Jornalismo Online

1,398 views
1,307 views

Published on

Apresentação produzida para a disciplina Jornalismo Online I, da Famecos/PUCRS.

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,398
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
56
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Jornalismo Online

  1. 1. Jornalismo online Profa. Me. Ana Brambilla Prof. Me. Marcelo Träsel Jornalismo Online I - Famecos/PUCRS
  2. 2. Características • Multimidialidade/convergência • Hipertextualidade • Customização/personalização • Instantaneidade/atualização contínua • Memória • Interatividade
  3. 3. Memória • É a capacidade de armazenamento de material produzido pelos jornais. • Na Internet, pela primeira vez, é possível oferecer as “edições anteriores” de um noticiário junto às notícias atuais. • Essa característica favorece a contextualização dos fatos.
  4. 4. Interatividade • O hipertexto é essencialmente interativo, porque o leitor deve tomar decisões a cada momento sobre o caminho a trilhar. • O público na Internet pode usar os mesmos canais da imprensa para comentar, contestar e colaborar com o noticiário. • Interação reativa e interação mútua.
  5. 5. Popularização da tecnologia • Queda nos preços • Desempenho dos aparelhos • Facilidade de uso • Disponibilidade de conteúdo • Condições econômicas, culturais e políticas • Utilidade para as pessoas
  6. 6. Perfil dos usuários • Vivem e trabalham em ambientes multimídia • Estão rodeados por meios impressos, televisão, conteúdo online e wireless • Mudam prontamente de uma mídia a outra, de acordo com suas necessidades
  7. 7. O que querem? • Informação • “On demand” • Entretenimento • Mobilidade • Comunicação • Praticidade • Conveniência • Controle • Conteúdo e serviços
  8. 8. Mudanças na indústria • As redações estão • O fluxo de informação mudando muda de “media centric” para “audience centric” • Há necessidade de conteúdo para as novas • As grades de plataformas programação perdem valor • Produtores de conteúdo que basearam seu • Long tail X mídia de negócio em uma mídia massa expandem suas áreas de atuação e produzem para várias mídias • Novos mercados; novos públicos
  9. 9. Promessas • Espaço ilimitado • Novos formatos narrativos baseados em • Demanda por material hipertexto complementar • Novos formatos • Referenciamento por narrativos baseados em hipermídia hyperlinks • Interação entre repórter • Coberturas cumulativas e leitor • Histórias de bastidores
  10. 10. Desafios • Colocar a informação correta no lugar correto (onde minha audiência procura cada tipo de informação) • Oferecer retorno para os investimentos • Adaptar-se ao novo modelo centrado no consumidor • Adaptar-se à demanda dos leitores
  11. 11. A revolução não aconteceu. (...) O que une os websites pela Europa é uma estrutura formal semelhante, a ausência de conteúdo multimídia, a falta de opções para interação direta com os jornalistas, um repertório bastante padronizado de tipos de artigos, falhas na atribuição de fontes e autores, uma tendência geral à cobertura de eventos políticos nacionais e um escopo limitado das notícias. (...) Não encontramos nem um jornalismo internacional (nem mesmo um Europeu), nem testemunhamos um “jornalismo totalmente novo”. QUANDT, 2006, p.14
  12. 12. Referências • PALÁCIOS, Marcos. Ruptura, continuidade e potencialização no jornalismo on-line: o lugar da memória. In: MACHADO, E., PALÁCIOS, M. Modelos de jornalismo digital. Salvador: Calandra, 2003. • PAUL, Nora. “New News” retrospective: is online news reaching its potential? Online Journalism Review, 24 mar. 2005. Disponível em: http://www.ojr.org/ojr/stories/050324paul. Acesso: 05/02/2007. • QUANDT, Thorsten. (No) news on the World Wide Web?: a comparative content analysis of journalistic news sites in four European countries. Journalism Brazil Conference − thinking journalism across national boundaries, 2006, Porto Alegre. Anais… Porto Alegre, 2006.

×