Your SlideShare is downloading. ×
0
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Trabalho sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem

29,823

Published on

Trabalho apresentado pelas acadêmicas Ana Paula, Elisângela, Euni Ivete e Selma - Curso de Serviço Social, Faculdade União das Américas

Trabalho apresentado pelas acadêmicas Ana Paula, Elisângela, Euni Ivete e Selma - Curso de Serviço Social, Faculdade União das Américas

Published in: Education, Technology
3 Comments
17 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
29,823
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
3
Likes
17
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM Ana Paula Elisângela Euni Ivete Selma
  • 2. Por que uma Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem? <ul><li>Porque os homens apresentam algumas peculiaridades em relação às mulheres nos quesitos: </li></ul><ul><li>MORTALIDADE </li></ul><ul><li>MORBILIDADE </li></ul><ul><li>ASPECTOS SOCIOCULTURAIS </li></ul>
  • 3. MORTALIDADE <ul><li>- A cada 3 pessoas que morrem no Brasil, 2 são HOMENS. </li></ul><ul><li>A cada 5 pessoas que morrem de 20 a 30 anos, 4 são HOMENS. </li></ul><ul><li>Os Homens vivem 7,6 anos a menos, em média, do que as mulheres. </li></ul>
  • 4. Principais causas de mortalidade na população masculina <ul><li>- Causas externas </li></ul><ul><li>- Ap. circulatório </li></ul><ul><li>- Neoplasias </li></ul><ul><li>- Ap. digestivo </li></ul><ul><li>- Ap. respiratório </li></ul>
  • 5. MORBILIDADE <ul><li>Os homens, entre outros problemas, apresentam mais: </li></ul><ul><li>- Doenças do coração (infarto, AVC) </li></ul><ul><li>- Cânceres (pulmonar, próstata, pele) </li></ul><ul><li>- Colesterol elevado </li></ul><ul><li>- Diabetes </li></ul><ul><li>- Pressão alta </li></ul>
  • 6. ASPECTOS SOCIOCULTURAIS <ul><li>- Tem medo de descobrir doenças; </li></ul><ul><li>- Acham quer nunca vão adoecer e por isso não se cuidam </li></ul><ul><li>- Não procuram os serviços de saúde e não seguem os tratamentos recomendados </li></ul><ul><li>- Estão mais expostos aos acidentes de trânsitos e de </li></ul><ul><li>trabalho; </li></ul><ul><li>- Utilizam álcool e outras drogas em maior quantidade; </li></ul><ul><li>- Estão envolvidos na maioria das situações de violência </li></ul><ul><li>não praticam atividade física com regularidade; </li></ul>
  • 7.  
  • 8. Por que os homens não se cuidam e não procuram os serviços de saúde? <ul><li>Socioculturais </li></ul><ul><li>Barreiras </li></ul><ul><li>Institucionais </li></ul><ul><li>- Estereótipos de gênero </li></ul><ul><li>- O pensamento mágico </li></ul><ul><li>- Medo que descubra doenças </li></ul><ul><li>- O papel de provedor </li></ul><ul><li>- O papel de “cuidar” </li></ul><ul><li>Estratégias de comunicação não privilegiam os homens </li></ul><ul><li>Inadequação dos serviços de saúde </li></ul><ul><li>* Horários de funcionamento </li></ul><ul><li>* Dificuldades de acesso </li></ul><ul><li>* Presença de mulher no exame do toque retal </li></ul>
  • 9. A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem, foi lançada no dia 27 de agosto de 2009. PORTARIA Nº 1944
  • 10. PÚBLICO ALVO <ul><li>Atendimento da população masculina de 20 a 59 anos. </li></ul>
  • 11. OBJETIVO GERAL <ul><li>Facilitar e ampliar o acesso da população masculina aos serviços de saúde, contribuindo para a redução das causas de morbidade, mortalidade e atuação nos aspectos socioculturais. </li></ul>
  • 12. <ul><li>É uma resposta à observação de que as doenças que afetam o sexo masculino são um problema de saúde pública. </li></ul>
  • 13. <ul><li>1. Organizar rede de atenção à saúde a fim de garantir uma linha de cuidados integrais, tendo a Estratégia Saúde da Família (ESF) como porta de entrada; </li></ul><ul><li>2. Apoiar ações e atividades de promoção de saúde para facilitar o acesso da população masculina aos serviços de saúde; </li></ul><ul><li>3. Qualificar profissionais de saúde para o atendimento dos homens; </li></ul><ul><li>4. Incorporar o homem no planejamento reprodutivo e no compartilhamento aos cuidados da saúde familiar; </li></ul><ul><li>5. Construir parcerias com a sociedade civil organizada para promover a saúde do homem. </li></ul>OBJETIVOS ESPECÍFICOS PRIORITÁRIOS
  • 14. PLANO DE AÇÃO NACIONAL (2009-2011) <ul><li>OBJETIVOS: </li></ul><ul><li>O Plano apresenta as intenções e os resultados a serem buscados, em um período de tempo determinado (2009-2011), expressos em diretrizes, objetivos, metas e ações e deverá num primeiro momento: </li></ul><ul><li>* A elaboração de plano piloto em 26 Estados e DF e em 26 Municípios (um por Estado) selecionados pelo Ministério; </li></ul><ul><li>* A geração de subsídios aos gestores no desenvolvimento de estratégias e ações voltadas para a saúde do Homem, inserindo-as em seus respectivos Planos de Saúde Estadual e Municipal. </li></ul>
  • 15. EIXOS <ul><li>* Eixo I : Implantação da Política Nacional de atenção Integral à Saúde do Homem; </li></ul><ul><li>* Eixo II e III : Promoção de saúde, informação e comunicação; </li></ul><ul><li>* Eixo IV : Participação, relações institucionais e controle social; </li></ul><ul><li>* Eixo V : Implantação e expansão do sistema de atenção à saúde do homem; </li></ul><ul><li>* Eixo VI : Qualificação de profissionais da saúde; </li></ul><ul><li>* Eixo VII : Insumos, equipamentos e recursos humanos; </li></ul><ul><li>* Eixo VIII : Sistemas de informação; </li></ul><ul><li>* Eixo IX : Avaliação do Projeto-piloto. </li></ul>
  • 16. O processo de construção do Plano de Ação Nacional (2009-2011) foi realizado de forma participativa através de reuniões com representantes de sociedades médicas e da sociedade civil, universidades, gestores estaduais e municipais, profissionais da saúde, além das Secretarias do Ministério da Saúde .
  • 17. <ul><li>A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem, portanto, além de evidenciar os principais fatores de morbitalidade explicita o reconhecimento de determinantes sociais que resultam na vulnerabilidade da população masculina aos agravos à saúde, considerando que representações sociais sobre a masculinidade vigente comprometem o acesso à atenção integral, bem como repercutem de modo crítico na vulnerabilidade dessa população à situações de violência e de risco para a saúde. </li></ul>
  • 18.  
  • 19. <ul><li>Eles não reconhecem a doença como algo inerente à condição do homem, por isso acham que os serviços de saúde são destinados às mulheres, crianças e idosos”, outra dificuldade é que eles não acreditam em profilaxia, o que prejudica o trabalho em prevenção. </li></ul>
  • 20. <ul><li>A Área Técnica de Saúde do Homem promoveu três oficinas de trabalho no inicio deste mês (maio) de 2010  </li></ul><ul><li>Capacitando 54 municípios </li></ul>
  • 21. <ul><li>Todas as Oficinas aconteceram em Brasília, contando com um total de 143 participantes. Oficina I - Regiões: Sul e Sudeste – 03 e 04/05/2010 Oficina II – Região Nordeste – 05 e 06/05/2010 Oficina III – Regiões Centro-Oeste e Norte– 07 e 08/05/2010 </li></ul>
  • 22. <ul><li>A intenção é reunir lado a lado, o conjunto de experiências acumuladas de cobertura da população masculina e os responsáveis pela estratégia de expansão. Com isso, espera-se ganhar em qualidade e acelerar o desenvolvimento do processo. </li></ul>
  • 23. <ul><li>http://portal.saude.gov.br/portal/saude </li></ul><ul><li>DISQUE SAÚDE 0800 61 1997 </li></ul>

×