SERVIÇO PÚBLICO
FEDERAL
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG
FACULDADE...
• Fase Ictérica
o Diminuição dos sintomas prodrômicos
o Hepatomegalia dolorosa
o ↑ bilirrubinas totais (direta) 20 a 25 X
...
o Aspiração cuidadosa
o Limpeza imediata do RN
o Orientação para Vacinação
Hepatite B
Não existe comprovação de prejuízo d...
• Pré-natal
o Ao ambulatório de alto risco
o Solicitar função hepática (TGo, TGP, Gama GT, Fosfatase
alcalina, bilirrubina...
o Não há restrição dietética, mas deve ser abolida a bebida
alcoólica
o Retorno mensal até 32 semanas, após quinzenal até ...
o Não há restrição dietética, mas deve ser abolida a bebida
alcoólica
o Retorno mensal até 32 semanas, após quinzenal até ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Protocolo de hepatite

1,892 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,892
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Protocolo de hepatite

  1. 1. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG FACULDADE DE MEDICINA COORDENAÇÃO DO CURSO DE MEDICINA Rua Gen. Osório, s/ n.° – Área Acadêmica do Campus da Saúde – Rio Grande- RS – CEP 96201-900 Fone: (53) 3233.8842 - Fax: (53) 3233.8892 - E -mail: medicina@furg.br FURG PROTOCOLOS DE ASSISTÊNCIA A GESTANTE A SEREM IMPLANTADOS NO HU/FURG E SMS Manejo dos quadros infecciosos Protocolo de Hepatites As hepatites virais são doenças provocadas por diferentes agentes etiológicos, com tropismo primário pelo fígado, que apresentam características epidemiológicas, clínicas e laboratoriais distintas. Características dos vírus Agente etiológico Modo de transmissão Período de incubação Período de transmissão HAV Fecal-oral, vertical (rara) 15-45 dias (média de 30 dias) Desde duas semanas antes do início dos sintomas até o final da segunda semana da doença HBV Sexual, parenteral, percutânea, vertical 30-180 dias (média de 60 a 90 dias) Duas a três semanas antes dos primeiros sintomas, se mantendo durante a evolução clínica da doença. O portador crônico pode transmitir o HBV durante anos HCV Sexual, parenteral, percutânea, vertical 15-150 dias Uma semana antes do início dos sintomas e mantém-se enquanto o paciente apresentar HCV-RNA detectável Quadro clínico: • Fase aguda o Período prodrômico - anorexia, náuseas, vômitos, diarréia (ou raramente constipação), febre baixa, cefaléia, malestar, astenia e fadiga, aversão ao paladar e/ou olfato, mialgia, fotofobia, desconforto no hipocôndrio direito, urticária, artralgia ou artrite e exantema papular ou maculopapular
  2. 2. • Fase Ictérica o Diminuição dos sintomas prodrômicos o Hepatomegalia dolorosa o ↑ bilirrubinas totais (direta) 20 a 25 X o TGO e TGP 10 a 100 X o Fosfatase alcalia e Gama GT normais ou discretamente elevadas • Fase de Convalescença - período que se segue ao desaparecimento da icterícia, quando retorna progressivamente a sensação de bem-estar, mas a fraqueza e o cansaço podem persistir por vários meses o Recuperação em até 6 semanas • Hepatite fulminate o Alteração dos fatores de coagulação e encefalopatias no período de até 8 semanas após o inicio da ictericia o Mortalidade de 40 a 80% Hepatite A A doença aguda durante a gestação tem maior probabilidade de acometimento hepático grave. Quanto a transmissão vertical deste vírus, acredita-se que o seu curto período de viremia e os cuidados durante o parto (evitando o contato do feto com fezes maternas), explique a raridade desta forma de transmissão do HVA. • Diagnóstico o Solicitar Anti-HVA • Pré-natal o Ao ambulatório de alto risco o Solicitar função hepática (TGo, TGP, Gama GT, Fosfatase alcalina, bilirrubina, proteínas totais e frações) o Não há restrição dietética, mas deve ser abolida a bebida alcoólica o Retorno mensal até 32 semanas, após quinzenal até 36 semanas e semanais até o parto o Avaliar bem estar fetal com cardiotocografia o Convocar família (parceiro e filhos) para pesquisa sorológica e vacina • Parto o Evitar contato do feto com as fezes maternas. Se a paciente evacuar durante o parto, proteger o períneo com compressas embebidas em PVPI o Se houver episiotomia protege-la com compressas embebidas em PVPI • Cuidados com recém-nascido
  3. 3. o Aspiração cuidadosa o Limpeza imediata do RN o Orientação para Vacinação Hepatite B Não existe comprovação de prejuízo da história natural da hepatite B no período gestacional. Quanto ao prognóstico fetal na hepatite B esta relacionado com o comprometimento materno. Na forma aguda de acometimento moderado ou grave pode ocorrer aumento de trabalho de parto pré-termo, prematuridade e restrição de crescimento intra-uterino. Na forma crônica do VHB sem repercussão sistêmica grave, o prognóstico gestacional não é comprometido. • Diagnóstico No pré-natal da alto risco o Solicitar perfil sorológico Sorologia Inf. Aguda Inf. crônica Inf. passada HBsAG + + - Anti-HBS - - + Anti-HBC IgG IgM - + + - + - HBeAG + +/- - Anti-HBe - +/- + 1ª Consulta HBsAG Não reativo Vacinar Após 1ºtrim Reagente Ao pré-natal de alto risco 3º trimestre (28 sem) HBsAG
  4. 4. • Pré-natal o Ao ambulatório de alto risco o Solicitar função hepática (TGo, TGP, Gama GT, Fosfatase alcalina, bilirrubina, proteínas totais e frações) o Não há restrição dietética, mas deve ser abolida a bebida alcoólica o Retorno mensal até 32 semanas, após quinzenal até 36 semanas e semanais até o parto o Avaliar bem estar fetal com cardiotocografia o Evitar condutas invasivas o Convocar família (parceiro e filhos) para pesquisa sorológica e vacina • Parto o Via de parto obstétrica o Clampiamento imediato do cordão o Se houver episiotomia proteger com compressa • Cuidados com recém-nascido o Aspiração cuidadosa o Limpeza imediata do RN o Solicitar todos os marcadores o Vacina e imunoglobulina (0,06 ml/Kg) até 12 horas após o parto - Eficácia de 90% a 95% o O uso isolado da Vacina até 12 horas após o parto - Eficácia de 70% a 85% (depende do HBeAG) o A amamentação não é contra-indicada Hepatite C A transmissão vertical da Hepatite C situa-se em torno de 3 a 6%. No entanto a infecção pelo vírus HIV aumenta a TV do HCV, podendo chegar a 36%. O prognóstico perinatal relaciona-se com o grau de acometimento materno podendo ocorrer aumento de trabalho de parto pré-termo, prematuridade e restrição de crescimento intra-uterino. • Diagnóstico o Solicitar Anti-HCV – lembrar que a presença do anticorpo não indica que a gestante é portadora do vírus. • Pré-natal o Ao ambulatório de alto risco o Solicitar carga viral para hepatite C (PCR quantitativo) o Solicitar função hepática (TGo, TGP, Gama GT, Fosfatase alcalina, bilirrubina, proteínas totais e frações)
  5. 5. o Não há restrição dietética, mas deve ser abolida a bebida alcoólica o Retorno mensal até 32 semanas, após quinzenal até 36 semanas e semanais até o parto o Avaliar bem estar fetal com cardiotocografia o Evitar condutas invasivas o Convocar família (parceiro e filhos) para pesquisa sorológica • Parto o Via de parto obstétrica o Clampiamento imediato do cordão o Se houver episiotomia proteger com compressa • Cuidados com recém-nascido o Aspiração cuidadosa o Limpeza imediata do RN o Solicitar todos os marcadores o A amamentação não é contra-indicada – a não ser que tenha fissuras mamilares com risco de sangramento na mamada.
  6. 6. o Não há restrição dietética, mas deve ser abolida a bebida alcoólica o Retorno mensal até 32 semanas, após quinzenal até 36 semanas e semanais até o parto o Avaliar bem estar fetal com cardiotocografia o Evitar condutas invasivas o Convocar família (parceiro e filhos) para pesquisa sorológica • Parto o Via de parto obstétrica o Clampiamento imediato do cordão o Se houver episiotomia proteger com compressa • Cuidados com recém-nascido o Aspiração cuidadosa o Limpeza imediata do RN o Solicitar todos os marcadores o A amamentação não é contra-indicada – a não ser que tenha fissuras mamilares com risco de sangramento na mamada.

×