Page  1 
aqW2 
Gerenciamento de Projetos Gerenciamento do Custo
Page  2
Page  3 
Estimativa dos Recursos e Orçamento 
Orçamentação dos Custos 
Controle dos Custos 
Desenvolver uma estimativa do...
Page  4 
J 
F 
M 
A 
M 
J 
J 
A 
Engenheiros (h) 
57 
34 
56 
23 
11 
12 
10 
3 
Técnicos (h) 
23 
24 
21 
26 
24 
21 
26...
Page  5 
Conceitos Gerais sobre Custos 
•GASTO: Qualquer evento econômico ou financeiro que a entidade arca para obtenção...
Page  6 
• Gasto: 
- Gasto com compra de Matéria-prima; 
- Gasto com mão-de-obra; 
- Gasto com compra de um imobilizado. ...
Page  7 
1. Quanto à Alocação ao Produto 
2. Quanto ao Volume 
Conceitos Gerais sobre Custos 
Classificação
Page  8 
São os custos que podem ser diretamente apropriados aos produtos fabricados. 
Conceitos Gerais sobre Custos 
Alo...
Page  9 
Conceitos Gerais sobre Custos 
Alocação ao Produto 
São os custos que beneficiam toda a produção 
Custos Indiret...
Page  10 
São aqueles que independem do volume de atividade do projeto, produção ou vendas. 
Ex.: Aluguel, supervisão, se...
Page  11 
São aqueles que são relacionados (variam) diretamente com o volume de produção e vendas. 
Ex.: Materiais Direto...
Page  12 
Representa a somatória dos custos Fixos e Variáveis 
Graficamente, temos o custo total: 
Custos em R$ 
Custo To...
Page  13 
Estimativa dos Recursos e Orçamento 
Estimativa Top-down 
Estimativa Bottom-up 
Estimativa Análoga 
Detalhada, ...
Page  14 
Orçamento de Custos 
Reserva de Gerenciamento 
Linha de Base de Custos 
Reserva de Contingência 
Custo do Proje...
Page  15 
 São então, levadas para os níveis mais altos de componentes da EAP, como contas de controle, e finalmente par...
Page  16 
 “Known unknowns” – situações que podem ser previstas apenas parcialmente ou para riscos que serão aceitos ati...
Page  17 
“Unknown unknowns” – para situações impossíveis de prever. É desconhecido. Só sei que é risco quando vira um p...
Page  18 
Continue 
sem alterações 
Planeje a recuperação 
Revise 
as 
estimativas 
Qual é o tamanho do desvio? 
Está de ...
Page  19 
Continue com as mesmas estimativas para a conclusão 
Revise as estimativas para a conclusão 
Qual é a causa do ...
Page  20 
Técnicas de medição do desempenho ajudam a avaliar a magnitude de qualquer desvio que ocorra. 
Algumas tarefa...
Page  21 
Controlar os custos 
•Medição real: pode consumir um elevado tipo de recurso (tempo, dinheiro, esforço), ou ser...
Page  22 
Estamos no cronograma? Estamos no custo? Quais são os desvios significantes? Por que temos desvios? Quem é o re...
Page  23 
Você precisa construir uma estrada de ferro. Seu plano é o seguinte: 
Gerenciamento do Valor Agregado 
Earned V...
Page  24 
Valor Planejado - VP (“Planned Value” - PV ) 
Gerenciamento do Valor Agregado 
Earned Value Management 
•Custo ...
Page  25 
Custo Acumulado ($) 
Planejado: 2 atividades = 20.000 
Tempo 
OBS: No exemplo foram utilizados valores iguais p...
Page  26 
Custo Real - CR (“Actual Cost” - AC) 
Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management 
•Custo real do t...
Page  27 
VP 
20.000 
VPi = 
10/06 
Ti 
10/04 T0 
10/10 Tf 
12.000 
CRi = 
CR 
Planejado: 2 atividades = 20.000 Executado...
Page  28 
Valor Agregado - - VA (“Earned Value” - EV) 
Gerenciamento do Valor Agregado 
Earned Value Management 
•Custo p...
Page  29 
VP 
20.000 
VPi = 
Tempo 
10/06 
Ti 
10/04 
T0 
12.000 
CRi = 
CR 
VA 
10.000 
VAi = 
Planejado: 2 atividades =...
Page  30 
É a diferença entre o trabalho realizado e o trabalho programado, expressa em moeda corrente. 
Fórmula: VPr =...
Page  31 
É a diferença entre o custo orçado e o custo real, do trabalho realizado até o momento da medição. 
Fórmula: ...
Page  32 
Estou (apenas) progredindo a __% da taxa originalmente planejada (100%). 
Fórmula: VA / VP 
Índice de Desempe...
Page  33 
1.0 
.9 
1.1 
1.2 
.8 
Índice de Desempenho de Custos (IDC)= VA /CR 
Índice de Desempenho de Prazos (IDP)= VA /...
Page  34 
Orçamento no Término (ONT) 
Orçamento na Conclusão (ONC) 
“Budget at Completion (BAC)” - Valor Total do Trabalh...
Page  35 
Previsão mais provável do custo total do projeto baseada no desempenho e na quantificação dos riscos. 
Estimati...
Page  36 
Desvios isolados e não repetitivos 
Desvios atuais não devem se repetir no futuro pois houve um problema atípic...
Page  37 
Problemas recorrentes (custo) 
Desvios atuais devem se repetir no futuro pois houve um problema que vai continu...
Page  38 
Problemas recorrentes (custo e produtividade) 
Desvios atuais devem se repetir no futuro pois houve um problema...
Page  39 
Projeção calculada do índice de desempenho de custos, a ser alcançado pelo restante do projeto, de forma que o ...
Page  40 
Quanto será necessário para concluir o trabalho? 
Fórmula: EPT = ENT - CR 
EPT = ENT – CR* 
EPT = 72.000 – 12...
Page  41 
Quanto tempo será necessário para concluir o trabalho? 
Fórmula: ETT = Tempo planejado inicialmente / IDP 
ET...
Page  42 
Para mais ou para menos, quanto é a diferença do custo final do projeto? 
Fórmula: VNT = ONT – ENT 
Variação ...
Page  43 
Análise de Causas das Variações 
1. Variações de custo unitário Desvio entre o custo unitário estabelecido e o ...
Page  44 
R$ 18,00 
R$ 30,00 
R$ 48,00 
Custo total 
R$ 1,00 
R$ 3,00 
R$ 4,00 
Custo Unitário 
2 Kg 
10 Kg 
12 Kg 
Quant...
Page  45 
TERMO 
DESCRIÇÃO 
INTERPRETAÇÃO 
VP 
Valor Planejado – Planned Value 
Quanto trabalho DEVE ser feito. 
EV 
Valo...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Administração de Projetos - Planejamento - Custos - Aula 10

1,508 views
1,488 views

Published on

Administração de Projetos - Planejamento - Custos - Aula 10

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,508
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
183
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Administração de Projetos - Planejamento - Custos - Aula 10

  1. 1. Page  1 aqW2 Gerenciamento de Projetos Gerenciamento do Custo
  2. 2. Page  2
  3. 3. Page  3 Estimativa dos Recursos e Orçamento Orçamentação dos Custos Controle dos Custos Desenvolver uma estimativa dos custos dos recursos necessários à Implementação das atividades do projeto. Alocar as estimativas dos custos do Projeto aos itens individuais de trabalho. Controlar as mudanças no orçamento do projeto. Gerenciamento do Custo do Projeto Processos necessários para assegurar que o projeto termine dentro do orçamento aprovado. Inclui os processos envolvidos em estimativas, orçamentos e controle de custos, de modo que o projeto possa ser terminado dentro do orçamento aprovado.
  4. 4. Page  4 J F M A M J J A Engenheiros (h) 57 34 56 23 11 12 10 3 Técnicos (h) 23 24 21 26 24 21 26 27 Gerente de Projeto (h) 10 11 13 10 12 12 12 14 Computadores (h) 98 96 78 87 98 98 78 65 Plotters (h) 7 8 6 7 8 9 9 9 Tonner (und) 3 5 4 2 3 4 5 3 Papel (500 fls) 6 7 5 6 8 7 6 7 Serviços de Terceiros ($) 34 32 34 32 34 32 34 32 Necessidades de Recursos Número de horas J F M A M J J A Relação Estimativa de Custos e Planejamento de Recursos Gerenciamento do Custo do Projeto Projeto A Fase A Fase B Fase C Sub. Prod . A Sub. Prod . B WBS Atividades Recursos Humanos:_______________ Materiais: _______________________ Equipamentos: ___________________ Servi ç os contratados: ______________ Atividade x Necessidade de Recursos Recursos Humanos:_______________ Materiais: _______________________ Equipamentos: ___________________ Servi ç os contratados: ______________ Atividade 3 Necessidade de Recursos Recursos Humanos:_______________ Materiais: _______________________ Equipamentos: ___________________ Servi ç os contratados: ______________ Atividade 2 Necessidade de Recursos Recursos Humanos:_______________ Materiais: _______________________ Equipamentos: ___________________ Servi ç os contratados: ______________ Atividade 1 Necessidade de Recursos
  5. 5. Page  5 Conceitos Gerais sobre Custos •GASTO: Qualquer evento econômico ou financeiro que a entidade arca para obtenção de bens ou serviços quaisquer. • DESEMBOLSO: Saída monetária referente a um gasto. •INVESTIMENTO: Gasto relativos a bens ou serviços que proporcionarão benefícios ou expectativa de benefícios futuros, e por isso são “ativados”. •DESPESA: Gasto relativo a bem ou serviço consumido direta ou indiretamente para obtenção de receitas. Podem ser Administrativas, de Vendas ou comerciais e Financeiras. •CUSTO: Gasto relativo a bem ou serviço utilizado na produção de outros bens e serviços •PERDA: Bem ou serviço consumidos de forma anormal e involuntária.
  6. 6. Page  6 • Gasto: - Gasto com compra de Matéria-prima; - Gasto com mão-de-obra; - Gasto com compra de um imobilizado. • Custo: - Matéria-prima; Energia Elétrica; Mão-de-obra. • Despesa: - Comissão do vendedor; - Juros - Salários da administração da empresa. • Investimento: - Gastos com um projeto - Aquisição de móveis, imóveis, - Equipamentos • Desembolso: - Saída de Dinheiro • Perda: - Projetos Fracassados - Perdas com incêndio; quebras, refugos e defeitos Conceitos Gerais sobre Custos Exemplos
  7. 7. Page  7 1. Quanto à Alocação ao Produto 2. Quanto ao Volume Conceitos Gerais sobre Custos Classificação
  8. 8. Page  8 São os custos que podem ser diretamente apropriados aos produtos fabricados. Conceitos Gerais sobre Custos Alocação ao Produto Custos Diretos Ex.: Matéria Prima; Mão-de-obra Direta;
  9. 9. Page  9 Conceitos Gerais sobre Custos Alocação ao Produto São os custos que beneficiam toda a produção Custos Indiretos Ex.: Podem ser todos os custos de produção exceto MP, MOD: Depreciação, Aluguéis, Supervisão, Energia elétrica...
  10. 10. Page  10 São aqueles que independem do volume de atividade do projeto, produção ou vendas. Ex.: Aluguel, supervisão, segurança. Conceitos Gerais sobre Custos Volume Custos e Despesas Fixas
  11. 11. Page  11 São aqueles que são relacionados (variam) diretamente com o volume de produção e vendas. Ex.: Materiais Diretos, MOD, Comissão de Vendedores. Conceitos Gerais sobre Custos Volume Custos e Despesas Variáveis
  12. 12. Page  12 Representa a somatória dos custos Fixos e Variáveis Graficamente, temos o custo total: Custos em R$ Custo Total (Fixo + Variável) Custo Variável Custo Fixo 0 Quantidades Produzidas Conceitos Gerais sobre Custos Volume Custo Total
  13. 13. Page  13 Estimativa dos Recursos e Orçamento Estimativa Top-down Estimativa Bottom-up Estimativa Análoga Detalhada, precisa, demorada Similaridade, comparativa Inicio do Projeto, rápida
  14. 14. Page  14 Orçamento de Custos Reserva de Gerenciamento Linha de Base de Custos Reserva de Contingência Custo do Projeto Conta de Controle Pacote de Trabalho Atividades $1.423 +$68 $1.355 +$105 $1.250 $850 $100 $250 $500 $25 $25 $25 $25 $400 Orçamento de Custos Fonte: PMP® Exam Prep - Rita Malcuhy,PMP – 2005® Alçada da Organização Alçada do GP Orçamentação dos Custos Agregação de Custos
  15. 15. Page  15  São então, levadas para os níveis mais altos de componentes da EAP, como contas de controle, e finalmente para todo o projeto.  As estimativas de custos de cada atividade devem ser agregadas por pacotes de trabalho, de acordo com a EAP Orçamentação dos Custos Agregação de Custos Análise das reservas • A análise das reservas estabelece as reservas, que são provisões para mudanças não planejadas mas potencialmente necessárias. • Essas mudanças podem resultar de riscos identificados no registro de riscos
  16. 16. Page  16  “Known unknowns” – situações que podem ser previstas apenas parcialmente ou para riscos que serão aceitos ativamente. Não se vai acontecer, mas eu conheço. Exemplo: neve no Rio Grande do Sul Pode envolver custos e/ou cronograma Gerenciada dentro da alçada do projeto (não necessita aprovação adicional) É incluída na base de referência do projeto, mas deve ser discriminada como reserva Não deve ser usada para: Alterações no escopo ou na qualidade Estimativas mal feitas, catástrofes ou inflação Orçamentação dos Custos Agregação de Custos Reserva de Contingência
  17. 17. Page  17 “Unknown unknowns” – para situações impossíveis de prever. É desconhecido. Só sei que é risco quando vira um problema. Exemplo: neve em Pernambuco Pode envolver custos e/ou cronograma Gerenciada fora da alçada do projeto (necessita aprovação de um “sponsor” ou da alta gerência) Deve requisitar alteração na base de referência (“baseline”) do projeto Não deve ser usada para: Alterações no escopo ou qualidade Estimativas mal feitas Orçamentação dos Custos Agregação de Custos Reserva de Gerenciamento
  18. 18. Page  18 Continue sem alterações Planeje a recuperação Revise as estimativas Qual é o tamanho do desvio? Está de acordo com os indicadores de qualidade de custos? Perto de zero ou insignificante* Significativo* mas recuperável Grande* * De acordo com os indicadores de qualidade Controlar os custos Controle dos Custos Desvios
  19. 19. Page  19 Continue com as mesmas estimativas para a conclusão Revise as estimativas para a conclusão Qual é a causa do desvio? Atípica (isoladas e não repetitivas - ocorreu somente uma vez) Típica (recorrentes - ocorreu uma vez e vai continuar ocorrendo) Controlar os custos Controle dos Custos Causa do desvio
  20. 20. Page  20 Técnicas de medição do desempenho ajudam a avaliar a magnitude de qualquer desvio que ocorra. Algumas tarefas podem ser medidas, outras não! Controlar os custos Controle dos Custos Análise de medição do desempenho
  21. 21. Page  21 Controlar os custos •Medição real: pode consumir um elevado tipo de recurso (tempo, dinheiro, esforço), ou ser praticamente impossível. •Estimativa do responsável pelo pacote de trabalho (% realizado): confiável? •Por “marco” atingido: progresso definido antecipadamente. •Esforço executado no período e previsão de esforço restante alocada em cada período futuro: nível excessivo de detalhe, a previsão não é confiável (especialmente com uma equipe grande). •Por percentual definido para o início e término: –Regra 0/100 – uma tarefa não ganha créditos pela conclusão parcial, somente pela conclusão total. –Regra 20/80 – uma tarefa é considerada 20% concluída quando começa e obtém os outros 80% somente quando for concluída. –Regra 50/50 – uma tarefa é considerada 50% concluída quando começa e somente recebe os demais 50% quando for concluída. Controle dos Custos Análise de medição do desempenho
  22. 22. Page  22 Estamos no cronograma? Estamos no custo? Quais são os desvios significantes? Por que temos desvios? Quem é o responsável? Qual é a tendência até a data? Quando terminaremos? Quanto custará no final? Como podemos controlar a tendência? Nós analisamos o desempenho passado…… para nos ajudar a controlar o futuro! Gerenciamento do Valor Agregado PASSADO PRESENTE FUTURO Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management
  23. 23. Page  23 Você precisa construir uma estrada de ferro. Seu plano é o seguinte: Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management Orçamento total: $ 60.000; A ser gasto em 6 meses; Você planejou construir um trecho por mês; O custo estimado de cada trecho é de $10.000.
  24. 24. Page  24 Valor Planejado - VP (“Planned Value” - PV ) Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management •Custo planejado para o trabalho planejado, até o momento da medição; • Apenas é alterado quando a base de referência (“baseline”) é alterada. Valor Planejado (VP) no final do 2o. mês O Valor Planejado (VP) é de $20.000, já que inicialmente foi planejado construir 2 trechos da estrada de ferro até o 2o. mês, com o custo de $10.000 cada.
  25. 25. Page  25 Custo Acumulado ($) Planejado: 2 atividades = 20.000 Tempo OBS: No exemplo foram utilizados valores iguais para cada mês e a sua representação gráfica é uma reta. Na maioria dos projetos, isso não acontece e, por isso, a representação gráfica mais comum é a curva S. 20.000 VPi = 10/04 T0 10/06 Ti VP 10/10 Tf Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management Valor Planejado - VP (“Planned Value” - PV )
  26. 26. Page  26 Custo Real - CR (“Actual Cost” - AC) Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management •Custo real do trabalho já realizado, reportado até o momento da medição; •Baseado na conclusão real dos pacotes de trabalho.  Estamos no final do 2o. mês e apenas um trecho da estrada de ferro foi concluído; Você gastou $ 12.000 para construir este único trecho; O Custo Real do período é $ 12.000!
  27. 27. Page  27 VP 20.000 VPi = 10/06 Ti 10/04 T0 10/10 Tf 12.000 CRi = CR Planejado: 2 atividades = 20.000 Executado: 1 atividade = 12.000 Custo Real - CR (“Actual Cost” - AC) Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management Custo Acumulado ($) Tempo
  28. 28. Page  28 Valor Agregado - - VA (“Earned Value” - EV) Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management •Custo planejado para o trabalho realizado, reportado até o momento da medição; •Baseado na conclusão real dos pacotes; •Valores da base de referência (“baseline”) do trabalho reportado. Estamos no final do 2o. mês e apenas um trecho da estrada de ferro foi concluído; O Valor Agregado (“Earned Value”) é de $10.000!
  29. 29. Page  29 VP 20.000 VPi = Tempo 10/06 Ti 10/04 T0 12.000 CRi = CR VA 10.000 VAi = Planejado: 2 atividades = 20.000 Executado: 1 atividade Custo Acumulado ($) 10/10 Tf Valor Agregado - VA (“Earned Value” - EV) Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management
  30. 30. Page  30 É a diferença entre o trabalho realizado e o trabalho programado, expressa em moeda corrente. Fórmula: VPr = VA – VP Variação do Prazo (VPr) - “Schedule Variance” – SV) VPr = VA - VP VPr = $10.000 – $20.000 VPr = - $10.000 (negativo = cronograma atrasado) Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management Tempo 10/06 Ti 10/04 T0 Planejado: 2 atividades = 20,000 Executado: 1 atividade Custo Acumulado ($) 10/10 Tf 20.000 VPi = 12.000 CRi = 10.000 VAi = CR VA VP
  31. 31. Page  31 É a diferença entre o custo orçado e o custo real, do trabalho realizado até o momento da medição. Fórmula: VC = VA - CR Variação dos Custos (VC) - “Cost Variance” – CV Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management Tempo 10/06 Ti 10/04 T0 Planejado: 2 atividades = 20,000 Executado: 1 atividade Custo Acumulado ($) 10/10 Tf 20.000 VPi = 12.000 CRi = 10.000 VAi = VC = VA - CR VC = $10.000 – $12.000 VC = - $2.000 (negativo = custo excedido) CR VA VP
  32. 32. Page  32 Estou (apenas) progredindo a __% da taxa originalmente planejada (100%). Fórmula: VA / VP Índice de Desempenho do Prazo (IDP) - “Schedule Performance Index” – SPI IDP = VA / VP IDP = $10.000 / $20.000 IDP = 0.5 Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management Índice de Desempenho de Custos – IDC Cost Performance Index” – CPI Estou agregando ao projeto (apenas) 83 centavos (ou 83%) de cada $1 gasto Fórmula: VA / CR IDC = VA / CR IDC = $10.000/$12.000 IDC = 0.833
  33. 33. Page  33 1.0 .9 1.1 1.2 .8 Índice de Desempenho de Custos (IDC)= VA /CR Índice de Desempenho de Prazos (IDP)= VA / VP IDC IDP TEMPO Índices de Desempenho .95 1.05 Limite Superior de Controle Limite Inferior de Controle Tendência a estouro do orçamento!!! Tendência a atraso no cronograma!!! Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management
  34. 34. Page  34 Orçamento no Término (ONT) Orçamento na Conclusão (ONC) “Budget at Completion (BAC)” - Valor Total do Trabalho Somatório de todo o VP = ONT $ $ $ $ $ $ $60.000 10/10 Tf Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management Tempo Custo Acumulado ($) $ $ $ $
  35. 35. Page  35 Previsão mais provável do custo total do projeto baseada no desempenho e na quantificação dos riscos. Estimativa no Término (ENT) - ENC - Estimativa na Conclusão (ou “Estimate at Completion” – EAC Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management Em caso de mudanças, estimativas originais não são mais válidas, pois houve uma mudança (ex: mudança na equipe do projeto, alta do dólar) •Custo Real até o momento mais (+) a nova estimativa para todo o resto do trabalho (EPT - Estimativa para Término); •Fórmula: ENT = CR + EPT ENT = CR + EPT ENT = 12.000 + ? ENT = ?
  36. 36. Page  36 Desvios isolados e não repetitivos Desvios atuais não devem se repetir no futuro pois houve um problema atípico. Exemplo: Problemas de saúde com um recurso crítico ou greve; Custo Real até o momento mais o orçamento restante; Fórmula: ENT= CR + ONT - VA ENT = CR + (ONT – VA) ENT = 12.000 + (60.000 – 10.000) ENT = 62.000 EPT Estimativa no Término (ENT) - ENC - Estimativa na Conclusão (ou “Estimate at Completion” – EAC Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management
  37. 37. Page  37 Problemas recorrentes (custo) Desvios atuais devem se repetir no futuro pois houve um problema que vai continuar acontecendo. Exemplo: Custo de um material foi mal estimado; Custo Real até o momento mais o restante do orçamento do projeto, modificado pelo atual índice atual de desempenho de custos; Fórmula: ENT = CR +(ONT – VA) / IDC ENT = CR + (ONT – VA) / IDC ENT = 12.000 + (60.000 – 10.000) / 0.8333 ENT = 72.000 Estimativa no Término (ENT) EPT Estimativa no Término (ENT) - ENC - Estimativa na Conclusão (ou “Estimate at Completion” – EAC Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management
  38. 38. Page  38 Problemas recorrentes (custo e produtividade) Desvios atuais devem se repetir no futuro pois houve um problema que vai continuar acontecendo. Exemplo: Custo de uma material e a produtividade de um recurso foram mal estimados; Custo Real até o momento mais o restante do orçamento do projeto, modificado pelos atuais índices de desempenho de custos e de prazo; Fórmula: ENT = CR +((ONT – VA) / (IDC* IDP)) ENT = CR +( (ONT – VA) / (IDC*IDP)) ENT = 12.000 +((60.000 – 10.000) / (0.83*0,5)) ENT = 132.000 EPT Estimativa no Término (ENT) - ENC - Estimativa na Conclusão (ou “Estimate at Completion” – EAC Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management
  39. 39. Page  39 Projeção calculada do índice de desempenho de custos, a ser alcançado pelo restante do projeto, de forma que o ONT seja atingido.  Fórmula: IDPT= (ONT-VA) / (ONT – CR) IDPT= (ONT-VA) / (ONT – CR) IDPT = (60.000 – 10.000) / (60.000 – 12.000) IDPT = 1,04 Índice de Desempenho para Término (IDPT) - To-Complete Performance Index (TCPI) Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management Se o orçamento no término for corrigido pelo cálculo da estimativa no término (lembrando que o novo valor precisa ser aprovado), a fórmula passa a ser: IDPT = ( ENT – VA ) / ( ENT – CR ) Se IDPT < 0, o projeto gastou mais do que o orçado, e é necessário entender as causas, e corrigir para não estourar o prazo Se IDPT = 0, então o escopo foi atingido dentro do orçamento Se IDPT > 0, o projeto gastou menos do que o orçado, e se continuar desta forma, o projeto será finalizado com saldo positivo.
  40. 40. Page  40 Quanto será necessário para concluir o trabalho? Fórmula: EPT = ENT - CR EPT = ENT – CR* EPT = 72.000 – 12.000 EPT = 60.000 Estimativa para Término (EPT) - Estimate to Completion” – ETC Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management * No caso de desvios repetitivos
  41. 41. Page  41 Quanto tempo será necessário para concluir o trabalho? Fórmula: ETT = Tempo planejado inicialmente / IDP ETT = Tempo planejado / IDP ETT = 6 meses / 0,5 ETT = 12 meses Estimativa de Tempo no Término (ETT) - Time at Completion – TAC Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management
  42. 42. Page  42 Para mais ou para menos, quanto é a diferença do custo final do projeto? Fórmula: VNT = ONT – ENT Variação no Término (VNT) - Desvio no Término (DNT) ou “Variance at Completion “ (VAC) VNT = ONT - ENT VNT = 60.000 – 72.000 VNT = -12.000 Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management
  43. 43. Page  43 Análise de Causas das Variações 1. Variações de custo unitário Desvio entre o custo unitário estabelecido e o custo unitário realizado. 2. Variações de quantidades É a relação entre a quantidade de recursos estabelecida e aquela efetivamente utilizada. 3. Variação mista Neste caso ocorre o efeito das variações de custo unitário e de quantidades e seu isolamento, simultaneamente. Deve ser realizado, dado sua importância nas análises.
  44. 44. Page  44 R$ 18,00 R$ 30,00 R$ 48,00 Custo total R$ 1,00 R$ 3,00 R$ 4,00 Custo Unitário 2 Kg 10 Kg 12 Kg Quantidade Variações Planejado Real Variação de preço e quantidade Variação de quantidade (12 - 10) x R$ 3,00 = R$ 6,00 12 Variação de Custo unitário (R$ 4,00 - R$ 3,00) x 10 Kg = R$ 10,00 4,00 (12 - 10) x (R$ 4,00 - R$ 3,00) = R$ 2,00 Variação Mista Valor Planejado: 10 kg x R$ 3,00 = R$ 30,00 0 3,00 Kg R$ 10
  45. 45. Page  45 TERMO DESCRIÇÃO INTERPRETAÇÃO VP Valor Planejado – Planned Value Quanto trabalho DEVE ser feito. EV Valor Agregado – Earned Value Quanto foi ORÇADO pelo trabalho realizado. AC Custo Realizado – Actual Cost Quanto CUSTOU o trabalho realizado ONT Orçamento no Término Quanto ORÇAMOS pelo TRABALHO TOTAL ENT Estimativa no Término Com base no que já foi feito, quanto ESTIMAMOS GASTAR ao final do trabalho total EPT Estimativa para Término Daqui para frente, quanto ESPERAMOS GASTAR para CONCLUIR o trabalho VNT Variação ao término Quanto, ACIMA ou ABAIXO do ORÇADO, ficaremos ao final dos trabalhos Gerenciamento do Valor Agregado Earned Value Management Fórmulas - Resumo

×