Your SlideShare is downloading. ×

Caracterização FIPE 2011.pptx

3,748

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
3,748
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
91
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Caracterização e Dimensionamentodo Turismo Receptivo na Bahia 2011 Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE 1
  • 2. Aspectos GeraisObjetivos:Caracterizar e dimensionar o turismo doméstico einternacional no estado, identificando os seguinteselementos: Contagem do fluxo turístico Perfil sócio-econômico dos viajantes Seus gastos Suas avaliações das áreas e / ou eventos visitadosFONTE: FIPE, 2011 2
  • 3. Aspectos Gerais As pesquisas foram realizadas no período de alta, média e baixa estações nos 44 principais portões de entrada do estado (receptivo tradicional) e nos municípios marcados fortemente pelas festas juninas e religiosas. As localidades foram selecionadas com base na capacidade hoteleira, no apelo natural, cultural e/ou econômica, além do seu reconhecido potencial turístico. Para consolidação dos dados, foram feitas, no período, quatro tipos de pesquisas, realizadas em sete etapas. Ao todo, foram aplicados 17.205 questionários nas localidades de receptivo tradicional e nos municípios fortemente marcados pelos eventos juninos e religiosos. As entrevistas foram realizadas de forma direta e aleatória nas seguintes localidades:FONTE: FIPE, 2011 3
  • 4. Localidades pesquisadas Amargosa  Comandatuba Arraial D’Ajuda  Costa do Sauípe Barra  Cruz das Almas Barreiras  Euclides da Cunha Bom Jesus da Lapa  Entre Rios Cachoeira  Ibicuí Caldas de Cipó  Ilhéus Camamu/Maraú  Imbassaí Canudos  Itacaré Caravelas  Itaparica Casa Nova  JiquiriçáFONTE: FIPE, 2011 4
  • 5. Localidades pesquisadas  Juazeiro  Prado  Lençóis  Praia do Forte  Macaúbas  Rio de Contas  Maragogipe  Salvador  Monte Santo  Santa Cruz Cabrália  Morro de São Paulo  Santo Antônio de Jesus  Mucugê  Senhor do Bonfim  Palmeiras  Serrinha  Paulo Afonso  Trancoso  Piritiba  Vera Cruz  Porto Seguro  Vitória da ConquistaFONTE: FIPE, 2011 5
  • 6. Dimensionamento do Turismo Receptivo na Bahia 2011Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE 6
  • 7. Fluxo Turístico 7
  • 8. Fluxo de TuristasFluxo Global A Bahia teve um fluxo global de 11.015.000 (onze milhões e quinze mil) turistas no ano de 2011.Fluxo Internacional O fluxo turístico internacional representou 5,1% do total. Em números absolutos, 558.000 turistas estrangeiros visitaram a Bahia.Fluxo Doméstico (Nacional + Local) O fluxo de turistas brasileiros representa 94,9% do fluxo global, ou em números absolutos,10.457.000 (dez milhões quatrocentos e cinquenta e sete mil) são de turistas domésticos, da própria Bahia e de outros estados.Fluxo Nacional O fluxo de turistas brasileiros de outros estados da Federação representa 49,3% do total do fluxo doméstico. Em números absolutos: 5.291.242 dos turistas da Bahia são procedentes de outros estados.Fluxo local Os turistas locais respondem por 50,7% do fluxo nacional. Em números absolutos: 5.301.699 dos turistas da Bahia são baianos. FONTE: FIPE, 2011 8
  • 9. Fluxo Turístico Fluxo 2008/ % 2010 % 2011 % 2009Global 9.052.000 100 10.541.000 100 11.015.000 100Internacional 514.000 5,7 600.000 5,7 558.000 5,1Doméstico(Nacional + 8.538.000 94,3 9.940.000 94,3 10.457.000 94,9Local)Nacional 4.081.164 47,8 4.971.988 49,88 5.291.242 49,3Local 4.456.836 52,2 4.981.928 50,12 5.301.699 50,7FONTE: FIPE, 2011 9
  • 10. Brasil e Bahia 2011FONTE: FIPE, 2011 10
  • 11. Participação no fluxo brasileiro A participação da Bahia no fluxo doméstico do Brasil é de 8,3%, ficando, assim, em quarto lugar no ranking dos estados que mais recebem turistas no país, depois de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. No fluxo internacional, a participação da Bahia é de 11,6%, ocupando a quinta posição do ranking dos estados que mais recebem turistas estrangeirosFONTE: FIPE, 2011 11
  • 12. Participação no fluxo brasileiro A Bahia lidera o ranking doméstico e internacional dos estados do Nordeste, contabilizando mais turistas do que o Ceará e Pernambuco juntos. No fluxo doméstico, a Bahia lidera com 8,3% da participação no fluxo brasileiro, enquanto no fluxo internacional, o estado recebe mais turistas do que todos os estados nordestinos juntosFONTE: FIPE, 2011 12
  • 13. Participação no fluxo doméstico doBrasil Estado ParticipaçãoSão Paulo 25,5%Minas Gerais 9,1%Rio de Janeiro 8,9%Bahia 8,3%Santa Catarina 7,3% FONTE: FIPE, 2011 13
  • 14. Participação no fluxo internacionaldo Brasil Estado ParticipaçãoSão Paulo 38%Rio de Janeiro 37%Santa Catarina 21,1%Paraná 20,4%Bahia 11,6%Rio Grande do Sul 8,8%Minas Gerais 7,6%Ceará 3,7%Pernambuco 3,4%FONTE: FIPE, 2011 14
  • 15. Ranking doméstico dos estados doNordeste Estado ParticipaçãoBahia 8,3%Ceará 4,3%Pernambuco 3,4%Rio Grande do Norte 1,6%Paraíba 1,3%Alagoas 1,3%Maranhão 1,1%Sergipe 1,1%Piauí 1,0%FONTE: FIPE, 2011 15
  • 16. Ranking internacional dos estados doNordeste Estado ParticipaçãoBahia 11,6%Ceará 3,7%Pernambuco 3,4%Rio Grande do Norte 2,5%Alagoas 1,1%Maranhão 0,9%Paraíba 0,7%Sergipe 0,3%Piauí 0,2%FONTE: FIPE, 2011 16
  • 17. Receita Turística 17
  • 18. Participação da Bahia na receita nacional A Bahia encontra-se em segundo lugar no ranking da participação dos estados no PIB Turístico Doméstico, com 13,2% de toda receita turística do país. São Paulo lidera o ranking, com 20,3%. Em terceiro lugar, depois da Bahia, está Santa Catarina (9,1%); Rio de Janeiro (8,4%), Minas Gerais (5,9%); Ceará (5,1%); e Paraná (4,9%).FONTE: FIPE, 2011 18
  • 19. Participação da Bahia na receita nacional23% 20,3%20%18%15% 13,2%13%10% 9,1% 8,4%8% 5,9% 5,3% 5,1% 4,9% 4,5%5% 3,7% 3,3% 2,9% 1,9% 1,5% 1,4%3% 1,3% 1,2% 1,1% 1,1%0% SP BA SC RJ MG RS CE PR PE GO ES RN AL PA DF PB MA PI MSFONTE: FIPE, 2011 19
  • 20. PIB Turístico O Turismo baiano apresenta-se hoje como importante atividade na matriz econômica para a expansão da Economia, por sua capacidade de gerar divisas, empregos, rendas e impulsionar diferentes segmentos produtivos. Segundo as estimativas da FIPE, a Bahia coloca-se como a segunda Unidade da Federação em ordem de importância do Turismo no seu PIB. Ou seja, PIB Turístico baiano representa 5,7% do PIB total do Estado. Apenas Rio Grande do Norte tem uma importância relativa maior, 8,1%, embora em termos absolutos seja menor. Por outro lado, o Estado de São Paulo, embora em termos absolutos, seja a primeira UF em Receitas do Turismo, em termos relativos, o Turismo responde por apenas 1,5% de seu PIB.FONTE: FIPE, 2011 20
  • 21. Comparativo do turismo da Bahiano BrasilPrincipais UF’s PIB por UF Cons. Tur. Gasto % do PIB do % do PIB (R$ (R$ Tur (*) Cons Tur Turismo do Tur no milhões) milhões) no PIB, PIB, por por UF UFBahia 137.075 13.470,7 9,7% 9,8% 7.855,60 5,7%Ceará 65.704 6.249,3 4,5% 9,5% 3.644,3 5,5%R. Grande do Norte 27.905 2.638,6 1,9% 9,5% 1.538,8 5,5%Alagoas 21.235 1.944,2 1,4% 9,2% 1.133,8 5,3%Santa Catarina 129.806 11.387,6 8,2% 8,8% 6.640,8 5,1%Demais UF’s 2.857.679 103.183 74,3% (*) 60.171,9 (*)PIB Brasil 2009 3.239.404 138.873,5 100% 4,3% 80.985,1 2,5%FONTE: FIPE, 2011 21
  • 22. Comparativo do turismo da Bahiano Brasil Na Bahia, porém, mesmo tendo uma estrutura produtiva relativamente diversificada, a participação do Turismo no PIB é maior dentre os Estados. O turismo também se revela significativo, em termos relativos, em outras economias do país, como no Ceará (5,5%); R. Grande do Norte (5,3%); Alagoas (5,3%); e Santa Catarina (5,1%); dentre outros.FONTE: FIPE, 2011 22
  • 23. PIB Turístico Para se ter uma ideia do significado do impacto do Turismo para a maior parte dos estados do Nordeste, convém salientar que estimativas preliminares da importância do Turismo na Economia do País indicam uma contribuição da ordem de 2,5% do PIB. Dentre as 10 primeiras Unidades da Federação, exceto Santa Catarina e Espírito Santo, todas são da Região Nordeste.FONTE: FIPE, 2011 23
  • 24. Receita Turística A receita turística da Bahia em 2011 foi de R$ 7,8 bilhões. A receita proveniente do fluxo internacional foi de R$ 819 milhões, representando 10,5% da receita total O fluxo doméstico (nacional + local) contribuiu com R$ 6.981 bilhões, equivalente a 89,5% da receita total.FONTE: FIPE, 2011 24
  • 25. Fluxo x Receita Nº de turistas Receita Turística Fluxo (milhões) (milhões R$) 558.000 Internacional 819 milhões Doméstico 10.457.000 (nacional +local) 6.981 bilhões Total 11.015.000 7,8 bilhõesFONTE: FIPE, 2011 25
  • 26. Receita Turística Receita Receita Receita Fluxo 2009 2010 2011 (milhões R$) (milhões R$) (milhões R$) Internacional 779,8 790,1 819,0 Doméstico (nacional + 4.290,00 5.918,00 6.981,00 local) Total 5.068,00 6.708,50 7.800,00FONTE: FIPE, 2011 26
  • 27. Fluxo DomésticoPrincipais mercados emissores 27
  • 28. Estados Emissores A própria Bahia é o maior emissor de turistas para o estado, representando 50,7% do receptivo total ou 5.301.699 turistas. Os estados de São Paulo (16,6%) e Minas Gerais (7,4%) são os dois maiores estados emissores de turistas para a Bahia.FONTE: FIPE, 2011 28
  • 29. Turismo Doméstico – Principais Emissoras(em %) Estado Fluxo (%) Bahia 50,7 São Paulo 16,6 Minas Gerais 7,4 Rio de Janeiro 4,9 Espírito Santo 3,6 Sergipe 3,4 Pernambuco 2,7 Distrito Federal 2,6 Paraná 1,6 R. Grande do Sul 1,3 Goiás 1,0 Santa Catarina 0,9 Ceará 0,7 Alagoas 0,6 Paraíba 0,4 Rio Grande do Norte 0,3FONTE: FIPE, 2011 29
  • 30. Principais Zonas e Destinos Receptores de Turismo da Bahia 30
  • 31. Principais cidades receptoras Salvador é responsável pela atração de 32,2% de todo o fluxo receptor doméstico da Bahia e por 67% do fluxo internacional. Porto Seguro vem em segundo lugar com a atração de 9% dos turistas domésticos e 10,7% dos estrangeiros. Ilhéus vem na sequência com 4,3% dos turistas domésticos e 5,7% do fluxo internacional. Maraú (9,8%), Cairu (9,3%) e Lençóis (8,9%) são destinos que despertam interesse dos turistas estrangeiros.FONTE: FIPE, 2011 31
  • 32. Participação dos destinos no fluxo do Estado Participação no fluxo Participação no fluxo Zona doméstico (%) internacional (%)Salvador 32,5 67Porto Seguro 9,0 10,7Ilhéus 4,3 5,7Prado 3,8 0Praia do Forte 3,5 3,6Morro de São Paulo 3,4 1,4Arraial D’Ajuda 3,3 5,0Costa do Sauípe 2,9 5,9Imbassaí 2,7 3,4Maraú 2,5 9,8Itacaré 2,2 7,7Lençóis 1,8 8,9Trancoso 1,0 5,8Cairu 0,4 9,3FONTE: FIPE, 2011 32
  • 33. Participação das Zonas Turísticas Zona Turística Participação 2008/2009 Participação em 2011 (%) (%)Baía de Todos-os-Santos 35,1 36,9Costa do Descobrimento 10,8 14,1Costa dos Coqueiros 5,3 10,1Costa do Cacau 3,8 6,2Costa do Dendê 1,9 5,8Costa das Baleias 5,0 5,5Caminhos do Sertão 5,1 5,2Chapada Diamantina 1,5 4,5Caminhos do Oeste 7,0 4,3Lagos do S. Francisco 1,3 2,3Caminhos do Jiquiriça 0,4 1,5Vale do São Francisco - 0,9Caminhos do Sudoeste - 0,5Outras cidades 22,8 2,3 FONTE: FIPE, 2011 33
  • 34. Fluxo Internacional 34
  • 35. Países emissores Vale destacar que entre 2000 e 2009, havia uma alternância entre os 10 principais países emissores. Entre o 2001 e 2005 a Argentina apresentou uma variação entre 20% e 12,81% respectivamente no fluxo turístico do país. Em 2011, a Argentina, desponta agora de forma bastante significativa, respondendo por 18,9% dos turistas internacionais.FONTE: FIPE, 2011 35
  • 36. Principais países emissores País emissor Participação (%) No absolutoArgentina 18,9 105.462Espanha 12,9 71.982Itália 9,8 54.684França 8,7 48.546Alemanha 7,7 42.966Estados Unidos 7,1 39.618Inglaterra 6,0 33.480Uruguai 4,6 25.668Portugal 4,5 25.110Suíça 3,7 20.646África do Sul 3,2 17.856Chile 1,7 9.486Canadá 1,5 8.370Israel 1,2 6.696 36FONTE: FIPE, 2011
  • 37. Destinos receptores do fluxointernacional O principal destino turístico internacional do Estado é Salvador. A capital baiana ocupa a primeira posição no ranking de maiores destinos de todos os mercados emissores. Porto Seguro também se destaca como grande destino receptor de turistas internacionais. Entre outros destinos mais destacados estão: Mata de São João, Cairu, Maraú, Itacaré e Lençóis.FONTE: FIPE, 2011 37
  • 38. Participação dos destinos no fluxointernacional do Estado Participação média Participação média Destino 2008/2009 2011 Salvador 60% 67% Porto Seguro (Trancoso + 16,1% 21,5% Arraial) Mata de São João 4,5% 12,9% (Praia do Forte, Sauípe, Imbassaí)Cairu (Cairu + Morro de São 4,2% 10,7% Paulo) Maraú - 9,8% Lençóis - 8,9% Itacaré 0,7% 7,7% Ilhéus 2,6% -FONTE: FIPE, 2011 38
  • 39. Fluxo Internacional em Salvador A origem dos turistas internacionais que visitam Salvador também é dispersa, a pesquisa FIPE, 2008/2009 apresenta um destaque para países como Estados Unidos, França e Itália com 12% no fluxo internacional diferente da nova avaliação Espanha, Argentina e Itália com 19,2%, 12,4% e 10,8% respectivamente no fluxo. Os principais mercados emissores de turistas para a capital baiana são:FONTE: FIPE, 2011 39
  • 40. Fluxo internacional em Salvador(em %) Participação Participação País 2008/2009 2011 12Espanha 19,2 7Argentina 12,4 12Itália 10,8 10França 10,3 12Estados Unidos 8,4Alemanha 10 7,9 5Inglaterra 5,7 11Portugal 5,6FONTE: FIPE, 2011 40
  • 41. Principais portões de entrada O principal portão de entrada no Brasil dos turistas estrangeiros que visitam a Bahia é São Paulo (34,6%), seguido de Salvador (30,8%). O Rio de Janeiro também se coloca como um importante portão de acesso ao país entre aqueles que vêm à Bahia (18,4%), seguido de Fortaleza (CE) (3,7%), Porto Seguro (2,5%), Dionísio Cerqueira (SC), com 2,3%, e Recife (PE), com 1,8%.FONTE: FIPE, 2011 41
  • 42. Principais portões de entrada Participação Participação País 2008/2009 2011 São Paulo 42,7% 34,6% Salvador 27,6% 30,8% Rio de Janeiro 14,7% 18,4% Foz do Iguaçu 5,5% - Fortaleza - 3,7% Porto Seguro 5,5% 2,5% Dionísio Cerqueira - 2,3% (SC) Outros 4,5% 7,7%FONTE: FIPE, 2011 42
  • 43. Turismo Interno O fluxo interno de turistas na Bahia é bastante significativo na maioria das cidades do interior do Estado. Entretanto, em algumas localidades litorâneas, o Estado de São Paulo é o principal emissor, superando a própria Bahia: Porto Seguro (25%), Praia do Forte (33,4%), Arraial D’Ajuda (32,9%) e Costa do Sauipe (39,4%). Em Paulo Afonso, os pernambucanos também superam os baianos, com 30% da de participação do fluxo global.FONTE: FIPE, 2011 43
  • 44. Turismo Interno Localidade Participação de baianos no fluxoSalvador 53,6%Ilhéus 56,6%Cachoeira 91,6%B. J. Lapa 69,6%Vera Cruz 76,9%V. Conquista 76,9%FONTE: FIPE, 2011 44
  • 45. Caracterização do TurismoReceptivo Perfil do Turista 45
  • 46. Turismo ReceptivoIdentificação do turista Origem / Faixa etária / sexo Grau de instrução Motivação da viagem Tempo de permanênciaRenda e nível de gastos dos turistas Renda mensal individual Gasto Médio Diário Individual (GMDI)FONTE: FIPE, 2011 46
  • 47. Turismo ReceptivoIdentificação dos hábitos dos turistas Meio de transporte utilizado para chegar ao destino; Meios de hospedagem utilizados; Modo de organização da viagem;Opinião sobre o destino turístico visitado Atrativos do lugar Nível de qualidade dos serviços turísticos Qualidade da infraestrutura urbana Críticas e sugestõesFONTE: FIPE, 2011 47
  • 48. Perfil do Turista 48
  • 49. Perfil dos TuristasGênero: Percebe-se que em relação a pesquisa anterior a participação do gênero masculino de 56,3% e do gênero feminino 43,7% no fluxo total vem atualmente apresentando uma alteração positiva na participação do gênero feminino no fluxo turístico do estado; Porém ainda é determinante a predominância do gênero masculino (53%) entre os turistas que visitam o Estado.FONTE: FIPE, 2011 49
  • 50. Gênero Gênero 2008/2009 2011 Masculino 56,3% 53% Feminino 43,7% 47%FONTE: FIPE, 2011 50
  • 51. Perfil dos TuristasFaixa Etária: A média etária dos turistas que visitam a Bahia é de 39 anos, destacando-se as faixas etárias de 32 a 40 anos (24,8%) e 25 a 31 anos (21,8%). Os critérios da pesquisa requereram uma idade mínima de 18 anos para o indivíduo ser entrevistado.FONTE: FIPE, 2011 51
  • 52. Idade média Faixa etária 2008/2009 2011 16 a 24 anos 19,7 14,0 25 a 31 anos 24,7 21,8 32 a 40 anos 21,2 24,8 41 a 50 anos 20,1 18,5 51 a 59 anos 8,8 10,4 60 anos ou mais 5,5 10,5 Média etária 36,2 anos 39 anosFONTE: FIPE, 2011 52
  • 53. Perfil dos Turistas Grau de Instrução:  Evidencia-se que a grande maioria dos visitantes do estado possui de nível superior completo e pós-graduação completa (50,3%) e médio completo (35,2%). Ocupação:  Os assalariados são predominantes entre os turistas que visitam o estado da Bahia. Profissionais autônomos e empresários também representam uma parcela importante da demanda.FONTE: FIPE, 2011 53
  • 54. Grau de instrução Grau de instrução 2008/2009 2011Superior completo(incluindo pós-graduação) 40,0% 50,3%Médio completo 46,2% 35,2%Fundamental completo 7,8% 7,0%Primário completo 3,9% 5,0%S/ Instrução / primárioincompleto 2,1% 2,6%FONTE: FIPE, 2011 54
  • 55. Ocupação Ocupação 2008/2009 2011 Assalariado 45,4% 37,2%Profissional Liberais/ Autônomo 21,7% 23,6% Estudante 10,9% 5,3% Empresário 8,1% 11,1 Aposentado / Pensionista 4,6% 7,8% Do Lar 3,7% 3,0% Desempregado 1,7% - Mercado Informal 1,2% - Outros 11% -FONTE: FIPE, 2011 55
  • 56. Renda Média MensalRenda Mensal Individual: A renda média mensal individual dos turistas domésticos que vistam a Bahia é de R$ 4.262,99, enquanto a renda média familiar é de R$ 6.431,91 e a familiar per capita é de R$ 2.300,63. Os turistas estrangeiros possuem rendas maiores: A renda média individual é de R$ 7.808,25, a média familiar é de R$ 10.108,93 e a familiar per capita é de R$ 4.762,53FONTE: FIPE, 2011 56
  • 57. Renda Média Mensal A pesquisa de 2008/2009 não contabilizou separadamente a renda média mensal individual, familiar e per capita nem distinguiu entre a renda do turista nacional do turista estrangeiro. A renda média mensal individual dos turistas que vistam a Bahia em 2008/2009 foi de R$ 3.357,06.FONTE: FIPE, 2011 57
  • 58. Gasto médio O gasto médio no total (incluindo a Bahia) da viagem dos turistas domésticos foi de R$ 1.775,72 e dos turistas internacionais foi de R$ 7.944,23. Do gasto médio no total da viagem dos turistas domésticos (R$ 1.775,7), parcela expressiva foi consumida no Estado da Bahia (R$ 1.079,08, cerca de 60%). Já dos estrangeiros (R$ 7.944,2), a parcela consumida no Estado é bem menos significativa (R$ 2.323,5, cerca de 30%). Mesmo sendo menor a parcela gasta no Estado relativamente, ainda assim os gastos dos turistas estrangeiros representam mais do que o dobro dos domésticos. O gasto médio per capita dos turistas domésticos é de R$ 595,4 e dos turistas internacionais é de R$ 1.315,8. O gasto médio per capita dia dos turistas domésticos é de R$ 88,0 e dos turistas internacionais é de R$ 98,5.FONTE: FIPE, 2011 58
  • 59. Gasto médioTurista doméstico Gasto médio na Bahia 2008/2009 2011Gasto médio R$ 854,99 R$ 1.079,08Gasto médio individual total R$ 254,70 R$ 595,00Gasto médio individual dia R$ 43,78 R$ 88,04 Doméstico Internacional Gasto médio na Bahia 2011Gasto médio R$ 1.079,08 R$ 2.323,49Gasto médio individual total R$ 595,00 R$ 1.315,84Gasto médio individual dia R$ 88,04 R$ 98,53 Doméstico Internacional Gasto médio no local 2011Gasto médio total R$ 877,75 R$ 1.512,40FONTE: FIPE, 2011 59
  • 60. Composição dos Gastos Hospedagem constitui-se na principal componente de gasto, tanto dos turistas domésticos (32,8%), quanto dos internacionais (27,7%). Seguem-se Alimentação (respectivamente, 13,9% e 18,9%), Compras Pessoais (12,9% e 16,5%), Atrativos e Passeios (11,3% e 12,8%), entre outros (11,7% e 7,1%).FONTE: FIPE, 2011 60
  • 61. Composição dos Gastos Serviço Doméstico (%) Internacional (%)Hospedagem 32,8 27,2Alimentação 13,9 18,9Compras pessoais 12,9 16,5Atrativos e passeios 11,3 12,8Diversão Noturna 10,0 9,7Transporte Local 7,4 7,4Outros 11,7 7,1TOTAL 100,0 100,0FONTE: FIPE, 2011 61
  • 62. Características das Viagens 62
  • 63. Motivação Diferente da pesquisa 2008/2009, a caracterização da viagem distinguiu os turistas nacionais dos estrangeiros. Visando obter resultados que contribuam para o melhor conhecimento da realidade do turismo no Estado e ao aprimoramento das estratégias de suas políticas públicas, essas características foram analisadas e confrontadas por origem dos turistas, nacionais ou estrangeiros.FONTE: FIPE, 2011 63
  • 64. Motivação Principal Doméstico Doméstico Internacional Internacional motivação % N. absolutos % N. absolutosSó Lazer 43,5 4.548.795 64,8 361.584Lazer e outros 12,2 1.275.754 23,8 132.804motivosEspecificamente 44,3 4.632.451 11,4 63.612outros motivosTotal 100 10.457.000 100 558.000 FONTE: FIPE, 2011 64
  • 65. Principal interesse, se outros motivosPrincipal Doméstico Doméstico Internacional InternacionalInteresse % N. absolutos % N. absolutosVisita a parentes 41,6 1.927.099 61,7 39.248e amigosNegócios, 40,3 1.866.877 28,2 17.938congressos efeiras Saúde 9,8 453.980 0,4 254Intercâmbio e 3,8 176.033 7,4 4.707estudoReligiãoouperegrinação 2,0 92.649 0,7 445 Outros 2,5 115.811 1,5 954Total 100 4.632.451 100 63.612 FONTE: FIPE, 2011 65
  • 66. Principais interesses do turista de lazer Doméstico Doméstico Internacional InternacionalPrincipal Interesse % N. absolutos % N. absolutosSol e praia 58,8 3.424.835 52,7 260.542Ecoturismo 16,8 978.524 22,1 109.260Cultural 15,3 891.156 21,3 105.305Esporte e Aventura 2,2 128.140 2,0 9.888Enoturismo 1,3 75.719 0,0 -Rural 0,9 52.421 0,1 494Pesca 0,7 40.772 0,0 -Golfe 0,6 34.947 0,0 -Náutico 0,5 29.123 0,0 -GLBT 0,2 11.649 0,0 -Étnico-Indígena 0,1 5.824 1,1 5.438Arqueológico 0,1 5.824 0,0 -Étnico-Afro 0,1 5.824 0,1 494Outros 2,6 151.438 0,5 2.472Total 100 5.824.549 100 494.388 66FONTE: FIPE, 2011
  • 67. Permanência no Estado Da mesma forma que os demais itens, a taxa de permanência foi analisada e confrontada por origem dos turistas, nacionais ou estrangeiros. A média de permanência dos turistas nacionais na Bahia em 2011 foi de 6,8 pernoites, enquanto o do turistas estrangeiros foi de 13,7 pernoites no estado. Na pesquisa de 2008/2009, a média de pernoites dos turistas nacionais no Estado foi de 5,8 pernoites.FONTE: FIPE, 2011 67
  • 68. Taxa de Permanência no Estado Número de pernoites Nacionais Estrangeiros 1 ou 2 pernoites 29,8% 7,7% 3 ou 4 pernoites 31% 14,9% 5 ou 7 pernoites 22,5% 27,3% 8 ou 15 pernoites 10,7% 30,4% 16 pernoites ou mais 6% 19,7% Média de pernoites 6,8 pernoites 13,7 pernoitesFONTE: FIPE, 2011 68
  • 69. Taxa de Permanência na localidade Número de pernoites Nacionais Estrangeiros1 ou 2 pernoites 36,4% 29,8%3 ou 4 pernoites 31,4% 23,6%5 ou 7 pernoites 20% 26,5%8 ou 15 pernoites 7,7% 15,7%16 pernoites ou mais 4,6% 4,6%Média de pernoites 5,8 pernoites 6,3 pernoitesFONTE: FIPE, 2011 69
  • 70. Cidades mais visitadas pelos turistasnacionais e estrangeiros Turistas Turistas Destino Nacional EstrangeirosSalvador 32,5% 67%Porto Seguro (Trancoso + Arraial) 9% 21,5%Mata de São João 9% 12,9%(P. do Forte, Sauípe, Imbassaí)Cairu (Cairu + Morro de São Paulo) 3,8% 10,7%Maraú 2,5% 9,8%Lençóis 1,8% 8,9%Itacaré 2,2% 7,7%Ilhéus 4,3% 5,7%FONTE: FIPE, 2011 70
  • 71. Características das ViagensPrincipal Meio de Transporte: Ônibus de linha é o meio de transporte mais utilizado pelos visitantes da Bahia, seguido por automóvel próprio ou de terceiros. A maioria dos estrangeiros utilizam o vôo regular e ônibus de linha.Principal meio de hospedagem: Os turistas nacionais utilizam casa de amigos e parentes como meio de hospedagem, seguido por hotel e pousada. Os estrangeiros se hospedam mais em pousadas, seguidas de hotéis.FONTE: FIPE, 2011 71
  • 72. Meio de Transporte (turistas nacionais) Meio de Transporte 2008/2009 2011 Ônibus de linha 35,2% 30,6% Automóvel próprio 20,6% 24,8% Voo regular 17,6% 18,2% Transporte hidroviário 12,1% 10,6% Ônibus fretado 2,8% 7,7% Automóvel alugado 1,2% 2,2% Outros 7,7% 6,0%FONTE: FIPE, 2011 72
  • 73. Meio de Transporte (Estrangeiros) Meio de Transporte 2011 Ônibus de linha 27,4% Automóvel próprio 11,1% Voo regular 30,8% Transporte hidroviário 11,4% Ônibus fretado 6,6% Automóvel alugado 10,1% Outros 2,7%FONTE: FIPE, 2011 73
  • 74. Meio de Hospedagem 54,2% dos turistas domésticos ficaram hospedados em hotéis, pousadas, resorts e albergues, representando um aumento de 10% em relação a 2008/2009. Essa média sobre bastante com relação aos turistas estrangeiros. 78,9% dos 558 mil turistas internacionais ficaram hospedados em hotéis, pousadas, resorts e albergues.FONTE: FIPE, 2011 74
  • 75. Meio de Hospedagem - nacionais Meio de hospedagem 2008/2009 2011Casa de amigos e parentes 42,4% 37%Hotel 21,6% 26,9%Pousada 18,1% 20,3%Imóvel alugado 4,2% 2,4%Imóvel próprio 3,7% 3,1%Resort 3,1% 6,5%Albergue 1,3% 0,5%Outros 2,8% 3,2%FONTE: FIPE, 2011 75
  • 76. Meio de Hospedagem - estrangeiros Meio de hospedagem 2011 Casa de amigos e parentes 14,9% Hotel 32,5% Pousada 33,5% Imóvel alugado 3,1% Imóvel próprio 1,3% Resort 7,5% Albergue 5,4% Outros 1,8%FONTE: FIPE, 2011 76
  • 77. Características das Viagens Acompanhantes na Viagem:  A maior parte dos turistas domésticos (34,7%) e dos estrangeiros (32,2%) que visitam a Bahia realizam a viagem sozinhos. Classe de Grupos  A média de turistas que viajam juntos para Bahia é de 3,4 pessoas.FONTE: FIPE, 2011 77
  • 78. Acompanhantes na Viagem - nacionais Acompanhantes 2008/2009 2011 Sozinho 32,% 34,7% Grupo Familiar 18,8% 26% Amigos 18,7% 12,7% Casal sem filhos 16% 21% Casal com filhos 9% - Colegas de trabalho 4,4% 4,6% Outros 0,6% 0,9%FONTE: FIPE, 2011 78
  • 79. Acompanhantes na Viagem -estrangeiros Acompanhantes 2011 Sozinho 32,2% Grupo Familiar 21,8% Amigos 17,7% Casal sem filhos 26,5% Casal com filhos - Colegas de trabalho 1,7% Outros 0,2%FONTE: FIPE, 2011 79
  • 80. Principal fator de influência Nota-se claramente a importância da internet como meio e ambiente de propaganda do estado da Bahia, representando fator decisivo para 26,6% dos turistas internacionais de 10,2% dos turistas nacionais. Entretanto, o comentário de amigos e parentes continua sendo o principal fator de decisão da viagem. Chama a atenção também a importância do site São João da Bahia que influenciou 8,6% dos turistas estrangeiros, muito mais que o site oficial de turismo.FONTE: FIPE, 2011 80
  • 81. Principal fator de influênciaPrincipal Fator de influência Doméstico InternacionalComentários de amigos e 46,1% 44,5%parentesJá conhecia o destino 16,4% 6,9%Local onde trabalha 14,7% 4,3%Internet 10,2% 26,6%Agências de Viagens 3,5% 4,3%Feiras, eventos 3,3% 0,6%Guias turísticos impressos 1,9% 10,2Outros 3,9% 2,6%FONTE: FIPE, 2011 81
  • 82. Principal referência na InternetPrincipal referência na Doméstico Internacional InternetSítes e blogs 77,3% 82,9%Redes sociais 8,9% 2,5%Sítio/Portal do 3,2% 0,0%municípioSite oficial do São João 2,6% 8,2%da BahiaSite oficial de Turismo 2,5% 2,7%Outros 5,6% 3,7%FONTE: FIPE, 2011 82
  • 83. Características das ViagensPrimeira visita à localidade: A maioria dos turistas domésticos da Bahia, 62,4%, já tinha visitado as localidades do estado em outras ocasiões, enquanto cerca de 37,6% nunca tinha estado no local. É expressivo também o resultado com os turistas estrangeiros, 35,1% já conhecia o local visitado, enquanto 64,9% visitava pela primeira vez.Aquisição de serviços em agência de viagem: 78,3% turistas nacionais e 69,7% dos estrangeiros que visitaram a Bahia não adquiriram serviços em agência de viagem..FONTE: FIPE, 2011 83
  • 84. Avaliação do destino visitadoExpectativa da viagem: A maior parte dos turistas da Bahia teve suas expectativas correspondidas ou superadas. 70,9% dos turistas domésticos e 73% dos estrangeiros consideraram terem sido satisfatórias suas expectativas.Intenção de retorno: Observa-se nitidamente a intenção de retorno para todas as localidades da Bahia pela maioria dos turistas, representando 93% dos turistas domésticos e 80,5% dos estrangeiros.Recomendação da localidade: 94,2% dos turistas domésticos e 96,7% dos estrangeiros recomendariam o local visitado a outras pessoas.FONTE: FIPE, 2011 84
  • 85. Avaliação do destino visitado 90% dos turistas domésticos e dos estrangeiros avaliaram os atrativos turísticos da Bahia como “muito bom” e “bom”. Aspectos positivos: hospitalidade do povo, atrativos naturais, praias, atrativos histórico-culturais (domésticos e estrangeiros); Aspectos negativos: serviços médicos, preços e limpeza (estrangeiros); limpeza pública, segurança e serviço em bares e restaurantes (domésticos) Surpresa: O serviço de táxi foi bem avaliado por 80,8% dos turistas domésticos e por 79,1% dos estrangeiros.FONTE: FIPE, 2011 85

×