Your SlideShare is downloading. ×
Seminário prof. dra. daniela barros
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Seminário prof. dra. daniela barros

3,542
views

Published on

Published in: Education

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
3,542
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
151
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • Phineas Gage (1819-1861) foi um operário americano que, num acidente com explosivos, teve seu cérebro perfurado por uma barra de metal, sobrevivendo apesar da gravidade do acidente. Após o ocorrido, Phineas, que aparentemente não tinha sequelas, apresentou uma mudança acentuada de comportamento, sendo objeto para estudos de caso muito conhecidos entre neurocientistas. O caso de Gage é considerado como uma das primeiras evidências científicas que indicavam que a lesão nos lóbulos frontais pode alterar a personalidade, emoções e a interação social.
  • Transcript

    • 1. Universidade Federal do Rio Grande Instituto de Ciências Biológicas Laboratório de Neurociências Daniela Martí Barros [email_address] Neurociências e Aprendizagem
    • 2.
      • Na sociedade pós-moderna:
      • Busca por conexões,
      • Rompimento de fronteiras e hierarquias,
      • Fusões de áreas,
      • Interações e convergências entre áreas antes independentes.
      SABERES E A SOCIEDADE EDUCAÇÃO PSICOLOGIA NEUROCIÊNCIAS I Seminário Nacional de Neurociências Aplicadas à Educação – Outubro 2010- Alfred Sholl
    • 3. SURGE UM NOVO CAMPO DE ESTUDO: NEUROEDUCAÇÃO EDUCAÇÃO PSICOLOGIA NEUROCIÊNCIAS NEUROEDUCAÇÃO
      • Campo emergente,
      • Alvo de apropriações indevidas, quando não oportunistas.
      I Seminário Nacional de Neurociências Aplicadas à Educação – Outubro 2010- Alfred Sholl
    • 4.  
    • 5.
      • Pode ser considerado como a habilidade para dirigir pensamentos e ações de acordo com as nossas intenções internas
      • Encontra-se no cerne da mais elevadas faculdades mentais que nos tornam humanos, tais como planejamento, resolução de problemas e linguagem (Cohen et al 2000)
      • Permite a seleção de ações consistentes com os nossos objetivos e com o contexto (Brade 2008)
      • Córtex Pré-Frontal: componente central na rede cerebral que sustenta o controle cognitivo
      • (Brade 2008)
    • 6. Córtex Pré-Frontal www.google .images
    • 7.
      • Processos mentais envolvidos na aquisição de conhecimento e compreensão , incluindo pensamento, conhecimento, lembrança, julgamento e resolução de problemas.
            • São funções de elevada complexidade abrangendo a linguagem, imaginação, percepção e planejamento.
      COGNIÇÃO EXECUÇÃO MOTORA MEMÓRIA
      • PERCEPÇÃO
      • Visual
      • espacial
      • auditiva
      DISCRIMINAÇÃO ATENÇÃO APRENDIZAGEM CONCENTRAÇÃO CONTROLE COMPORTAMENTAL RACIOCINIO LÓGICO PLANEJAMENTO COMPORTAMENTAL CÁLCULO LEITURA ESCRITA LINGUAGEM DISFUNÇÃO COGNITIVA
    • 8. Professor como alguém que interage ensinar aprender
    • 9.  
    • 10.  
    • 11. A vida por um fio e por inteiro – Elias Knobel Lisa Sanders
    • 12. EDUCAÇÃO E SOCIEDADE
      • A Educação é uma atividade social no qual o conhecimento tem um papel central.
      Felipe de Matos Müller
    • 13. EDUCAÇÃO E CONHECIMENTO
      • “ A ciência visa ao conhecimento que é novo para a humanidade, a educação visa ao conhecimento que é novo para o estudante individualmente”. (GOLDMAN, 1999, p. 349)
    • 14. ORIENTADOS PARA A VERDADE
      • INTERESSE PELA VERDADE
        • Prática de questionar
      • Busca pela verdade
        • Curiosidade
        • Vantagens práticas
      Felipe de Matos Müller
    • 15. A BUSCA DA VERDADE
      • Disponibilidade de informações e conhecimentos
        • Como distinguir a informação verdadeira da falsa?
        • Como distinguir as informações relevantes das irrelevantes?
      Felipe de Matos Müller
    • 16. CONHECIMENTO
      • Há uma força cultural que nos impele a assumir o objetivo prioritário de ter conhecimento.
      • “ Todos os homens têm por natureza o desejo de conhecer” ( Aristóteles 384-322 a.C .)
      Felipe de Matos Müller
    • 17.
      • Nosso meio-ambiente imediato :
        • “ Há uma mesa aqui.”
      • Nossos próprios pensamentos e sentimentos :
        • “ Estou animado com o novo semestre.”
      • Estados mentais dos outros :
        • “ Aquela pessoa ali que está rindo muito achou a piada que ela recém ouviu engraçada.”
      • O passado :
        • “ Em 1791 a Assembléia Constituinte Francesa cria as patentes de invenções”.
      • Matemática :
        • “ 2 + 2 = 4”
      • Fatos científicos :
        • “ A terra gira em torno do sol.”
      O QUE CONHECEMOS ?
    • 18. Felipe de Matos Müller
    • 19. PERCEPTO Mundo Cérebro Percepção é o processo por meio do qual nós representamos os objetos do mundo tão fielmente quanto possível. OBJETO
    • 20.  
    • 21.  
    • 22.  
    • 23.  
    • 24.  
    • 25.  
    • 26.  
    • 27. PERCEPTO Mundo Cérebro OBJETO
    • 28. PERCEPTO Mundo Cérebro OBJETO
    • 29. PERCEPTO Mundo Cérebro OBJETO 
    • 30. Percepção Processo de inferência da mais provável situação ambiental, dado um padrão de estimulação sensorial. Helmholtz (1867)
    • 31. INTROSPECÇÃO
      • Para conhecer algo sobre nossos próprios estados mentais .
        • Estar imaginando ou pensando sobre algo.
    • 32. RACIOCÍNIO
      • Para conhecer fatos que são sustentados por outros fatos.
        • Os fatos científicos .
    • 33. TESTEMUNHO
      • com base no que leu em um
        • mapa
        • jornal
        • livro
        • revista
      • com base no que ouviu de
        • seus pais
        • um amigo
        • seu professor
        • outros
      • seja diretamente ou por meio de
        • telefone
        • TV
        • rádio
        • internet
    • 34. NEUROCIÊNCIA
      • Processos cognitivos confiáveis
        • Percepção
        • Memória
      • Explicação
        • Raciocínio
        • Empatia (Testemunho)
      • Desafio
        • Introspecção x resultados científicos
      Felipe de Matos Müller
    • 35.
      • Confiabilidade
        • Processo cognitivos
      • Confiança
        • Relações
      Felipe de Matos Müller
    • 36. EXPLICAÇÕES E MODELOS CIENTÍFICOS Felipe de Matos Müller
    • 37. MEMÓRIA
      • Para conhecer algo sobre o passado .
        • Choveu ontem à tarde.
      Felipe de Matos Müller
    • 38. Classificação das Memórias STM e LTM Declarativas/Explícitas lobo temporal medial, córtex parietal, córtex cingulado semânticas e episódicas Procedurais/Implícitas estriado e cerebelo hábitos
    • 39. O que é a Memória?
      • Memória é a aquisição, consolidação e evocação de informações.
      AQUISIÇÃO CONSOLIDAÇÃO EVOCAÇÃO RETENÇÃO tempo
    • 40. tempo MEMÓRIA DE CURTA E DE LONGA DURAÇÃO AQUISIÇÃO MT CONSOLIDAÇÃO LTM STM RETENÇÃO LTM EVOCAÇÃO LTM MT
    • 41. Memória de trabalho
      • É uma forma de memória online.
      • Sua função é a de manter a informação ativa no cérebro apenas pelo tempo necessário para determinar se deve ou não ser armazenada.
      • Dura de segundos a poucos minutos.
      • Baseia-se na atividade elétrica de neurônios do córtex pré-frontal.
      m ecsrv70.mec.gov.br
    • 42. Racionalizando as funções da Memória de Trabalho
      • É saturável.
      • Aprender a dizer NÃO ao excesso de exigências.
      • Há prioridades na vida – a SOBREVIVÊNCIA é sempre a maior.
      umolhardiferente-to.webs.com
      • Memórias acessórias
      • Agendas, computadores, livros...
    • 43. Hipocampo
      • Estrutura central na formação das mem órias declarativas
      GD CA3 S CA1 ENTO
    • 44. Bibliioteca Médica da Harvard Medical School Phineas Gage (1819-1861)
    • 45. Paciente H. M.
      • Portador de epilepsia grave desde criança
      • Remoção cirúrgica bilateral no setor medial do lobo temporal em 1953 (confirmada RM em 1997)
      • Melhora do quadro epiléptico; perda de memória
      • Amnésia anterógrada total e retrógrada parcial
      • As regiões mediais do lobo temporal participam do processo de consolidação da memória explícita
      Brenda Milner
    • 46. O que é a Memória?
      • Biologicamente, a memória consiste na estabilização de sinapses ativadas por um determinado estímulo, formando uma rede que pode ser posteriormente reativada.
    • 47. Plasticidade Neuronal
    • 48. Ato pedagógico Mudanças estruturais nos neurônios
    • 49.
      • Mudanças dos neurônios  rápidas e fáceis, lentas e profundas,
      • permanentes e modificáveis
      • Modificações possíveis em um neurônio:
          • Nascimento ou remoção de dendritos
          • Esticamento ou encolhimento de alguns dendritos
          • Criação de novas sinapses ou alterações
          • Remoção das sinapses
          • Morte e regeneração de neurônios
      • A plasticidade sináptica é o mecanismo mais importante para as redes neurais, sejam elas biológicas ou artificiais.
      Plasticidade dos neurônios
    • 50.
      • Pensamento holístico
      • Intuição
      • Criatividade
      • Arte e Música
      • Pensamento analítico
      • Lógica
      • Linguagem
      • Ciência e Matemática
      http://www.ideachampions.com/weblogs/archives/2008/07/ Esquerdo Direito
    • 51. Em resumo:
      • ↑ Resposta pós sináptica gerada pode ser o resultado da ação final de vários compartimentos:
      • 1. Modificações Pré Sinápticas  quantidade de
      • L-glutamato liberado por impulso
      • 2. Modificações Pós Sinápticas  ↑ dos receptores
      • ou alterações em suas propriedades funcionais
      • 3. Alterações Extra Sinápticas  ↓ recuperação de
      • L-glutamato pelas cel. gliais, ↑ a disponibilidade de NT
      • 4. Alterações Morfológicas
    • 52. Deu branco...
    • 53. Modulação das memórias: Influência do nível de alerta, do nível de ansiedade e do estado de ânimo
      • estados de ânimo, emoções, nível de alerta, ansiedade e estresse modulam fortemente as memórias.
      • O núcleo chave da modulação da aquisição e fases iniciais da consolidação é núcleo basolateral da amígdala.
      • A amígdala responde a numerosos estímulos periféricos – sensoriais, hormonais e vegetativos.
      Amígdala Lobo Temporal Hipocampo
    • 54. Estresse “bom” e Estresse “ruim”
      • Liberação moderada de hormônios do estresse (adrenalina, corticóides) minutos após a aquisição pode facilitar a LTM.
      • A exposição excessiva aos hormônios do estresse pode levar a amnésia.
      extraído, enquanto disponível, de: http://connection.lww.com/Products/braun-carie/documents/PDF/90309%20ch11.pdf
    • 55. Sistema Límbico Regiões corticais e subcorticais Aferências sensoriais CIRCUITO BÁSICO DAS EMOÇÕES Hipotálamo Giro do Cíngulo HIPOCAMPO Tálamo Anterior Neocórtex Riqueza Emocional Experiência Emocional Expressão visceral da emoção
    • 56. Memória e emoções
      • Toda a memória é adquirida num certo estado emocional.
      • Cada estado emocional se acompanha de uma gama de fenômenos hormonais e neuro-humorais.
      • Gravamos melhor, e temos menor tendência a esquecer, as memórias de alto conteúdo emocional – biologicamente ativas .
      http://20anosdesolidao.blogspot.com
    • 57. Circuito de recompensa cerebral Prazer = Recompensa Motiva a repetição do ato que causa o prazer
    • 58. Área tegmentar Ventral (PAG) N. acumbens Córtex pré-frontal DA DA Locais onde o rato realiza auto-estimulaçao
    • 59. Perguntas frequentes...
    • 60. Como exercitar a memória?
    • 61.
      • A repetição de uma determinada combinação de estímulos que produz uma memória leva a uma melhora desta (Pavlov)
      • Leitura - requer a utilização de várias regiões corticais (córtex visual, motor, áreas corticais vinculadas à linguagem).
      • Pratica de exercício físico
      Exercitando a memória
    • 62.
      • Estudar para quê?
      • ... a incidência e a gravidade da principal doença da memória – Mal de Alzheimer , são menores em pessoas instruídas.
      • Déficit de memória entre 50 e 60 – BENIGNO. Atinge em torno de 22% da população com 75 anos.
      Exercitando a memória
    • 63. Faz sentido o processo educacional baseado no “decoreba”?
    • 64.  
    • 65. Esquiva Inibitória
      • TREINO (APRENDER): choque ao descer da plataforma
      • TESTE (EVOCAR): descer da plataforma sem receber o choque
      • MEMÓRIA = diferença de tempo de descida entre treino e teste.
    • 66.