura; Apreciar leituras feitas pelo professor, por colegas e outros; Interagir com os recursos da Biblioteca Interativa, adquirindo postura de leitor e pesquisador; Compreender o uso social da escrita. Conteúdos Leitura de diferentes textos - parlendas, cantigas de roda, cantigas de ninar, poesia, contos de fadas; Utilização de diversas estratégias de leitura; Reflexão sobre a linguagem escrita. Orientações didáticas Propiciar momentos de leitura e releitura coletiva e individual; Ler para os alunos diferentes gêneros de texto (poesias, parlendas, fábulas, trava-línguas, contos de fadas, histórias em quadrinho); Propiciar o uso de estratégias de leitura em contextos significativos; Proporcionar aos alunos a interação com os diversos recursos da Biblioteca Interativa; Mostrar para os alunos como estão agrupados os livros na Biblioteca Interativa, dando informações necessárias para que os alunos saibam como procurar um livro, um tema. 33
  35. 35. Oralidade – Objetivos Utilizar a linguagem oral em diversas situações comunicativas; Compreender a necessidade de dialogar em diferentes situações comunicativas; Formular e responder perguntas, descrever, narrar, argumentar e sugerir; Ampliar seu vocabulário oral; Narrar fatos utilizando uma seqüência coerente; Saber dissertar sobre temas do cotidiano e transmitir recados. Conteúdos Textos coletivos; Situações coletivas como: rodas de conversa, reconto de histórias, produção e reprodução de textos literários, canções, textos coletivos, recados, diálogos, socialização de pesquisas. Orientações Didáticas Ouvir atentamente as crianças, dando-lhes as respostas solicitadas e buscando manter diálogos; Proporcionar às crianças momentos de escuta de histórias, sendo a professora a leitora ou solicitando que uma criança assuma este papel; Propor o reconto de histórias pelas crianças, utilizando figuras ou livros como suporte; Propor recitar poesias memorizadas, jograis ou dramatizações; Trazer sempre um disparador para o momento da roda de conversa, pensando em perguntas que possam ampliar a participação e despertar o interesse das crianças em participar, como: caixa- surpresa, adivinhas, entrevistas, gravar os próprios alunos para assistir e conversar, jogo da rima; Fazer registro das rodas, a fim de modificar / melhorar as intervenções realizadas; Promover diferentes momentos de uso real da linguagem oral (dramatização, declamação, diálogo com autoridades, recados, solicitações de empréstimos, conversas informais, etc.); Oferecer jogos simbólicos (ex: situações com telefone - fazer uso de diferentes linguagens); Observar as narrativas das crianças nos jogos simbólicos. Escrita – Objetivos Refletir sobre a língua escrita em diferentes contextos para compreender seu funcionamento; Participar de produção e revisão de textos coletivos, tendo o professor como escriba; Compreender que a escrita representa a fala; Fazer relações entre linguagem oral e a escrita; Reconhecer seu próprio nome e escrevê-lo; Identificar seus trabalhos e objetos através da escrita de seu nome; Escrever diferentes tipos de textos de acordo com a intenção comunicativa (de próprio punho ou coletivamente): listas, nomes, recados, legendas, convites, etc, e que sejam utilizados no cotidiano escolar e fora dele. 34

×