Industrialização brasileira alterações no espaço

19,731 views

Published on

3 Comments
15 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
19,731
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,030
Actions
Shares
0
Downloads
1,527
Comments
3
Likes
15
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Industrialização brasileira alterações no espaço

  1. 1. INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA“De País Agro-Exportador a Urbano-Industrial”  Prof.º Luciano Pessanha www.lucianopessanhageo.blogspot.com
  2. 2. O QUE É INDÚSTRIA? O QUE É FÁBRICA?INDÚSTRIA é toda atividade (ECONÔMICA) humana que, através do trabalho, transformamatérias-primas em bens de consumo ou produção que, em seguida, sãocomercializados e que possuem, normalmente, maior valor agregado. VALOR AGREGADO MÁQUINAS ENERGIA QUALIFICAÇÃO MÃO-DE-OBRA SALÁRIOOBS: Fábrica é o termo utilizado para identificar o conjunto de instalações, equipamentose trabalhadores voltados para a transformação de matérias-primas.
  3. 3. O QUE ÉINDUSTRIALIZAÇÃO?Industrialização representa o processopelo qual a indústria aparece como osetor MAIS dinâmico de umaeconomia, aquele que agrega maisvalores ao produto total e/ou criamaior número de empregos.De outro lado, o processo que provocaa reversão do crescimento e daparticipação da indústria na produçãoe na geração de empregos é conhecidopor “desindustrialização”
  4. 4. Estágios da Produção Industrial• A evolução da matéria prima em produto transformado ocorreu em 4 estágios. São eles:1- Artesanato Hoje é típica de países subdesenvolvidos2- Manufatura3- Indústria (Maquinofatura)4- Revolução Técnico-científica (Maquinofatura)
  5. 5. ARTESANATOÉ a produção de caráter familiar na qual o artesão possui os meios de produção (sendo oproprietário da oficina e das ferramentas) e trabalha com a família em sua própriacasa, realizando todas as etapas, desde o preparo da matéria-prima até o acabamentofinal, ou seja, não havendo divisão do trabalho ou especialização para a confecção de algumproduto.
  6. 6. MANUFATURAA manufatura resultou da ampliação do consumo, que levou o artesão a aumentar a produção e ocomerciante a dedicar-se à produção industrial. O manufatureiro distribuía a matéria-prima e o artesãotrabalhava em casa, recebendo pagamento combinado. Esse comerciante passou a produzir.Primeiro, contratou artesãos para dar acabamento aos tecidos; em seguida tingir; depois tecere, finalmente, fiar. Surgiram fábricas com assalariados sem controle sobre o produto de seu trabalho. Aprodutividade aumentou por causa da divisão social, isto é, cada trabalhador realizava uma etapa daprodução.
  7. 7. INDÚSTRIA MAQUINOFATUREIRANa maquinofatura, o trabalhador estava subordinado ao regime de funcionamento da máquina eà gerência direta do empresário. A produtividade multiplicou com a mecanização da mão-de-obra, o produto final barateou e o desemprego cresceu.
  8. 8. Estágios de Produção Industrial ARTESANATO MANUFATURA MAQUINOFATURA ROBOTIZAÇÃO MECANIZAÇÃO FERRAMENTAS TRABALHO TRABALHO MANUAIS FAMILIAR MANUAL DIVISÃO DO Trabalho Trabalho Primitivo/Servil Assalariado
  9. 9. ORIGENS: Clássica : É aquela que surgiu na Inglaterra no séc. XVIII, e na Europa, EUA e Japão no séc. XIX. VAPOR (carvão mineral) Planificada : É aquela que surgiu no séc. XX nos países socialistas. Tardia : É aquela que surgiu nos países subdesenvolvidos pós 2º Guerra Mundial.COMMODITIES, significam mercadorias que temuma enorme importância na economiamundial, alto consumo, poucaindustrialização, produzidos e negociados porvárias empresas, com qualidade quase uniforme.
  10. 10. A INDUSTRIALIZAÇÃO DO ESPAÇO MUNDIAL Fases da Revolução Industrial:Primeira Revolução Industrial : (1760 – 1850) Surge na Inglaterra do séc. XVIII com a máquina á vapor (carvão mineral) e depois França. Implicou a mudança de uma economia de base agrícola e artesanal para uma economia de base industrial e mecanizada. A indústria têxtil e a siderurgia (ferro) foram as impulsionadoras da 1ª Revolução Industrial. O jornal e depois o telegrafo foram os meios de comunicação da época p/ longas distâncias 1832 – telégrafo eléctrico - Morse
  11. 11. Segunda Revolução Industrial : (1850 – 1980) Surge no séc. XIX com a descoberta de novas fontes deenergia (eletricidade e petroquímica) Nascem as empresas automobilísticas (Ford e GM) coma criação dos motores EUA, Japão, Alemanha, Canadá e Rússia se industrializam Taylorismo (trabalho no menor tempo possível com recompensa) Fordismo ( linha de montagem de produção em série com divisão do trabalho) Foi a época do rádio e da televisão como meios de comunicação de massa.
  12. 12. Terceira Revolução Industrial : (1980 – hoje) Surge no séc. XX com a passagem de tecnologia militar para o meio civil. Nasce a informática, internet, SIGs, robótica, nanotecnologia, biotecnologia, telecomunicações. Toyotismo (produção flexível com estoques mínimos) – Japão pós Bombas Atômicas Privatização e Descentralização Industrial
  13. 13. TIPOS DE INDÚSTRIASINDÚSTRIAS DE BASE OU BENS DE PRODUÇÃO Transformam matérias-primas ou energiaem produtos que vão ser usados pelas indústrias de bens de capital ou de consumo. Selocalizam perto das fontes fornecedoras ou dos postos e ferrovias, onde fica fácil arecepção das matérias e a saída da produção. Ex: siderúrgicas, as metalúrgicas e aspetroquímicas. INDÚSTRIAS DE BENS DE CAPITAL OU INTERMEDIÁRIA Esse tipo de indústria produzmáquinas e equipamentos que serão utilizados pelas indústrias leves ou pesadas. Essasindústrias se localizam principalmente perto de seus consumidores, nos centros industriais. INDÚSTRIAS DE BENS DE CONSUMO (OU DE BENS FINAIS) Produzem produtos duráveis(móveis, eletrodomésticos, automóveis, etc) ou não-duráveis (alimentos, bebidas, etc).Essas indústrias abrigam a maior parte dos trabalhadores e atingem um amplo mercadoconsumidor. Por isso, encontram-se nas cidades médias ou em centros urbanos. Aprodução destina-se à população em geral.
  14. 14. OUTRAS CLASSIFICAÇÕES DE INDÚSTRIASSegundo a função :Indústrias germinativas : elas geram o aparecimento de outras indústrias, como apetroquímica.Indústrias de ponta : são as indústrias dinâmicas que comandam a produção industrial. Ex.automobilística.Segundo a tecnologia :Indústrias tradicionais : são empresas que ainda estão ligadas com a Primeira RevoluçãoIndustrial. Geralmente são empresas familiares, e existem algumas dessas ainda no Brasil.Indústrias dinâmicas : usam muita tecnologia e capital e pouca força de trabalho. Estáligada com o desenvolvimento mais recente da química e eletrônica. Operam emeconomia de escala.
  15. 15. Tipos de indústriaIndústria Pesada ou de Base • Siderurgia • Metalurgia • Produção de energia elétrica • Extração mineral • Petrolífera • Cimento
  16. 16. Tipos de indústriaIndústria intermediária ou de Bens de Capital  Máquinas  Ferramentas  Automobilística  Naval  Têxtil  Ferroviária
  17. 17. Tipos de indústria Bens Finais ou de Consumo Duráveis Não-duráveis(automóveis, eletrodomésticos) (produtos alimentícios, têxteis)
  18. 18. Tipos de indústriaIndústria Dinâmica • Informática • Robótica • Comunicações • Aeroespacial • Biogenética
  19. 19. ONDE SE LOCALIZAM AS INDÚSTRIAS? POR QUE ALGUNS LUGARES POSSUEM MAISINDÚSTRIAS QUE OUTROS?FATORES DETERMINANTES NA LOCALIZAÇÃO INDUSTRIALComo mencionamos, as indústrias estão distribuídas desigualmente no mundo. Isto sedeve às condições ou fatores favoráveis que nem todos os lugares apresentam. Algunsfatores favoráveis são: Fontes de energia; Mão-de-obra barata e qualificada; Matéria-prima; Mercado consumidor; Infraestrutura de transporte; Rede de comunicação; Incentivos fiscais; Disponibilidade de água. Leis ambientais não rígidas
  20. 20. LOCALIZAÇÃO ESTRATÉGICA: QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA.Qual a melhor localização, no triângulo, para as três indústrias abaixo?JUSTIFIQUE sua resposta. INDÚSTRIA SIDERÚRGICA INDÚSTRIA AUTOMOBILISTICA INDÚSTRIA ALIMENTÍCIA
  21. 21. HISTÓRIA DA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRAPRELÚDIO:Antes da industrialização, a organização do espaço geográfico no Brasil erado tipo “arquipélago”, Ciclo extrativo do Pau-Brasil ( litoral-Mata Atlântica ) Ciclo da Cana-de-Açúcar ( litoral do nordeste – zona da mata )Economia de Arquipélago Ciclo da Mineração ( interior – Minas Gerais ) Ciclo da Borracha ( Amazônia ) e do Café ( Rio de Janeiro e São Paulo ) Ciclo da Industrialização ( início do séc. XIX )A industrialização promove a integração doespaço nacional, colocando fim ao“arquipélago econômico”.
  22. 22. A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRAA industrialização no Brasil pode ser dividida em quatro períodos principais:o primeiro período, de 1500 a 1808, chamado de "Proibição";o segundo período, de 1808 a 1930, chamado de "Implantação";o terceiro período, de 1930 a 1956, conhecido como fase da Revolução Industrial Brasileira,o quarto período, após 1956, chamado de fase da internacionalização da economiabrasileira.Bases para crescimento industrial – fins do séc. XIX – economia cafeeira (não proposital):Crise de 1929 - capitais – rede bancária e comercial – rede ferroviária – mão-de-obraqualificada e não qualificada – energia elétrica – mercado consumidor;Acompanhou o ritmo de crescimento da população urbana. Adotou o modelo desubstituição das importações. Dependência de tecnologia externa.Fases: Concentração E Desconcentração nacional - Presença das multinacionais
  23. 23. CAUSAS DO FRACO/ATRASADODESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO:permanência da escravidão – fraco mercado deconsumo interno;domínio político da aristocracia agroexportadora;elevada concorrência externa – Inglaterra e EUA;No século XIX, a industrialização do país erafraca, em razão de vários fatores, como o domínioeconômico da aristocracia rural agroexportadora edas relações escravagistas de trabalho. O escravoera um empecilho à industrialização, pois nãoparticipava do mercado consumidor, já que nãorecebia rendimentos, além do que não poderia serdemitido numa crise ou contratado numa fase deexpansão. Observe, pela tabela a seguir, a “tímida”industrialização.
  24. 24. 1930 – Nossa 1ª Revolução Industrial:Getúlio Vargas (Criação da CSN , Petrobrás e Vale do Rio Doce) – Inicia aSubstituição de Importaçãopredomínio da indústria leve;dependência tecnológica (importações) – Ing/EUA;concentração industrial (Sudeste) – reunião de fatores atrativos;nova polarização social: burguesia industrial X operariado;ligas operárias – sindicatos trabalhistas (influência externa);ausência de legislação trabalhista – desrespeito – contenção policial;controle social – bairros operários – segregação – guetos – cortiços.
  25. 25. 1930 a 1955 (início da 2ª RI brasileira):•crise cafeeira – êxodo rural – disponibilidade de mão-de-obra – exército industrial dereserva;•redução das importações•política nacionalista – desenvolvimento autônomo;•intervencionismo estatal – abandono do liberalismo;•indústria de base e diversificação da agricultura;•2ª Guerra Mundial;•período Dutra (1946/50) – favorecimento ao capital externo.•alta da balança comercial/reestruturação.
  26. 26. PERÍODO JK (1956 A 1961):• maior enfrentamento aos obstáculos à industrialização;•Plano de Metas (2/3 do orçamento para energia e transporte);•forte participação do capital estrangeiro – internacionalização da economia /Multinacionais;•panorama externo: fim da 2ª GM, descolonização, sobra de capitais;•transplante de tecnologias;•marketing agressivo – sociedade de consumo;•papel do governo brasileiro: criação de infraestrutura;•consolidação da dependência norte-americana;•aumento de encargos exteriores (royalties, juros, serviços);•reforço da indústria de base;•carro chefe: ibcd (automobilística e eletroeletrônicos);•desenvolvimento associado ao capital estrangeiro (não integrado, mas participante);
  27. 27. 1964 a década de 1980: (Ditadura – Anos de Chumbo)•Governo Médici•Copa do Mundo de 1970 (primeira á cores)- Pra Frente Brasil• modelo associado e dependente do capitalismo mundial;•penetração do capital estrangeiro (indústria, agricultura e mineração); Termina Substituição deImportação•controle estatal: industrialização e modernização conservadora;•1967/74 – “milagre econômico” – cresc. PIB supera os 10%;•sustentação do milagre: incentivo às exportações de manufaturados e primários; desvio de subsídios (agric. subsist. - agric. comercial); financiamento do consumo das classes alta/média; endividamento externo (petrodólares); Crise do Petróleo de 1974• supressão de liberdades/controle;•política recessiva imposta pelo FMI – diminuição de invest. sociais;• elevada inflação e concentração de renda•Obras Faraônicas de Logística (Itaipu – Ponte Rio-Niterói)•1967 – Zona Franca de Manaus (Suframa); Desconcentração Industrial
  28. 28. Década de 1980 – a década perdida:•Recessão, inflação e desemprego caracterizaram esta época•crises do petróleo (1979) – impossibilidade de pagamento de juros – queda de invest. sociais;•redirecionamento de capitais: forma produtiva (infraestrutura) – empréstimos;•queda do PIB;•continuação do êxodo rural – urbanização descontrolada;•ciranda financeira – venda de papéis (títulos públicos) – falta de invest. em indústrias;•cresc. populacional (1,91%) > cresc. PIB (1,5%);•consequências: modelo dependente, associado e excludente – conc. de renda – conc. Fundiária;
  29. 29. Década de 1990 – abertura comercial:•Modernização produtiva: dependência do capital estrangeiro – vulnerabilidade;•Plano Real: combate à inflação – aumento do consumo;•desestatização; (Privatização)•desemprego estrutural;•tecnologia + mão-de-obra especializada – educação.
  30. 30. Terceira Rev. Industrial – pós 2ª GM – Guerra Fria – grandes avanços (científicos/tecnológicos);Brasil - fatores impeditivos:dívidas; desvio de capitais; concorrência tecnológica;mau uso de capitais – desenv. científico em segundo plano;atrasos das décadas de 1980 e 90;falta de cultura voltada para pesquisa – herança econômica;falta de integração entre os setores público e privado.Tecnopólos – grandes centros de produção de tecnologias (instituições de ensino + empresas)São José dos Campos (ITA, Inpe), São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Florianópolis, Campina Grande, SãoCarlos, Campinas, Brasília.inovações tecnológicas: barateamento da produção + ganho de competitividade + melhoria dequalidade; cuidado: dispensa de mão-de-obra + pobreza;concentrações industriais: Sudeste – aproveitamento de fatores positivosSão Paulo; centro da economia capitalista brasileira;propagação concêntrica;aprofundamento de desigualdades regionais.
  31. 31. BRASIL – INDÚSTRIAS ATUAIS (2012)Diversificação industrialAutomaçãoPresença de multinacionais e grandes gruposcoorporativosAbertura de novos mercados consumidoresEscassez de matéria primaSITUAÇÃO ATUAL DA INDÚSTRIA BRASILEIRACaracterísticas:Brasil - Ind. tardia - Tec. clássica - Ind. incompleta -Multinacional - Mercado interno - Transferência deTecnologia do 1º Mundo para 3º Mundo, da Tec. dePonta para Tec. clássica - Vinda das multinacionais: -Dependência tecnológica (pouco desenvolvimentoeconômico) - Descapitalização ( o dinheiro vai parafora) - Adaptação (tec. de uma realidade éimplantada em outra totalmentediferente, causando desemprego) - Compra -Migração de Cérebro - do 3º Mundo para 1º Mundo
  32. 32. PROBLEMAS ENFRENTADOS PELA PELO SETOR INDUSTRIALBRASILEIRO EM SUA TENTATIVA DE RECUPERAÇÃO: - elevada carga tributária; - elevadas taxas de juros (investimento produtivo –investimento especulativo); - falta de infraestrutura; - concorrência externa;REAÇÃO AOS PROBLEMAS:- busca pela participação no mercado externo (empresas quebuscam outros países);- tentativa de aumento nas exportações;- tentativa de aumento do valor agregado dos produtos.
  33. 33. MÚSICAA Indústria do Brasil que foi colonialNão deu a base naturalPro avanço industrialCom a grande dependência BISSem taxar a concorrênciaMuita gente na falênciaFicou oooooooooooo (BIS)Para Getúlio VargasA indústria que importaNão é a que vem de foraMas Juscelino deixa entraaaaaaaaaaaar (e ajudou)Bancando a energiaE um transporte caroFazendo até BrasíliaFez nossa dívida aumentaaaaaaarrrrrr (Agora eu sei)Eu sei que a privatizaçãoÉ parte de um planoQue é neoliberal
  34. 34. Exercício: A Produção TRABALHO EM GRUPO Escolha um produto de uma empresa da região e descreva os recursos necessários a sua produção, as etapas do processo de transformação e a forma de medição da produtividade INPUTS OUTPUTS Recursos Humanos, Bens Instalações e Processos, Processo de Materiais, Terra, Energia transformação Serviços e Informação Medida de Performance (Qualidade, Custo, Produtividade, etc.)INPUT = medida quantitativa dos insumos : ou seja quantidade ou valor das matérias-primas, mão-de-obra, energiaelétrica, capital, instalações prediais, etc.OUTPUT = medida quantitativa do que foi produzido, ou seja, quantidade de produtos ou serviços ou valor das receitasprovenientes das vendas dos produtos / serviços finais.

×