O Que faz a Transparência Funcionar - Gustavo Nunes
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

O Que faz a Transparência Funcionar - Gustavo Nunes

on

  • 1,160 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,160
Views on SlideShare
1,160
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

O Que faz a Transparência Funcionar - Gustavo Nunes O Que faz a Transparência Funcionar - Gustavo Nunes Presentation Transcript

    • Disciplina: Tópicos em Transparência de Software (INF2921)
    • Aluno: Gustavo Bastos Nunes
    • Período: 2008.1
    • Análise de restaurantes com “notas” alerta as pessoas
    • Essas análises fazem os donos de restaurantes melhorarem a qualidade de limpeza e comida de seus restaurantes, pois ninguém quer ter um restaurante com nota “baixa”
    • Essa política de notas mostra como a transparência pode fazer as pessoas pensarem e tomarem suas decisões
    • A transparência foca em mudar o comportamento das pessoas.
    • Nem todas as políticas de transparência realmente atingem o objetivo.
    • As políticas de transparência passam a ser rankeadas
    • Rank C: A política de transparência é bem sucedida.
    • Rank B: A política de transparência altera o comportamento dos indivíduos mas não do jeito que os criadores da política pretendiam.
    • Rank A: A política é inefetiva
    • Exemplo: Política de informação nutricional
    • Rank C: Consumidores lêem a informação nutricional e mudam seus hábitos, comendo alimentos saudáveis e na medida certa.
    • Rank B: Consumidores param de consumir produtos com gorduras trans, porém começam a consumir excessivamente qualquer produto que não tenha gordura trans.
    • Rank A: Consumidores não mudam seus hábitos.
    • O que faz a informação ficar agregada ao processo de decisão do usuário?
    • 1 – A informação acrescentou valor para o usuário alcançar seus objetivos
    • 2 – Compatibilidade com a rotina de tomada de decisão do usuário
    • 3 – Compreensabilidade
    • Valor: Não há sentido em fazer um rankeamento de restaurantes em uma cidade que só tem um restaurante. O usuário fica sem opção, esse rankeamento acaba não agregando VALOR.
    • Compatibilidade: As pessoas tem rotinas e hábitos. A transparência tem que ser visível no processo de tomada de decisão do usuário. O usuário não quer perder muito tempo analisando fatores.
    • Compreensão: O processo de transparência tem que ser de fácil entendimento.
    • Os divulgadores de informação também precisam alterar seus hábitos de acordo com o feedback dos usuários com relação a política de transparência.
    • Caso os divulgadores alterem suas políticas por causa do feedback dos usuários, dizemos também que a informação dos usuários está agregada ao processo de decisão dos divulgadores de informação.
    • Valor: Os divulgadores de informação só irão mudar suas práticas caso isso interfira nos negócios deles.
    • Compatibilidade: Os divulgadores de informação só irão mudar suas práticas se eles forem aptos há isso. Por exemplo: Fabricantes de automóveis não podem responder rápido ao feedback dos usuários. Pois o processo de redesign deles é lento.
    • Compreensão: Os divulgadores de informação precisam compreender a real causa do feedback negativo dos usuários.
    • Mesmo políticas que ficam agregadas ao processo de decisão do usuário podem falhar.
    • O usuário pode decidir que simplesmente não vale a pena mudar suas decisões por causa da informação nova.
    • Por exemplo: As pessoas podem continuar optando por um carro menos seguro por ele ser mais barato.
    • A informação deve ser de fácil compreensão.
    • O usuário pode interpretar erroneamente a informação passada e fazer o oposto do proposto pela política de transparência
    • Por exemplo: Se em um pacote de biscoitos aparece bem grande: 0,2% de gorduras trans, o usuário pode pensar que isso é muito pouco e comer aquele biscoito a vontade.
    • Altamente efetivas: A política faz o usuário mudar de hábitos, agrega valor, e passa a ser rotina no processo de decisão do usuário e do divulgador de informação
    • Moderadamente efetivas: A política altera o hábito do usuário mas é de difícil compreensão, ou altera somente parcialmente o hábito do usuário. Ou então, acaba por não alterar os hábitos dos divulgadores de informação.
    • Inefetivas: As políticas não alteram o processo de tomada de decisão dos usuários.
    • As vezes as políticas de transparência podem prejudicar os usuários.
    • Por exemplo: É divulgado com clareza a real possibilidade de se pegar HIV.
    • Os usuários podem interpretar que essa possibilidade é muito remota e começarem a fazer sexo desprotegido incontroladamente.
    • Expandir o escopo da informação relativa ao escopo do problema endereçado
    • Aumentar a acurácia e qualidade da informação ao longo do tempo.
    • Aumentar o uso da informação por consumidores, investidores, empregados, ativistas políticos, eleitores e oficiais do governo.
    • Os divulgadores de informação podem começar a ser transparentes espontaneamente por achar que a política de transparência beneficia a empresa.
    • Por exemplo: Campanha da Oi contra o desbloqueio de celular no Brasil.