Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia

on

  • 2,855 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,855
Views on SlideShare
2,855
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
46
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia Presentation Transcript

    • Fluxo de energia e ciclo de matéria
      Trabalho elaborado por:
      Carolina Marques nº4
      João Antunes nº 13
      8ºC
      • A energia necessária a Vida na Terra provem praticamente do Sol.
      • São os seres vivos com clorofila, como, por exemplo, as plantas, que transformam a energia radiante (ou luminosa) em energia química num processo designado fotossíntese.
      • Assim, a fotossíntese é o processo através do qual algum seres vivos produzem o seu próprio alimento.
      • A fotossíntese, as plantas transformam a água, os sais minerais e o dióxido de carbono, que retiram do meio, em matéria orgânica e oxigénio.
      • Com base na capacidade de produzirem ou não os compostos orgânicos, a partir decompostos inorgânicos, os seres vivos podem ser divididos em duas grandes categorias:
      • Autotróficos: seres vivos capazes de produzir a sua própria matéria orgânica a partir dos constituintes inorgânicos (matéria mineral, água e dióxido de carbono) que existem no meio ambiente, utilizando a energia luminosa como forma de energia externa
      • Heterotróficos: seres vivos que precisam de consumir matéria orgânica para obter energia e nutrientes.
    • Cadeias alimentares
      O conjunto de seres vivos de uma comunidade que se alimentam e servem de alimentos um aos outros constitui uma cadeia alimentar ou cadeia trófica.
      Nas diferentes cadeias alimentares podemos encontrar, normalmente, três tipos de categorias de seres vivos: produtores, consumidores e decompositores.
    • Produtores
      Os produtores são os seres vivos, capazes de produzir o seu próprio alimento; são também designados autotróficos. Ocupa o 1º nível trófico.
    • Consumidores
      Os consumidores são seres heterotróficos que se alimentam directa ou indirectamente da matéria orgânica produzida pelos produtores.
    • Consumidores primários ou de 1ª ordem
      São herbívoros e alimentam-se exclusivamente dos produtores. Ocupam o 2º nível trófico.
    • Consumidores secundários oude 2ª ordem
      Designam-se predadores ou carnívoros e subsistem à custa dos herbívoros. Ocupam o 3º nível trófico.
    • Existem ainda consumidores de 3ª ordem, de 4ª ordem e assim sucessivamente. Contudo, as cadeias alimentares são, de uma maneira geral, curtas, não contendo mais de cinco ou seis níveis tróficos.
    • Decompositores
      Os decompositores são seres vivos heterotróficos que transformam a matéria orgânica, de que se alimentam (cadáveres e produtos de excreção, como as fezes e a urina, organismos de todos os níveis tróficos), em matéria mineral, que é devolvida ao solo.
      São os decompositores que asseguram o retorno progressivo ao solo da matéria mineral, sendo esta utilizada pelos produtores que sintetizam de novo matéria orgânica. Assim, no nosso planeta, existe uma circulação continua de matéria orgânica e mineral, através das cadeias alimentares.
    • Teias alimentares
      Em cada comunidade, existe várias cadeias alimentares interligadas que constituem uma rede ou teia alimentar.
    • Fluxo de energia
      Fluxo de energia, partindo do sol, atinge todos os níveis tróficos de um ecossistema. No entanto, apenas uma parte da energia disponível, num nível trófico, é transferida para o nível trófico seguinte. De facto, uma grande parte da energia contida nos alimentos ingeridos é gasta, pelos seres vivos, em actividade vitais, como, por exemplo, na respiração, na reprodução e nas excreções.
      O Fluxo de energia é unidireccional.