Serviço Social e Educação

30,346 views
29,916 views

Published on

Uniamérica, Curso de Serviço Social, Seminário.
Grupo: Aline Rodrigues, Aparecida Monique, Eliane Alves, Francieli Rodrigues e Viviane Campos.

Published in: Education, Technology
0 Comments
35 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
30,346
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
268
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
35
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Serviço Social e Educação

  1. 1. Serviço Social e Educação Acadêmicas: Aline Rodrigues Aparecida Monique Eliane Alves Francieli Rodrigues Viviane Campos
  2. 2. Lei de Diretrizes e Bases <ul><li>Lei nº 9.394 , de 20 de dezembro de 1996. </li></ul><ul><li>Estebelece as diretrizes e bases da educação nacional. </li></ul><ul><li>É composta por 91 artigos, sancionada pelo presidente da republica – Fernando Henrique Cardoso. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Serviço Social na Educação </li></ul><ul><li>O cotidiano escolar enfrenta complexas questões sociais que o conhecimento pedagógico não consegue enfrentar sozinho precisando de outros saberes como o do Assistente Social.Desta maneira,confirma-se a hipótese de que há verdadeiramente a necessidade deste profissional na Educação. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Os problemas sócio educacionais podem ser atenuados por meio da atuação interdisciplinar do profissional do Serviço Social,em conjunto com os demais agentes escolares da rede pública. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>A atuação do Assistente Social nas escolas públicas poderá contribuir para a ampliação da política educacional,uma vez que em muitos momentos as questões sociais mais pertinentes não são trabalhadas pela escola. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Tendo em vista que a educação é uma política pública de direito constitucional,este,portanto,deve ser garantido não somente com a democratização do acesso do sujeito à educação,mas sobretudo à qualidade do ensino,a fim de promover o crescimento cultural do indivíduo enquanto cidadão.Nesse contexto cabe ao profissional Assistente Social,por meio de sua prática,ampliar e contribuir para a sua garantia. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>A educação,direito de todos e dever do Estado e da família,será provida e incentivada com a colaboração da sociedade,visando pleno desenvolvimento da pessoa,seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. </li></ul><ul><li>(Constituição Federal,05jan.2004). </li></ul>
  8. 8. <ul><li>O sistema neoliberal compromete o sistema educacional,prejudicando a sua estrutura sócio-econômica e os indivíduos inseridos neste contexto,como os professores ,os alunos e seus familiares. </li></ul><ul><li>Nesta situação,faz-se necessária a intervenção do Assistente Social,que é o profissional que trabalha com as relações sociais e suas problemáticas. </li></ul>
  9. 9. Em São Paulo é aprovado a ultima versão do projeto de lei 837. Essa versão destaca-se a inserção de Assistentes Sociais e Psicólogos nas escolas publicas.
  10. 10. <ul><li>Segundo Morin: ”A cidadania deve ser uma educação contextualizada , global , multidimensional e complexa”. </li></ul>
  11. 11. Para Backhaus: <ul><li>Os resultados precisam vir ao encontro , visando o aperfeiçoamento do conjunto . </li></ul>
  12. 12. Para Almeida: <ul><li>O serviço social contribui com seu saber para impulsionar uma reflexão política aos segmentos populacionais , em que também possam reconhecer seus direitos e deveres , para exercerem sua cidadania. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>A constatação por meio de um estudo bibliográfico preliminar , que levou a confirmação da hipótese que há realmente a necessidade e relevância da presença do Assistente Social nas escolas. </li></ul>
  14. 15. Objetivo: <ul><li>Combater a evasão escolar é promover a permanência dos alunos nas escolas da rede municipal de ensino. </li></ul><ul><li>Busca manter as crianças em idades compatível . </li></ul>
  15. 16. Causas da Evasão : Muitas vezes relacionadas com a situação familiar. <ul><li>Principais Ações : Visitas nas escolas, reuniões ( diretores , supervisores , pedagógicos ) , visita em residências de alunos . </li></ul>
  16. 17. Implantação: <ul><li>Divide-se em duas partes: uma externa e outra interna. </li></ul><ul><li>Fase Externa: Processo de divulgação do projeto e sensibilização da comunidade escolar. </li></ul><ul><li>Fase Interna: subdivide-se em duas fases– </li></ul><ul><li>1º Pode ocorrer contato direto com o aluno na escola , onde depende do caso é encaminhado para o conselho tutelar . </li></ul><ul><li>2º Vai atuar sobre a família , contando com a rede de serviços ( provopar , secretaria de ação social , foz habita etc .) </li></ul>
  17. 18. Funcionamento: <ul><li>Quando observa-se a ausência continuada de um aluno , comunica-se a direção da escola ou a supervisão pedagógica. </li></ul><ul><li>O primeiro contato é feito direito com o aluno,convoca-se os pais ou responsável, através de telefonemas , bilhetes , recados etc. </li></ul><ul><li>Se acaso não for possível o contato direto entre o aluno e a convocação dos responsáveis é feito o preenchimento da ficha de comunicação do aluno ausente , ao programa FICA. </li></ul>
  18. 19. <ul><li>Se os pais dizerem que não podem mais com a vida do filho , a assistente social responsável pelo programa elabora um relatório social , deixando claro a condição sócio econômica da família do aluno e é feito o encaminhamento ao conselho tutelar. </li></ul><ul><li>Se por acaso não for possível contato com a família nem através do Fica e conselho tutelar é feito um encaminhamento a vara da infância e da juventude , que aciona os pais ou responsável pelo aluno judicialmente. </li></ul>
  19. 20. Recursos: <ul><li>Esse projeto de combate a evasão escolar gasta 50 mil anuais , menos de 5 mil por mês , essa despesa é paga pela Prefeitura Municipal . </li></ul><ul><li>Resultados: </li></ul><ul><li>O projeto conseguiu desde o inicio de sua implantação reduzir o indice de evasão escolar , de 50% para 0,67% em 2007. </li></ul>
  20. 21. <ul><li>Obrigado </li></ul>

×