• Save
Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia

  • 2,890 views
Uploaded on

Dr Mauricio Rubinstein...

Dr Mauricio Rubinstein
Serviço de Urologia da Universidade Federal
do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO
Fellow Laparoscopia Cleveland Clinic

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
2,890
On Slideshare
2,833
From Embeds
57
Number of Embeds
2

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 57

http://www.urovideo.org 55
http://urovideo.org 2

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia Dr Mauricio Rubinstein Serviço de Urologia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO Fellow Laparoscopia Cleveland Clinic
  • 2. 23115
  • 3. Energia na Videolaparoscopia
    • Eletrocautérios – calor através de corrente elétrica: divisão /hemostasia de tecidos
    Calor – Resistência tecido Força = Joules Risco de dissipação de calor!
  • 4. Energia na Videolaparoscopia
    • Divisão de tecidos :
    •  rápido 100 o c
    • Água evapora – célula explode
    • Corrente:
    •  intensidade +  Voltagem
  • 5. Energia na Videolaparoscopia
    • Hemostasia :
    •  100 o c
    • Coágulo ptn +
    • cel desidratada = hemostasia
  • 6.  
  • 7. Corrente Elétrica
    • Corrente Elétrica em cirurgia - 2 formas
    • Monopolar
    • Bipolar
  • 8. Bisturí Monopolar: Princípios Gerais
  • 9. Bisturí Bipolar: Princípios Gerais
    • Bipolar
    • Corrente – 2 eletrodos
    • A corrente passa para o tecido alvo e não dispersa (não retorna ao paciente!)
    •  risco de lesão
  • 10. Monopolar x Bipolar
    • Monopolar
      • Corrente através do paciente
      • Rápida e efetiva hemostasia
      • Mais agressivo
      • Necessita – terra
      • Dispersa + energia
    • Bipolar
      • Corrente entre mandíbulas
      • Mais lento
      • Maior precisão de coagulação - permite uso próximo as estruturas delicadas
      • Área coagulada é menor
  • 11. Bisturí de Argônio
    • Bisturí de Argônio (Argom plasma coagulation APC)
    • Conduz corrente monopolar
    • via gás ionizado
    • Coagulação + homogênea e
    • pouco profunda
    • - Age também lateral e radial!
  • 12. LigaSure
    • Corrente alta freq. + pressão mecânica
    • sela vasos até 7-8mm
    • Difusão calor < 2mm (< energia)
    Veia mesentérica inferior selada com LigaSure  durante uma Colectomia laparoscópica
  • 13. Bisturí Ultrassônico
    • A ativação ultra-sônica do instrumento é gerada por um conjunto de cerâmicas &quot;piezo-elétricas&quot;, que vibram numa freqüência de 55.500 vezes por segundo (Hz), contidas na peça de mão.
    • Coagulação a baixas temperaturas (50-100 o c )
  • 14. Bisturí Ultrassônico Vantagens
    • Lesão mínima aos tecidos
    • Menos fumaça na cirurgia por vídeo
    • Sela vasos de até 5mm
    • S/ corrente elétrica p/ ou através do paciente
  • 15.  
  • 16. Lasers
    • Calor sem energia elétrica
    • Comprimento onda (nm)
    • Energia (J)
    • Tempo (s)
    corte coagulação
  • 17. Lasers
  • 18. Lasers
    • KTP laser
    • - GreenLight PV, Laserscope, California
  • 19. Laparoscopic Energy Device Injuries
    • Poorly characterized and understudied
    • Most commonly bowel complications which are potentially devastating
    • ACS survey:
      • 18% surgeons report an electrosurgical injury during laparoscopy
      • 36% surgeons use high-voltage coagulation (>40W)
    Tucker RD, Surg Laparosc Endosc 1995 5(4):311 Jaime Landman, M.D.
  • 20. Complicações
    • Complicações  cirurgia : 2/1000 (American college of surgeons)
    • Divididas:
    • Problemas equipamento
    • Regras de segurança
  • 21. Complicações
    • Principais:
    • Eletrodos
    • Pinças
    • SEM PROTEÇÃO ADEQUADA!
    Corrente!
  • 22. Complicações
  • 23. Complicações
    • Contato Direto!
    • Lesão térmica - intestinal – fístula secundária
    ZONA 1
  • 24. ZONA 3 ZONA 2 Insulation Capacitive coupling
  • 25. Complicações
  • 26. Complicações
    • Retorno da corrente- gerador – eletrodo
  • 27. Complicações
  • 28. Prevenção
    • Prevenção:
    • Bom conhecimento da Anatomia/Tecnologia
    • Superfície x profundidade (caixa preta)
    • Criar planos de dissecção
    • Aplicação prolongada da corrente
    • No Hurry!
    • No Blind Cauterization! (I.Gill)
  • 29. Prevenção
    • Rever todos os instrumentos
    • Remover instrumentos com defeito (Manutenção!)
    • Bom equipamento (videocâmera, insuflador)
  • 30. Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia
    • Conclusão
    • - O cirurgião deve estar ciente dos princípios da Eletrocirurgia e dos danos causados por ela afim de que as complicações possam ser minimizadas.
    • “ Não há substituto para treinamento adequado e experiência.”
    • ( SMITH’S Textbook of ENDOUROLOGY)
  • 31. LAP ABERTA OBRIGADO