Your SlideShare is downloading. ×
XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006  Valor da Informação em Projetos de Desenvolvimento da Prod...
XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006da incerteza de um projeto posterior e a quantificação do VD...
XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006Valor da Informação = (Valor do AtivoCom Informação) – (Valo...
XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 20062.1 Projetos de Aquisição de InformaçõesExistem diversos tip...
XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006Definidas as principais incertezas, deve-se verificar se as ...
XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006   será levado adiante.Pode-se perceber pela Tabela 1 que o ...
XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006Com informação (US$ 69 milhões) e o VPL Sem Informação (0), ...
XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006Um outro ponto a ser considerado na análise é com relação às...
XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006COOPERSMITH, E. M., CUNNINGHAM, P. C. & PENA, C. A. (2003) -...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

F 2 a38baa82aa

121

Published on

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
121
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "F 2 a38baa82aa"

  1. 1. XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006 Valor da Informação em Projetos de Desenvolvimento da Produção Marítima de Petróleo: Um Estudo de Caso Considerando Duas Formas de Aquisição de Informações Bruno Nogueira Silva (FCAA) bruno.nog.fcaa@petrobras.com.br Gesiane Silveira Pereira (UVV) gesiane@uvv.br Iubatan Antonino Pinto (FCAA) iubatan.fcaa@petrobras.com.br Robson Soares da Costa (Petrobras) robsonsc@petrobras.com.brResumoPara a realização de projetos de desenvolvimento da produção marítima de campos depetróleo é necessário um alto investimento e existe nestes um alto grau de incerteza. Uma dasprincipais incertezas é referente ao reservatório de petróleo e, uma das formas de reduzir talincerteza, é adquir informações antes do desenvolvimento definitivo da produção do campo.Para avaliar os benefícios da aquisição de informações pode-se utilizar a metodologiadenominada Valor da Informação que está sendo bastante utilizada na indústria do petróleo.Este trabalho tem como principal objetivo determinar, por meio de um estudo de caso, ovalor da informação da realização de um projeto de desenvolvimento inicial da produção deum campo de petróleo e da aquisição de uma sísmica na área do campo de petróleo.Palavras-chave: Valor da Informação, Campos Marítimos de Petróleo, Reservatório.1. IntroduçãoTomar uma decisão de investimento quando não existe incerteza é relativamente simples.Basta utilizar uma das técnicas para avaliação de projetos, como o cálculo do Valor PresenteLíquido (VPL) e escolher aquele que apresenta maior retorno. Entretanto, na prática, asdecisões são quase sempre cercadas de incertezas. O sucesso econômico das empresasdepende, dentre outros aspectos, dos estudos de viabilidade econômica dos seus projetos queantecedem à tomada de decisão. A análise de investimento deve, portanto, considerar osriscos e incertezas presentes nos projetos.No caso de projetos de exploração e produção de petróleo, as decisões de investimentos sãoafetadas pelos componentes técnico e econômico das incertezas. Segundo Dias (1996), asincertezas técnicas são um tipo de incerteza que não são correlacionadas aos movimentosmacroeconômicos, ou seja, as possibilidades de desvio da variável em relação ao que seespera (incerteza) não mudam se, por exemplo, a economia sai de uma recessão e entra emfase de crescimento. Uma característica fundamental da incerteza técnica é que a realizaçãode investimentos pode reduzir esse tipo de incerteza.Ainda segundo Dias (1996), a incerteza econômica (ou de mercado) é correlacionada aosmovimentos gerais da economia, que são sujeitos a acontecimentos aleatórios, tais comorecessão/aquecimento da economia, guerra/paz, perdas de safra por razões climáticas/safrarecorde, descoberta de novas tecnologias, etc. Uma característica importante da incerteza demercado é que a aquisição de informações, por si só, não reduz e nem aumenta esse tipo deincerteza.Uma alternativa bastante utilizada para a redução da incerteza técnica é o Projeto deAquisição de Informações que está diretamente ligado ao Valor da Informação (VDI). O VDItem como principal objetivo quantificar as informações que podem ser obtidas para a reduçãoENEGEP 2006 ABEPRO 1
  2. 2. XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006da incerteza de um projeto posterior e a quantificação do VDI é decisiva para a implantaçãodo Projeto de Aquisição de Informações.Uma das principais incertezas existentes no desenvolvimento da produção marítima decampos de petróleo são aquelas referentes ao reservatório de petróleo, variável de sumaimportância para o resultado econômico do projeto. Reservatórios de petróleo são estruturasgeológicas localizadas em subsuperfícies onde estão presentes os hidrocarbonetos que serãoproduzidos em um campo. A produção ocorre através de poços produtores e sistemas deelevação que transportam o petróleo do reservatório até uma Unidade de Estacionária deProdução (UEP), no caso de campos marítimos. A previsão de produção do campo é produtodo estudo de características do reservatório e da mecânica dos fluidos no processo deelevação, sendo que pequenas alterações nas mesmas ocasionam reduções ou ganhossignificativos no VPL do projeto, principalmente quando os preços do petróleo negociados nomercado estão em alta.Conforme Ligero et all (2003), as principais incertezas de reservatório são relacionadas avariáveis estáticas (modelo geológico) e dinâmicas (parâmetros de fluxo) e se refletemdiretamente na curva de produção do campo. De acordo com Demirmen (1996), as incertezasde reservatório podem estar relacionadas ao volume original e qualidade do petróleo docampo, bem como à produtividade do mesmo. Dentre as incertezas principais, destacam-se asseguintes: configuração estrutural e heterogeneidades do reservatório e atuação de aqüífero.Um dos investimentos mais utilizados para obtenção de informações em um campo depetróleo é a realização de um levantamento sísmico. O objetivo principal do levantamentosísmico é imagear o reservatório, definir sua geometria/estrutura e, a partir destes dados,conceber opções para o desenvolvimento da produção do campo de petróleo.Outro investimento em informação bastante utilizado é a perfuração de um poço para coletardados e realizar testes, como por exemplo, de produtividade do reservatório.A realização de um Teste de Longa Duração (TLD) é outro método de se obter informações.O TLD, normalmente, é realizado com a produção do campo utilizando-se poucos poçosligados a uma UEP de pequeno porte, com o objetivo de testar o reservatório, o sistema deelevação o comportamento da planta de processo da UEP ou obter outras informaçõesrelevantes para o desenvolvimento do campo de petróleo.O uso de sistemas antecipados de produção de um campo de petróleo também é um métodode investimento em informação. Nele a produção do campo é iniciada, da mesma forma queno TLD, mas com um número maior de poços e uma UEP de maior porte. O objetivo ésimilar ao do TLD, sendo possível estimar com mais precisão o comportamento do campo depetróleo nas fases seguintes de desenvolvimento da produção.2. Valor da InformaçãoExistem projetos que tem como principal objetivo gerar informações para projetos posteriorese são denominados Projetos de Aquisição de Informações. Estes podem se apresentar poucoatraentes ou mesmo inviáveis do ponto de vista econômico se for utilizada para análise ateoria tradicional de fluxo de caixa descontado (VPL). Entretanto, os mesmos possuem oganho de gerar informações para otimização de projetos posteriores mediante a redução deincerteza das variáveis analisadas. Então, para quantificar este ganho, uma metodologiabastante utilizada é a denominada Valor da Informação (VDI).Conforme Coopersmith et all (2002), VDI é o aumento ou decréscimo do valor de um ativodepois de adquirir a informação, como apresentado na equação [1].ENEGEP 2006 ABEPRO 2
  3. 3. XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006Valor da Informação = (Valor do AtivoCom Informação) – (Valor do AtivoSem Informação) [1]Ainda segundo Coopersmith et all (2002), o VDI é função de três fatores:1. A magnitude da incerteza das variáveis que estão sendo consideradas para aquisição dainformação;2. A magnitude da decisão de impacto monetário futuro que pode mudar (dado que ainformação é conhecida sobre a incerteza da variável estudada);3. A confiabilidade da informação.Segundo Dias (2005), problemas de VDI são de grande importância não só em aplicaçõeseconômicas, mas também em várias outras áreas tão distintas como Medicina, P&D (pesquisae desenvolvimento) em geral, e até no dia a dia das decisões individuais.O VDI é sempre avaliado ex-ante uma vez que o mesmo deve ser calculado antes de sedecidir sobre o investimento ou não em informação. Ou seja, é necessário avaliar o VDI a fimde decidir se o benefício da informação supera o custo de adquiri-la.Xavier et all (2005) afirmam que uma informação pode ser completa e perfeita quandoelimina toda a dúvida sobre um determinado atributo. Uma informação pode também serimperfeita quando não há confiabilidade total no valor medido e pode ser incompleta se nãofor suficiente para reduzir totalmente a incerteza sobre o atributo. O valor de uma informaçãoimperfeita é sempre menor que o valor de uma informação perfeita, que representa o máximoque a informação pode valer.Brealey & Myers (2001) desenvolveram um exemplo muito simples de VDI que avalia sevale a pena investir em um teste de uma máquina para saber se a mesma funcionaadequadamente aos seus propósitos. Com isso foi possível reduzir a possibilidade de se ter umcusto adicional por ter que utilizar outros métodos de produção caso a máquina nãofuncionasse como esperado.A estimativa do VDI também tem sido largamente utilizada na indústria do petróleo.Demirmen (1996) utilizou o conceito de VDI para justificar a avaliação prévia de umreservatório e também para fazer uma classificação das variáveis consideradas. Portela et all(2003) aplicou a análise de VDI, em condições de incerteza, para otimizar a explotação de umnovo bloco em um campo em águas profundas na Bacia de Campos. Galli et all (2004)propõem uma metodologia na qual se aplicam atualizações bayesianas e a teoria das opçõesreais para um modelo de reservatório probabilístico com objetivo de calcular o valoreconômico da nova informação.Aylor (1999), com o apoio da metodologia de VDI, mostrou a importância da aquisição deuma sísmica 3D com objetivo principal de aumentar a taxa de sucesso na exploração (etapa dedescoberta do campo de petróleo), afetando positivamente a revisão das estimativas devolumes de petróleo recuperáveis.Ballin et all (2005) desenvolveram um estudo robusto e sistemático de VDI em um projeto demúltiplos reservatórios de gás em Trinidad e Tobago para dar suporte a decisão de adquiriruma sísmica 4D. Esta pode ser definida como uma sísmica de imageamento 3D acrescida davariável tempo, ou seja, as aquisições 3D são repetidas ao longo da vida produtiva do campo.O objetivo principal da sísmica 4D é obter novos dados para elaboração de novos projetos deprodução do campo. Steagall et all (2005) também utilizaram a metodologia de VDI parajustificar a aquisição de uma sísmica 4D no Campo de Marlim na Bacia de Campos.ENEGEP 2006 ABEPRO 3
  4. 4. XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 20062.1 Projetos de Aquisição de InformaçõesExistem diversos tipos de investimento em informação sendo que a seleção depende de qualinformação é mais importante para o projeto em estudo.O investimento em um levantamento sísmico na área do reservatório é uma das formasutilizadas para redução de incerteza no que diz respeito à localização, dimensões, geometria eheterogeneidades internas do reservatório e, conseqüentemente, do volume de óleo que poderáser explotado. Conforme Thomas (2001), o levantamento sísmico inicia-se com a geração deondas elásticas, através de fontes artificiais, que se propagam pelo interior da Terra, onde sãorefletidas e refratadas nas interfaces que separam rochas de diferentes constituiçõespetrofísicas, e retornam a superfície, onde são captadas por sofisticados equipamentos deregistro. Na sísmica 3D, os dados são adquiridos de forma a se ter uma distribuição uniformesobre uma área gerando um volume sísmico que será interpretado, fornecendo, finalmente, ummodelo tridimensional do reservatório.Ainda segundo Thomas (2001), existe a sísmica 4D que na realidade é a repetição de umlevantamento 3D, em intervalos grandes de tempo, mantendo-se as mesmas condições deaquisição e processamento. Nestas condições, os levantamentos repetidos apresentarão osmesmos resultados. Entretanto, se no intervalo entre um levantamento e outro houveralteração das características petrofísicas dos reservatórios, devido à extração de fluidos, ouinjeção de água para manutenção de pressão ou de outra atividade qualquer, os resultadosserão diferentes e a análise destas diferenças poderá fornecer informações importantes para odesenvolvimento da produção do campo de petróleo.Um outro projeto de aquisição de informações utilizado na indústria do petróleo é o Teste deLonga Duração (TLD). Conforme a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural eBiocombustíveis (ANP), TLD é definido como testes de poços, realizados durante a Fase deExploração, com a finalidade exclusiva de obtenção de dados e informações paraconhecimento dos reservatórios, com tempo total de fluxo superior a 72 horas. O TLD ébastante utilizado em projetos que não possuem similares em outras regiões.Lach (1997) apresentou a realização de um TLD no Campo de Captain em 1993 para reduziralgumas incertezas relacionas às características do reservatório, performance da produção deum poço horizontal, método de elevação de petróleo e processamento da planta da UEP.Bezerra et all (2004) também apresentou um TLD realizado no Campo de Jubarte na Bacia deCampos para obter informações relacionadas à performance do reservatório e ao processo deprodução da plataforma devido ao petróleo do Campo de Jubarte ser bastante pesado (17 API)e produzido em águas profundas (lâmina d’água entre 1000 e 1500 metros).Outro projeto de aquisição de informações muito utilizado é o de Sistema Antecipado deProdução. Através deste tipo de projeto, pode-se obter, principalmente, informações dasvariáveis dinâmicas do reservatório devido ao campo estar com sua produção iniciada. EmBezerra et all (2004) foi apresentado que o plano de desenvolvimento do Campo de Jubarteserá em três fases, sendo a segunda fase um projeto de desenvolvimento inicial da produçãopara adquirir informações para o projeto definitivo.3. Metodologia3.1 Definições das principais incertezasA primeira etapa de um estudo de VDI é identificar as principais incertezas do projeto, ouseja, as incertezas que geram maior impacto no resultado econômico do projeto.ENEGEP 2006 ABEPRO 4
  5. 5. XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006Definidas as principais incertezas, deve-se verificar se as mesmas podem ser mitigadas com aaquisição de informações antes da realização do projeto de desenvolvimento definitivo docampo de petróleo. Em caso afirmativo, deve-se identificar quais os cenários possíveis para asvariáveis consideradas no estudo, como, por exemplo, um cenário otimista, outro pessimista eoutro esperado.3.2 Definições dos projetos para cada cenárioApós a identificação dos cenários possíveis para as variáveis consideradas no estudo, deve-sedefinir qual a concepção de projeto mais apropriada para o caso de acontecer qualquer um doscenários considerados. Ou seja, caso aconteça um cenário diferente do esperado (cenáriospessimista ou otimista) até o presente momento, deve-se definir o escopo do projeto maisotimizado para este cenário, definindo, por exemplo, o número de poços e a capacidade daUEP ótimos.Portanto, caso se obtenha a informação antes do início da concepção do projeto definitivo,pode-se otimizar o projeto para não ocasionar perdas futuras tanto por um projetosuperdimensionado (caso aconteça um cenário pessimista) como por um projetosubdimensionado (caso aconteça um cenário otimista).3.3 Definições das probalidades de ocorrência para cada cenárioO outro passo para a determinação do VDI é definir a probabilidade de ocorrência de cadacenário definido. Esta etapa é uma das mais complexas, pois depende de um alto grau deexperiência e especialização da equipe responsável pela realização da análise, pois é de difícilquantificação por ser de caráter subjetivo. Deve-se então comprometer boa parte do tempo daanálise nesta etapa, pois uma determinação equivocada das probabilidades de ocorrêcia doscenários compromete todo o resultado da análise.3.4 Modelo de Valor da InformaçãoA primeira etapa para o cálculo do VDI é obter o Valor da Informação perfeita, ou seja,considerando que toda a incerteza é eliminada com a aquisição da informação. Depois, deve-se aplicar a este valor um fator de desconto devido ao fato da informação ser imperfeita,obtendo-se então o Valor da Informação Bruto. Descontando o custo da aquisição dainformação, obtém-se o Valor da Informação Líquido, que caso seja positivo recomenda-seinvestir na aquisição da informação.Um resumo do estudo de Valor da Informação Perfeita é apresentado na Tabela 1. VPL Com VPL Sem Cenários Probabilidade (%) ∆VPL Informação * Informação **A PA VPLCIA VPLSIA ∆VPLAB PB VPLCIB VPLSIB ∆VPLBEsperado PE VPLE VPLE 0C PC VPLCIC VPLSIC ∆VPLCD PD VPLCID VPLSID ∆VPLD Tabela 1 – Concepção do estudo de Valor da Informação Perfeita* VPL otimizado com a informação sendo que cada cenário possui sua alternativa ótima de desenvolvimento. Caso o VPL seja negativo em algum dos cenários, deve-se adotar o valor zero no respectivo cenário, pois o projeto não será levado adiante caso isto aconteça.** VPL não otimizado, pois não se tem a informação para realizar a otimização. O escopo do projeto considerado para todos os cenários é o do cenário esperado. Caso o valor esperado (média) destes VPLs seja menor que zero, deve-se adotar o valor zero para todos os cenários, pois caso isto aconteça, o projeto nãoENEGEP 2006 ABEPRO 5
  6. 6. XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006 será levado adiante.Pode-se perceber pela Tabela 1 que o VPL do cenário esperado é o mesmo, obtendo ou não ainformação. Isto ocorre devido ao projeto estar otimizado para este cenário sem ter ainformação antecipadamente, ou seja, ao se obter a informação, neste caso, somentecomprova o cenário esperado. Obtém-se o Valor da Informação Perfeita multiplicando-se os∆VPLs pela probabilidade de cada cenário respectivo.4. Estudo de CasoUtilizando-se a metodologia de VDI apresentada neste trabalho, realizou-se um estudo decaso para um campo marítimo de petróleo em águas profundas com óleo do tipo pesado, ouseja, com grau API entre 11 e 22.Considerou-se como as principais incertezas referentes ao reservatório as seguintes: • Manutenção da pressão do reservatório: refere-se à capacidade do reservatório de manter a pressão necessária à elevação dos fluidos (petróleo) até a superfície (UEP); • Estrutura do reservatório: a configuração estrutural impacta diretamente a comunicação dos diversos compartimentos do reservatório, influenciando diretamente a produção do campo; • Heterogeneidades do reservatório: refere-se às barreiras internas do reservatório que impactam na migração interna dos fluidos e conseqüente produção para a superfície.Para as incertezas referentes à manutenção da pressão e à estrutura, avaliou-se que a melhorforma de aquisição da informação seria a realização de um projeto de DesenvolvimentoInicial da Produção.A concepção do projeto adotada foi a produção do campo utilizando-se uma UEP com cercade 1/3 de capacidade da unidade definida para o projeto definitivo, assim como 1/3 do númerode poços produtores. Outro aspecto testado seria o método de elevação artificial de fluidos,escolha decisiva para o projeto definitivo.Considerou-se neste estudo que a informação é perfeita, ou seja, o valor obtido é o VDImáximo, mas sabe-se que dificilmente se consegue eliminar toda a incerteza.Foram avaliados quatro cenários prováveis para o campo e considerou-se que todos oscenários têm a mesma probabilidade de ocorrência devido ao fato de não se ter muitasinformações do campo. A Tabela 2 apresenta os resultados do estudo de VDI para as duasincertezas acima descritas. VPL Com VPL Sem VPL Sem Probabilidade Cenários Informação Informação Informação Ajustado (%) (MM US$) (MM US$) (MM US$) A 25 80 76 0 Esperado 25 44 44 0 B 25 96 -72 0 C 25 57 -141 0 Valor Esperado (Média) 69 -23 0 Tabela 2 – Valor da Informação para as incertezas de manutenção da pressão e estrutura do reservatórioComo o valor esperado dos VPLs sem informação é menor do que zero, significando que, aprincípio, o projeto não é atrativo, adota-se o valor zero em todos os cenários, conformemostrado na coluna 5 da Tabela 2. O Valor da Informação é então a diferença entre o VPLENEGEP 2006 ABEPRO 6
  7. 7. XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006Com informação (US$ 69 milhões) e o VPL Sem Informação (0), que é igual a US$ 69milhões.Para a incerteza referente às heterogeneidades do reservatório, constatou-se que a melhoralternativa de redução de incerteza é a aquisição de uma sísmica 3D. Gerou-se três cenáriosde resultados prováveis para o campo e considerou-se que os cenários são equiprováveis. Osresultados estão apresentados na Tabela 3. VPL Com Informação VPL Sem Informação Cenários Probabilidade (%) (MM US$) (MM US$) A 33,3 30 -35 Esperado 33,3 30 30 B 33,3 120 74 Valor Esperado (Média) 60 23 Tabela 3 – Valor da Informação para a incerteza de heterogeneidade do reservatórioO Valor da Informação é então US$ 60 milhões menos US$ 23 milhões que é igual a US$ 37milhões.Logo, poder-se-ia concluir que o Valor da Informação Global, ou seja, considerando todas astrês incertezas, é a soma dos dois valores de VDI mostrados acima que é portanto US$ 106milhões (69 + 37).Com isso, para se confirmar ou não o Valor da Informação Global obtido acima, realizou-seuma análise de VDI considerando as três incertezas simultaneamente. O resultado éapresentado na Tabela 4. VPL Com VPL Sem Informação Probabilidade VPL Sem Informação Cenários Informação Ajustado (%) (MM US$) (MM US$) (MM US$) A 16,67 80 40 0 Esperado 16,67 44 44 0 B 16,67 44 -35 0 C 16,67 96 -99 0 D 16,67 57 -160 0 E 16,67 57 -178 0 Valor Esperado (Média) 63 -65 0 Tabela 4 – Valor da Informação considerando as três incertezas do reservatórioComo o valor esperado dos VPLs sem informação é menor do que zero, não sendo entãoviável economicamente, adota-se o valor zero em todos os cenários, conforme apresentado nacoluna 5 da Tabela 4. O Valor da Informação Global considerando as três incertezassimultaneamente é então de US$ 63 milhões. Este resultado não confirma o valor de US$ 106milhões obtido do VDI Global considerando a incerteza quanto às heterogeneidades doreservatório separadamente.Portanto, deve-se analisar cuidadosamente o cálculo de VDI quando um campo possui muitaincerteza que pode ser reduzida com formas diferentes de aquisição de informações. Não sedeve somar valores de informação obtidos separadamente, pois um projeto de aquisição deinformação pode influenciar no resultado de outro projeto de aquisição de informação, a nãoser que as informações a serem obtidas sejam indepedentes umas das outras.ENEGEP 2006 ABEPRO 7
  8. 8. XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006Um outro ponto a ser considerado na análise é com relação às premissas econômicas adotadase também no valor obtido para as probabilidades de ocorrência de cada cenário simulado.Dependendo do preço do petróleo ou da taxa mínima de atratividade (TMA) ou mesmo daprobabilidade de cada cenário, o Valor Esperado do VPL pode ser positivo para o cenário seminformação ou o VPL de determinado cenário com informação ser negativo, alterando então ovalor final do VDI.5. ConclusãoEm projetos de desenvolvimento da produção marítima de petróleo existem diversasincertezas que podem ser mitigadas a partir da aquisição de informações. As principaisincertezas em um campo são referentes ao reservatório de petróleo e os principais projetos deaquisição de informações são: sistema antecipado de produção de um campo de petróleo,levantamento sísmico, perfuração de um poço de aquisição de informações e teste de longaduração.Uma metodologia bastante utilizada para quantificar os ganhos obtidos em um projeto deaquisição de informações é o Valor da Informação (VDI).Para quantificar o VDI de um campo de petróleo, deve-se considerar todas as incertezas quepodem ser mitigadas a partir de projetos de aquisição de informações conjuntamente, pois aaquisição de informações a partir de um projeto pode interferir no resultado de outro projetode aquisição de informações causando um erro no cálculo do VDI.Um dos itens de grande importância no cálculo de VDI são as premissas econômicasconsideradas, principalmente a TMA, o preço do petróleo e também as probabilidades deocorrência de cada cenário simulado. Portanto, deve-se atentar para a determinação destesparâmetros, para que o resultado do cálculo do VDI seja confiável.6. ReferênciasAYLOR, W. K. J. (1999) - Measurig the impact of 3-D Seismic on Business Performance. SPE 52970. Dallas,Texas.BREALEY, A R. & MYERS, C. S. (1998) - Princípios de Finanças Empresariais. 5ª Ed. Mcgraw-hill. Portugal.DIAS, M. A. G. (1996) - Investimento Sob Incerteza em Exploração e Produção de Petróleo. Dissertação deMestrado. PUC-Rio. Rio de Janeiro.DIAS, M. A. G. (2005) - Opções Reais Híbridas com Aplicações em Petróleo. Tese de Doutorado. PUC-RIO.Rio de Janeiro.LIGERO, L. E, COSTA, A.P.A & SCHIOZER, D.J. (2003) - Reservoir Simulation Symposium. SPE 81162.Port-of-Spain. Trinidad. West Indies.THOMAS, J. E. (2001) - Fundamentos de Engenharia de Petróleo. 2ª Edição. Ed. Interciência. Rio de Janeiro.MACHADO, M. C. (2000) - Segmentação de Dados Sísmicos via Hyperstack para Visualização. Dissertação deMestrado. PUC-Rio. Rio de JaneiroLACH, J. R. (1997) - Captain Field Reservoir Development Planning and Horizontal Well Performance. OTC8508. Houston. Texas.BEZERRA, M. F. C., JUNIOR, C. P. & BRUHN, C. H. L. (2004) - The Appraisal and Development Plan for theHeavy Oil Jubarte Field, Deepwater Campos Basin Brazil. OTC 16301. Houston. Texas.XAVIER, A. M., LIGERO, E. L. & SCHIOZER, D. J. (2005) - O Valor da Informação Durante as Fases deAvaliação e Desenvolvimento de Campos de Petróleo. 3° Congresso Brasileiro de P&D em Petróleo e Gás.Salvador. Bahia.DEMIRMEN, F. (1996) - Use of “Value of Information” Concept in Justification and Ranking of SubsurfaceAppraisal. SPE 36631. Denver, Colorado.ENEGEP 2006 ABEPRO 8
  9. 9. XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006COOPERSMITH, E. M., CUNNINGHAM, P. C. & PENA, C. A. (2003) - Decision Mapping – A PracticalDecision Analysis Approach to Appraisal & Development Strategy Evaluations. SPE 82033. Dallas. Texas.PORTELLA, R. C. M., SALOMÃO, M. C., BLAUTH, M. & DUARTE, R. L. B. (2003) - UncertaintyQuantification to Evaluate the Value of information in Deepwater Reservoir. SPE 79707. Houston. Texas.GALLI, A., ARMSTRONG, M. & DIAS, M. A. G. (2004) - The Value of Information: A Bayesian Real OptionApproach. SPE 90418. Houston, Texas.BALLIN, P. R., WARD, G. S., WHORLOW, C. V. & KHAN, T. (2005) Value of Information for a 4D-SeismicAcquisition Project. SPE 94918. Rio de Janeiro.STEAGALL, D. S., GOMES, J. A. T., OLIVEIRA, R. M., RIBEIRO, N. M. S. J., QUEIROZ, R. Q.,CARVALHO, M. R. J. & SOUZA, C. Z. (2005) - How to Estimate the Value of Information (VOI) of a 4DSeismic Survey in One Offshore Giant Field. SPE 95876. Dallas. Texas.ENEGEP 2006 ABEPRO 9

×