Macro Estrutura de Sistemas de Informação com base em princípios na Web Semântica
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Macro Estrutura de Sistemas de Informação com base em princípios na Web Semântica

on

  • 5,456 views

Síntese das atuais propostas de macro estrutura de desenvolvimento de Bibliotecas Digitais com base em princípios da Web Semântica.

Síntese das atuais propostas de macro estrutura de desenvolvimento de Bibliotecas Digitais com base em princípios da Web Semântica.

Statistics

Views

Total Views
5,456
Views on SlideShare
5,252
Embed Views
204

Actions

Likes
3
Downloads
56
Comments
0

5 Embeds 204

http://bsf.org.br 189
http://www.slideshare.net 10
http://www.bsf.org.br 3
http://stoa.usp.br 1
http://209.85.173.104 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Macro Estrutura de Sistemas de Informação com base em princípios na Web Semântica Macro Estrutura de Sistemas de Informação com base em princípios na Web Semântica Presentation Transcript

  • Macro estrutura de Sistemas de Informação com base em princípios da Web Semântica: Síntese de propostas atuais Tiago Rodrigo Marçal Murakami Bacharel em Biblioteconomia pela Universidade de São Paulo Última atualização
  • Objetivo
    • Fazer uma síntese das atuais propostas de macro estrutura de desenvolvimento de Bibliotecas Digitais com base em princípios da Web Semântica.
  • Uso de modelos para documentos Idéia ou Conhecimento Modelo: Áudio Modelo: Artigo Documento 1 Formato: áudio Conteúdo X Documento 2 Formato: artigo Conteúdo X Mesma obra FRBR
  • Núcleo do Sistema Documento estruturado = Forma (Modelo de descrição) + Conteúdo Documento estruturado é a representação do conteúdo de maneira padronizada para ser legível por máquina e por humanos. Princípios envolvidos: Simplicidade, Design Modular, Tolerância, Descentralização, Principio da Potência Mínima, Interoperabilidade. Identificação baseada em URI
  • Responsabilidade pelo documento
    • O documento deve ser assinado (certificado) pelo autor ou autores, com base em uma certificação.
    • O autor é responsável pelo conteúdo do documento e pela formatação.
    • A escolha da licença de direito autoral deve ser feita no momento da criação do documento.
  • Modelos e níveis de descrição
    • Os documentos devem ser baseados em modelos de documentos (ex. artigo) e cada modelo deve ter níveis de descrição.*
    • Os Sistemas de Informação só irão indexar documentos com níveis de descrição mínimos (campos obrigatórios) definidos conforme o modelo.
    • Esse modelo não difere muito do atual (ABNT)
    * Ainda falta uma entidade de certificação.
  • Obras derivadas e mashups n x z y Obras derivadas serão marcadas com uma “marca d´água”, indicando de onde foram derivadas (Citação automática), o que possibilita o rastreamento automático. Também deve ser usado para citação de pequenos trechos, pois indicaria a origem.
  • Modificações x x+n x+n+y Obras deverão guardar as modificações feitas e a autoria de quem fez essas modificações. E além disso, informar através de feeds essas modificações. Jan Mai Nov
  • Sistemas de Informação
    • A descentralização dos documentos possibilita a criação de diversos tipos de Sistemas de Informação utilizando a mesma informação. Cabe aos Sistemas proporem as inovações.
  • Armazenamento Servidor 1 Docs. 1,2,x... Servidor 2 Docs. 1,3,x... Servidor n Docs. 1,2,3,x...
  • Sistemas de busca (ex.Google) Cópia dos Documento + Algoritmos Consulta 1, 2, n... Documentos 1, 2, n... Única vantagem: Melhora no peso de descritores e conseqüentemente dos resultados da busca. Documentos 1, 2, n...
  • Busca científica Docs 1, 2, x Critérios de Seleção Cópia e indexação Índices e dados estatísticos Consultas
  • Bibliotecas Digitais Docs. Critérios de Seleção Adição de dados Bibliográficos e biográficos Repositório Informações adicionadas por usuários Usuário 1 Usuário n Troca de informações Repositório Usuário n Repositório Usuário 1 Interface Navegação Consultas Divulgação
  • Organização entre repositórios e Bibliotecas Digitais Vocabulário Controlado 1 Vocabulário Controlado 2 Repositório 1 Repositório 2 Equivalência de linguagem Documentos armazenados em outros sistemas Consulta recupera todos os documentos Bookmarking social Complementa a LD
  • E o mais importante...
    • Por ser um sistema aberto, permitirá o surgimento de novas formas de organização da informação e a criação de micro-sistemas de informação particulares.
  • O que falta?
    • Considerando apenas o macro ambiente:
      • Entidade de padronização para estruturas de modelos.
      • Entidade de certificação de identidade digital.
      • Criação de softwares que possibilitem a criação de documentos padronizados pelos autores.
  • Referências e influências
    • ANDERSEN, Jack. Crítica da informação: onde está?. ExtraLibris , 2006. Disponível em: < http://academica.extralibris.info/teoria_da_info/critica_da_informacao_onde_est.html >.
    • _______________. Information criticism: where is it? Progressive librarian , 2005. Disponível em: < http://libr.org/pl/25_Andersen.html >. Acesso em: 09 maio 2006.
    • ANTUNES, Luiz Guilherme. Cyrano digital : a busca por identidade em uma sociedade em transformação. Tese de doutorado: Escola de Comunicações e Artes - São Paulo. 2001.
    • BARRETO, Aldo de Albuquerque. Mudança estrutural no fluxo do conhecimento: a comunicação eletrônica. Ci. Inf. , Brasília, v. 27, n. 2, p. 122-127, maio/ago. 1998.
    • BAZIN, Patrick. Bibliothèques Publiques et Revolution Numérique . 2000. Disponível em: < http://www.iplb.pt/pls/diplb/html_utils . get_file ? xcode =3174708& xc
    • olumnname =content&xtablename= cm_document >. Acesso em: 10 jan. 2005.
    • BERNERS-LEE, Tim. Principles of Design . 1998. Disponível em: http://www.w3.org/DesignIssues/Principles.html . Acesso em: 15 mai 2005.
    • BUCKLAND, Michael. Information as thing. Jornal of the American Society of Information Science . 42:5, june 1991. pp. 351-360.
    • CABRERA FACUNDO AM, COUTÍN DOMÍNGUEZ A. Las bibliotecas digitales. Parte I. Consideraciones teóricas. Acimed . 2005; 13(2). Disponível em: < http://bvs.sld.cu/revistas/aci/vol13_2_05/aci04205.htm >. Acesso em: 23 ago. 2006.
    • DIGITAL LIBRARY FEDERATION. A working definition of digital library. 1998. Disponível em: < http://www.diglib.org/about/dldefinition.htm >. Acesso em: 23 ago 2006.
    • FINGERHUT, Michel. Bibliothèque numérique : la quadrature du cercle ? . Colloque sur les bibliothèques numériques, Brésil, mars-avril 2006.
    • LE BOEUF, Patrick. Is it possible to organise all information? Library viewpoint. In: World Library and Information Congress : “Bibliotheca Universalis: How to organise chaos?”, 71., Järvenpää, Finland, 2005. Disponível em: < http://www.fla.fi/frbr05/2005_Jarvenpaa_LeBoeufw.pdf >. Acesso em: 13 set. 2005.
    • ROLAND, Michel. Bibliothèques numériques? ... les réservoirs documentaires et leurs utilisateurs. (Intervention au congrès ABF – Session 1 « Les Bibliothèques numériques », le 9 juin 2006). Disponível em: < http://bibliothecaire.wordpress.com/mots/bibliotheques-numeriques/ >. Acesso em: 19 jul 2007.
    • SAIDIS, Kostas & DELIS, Alex. Type-consistent Digital Objects. D-Lib Magazine . Vol. 13 Nº 5/6. Mai/Jun 2007. DOI: doi:10.1045/may2007-saidis.
    • SANTOS, Nilton Bahlis dos. Da Ordem do Livro à Ordem da Internet. VII ENANCIB . Marília. 19 a 22 de Novembro de 2006. Disponível em:
    • < http://portalppgci.marilia.unesp.br/enancib/viewabstract . php ?id=210 >. Acesso em: 11 jan. 2007.
    • SEADLE, Michael & GREIFENEDER, Elke. Defining a digital library. Library Hi Tech , Vol. 25, Nº. 2, 2007, p. 169-173. DOI 10.1108/07378830710754938. Disponível em: < http://www.emeraldinsight.com/0737-8831.htm >. Acesso em: 18 jul. 2007.
    • VEGA ALMEIDA, Rosa Lidia. Influencia del paradigma tecnológico en la organización de la información. Acimed 2007;15(2). Disponivel em: < http://bvs.sld.cu/revistas/aci/vol15_1_06/aci07106.htm >. Acesso em: 23 jul 2007.