Your SlideShare is downloading. ×
Presentation C3sl 2010
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Presentation C3sl 2010

121
views

Published on

Presentation in MLHIM Seminar of Center for Scientific Computing and Free Software - C3sl - at the Federal University of Paraná in 2010. …

Presentation in MLHIM Seminar of Center for Scientific Computing and Free Software - C3sl - at the Federal University of Paraná in 2010.
See: http://www.mlhim.org http://gplus.to/MLHIM and http://gplus.to/MLHIMComm for more information about semantic interoperability in healthcare.

#mlhim #semantic_interoperability #health_informatics

Published in: Technology

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
121
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Modelagem do Conhecimento em Arquétipos /CCDs para Sistemas de Informação em Saúde Laboratório Associado INCT-MACC “Multilevel Healthcare Information Modeling UFF/UERJ
  • 2. Modelagem multinível de sistemas deinformação em saúde Laboratório Associado INCT-MACC “Multilevel Healthcare Information Modeling UFF/UERJ
  • 3. Sumário• Informação em Saúde: Conceitos Gerais• Fundamentos da Modelagem Multinível de SI• As especificações openEHR/MLHIM: Visão Geral• O Modelo de Referência openEHR/MLHIM• O Modelo de Informação openEHR/MLHIM: Arquétipos/CCDs• Hands-On
  • 4. A Informação em Saúde é Complexa... ...porque o sistema de saúde é um sistema complexo e dinâmico: • Complexidade: o sistema gera um grande número de variáveis que apresentam complexas interdependências, sendo a principal a... ...dependência espaço-temporal: a informação a ser armazenada varia no tempo e no espaço • Dinâmica: ▫ A associação entre as variáveis é “variável” ▫ A variação temporal é rápida e a variação espacial é próxima
  • 5. As Políticas de Saúde também são Complexas • O estabelecimento de consensos em relação a um determinado conceito em saúde é difícil: ▫ Competição entre “escolas médicas” ▫ Multiprofissionalismo e não transdisciplinaridade • As redes de atenção são hierárquicas, com múltiplas portas de entrada e sem um mecanismo funcional de referência e contra-referência
  • 6. Desafios do Sistema x Promessas da Informatização•  % de eventos adversos advindos de erros terapêuticos (interações, duplicações, indicações erradas)•  Tempo de busca por informações críticas•  % de pacientes “perdendo tempo” no sistema em função da falta de referência e contra-referência•  Duplicação de investigações, testes e procedimentos•  Capacidade de prevenção e detecção precoce•  Capacidade de tomada de decisões não-pontuais•  Adesão a protocolos terapêuticos•  Efetividade dos programas orientados a uma doença específica•  Taxa de hospitalização e de reinternações evitáveis
  • 7. Outras Questões Importantes• Coerência semântica: manutenção do significado (contexto) da informação registrada dentro da base de dados• Interoperabilidade: capacidade de enviar a informação de um lugar (sistema) para outro, mantendo a informação inteligível em ambos os lugares (sistemas)• Persistência: a informação deve ser armazenada de forma perpétua no sistema do modo que foi registrada originalmente
  • 8. Onde Está o Contexto?
  • 9. Aqui Está o Contexto!
  • 10. Interoperabilidade
  • 11. Interoperabilidade!
  • 12. Interoperabilidade?
  • 13. Modelagem Tradicional
  • 14. Problemas do Modelo de Um Nível A informação é modelada de uma forma que “serve” às necessidades atuais do sistema de saúde A adição de novos conceitos implica em refazer o sistema todo (remodelagem, reimplementação, reteste, redistribuição) Alto custo, lentidão na integração dos novos conhecimentos aos SIS etc.
  • 15. Modelagem Multinível
  • 16. Por que Adotar Padrões para os SIS?• Condição essencial para a efetiva implementação de um sistema de saúde único e universal, como o SUS• Uniformização de “regras, protocolos, processos” e “atividades”, “para o benefício de todos” (ISO)• Democratização dos processos de gestão do sistema• Aprimoramento dos processos de controle e avaliação
  • 17. Padrões e Especificações para os SIS Nome O que é Implementado Aberto ISO/CEN Padrão Sim Não HL7 Especificação e Sim Não “Padrão” openEHR Especificação e Sim “Sim” “Padrão” MLHIM Especificação e Sim Sim “Padrão”
  • 18. x T ICD es E DC p OM WHO a ty SN Dat IHTSDO ISO PMAC EN13606- EN1 ASTM CCR Documents Content models Security Terminology EN 3606 Services 1 E 36 C N1 A 0 36 -3 4 RB 6-2 Q 06 PD -1 s geIHE PIX s CEN sa RID age v2 ss es m e m v3 XD HL7 S HI HSSP SA W CCO CD A s te pla m Te Fonte: Thomas Beale, EFMI
  • 19. As Especificações openEHR/MLHIM• Modelo multinível (ou dual): desenvolvimento do software e modelagem do conhecimento são separados• O modelo de referência é implementado em software• O conhecimento é modelado em “arquétipos” (openEHR), ou “Definições de Restrições para os Conceitos” (Concept Constraint Definitions – CCD) (MLHIM)
  • 20. Modelo dual openEHR/MLHIM
  • 21. Modelo de Referência openEHR/MLHIM• Definição das classes entendidas como “blocos genéricos” de construção de um SIS: ▫ Representação das características genéricas dos componentes necessários em um SIS, e de como eles se agregam• Separa o conteúdo clínico do demográfico• Especifica os elementos necessários a serem seguidos na implementação em função dos princípios éticos e legais próprios da área da saúde
  • 22. Modelo de Referência Clínico
  • 23. Estrutura de alto nível do MR Composition
  • 24. Estrutura de uma Composição
  • 25. Pacote text A classe CODE_PHRASE permite a codificação de informações utilizando uma dada terminologia A classe TERM_MAPPING permite o mapeamento entre terminologias
  • 26. Pacote quantity Ordered DATA_VALUE INTERVAL<T> (rm.support.assumed) (rm.data_types.basic) (rm.support.assumed)
  • 27. Pacote Entry
  • 28. Pacote Item Structure
  • 29. Cluster e ElementObserve que um cluster pode ser composto de elementos e outros clusters. Isto fornecea flexibilidade para se estruturar as informações do modo mais desejável.Todo valor de um dado será armazenado no atributo “value” da classe “ELEMENT”, quepode ser qualquer um dos tipos permitidos de “DATA_VALUE” do Modelo de Referência.
  • 30. Exemplo de uma estrutura tabular
  • 31. Exemplo de uma estrutura com umúnico elemento
  • 32. Exemplo de uma estrutura em forma delista de elementos
  • 33. Exemplo de uma estrutura em formade árvore
  • 34. Arquétipo openEHR• É a arquitetura adotada nas especificações para a modelagem do conhecimento• É a definição das “combinações de” + “restrições a” classes existentes do MR que são necessárias para expressar um conceito específico em saúde• Contém todo o contexto semântico do conceito que modela• Para garantir interoperabilidade, os arquétipos devem ser: ▫ Elaborados por uma comunidade aberta ▫ Mantidos em um repositório público que permita reutilização
  • 35. Arquétipos
  • 36. Propósito dos arquétipos▫ Permitir que especialistas tomem para si a responsabilidade de modelar o conhecimento que dominam para os SIS▫ Permitir interoperabilidade no segundo nível do sistema (o do conhecimento), desde que os sistemas sejam baseados no mesmo modelo de referência e usem os mesmos arquétipos para um determinado conceito clínico
  • 37. Arquétipos e Templates Diabetic checkup Archetypes Antenatal visitTingling feet FH Back painFeeling tired Weight 66 kg76 kg BP 102/64 mmHg124/92 142/min HbA1c7.5% NAD, see 4/52 IssuesExcellent control Assess Template Template
  • 38. FORMS
  • 39. Clinical Knowledgment Management (CKM) www.openehr.org/knowledge
  • 40. Um exemplo simples: Fonte: Qamar e Rector, 2007Um arquétipo desenvolvido em uma comunidade aberta, e colocado num repositório deacesso livre para validação pela comunidade teria muito menor probabilidade de ter umerro de ortografia como esse
  • 41. Síntese:• A modelagem tradicional de sistemas de informação, na qual o conhecimento do domínio é implementado em software, é ineficiente para realidades complexas e dinâmicas como a do sistema de saúde• Os problemas advindos do uso desta modelagem nos SIS mundiais tem estimulado iniciativas de padronização• A adoção de terminologias é um elemento importante, mas não resolve os problemas da área se os sistemas continuarem sendo implementados em um só nível
  • 42. Síntese:• Na modelagem multinível, cada especialista é responsável pela sua “especialidade”: ▫ O cientista da computação implementa o modelo de referência ▫ O profissional de saúde modela o conhecimento• A camada de software + DB é separada da camada de conhecimento• Não confundir com “three tier”, que tradicionalmente mantém a camada de conhecimento implementada em software e somente separa BI e GUI
  • 43. Perguntas?http://www.mlhim.orglutricav@vm.uff.br