Trabalho sobre o Programa de Saúde da Família

13,315 views
13,250 views

Published on

Trabalho apresentado pelas acadêmicas Aline Pacheco, Sandra, Maria Betânia, Marcimone Franciele e Patricia.

Published in: Education, Technology
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
13,315
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
316
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Trabalho sobre o Programa de Saúde da Família

  1. 1. PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA (PSF) Aline Pacheco Sandra Maria Betânia Marcimone Franciele Patricia
  2. 2. Programa Saúde da Família <ul><li>Saúde da Família é entendida como uma estratégia de reorientação do modelo assistencial, operacionalizada mediante a implantação de equipes multiprofissionais em unidades básicas de saúde. </li></ul><ul><li>Iniciada em 1991 com o PACS ( Programa de Agentes Comunitários de Saúde) . </li></ul><ul><li>Representa uma “porta de entrada”. </li></ul><ul><li>É o primeiro contato com os serviços de saúde. </li></ul><ul><li>Organiza os serviços de referência e contra-referencia para os diferentes níveis de atenção. </li></ul>
  3. 3. Um pouco de história <ul><li>Naturalmente existem várias concepções sobre a Medicina de Família, sua origem nos remete à década de 70, quando essa proposição chegou a faculdades de medicina da América Latina como reforma curricular como reação à tendência à especialização e conseqüente desumanização do atendimento. </li></ul><ul><li>Várias tendência podem ser identificadas nessas concepções desde sua vinculação a uma reforma social e de estado como aconteceu com a medicina de família de Cuba e na China que propôs os conhecidos médicos de pés descalços até a proposição dos países industrializados de saúde comunitária passando necessariamente pelo Family Practice da reforma do sistema de saúde da Inglaterra do pós guerra que é foi considerado um modelo de acesso universal adotado por muitos outros países. </li></ul>
  4. 4. Atendimento <ul><li>O atendimento é prestado na unidade básica de saúde ou no domicílio, pelos profissionais (médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e agentes comunitários de saúde) que compõem as equipes de Saúde da Família. </li></ul>
  5. 5. Equipe <ul><li>Cada equipe é capacitada para: . Conhecer a realidade das famílias pelas quais é responsável, por meio de cadastramento e diagnóstico de suas características sociais. · Identificar os principais problemas de saúde e situações de risco aos qual a população que ela atende está exposta. · Elaborar, com a participação da comunidade, um plano local para enfrentar os determinantes do processo saúde/doença. · Prestar assistência integral, respondendo de forma contínua e racionalizada à demanda, organizada ou espontânea, na Unidade de Saúde da Família, na comunidade, no domicílio e no acompanhamento ao atendimento nos serviços de referência ambulatorial ou hospitalar. · Desenvolver ações educativas e intersetoriais para enfrentar os problemas de saúde identificados. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>A partir de 1992, o conceito de promoção da saúde: </li></ul><ul><li>Intersetorialidade; </li></ul><ul><li>Participação popular. </li></ul><ul><li>A estratégia do PSF: </li></ul><ul><li>Família como núcleo social alvo em território definido. </li></ul><ul><li>Atenção Básica não é: </li></ul><ul><li>Para pobres; </li></ul><ul><li>Sinal de baixa resolutibidade; </li></ul><ul><li>Lugar para profissionais sem qualificação. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Atenção Básica é </li></ul><ul><li>Serviço de alta qualidade e resolutividade </li></ul><ul><li>Valorização da promoção e proteção da saúde; </li></ul><ul><li>Parte de um sistema hierarquizado. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>A Saúde da Família como estratégia estruturante dos sistemas municipais de saúde tem provocado um importante movimento com o intuito de reordenar o modelo de atenção no SUS. Busca maior racionalidade na utilização dos demais níveis assistenciais e tem produzido resultados positivos nos principais indicadores de saúde das populações assistidas às equipes saúde da família. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>O trabalho de equipes da Saúde da Família é o elemento-chave para a busca permanente de comunicação e troca de experiências e conhecimentos entre os integrantes da equipe e desses com o saber popular do Agente Comunitário de Saúde. As equipes são compostas, no mínimo, por um médico de família, um enfermeiro, um auxiliar de enfermagem e 6 agentes comunitários de saúde. Quando ampliada, conta ainda com: um dentista, um auxiliar de consultório dentário e um técnico em higiene dental. </li></ul>
  10. 10. Objetivos do PSF <ul><li>Prestar assistência integral, contínua, com resolutibidade e boa qualidade às necessidades de saúde da população. </li></ul><ul><li>Intervir nos fatores de risco á população. </li></ul><ul><li>Humanizar as práticas de saúde através do estabelecimento de um vínculo entre os profissionais de saúde e a população. </li></ul><ul><li>Contribuir para a democratização do conhecimento do processo saúde/doença,da organização dos serviços e da produção social da saúde. </li></ul><ul><li>Estimular a organização da comunidade para o efetivo exercício do controle social. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>   Cada equipe se responsabiliza pelo acompanhamento de cerca de 3 mil a 4 mil e 500 pessoas ou de mil famílias de uma determinada área, e estas passam a ter co-responsabilidade no cuidado à saúde. A atuação das equipes ocorre principalmente nas unidades básicas de saúde, nas residências e na mobilização da comunidade, caracterizando-se: como porta de entrada de um sistema hierarquizado e regionalizado de saúde; por ter território definido, com uma população delimitada, sob a sua responsabilidade; por intervir sobre os fatores de risco aos quais a comunidade está exposta; por prestar assistência integral, permanente e de qualidade; por realizar atividades de educação e promoção da saúde. </li></ul>
  12. 12. Agente Comunitário de Saúde <ul><li>Os agentes comunitários de saúde podem ser encontrados em duas situações distintas em relação à rede do SUS: </li></ul><ul><li>ligados a uma unidade básica de saúde ainda não organizada na lógica da Saúde da Família;e </li></ul><ul><li>ligados a uma unidade básica de Saúde da Família como membro da equipe multiprofissional. </li></ul>
  13. 13. São atribuições do ACS <ul><li>Mapear sua área de atuação; </li></ul><ul><li>Cadastrar as famílias de sua área, mantendo os cadastros atualizados. </li></ul><ul><li>Identificar indivíduos e famílias expostos a situações de risco; </li></ul><ul><li>Realizar visitas domiciliares; </li></ul><ul><li>Colher dadospara análise da situação das famílias acompanhadas; </li></ul><ul><li>Desenvolver ações de promoção e prevenção de doenças. </li></ul>
  14. 14. Componentes das equipes <ul><li>Médicos: Atende a todos os integrantes da cada família e desenvolve com os demais integrantes da equipe , ações preventivas e de promoção da qualidade de vida da população. </li></ul><ul><ul><li>Gosto pelo trabalho em equipe; </li></ul></ul><ul><ul><li>Capacidade de adaptar-se a situações novas; </li></ul></ul><ul><ul><li>Equilíbrio; </li></ul></ul><ul><ul><li>Resistência a frustrações; </li></ul></ul>
  15. 15. <ul><li>Enfermeiro: Supervisiona o trabalho o ACS e do Auxiliar de enfermagem, realiza consultas na unidade de saúde, bem como assiste às pessoas que necessitam de cuidados de enfermagem, no domicílio </li></ul><ul><ul><li>Responsabilizar-se pelas ações de vig.à saúde; </li></ul></ul><ul><ul><li>Capacita o ACS; </li></ul></ul><ul><ul><li>Promove ações de educação em saúde; </li></ul></ul><ul><ul><li>Discutir junto á equipe e comunidade relações existentes entre cidadania e saúde. </li></ul></ul>
  16. 16. <ul><li>Auxiliar de Enfermagem: Realiza procedimentos de enfermagem na unidade básica de saúde, no domicilio e executa ações de orientação sanitária. </li></ul><ul><ul><li>Auxilia na identificação das famílias de risco; </li></ul></ul><ul><ul><li>Auxilia os ACS ns visitas domiciliares; </li></ul></ul><ul><ul><li>Participa das discussões e organização do processo de trabalho da unidade de saúde. </li></ul></ul>
  17. 17. <ul><li>Agente Comunitário de Saúde: faz a ligação entre as famílias e o serviço de saúde, visitando cada domicílio pelo menos uma vez por mês; realiza mapeamento de cada área,o cadastramento das famílias e estimula a comunidade para práticas que proporcionem melhores condições de saúde e de vida. </li></ul>
  18. 18. <ul><li>Cirurgião – Dentista: Realizar exames clínicos para diagnóstico epidemiológico, Realizar os procedimentos clínicos previstos pela NOB-SUS/96 e NOAS-MS/2001 </li></ul>
  19. 19. <ul><li>Leis   </li></ul><ul><li>Lei Nº 11.350 de 05 de outubro de 2006 Regulamenta o § 5º do art. 198 da Constituição, dispõe sobre o aproveitamento de pessoal amparado pelo parágrafo único do art. 2o da Emenda Constitucional no 51, de 14 de fevereiro de 2006, e dá outras providências.   </li></ul><ul><li>Lei Nº 10.507 de 10 de julho de 2002 Cria a Profissão de Agente Comunitário de Saúde e dá outras providências. </li></ul>
  20. 20. Responsabilidades das Esferas Gestoras em Atenção Básica: Federal <ul><li>Elaborar as diretrizes da política nacional de atenção básica; </li></ul><ul><li>Co-financiar o sistema de atenção básica; </li></ul><ul><li>Ordenar a formação de recursos humanos; </li></ul><ul><li>Propor mecanismos para a programação, controle, regulação, e avaliação da atenção básica; </li></ul><ul><li>Manter as bases de dados nacionais. </li></ul><ul><li>Estadual </li></ul><ul><li>Acompanhar a implantação e execução das ações de atenção básica em seu território; </li></ul><ul><li>Regular as relações inter-municipais; </li></ul><ul><li>Coordenar a execução das políticas de qualificação de recursos humanos em seu território; </li></ul><ul><li>Co-financiar as ações de atenção básica; </li></ul><ul><li>Auxiliar na execução das estratégias de avaliação da atenção básica em seu território. </li></ul>
  21. 21. Municipal <ul><li>Definir e implantar o modelo de atenção básica em seu território; </li></ul><ul><li>Contratualizar o trabalho em atenção básica; </li></ul><ul><li>Manter a rede de unidades básicas de saúde em funcionamento ( gestão e gerência); </li></ul><ul><li>Co-financiar as ações de atenção básica; </li></ul><ul><li>Alimentar os sistemas de informação; </li></ul><ul><li>Avaliar o desempenho das equipes de atenção básica sob sua supervisão. </li></ul>

×