Giselle Morabito - Transparencia De Software
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,306
On Slideshare
1,275
From Embeds
31
Number of Embeds
2

Actions

Shares
Downloads
5
Comments
0
Likes
0

Embeds 31

http://transparenciadesoftware.wordpress.com 29
http://www.slideshare.net 2

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Governando com Transparência Disciplina: Tópicos de Engenharia de Software (INF2921) Aluna: Giselle Morabito Período: 2008.2
  • 2.
    • Em Setembro de 2000, Masatoshi Ono, o chefe executivo da Bridgestone/ Firestone, enfrentou várias câmeras de televisão em uma sala de audiência cheia. O senado estava investigando as várias mortes misteriosas em acidentes de automóveis. Muitos desses, eram Ford Explorer SUV´s.
    • Abordando os Senadores, os parentes das vitimas, os advogados, e os representantes da industria. Ono proferiu as seguintes palavras: “Eu vim para demonstrar meu profundo Pesar e simpatia por vocês, os americanos e principalmente para quem perdeu alguém que amava nesse acidente.”
    • O escândalo da Firestone permaneceu durante o verão e o outono de 2000 nos
    • Noticiários, porque as companhias de automóveis e os fabricantes de pneus tinham falhado em informar o público sobre os riscos mortais oferecidos.
    O Novo poder da Informação
  • 3.
    • Documentos da Firestone e da Ford indicam que ambas as companhias tinham conhecimento do padrão de acidentes fatais causado pela combinação dos pneus e o peso dos SUV. E não fizeram nada para alertar os motoristas. Quer dizer os Executivos sabiam dos defeitos de fabricação, e no fim morreram 271 pessoas envolvidas em tais acidentes.
    • O publico, entretanto, soube algo desse problema por acaso, depois de muitas mortes. Em fevereiro de 2000, uma estação de TV reportou que as ações alegaram que a explosão dos pneus Firestone e o capotamento do Explorer haviam causado 30 mortes.
    • Depois de 6 meses, os executivos acusaram o problemas e fizeram um recall com 6,5 Milhões de pneus, foi o maior recall desde 1970.
    • Maiores problemas surgiram, pois as investigação do senado revelou que o problema, foi maior que do que um número limitado de pneus defeituosos. Em 1990, muitas pessoas compraram o SUV, porque achavam que era mais seguro que os carros Pequenos. E os Firestone/Explorer,mostrou o contrario, o SUV tinha maior possibilidade de capotamento que os outros carros.
  • 4.
    • Os relatórios das mortes e das lesões, montaram um comitê debatendo qual ação
    • a se tomar. Os Reguladores só tinham o poder de ordenar recalls e impor multas sobre as companhias com pneu defeituoso. O estado poderia também processar por negligencias criminais. Mas essas ações não reduziriam a probabilidade de acidentes futuros.
    • Circunda em torno de questões litigiosas referentes de como estabelecer um
    • design seguro. O congresso decidiu legislar direcionando para transparência.
    • A idéia era que não só o público merecia melhor informação. O que o poder da informação pode criar uma reação em cadeia.
    • O ato TREAD (Transportation Recall Enhancement, accountability and documentation) aprovado em novembro de 2000, obrigava que as companhias de automóveis dissessem aos compradores de automóveis qual dos modelos ofereceriam riscos de capotar .
  • 5.
    • Confrontados com o declínio das vendas do modelo top, o SUV, as empresas
    • começaram a inovar nos designs. Designs seguros que salvariam vidas e preveniam de ações.
    • A informação era o novo poder porque não paravam de colocar fatos sobre os riscos, em domínio público. Eles traduziram o complexo efeito de capotamento em 5 passos, a serem analisados, baseados em testes do governo sobre o novo modelo.
    • Em poucos segundos o comprador saberia, independentemente da sua matemática e do seu conhecimento, comparar os riscos de capotamento de um modelo.
    • Um veiculo 5 estrelas teria 10 % de chances de capotar, e seria mais seguro do
    • que um veiculo de uma estrela com 40 % ou mais de chance de rodar.
    • Os compradores poderiam assim customizar a informação de acordo com suas
    • Necessidades.
  • 6.
    • A transparência criou pressões para acabar com a geração de indústrias, criando
    • Normas de segurança contra a capotagem. Foi introduzindo um controle de
    • Estabilidade. Em 2005, 20 % dos veículos já eram equipados com sensores que,
    • corrigiam a frenagem, comparados com 5 % em 2000.
    • A adoção voluntária da nova tecnologia mudou a política.
    • Em 2005 o congresso aprovou um legado para os usuários, que direcionava a
    • regulação das questões mínimas de performance.
    • O presidente Bill Clinton começou um movimento de que a população teria o direito de saber, só que depois o Bush veio com uma outra corrente, que isso não deveria ser dito para segurança do governo. Então uma segundo nível de transparência surgiu.
    • O segundo nível seria, ao invés de tornar publico, por exemplo tornar publico
    • as contas do governo, quebra de sigilo. Queriam focar na transparência no sentido
    • de dar segurança e performance de aparelhos, carros de forma geral.
    • Um exemplo do acidente químico na Í ndia chamado o bopal, em 1986, o congresso decidiu que eles deveriam dizer quais poluentes estariam jogando no ar.
  • 7.
    • 1990 os cientistas descobriram que ingerir alimentos que não eram saudáveis,
    • prejudicavam a saúde. Então decidiram que todas as fabricas deveriam dizer
    • Quais alimentos tinham e a suas quantidades.
    • Todas as escolas deveriam gerar relatórios informando o progresso .
    • Isso contrapõem o interesse de várias pessoas, empresários, por exemplo,
    • pois para eles seria melhor esconder esses malefícios do que divulgar.
    • A ação do governo foi muito importante, pois só ele poderia criar tais leis forçando
    • Todas as empresas a mudarem o seu comportamento.
    • As pessoas informadas entendem e associam para vida delas o que seria bom, e ai
    • conseguem regrar, escolhendo os melhores hábitos, escolhendo os produtos que não
    • oferecem risco. E essa consciência, mostra que as pessoas não comprariam qualquer
    • produto, então geraria um aumento na qualidade dos produtos em geral.
    • Esse nível de transparência não é novo, em 1906 tinha uma lei chamada “pure food
    • And drug act” obrigava que todos os carregamentos de comida interestaduais fossem
    • listados, o que tinha exatamente ali.
    Transparência focada
  • 8.
    • Políticas de transparência podem fazer mais mal do que bem, se as informa ções dos produtos forem distorcidas, ou incompletas. Ela pode ser mal interpretada, podendo gerar mais acidentes mais mortes, e até uma perda econômica que n ão aconteceria caso não fosse divulgada.
    • O congresso tentou fazer o mesmo dos automoveis com as aguas, mas dessa vez houve uma falha. Pois ele quis mostrar os riscos que haveriam de ingerir águas contaminadas de fontes públicas.
    • Em 19993 descobriram um microbrio que deixou 110 a 400 mil doentes. O congresso obrigou que quem trabalhava com ág ua deveria informar todos os contaminantes existentes na água.
    • O congresso pediu para fazer relatórios que tinham níveis técnicos muito alto, era de difícil compreensão para população, e como era um estudo lento quando ele saiam ja estava desatualizado. enquanto eles tavam bebendo a água que achavam que era boa, ja podia estar contaminada.
    Transparência como ausência de oportunidade
  • 9.
    • Qualquer um que tivesse interessado em maiores informações poderiam procurar nos Links disponíveis.
    • A polícia também incluiu interessantes mecanismos da construção aumentando assim as chances de transparência sustentável.
    • No início os pontos baseavam-se no simples modelo matemático de capotamento,
    • combinado com o centro de massa e gravidade e o peso. Mas posteriormente, a lei
    • obrigou um trabalho mais apurado.
    • O congresso adicionou incentivos. O ato TREAD obrigava que os pneus fossem
    • monitorados por sensores desde 2003. Esse regulamento de segurança teria que
    • avisar aos clientes as indicações de defeitos. E assim ficou fácil dos proprietários
    • perceberem que os pneus deles precisariam de um recall.
    • Esse era o conceito: o governo usaria o poder da informação para dirigir as escolhas na compra de carros, que por sua vez iria melhorar o design e reduzir os riscos. Mas Isso iria funcionar?
  • 10.
    • 5 anos depois da primeira classificação de um possivel capotamento, a resposta
    • pareceu que sim. Inicialmente, O SUV apresentou uma performance ruim. Em 2001,
    • Ganhou uma ou duas estrelas. Em 2005 ele recebeu 2 estrelas, enquanto outros
    • 24 modelos ganharam 4 estrelas.
    • Então não era tão fácil como colocar estrelas nos carros, pois os contaminates das
    • águas mudam muito devido as mudanças climáticas.
    • Pequenas variacões na água pode ser muito sensível a uma parte da população,
    • Crianças, idosos, quem faz quimioterapia.
    • Outro exemplo que a transparencia pode ser muito boa,é que muitas pessoas não
    • tinham conehcimento dos efeitos das gorduras trans, isso era escondido. Pois era
    • parcialmente bom para a venda de produtos, mas não era uma transparencia
    • completa. Os cientistas ja sabiam, mas não eram avisados.
    • Os EUA usam um sistema de 5 cores para alertar contra ataque terrorista, mas é
    • Uma transparência superficial, eles falam que ta perigoso, mas n ão sabe o que fazer
    • com isso.
  • 11.
    • A transparência vem mudando com o poder de transforma çã o do computador
    • e da internet.
    • Por existirem leis que defendam a transparência, se torna muito mais f á cil o acesso. Para que as pessoas procurem informacoes sobre problemas em
    • privadas, escolas, bancos etc.
    Transparência o sucesso e a falha
    • Quando a transparência tem sucesso? Primeiro, tem sucesso quando é centrada no Usuário, ou seja pega-se as necessidades e interesses do usuário, e tentam associar isso e o foco é a boa interpretação dele.
    • Pra ser efetivo, tem que ser sustentável, sempre atualizado, porque descobertas novas poderiam ser um buraco nessa nova transparência.
  • 12.
    • Como surgiu toda essa política de crescimento dessa Transparência?
    • Três fatores impulsinoaram essa nova gera çã o de transparência nos EUA:
    • O surgimento de uma nova gera çã o que quer o direito de saber, crises que
    • demandaram uma resposta urgente por riscos s ú bitos, uma geracao de pesquisas
    • feitas por economistas e psicologos comportamentais que discutiam falhas de
    • informação e complexidade.
    • 10 das 15 politicas de transparências organizadas nesse livro foram criadas
    • depois de 1986 (comida, água, pneu)
    Inovação diferente da política
  • 13. No congresso, tem exposto uma declaracao de James Madson: “um governo Popular sem informa çã o popular, é um prologo para uma farsa ou tragédia Ou os dois . Como se chegou a esse afunilamento? Houve uma primeira geração com as politicas do direito de saber que gradualmente melhorou a abertura do governo. E depois teve uma segunda geração que seriam umas transparências focadas, que evoluiu da politica do saber, mais voltada para a seguran ç a. E agora tem uma nascente terceira geração que usa da transparência colaborativa, Que com o potencial da internet, combina a primeira e a segunda gera çã o, com mais fácil acesso