O Imprescindível da Urodinâmica

3,712 views
3,430 views

Published on

O Imprescindível da Urodinâmica

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,712
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
125
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • CNI’s, variação teste/reteste 10%
  • O Imprescindível da Urodinâmica

    1. 1. O Imprescindível da Urodinâmica Alexandre Fornari
    2. 2. Urodinâmica em urologia feminina <ul><li>Quando você faz urodinâmica antes de corrigir cirurgicamente uma incontinência urinária de esforço? </li></ul><ul><ul><li>Sempre </li></ul></ul><ul><ul><li>Nunca </li></ul></ul><ul><ul><li>Somente em situações especiais como prolapso concomitante, urgência miccional associada, DM, etc. </li></ul></ul><ul><ul><li>Somente após um primeiro procedimento sem sucesso. </li></ul></ul>
    3. 3. “ Não há correlação estreita entre a sintomatologia clínica e o resultado urodinâmico em 50% dos casos” Jensen JK et al, Am J Obstet Gynecol, 1994 Cundiff GW et al , Am J Obstet Gynecol, 1997 “ Na população geriátrica, a correlação entre os sintomas e os achados urodinâmicos é ainda menor, em virtude da diminuição na capacidade cognitiva e da coexistência de patologias” Por que fazer urodinâmica antes do tratamento da incontinência urinária de esforço?
    4. 4. “ .. . Em mulheres com sintoma típico de IUE, de 11% a 35% apresentam hiperatividade detrusora ao estudo urodinâmico, de acordo com o estudo analisado” Lagro-Jansen et al, BJU i, 1991 McGuire EJ, 1992 Bryne et al, BJU i, 1987 “ ...Mais de 22% das mulhers com sintomas de OAB, apresentam incontinência aos esforços no estudo urodinâmico” Jarvis et al, Br J Obstet Gynecol, 1980
    5. 5. Urodinâmica - recomendações. <ul><li>Antes de um tratamento invasivo. </li></ul><ul><li>Diante da falha de um tratamento conservador ou invasivo. </li></ul><ul><li>Na presença de fatores de risco neurológicos ou metabólicos. </li></ul><ul><li>Suspeita de hiperatividade, formas complicadas de incontinência ou ttos experimentais </li></ul>
    6. 7. A urodinâmica pode alterar o resultado do tratamento?
    7. 9. “ Urodinâmica é uma ferramenta diagnóstica apenas e a falta de critérios uniformes prejudica muito seu desempenho como teste diagnóstico”
    8. 10. Urodinâmica na abordagem conservadora <ul><li>Não houve diferença significativa na resposta ao tratamento fisioterápico da incontinência urinária, nos grupos que fizeram urodinâmica ou não (50-59% X 57%). </li></ul>
    9. 11. <ul><li>Apenas 14% das pacientes com sintomas de incontinência urinária mista confirmaram este diagnóstico no estudo urodinâmico. Idade é um fator importante! </li></ul>Incontinência urinária mista
    10. 12. Incontinência urinária mista
    11. 14. <ul><li>Fatores de bom prognóstico: </li></ul><ul><li>Hiperatividade desencadeada por manobras de esforço </li></ul><ul><li>Hiperatividade com contrações de baixa intensidade </li></ul><ul><li>Prolapso e hipermobilidade uretral </li></ul>
    12. 15. O único fator de risco pre-operatório identificado para o desenvolvimento de urge-incontinência de novo foi a presença de elevações da pressão detrusora na urodinamica pré operatoria. Fatores como raça, cirurgias prévias, etc. não foram significativos. A idade, implicada em outros estudos, não foi significativa neste.
    13. 16. Pressão de perda interessa?
    14. 17. * Pacientes com DEI, VLPP<60
    15. 19. 40% das pacientes com prolapso grau II ou maior tem IUE Metade das restantes vão demonstrar incontinência em um estudo urodinâmico com redução do prolapso. As complicações de uma cirurgia anti-incontinência devem ser pesadas contra o potencial risco de aparecimento de incontinência pós-operatória nas demais. A incidência de IUE e de urge-incontinência foi de 7% cada, neste estudo retrospectivo com 76 pcts.7%
    16. 20. Padrões de estudo fluxo/pressão em mulheres Função detrusora pré-operatória
    17. 21. Função detrusora pré-operatória <ul><li>Difícil de ser avaliada em mulheres </li></ul><ul><li>Stop Test </li></ul><ul><li>Fator de Watts </li></ul><ul><li>Slings não obstrutivos </li></ul><ul><li>Paciente que tem bom fluxo e esvazia bem a bexiga tem hipocontratilidade detrusora???? </li></ul>
    18. 22. Imprescindível da urodinâmica <ul><li>Conclusões: </li></ul><ul><li>- Nos proporciona um diagnóstico mais preciso. </li></ul><ul><li>- Nem sempre este diagnóstico mais preciso modifica a nossa conduta e em muitos casos não melhora os resultados do tratamento. </li></ul><ul><li>- Em situações singulares como IUM e prolapsos, pode nos trazer informações valiosas para a decisão terapêutica. </li></ul>
    19. 23. Obrigado!!! http://urodinamica-rs.webnode.com/

    ×