• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Uretroplastia
 

Uretroplastia

on

  • 10,997 views

Uretroplastia

Uretroplastia

Statistics

Views

Total Views
10,997
Views on SlideShare
10,929
Embed Views
68

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

2 Embeds 68

http://www.urovideo.org 67
http://urovideo.org 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Uretroplastia Uretroplastia Presentation Transcript

    • URETROPLASTIA Francisco de P. Câmara Faculdade de Medicina Hospital das Clínicas UFMG
    • Conceito
      • Cirurgia plástica da uretra
      • Reparação cirúrgica de uma lesão ou defeito da uretra.
      • Construção de uma uretra com tecidos cutaneos vizinhos
    • Causas da estenose uretral
      • Traumatismo fechado do perineo = estenose da uretra bulbar
      • Fratura da bacia = ruptura e estenose da uretra posterior
      • Balanite xerótica (líquen fibroso) = estenose do meato e uretra pendular
      • Iatrogênica = qualquer nível da uretra
      • DST – menos frequente na atualidade
    • Balanite xerótica
      • Na glande = corticoide tópico, e mais recentemente o uso de tacrolimus creme
      • Fibrose uretral com boa resposta ao tratamento do meato = antimicrobianos a longo prazo – sulfametoxazol-trimetropim
    • Estenose por líquen fibroso
      • Com prepúcio bom = uretroplastia “onlay”, com retalho pediculado prepucial
      • Prepúcio comprometido ou ausente = uretoplastia em 2 tempos
        • Uretroplastia de Johanson, e após 6 meses
        • Uretroplastia por “snod-graft” com mucosa oral
    • Estenose de uretra bulbar
      • Pequenas e segmentares = uretrotomia interna ( até 3 sessões)
      • Estenoses “congênitas”, refratárias e com mais de 2 cm. = uretrectomia e uretrorrafia
      • Estenose muito extensa = uretroplastia “onlay” dorsal com mucosa oral
    • Ruptura e estenose de uretra posterior
      • Fase aguda =
        • cistostomia se houver extravasamento na uretrografia retrograda
        • cateter uretral se houver apenas estiramento
        • Realinhamento endoscópico após 4-5 dias
    • Ruptura e estenose da uretra posterior
      • Fase tardia – 3 a 5 meses após acidente = uretrectomia e uretrorrafia com acesso perineal
        • Remoção de todo tecido fibroso peri-uretral
        • Espatulação dorsal da uretra bulbar
        • Anastomose da uretra sem tensão
    • Ruptura e estenose da uretra posterior
      • Anastomose sem tensão
        • Liberação da uretra anterior – ganha-se 2 a 3 cm de uretra
        • Separação proximal dos corpos cavernosos – mais 1 a 2 cm.
              • Webester e Ramon 1991
    • Ruptura e estenose da uretra posterior
      • Anastomo uretral sem tensão =
        • Pubectomia inferior ganha mais 1,5 a 2 cm.
        • Rotação lateral da uretra sob um dos corpos cavernosos consegue-se 1-2 cm.
    • Uretroplastia
      • Drenagem com sondas de silicone
      • Permanência da sonda por 2 a 3 semanas
      • Após uretrotomia interna, a sonda fica por 2 a 5 dias
      • Controle adequado das infecções
      • Pré-puberes têm pior prognóstico