• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Nutrição  Cartilha  Merendeira 2
 

Nutrição Cartilha Merendeira 2

on

  • 14,654 views

 

Statistics

Views

Total Views
14,654
Views on SlideShare
14,637
Embed Views
17

Actions

Likes
2
Downloads
240
Comments
0

1 Embed 17

http://alimentao-sadeevida.blogspot.com 17

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Nutrição  Cartilha  Merendeira 2 Nutrição Cartilha Merendeira 2 Document Transcript

    • Práticas de Higiene na Manipulação de Alimentos Apresentação Apresentação Nos dias atuais é comum ligarmos a televisão ou o rádio e escutarmos notícias sobre a tal mudança climática. Mas o que é isso? O que tem haver com você? O próprio nome mudanças climáticas já esclarece que o clima, ao longo dos anos, vem se modificando, e pelo terror das notícias, é uma mudança nada boa... Você mesmo já deve ter percebido como o clima tem se modificado, e que o período seco tem se tornado cada vez mais quente. Que as chu- vas estão cada vez mais fortes, que sofremos cada vez mais com a baixa umidade do ar, e que em outras cidades do nosso país, há cada vez mais enchentes, ondas de calor insuportáveis, estações do ano misturadas e outros fenômenos do clima. Mas porque isto está acontecendo? Os grandes cientistas do mundo inteiro acreditam que o principal res- ponsável deste problema é o homem, pois no seu cotidiano, nas queima- das que faz para limpar pastos, nas árvores que derruba, nas monocul- turas que planta, no uso de seus carros, na atividade de suas empresas e outras tantas coisas que faz, emite gases poluentes, os chamados gases de efeito estufa. Dentre eles podemos apontar como o mais agressor o dió- xido de carbono, que é emitido no processo das queimadas, dos escapa- mentos dos carros, das chaminés das indústrias, na produção do carvão e em outras atividades. Os pesquisadores também identificaram que as florestas são as princi- pais responsáveis pela absorção deste gás, o dióxido de carbono, e que o desmatamento influi, portanto, como uma grande causa das mudanças 1
    • Instituto Ecológica no clima. Ou seja, quanto menos árvores de pé para capturar o dióxido de carbono, menos ar puro para respirarmos, mais quentes os dias se tor- nam e mais prejuízo para o nosso planeta. Mas então o que fazemos? Temos dois caminhos: um é se conformar e tentar se adaptar a estas alte- rações climáticas, ou, cada um conscientizar-se do seu papel e adotar uma postura responsável no seu dia-a-dia. O Instituto Ecológica é uma organização da sociedade civil (OSCIP) que atua desde 2000 no desenvolvimento de pesquisas e projetos em conservação e preservação do meio ambiente que objetivam atenuar os efeitos das mudanças climáticas sofridos por nosso planeta. O IE acredi- ta que através da educação e da adoção de práticas sustentáveis, podere- mos cuidar melhor da nossa terra e da nossa gente. A principal ferramenta que utiliza para esse fim é a Metodologia do Carbono Social que gerencia projetos que consideram as ações que via- bilizam e melhoram as condições de vida das comunidades envolvidas nos projetos, visando assegurar o bem estar e a cidadania, sem degradar a base de recursos. Com base nesta metodologia, o IE desenvolveu a Série Desenvolver para orientar o trabalho de grupos e comunidades e ampliar as oportunidades que tragam benefícios sociais e econômicos. Esse trabalho conta com parceiros que também acreditam em ações geradoras desses benefícios contribuindo para um desenvolvimento sustentável e ambientalmente correto. O tema apresentado nesta cartilha é Práticas de Higiene na Manipula- ção de Alimentos. Este tema auxiliará você a conhecer melhor as regras de higiene utilizadas na elaboração de alimentos seguros, bem como uma noção básica de nutrição e um melhor aproveitamento dos alimentos. 2
    • Práticas de Higiene na Manipulação de Alimentos Uma alimentação segura é fundamental para a qualidade de vida. Veja abaixo, no hexágono do Carbono Social alguns benefícios gerados por esta capacitação. Natural Valoriza os alimentos encontrados no bioma Cerrado. Social Estimula o desenvolvimento comunitário através da Biodiversidade promoção da capacidade Estimula a preservação das de trabalhar mais e variedades garantindo a aprender melhor. sustentabilidade. Financeiro Carbono Propicia a geração de Trabalha a correta destinação renda através da produção dos resíduos sólidos de forma a de “Alimentos Seguros”. controlar a emissão de metano. Humano Beneficia a saudabilidade do indivíduo através do consumo e manipulação adequados dos alimentos. 3
    • Instituto Ecológica Introdução Introdução A alimentação saudável é a base para a boa manutenção da vida. Através dela é possível vivermos melhor e desenvolver nossas atividades do dia- a-dia. Um indivíduo saudável consegue exercer com normalidade suas atividades pessoais e profissionais, e seu organismo fica menos suscetível às doenças. Uma boa alimentação está baseada na obtenção de alimentos frescos e nutritivos, consumidos moderadamente e preparados com cuidados específicos. Alimentos bem conservados e manipulados ficam livres de contaminações que prejudicam a saúde e o bem estar de uma pessoa. A comercialização de produtos alimentares necessita estar amparada de critérios sobre a manipulação de alimentos, para que sejam oferecidos à sociedade produtos de qualidade e não ofereça riscos à saúde pública. Para sua comunidade é importante conhecer as práticas aqui relatadas, pois elas auxiliam na condução de uma vida saudável através da alimen- 4
    • Práticas de Higiene na Manipulação de Alimentos tação, e pode ajudar nos bons negócios na produção e comercialização de produtos alimentares. Noções Básicas sobre Alimentação Noções Básicas sobre Alimentação e Nutrição e Nutrição O alimento e a água são condições essenciais para a manutenção da vida. Sem alimento, em quantidade e qualidade adequadas, elevam-se os riscos do desenvolvimento de doenças em nosso organismo. Fatores como preferências, hábitos familiares e culturais, custos e dispo- nibilidade dos alimentos afetam o consumo alimentar de um indivíduo. Ter uma alimentação balanceada e equilibrada aliada a bons hábitos, como a prática regular de atividade física, contribui para a melhoria da saúde e da qualidade de vida em qualquer idade. Alimentação É a base da vida e dela depende a saúde do homem. A falta de alimentos, os tabus e crenças alimentares e a diminuição de poder aquisitivo, são fatores que levam à nutrição inadequada. Uma dieta saudável pode ser resumida por três palavras: variedade, mo- deração e equilíbrio. A alimentação deve ser fornecida em quantidade e qualidade suficientes e estar adequada à necessidade do indivíduo. Para entendermos melhor o que significa uma alimentação adequada, precisamos saber a diferença existente entre alimentos e nutrientes. 5
    • Instituto Ecológica Os Alimentos São substâncias que visam promover o crescimento e a produção de ener- gia necessária para as diversas funções do organismo. Alimentar-se é ato voluntário e consciente. Nutrientes São substâncias que estão presentes nos alimentos, e são utilizadas pelo organismo. Os nutrientes são: proteínas, carboidratos, gorduras, vitami- nas e sais minerais. Nutrir-se é ato involuntário e inconsciente. A Função do Nutrientes Construtores (Proteínas) São importantes para a construção do organismo, como os nossos ossos, pele e músculos. • Carne (boi, porco, aves, peixes), ovos, leite e derivados. Energéticos (Carboidratos e gorduras) Fornecem energia para as atividades do dia-a-dia. • Cereais, pães, massas, bolo, batatas, açúcar. 6
    • Práticas de Higiene na Manipulação de Alimentos Gorduras (Extra-energéticos) • Óleos, gorduras, margarinas Reguladores (Vitaminas e Sais Minerais) São necessários ao bom funcionamento do organismo, auxiliando na prevenção de doenças e no crescimento. Em uma dieta saudável, não pode faltar nenhum deles. No planejamento do cardápio devemos levar em consideração a oferta de cores, pois quanto mais colorida, mais atrativa e nutritiva será a refeição. Pirâmide dos Alimentos Pirâmide dos Alimentos A Pirâmide dos Alimentos é um guia, e não uma prescrição rígida. Para uma vida saudável, ela ajuda na escolha dos alimentos que devem ser consumidos para se obter os nutrientes necessários e, ao mesmo tempo, a quantidade ideal de calorias para se manter um peso adequado. 7
    • Instituto Ecológica Grupo 1 - ENERGÉTICO Grupo 5 - CONSTRUTOR Pães, cereais e massas, outros grãos, raízes Leguminosos - 1 Porção diária. e tubérculos Grupo 2 - REGULADOR Grupo 6 - CONSTRUTOR Legumes e verduras - 3 Porções diárias Carnes e ovos - 2 Porções diárias. Grupo 3 - REGULADOR Grupo 7 - EXTRA-ENERGÉTICO Frutas e sucos de frutas - 3 Porções diárias. Óleos e gorduras - 2 Porções diárias. Grupo 8 - EXTRA-ENERGÉTICO Grupo 4 - CONSTRUTOR Açucares, balas, chocolate, salgadinhos Leite e derivados - 3 Porções diárias. 2 Porções diárias. Fontes dos nutrientesnos Alimentos Fontes dos nutrientes nos Alimentos Vitaminas Vitamina A É importante para o bom desempenho da visão, para o crescimento, para a vitalidade da pele e cabelo. Para que seja bem absorvida pelo organis- mo, é necessário consumir alimentos que contenham gorduras. A falta da vitamina A pode causar cegueira noturna (maior dificuldade de adaptação da visão o escuro), secura da pele e maior risco de contrair infecções. Fontes de origem Animal: fígado, gema de ovo, leite integral e deriva- dos, óleo de fígado de alguns peixes, como bacalhau. Fontes de origem Vegetal: margarina, óleo de dendê e do buriti, frutas e hortaliças de cor amarelo-alaranjada, como cenoura, morango, abó- bora madura, manga e mamão ou de cor verde-escura: mostarda, couve, agrião e almeirão etc. 8
    • Práticas de Higiene na Manipulação de Alimentos Vitaminas do complexo B Ajudam na manutenção da pele, colaboram no crescimento e deixam os cabelos mais saudáveis e brilhantes. Fontes: batata, banana, legumes e alguns tipos de carne (boi, frango, pei- xe), miúdos em geral (coração, fígado etc), levedo de cerveja, gema do ovo, germe de trigo, músculo de boi, pão integral e abacate. Vitamina E Retarda o envelhecimento e auxilia no aproveitamento da vitamina A. Fontes: Germe de trigo, amêndoas e avelãs. Encontram-se em óleos ve- getais, como os de germe de trigo, girassol, caroço de algodão, dendê, amendoim, milho e soja. Vitamina K Ajuda na cicatrização e evita sangramentos. Fontes: Leite e derivados, carnes, ovos, sardinha, amêndoa, semente de gergelim e hortaliças verdes. Vitamina C Aumenta a resistência do organismo evitando gripes e resfriados, prote- ge a gengiva e aumenta a absorção do ferro. Fontes: É amplamente encontrada nas frutas cítricas e folhas de vegetais crus. As melhores fontes são: acerola, laranja, limão, morango, brócolis, repolho e espinafre. Vitamina D Essencial para a formação dos ossos e dentes, deixando-os mais resisten- tes. Sua ausência pode provocar raquitismo e amolecimento dos ossos (osteomalácea). 9
    • Instituto Ecológica Fontes: Gema de ovo, fígado, manteiga e pescados gordos (arenque e cavala). Encontra-se teores de vitamina D nas sardinhas e no atum. Esta vitamina é formada pelos raios ultravioletas do sol. Sais Minerais Cálcio Importante na formação e manutenção dos ossos e dentes, evitando a fragilidade dos mesmos. Sua ausência pode provocar deformidades ós- seas. Fontes: Leite, queijo, gema de ovo, carnes (boi,peixes e aves), cereais de trigo integral, legumes e castanha. Fósforo Ajuda na memória e contribui para a formação dos ossos e dentes. Fontes: Nozes, legumes e grãos. Sódio Evita fraqueza e desidratação. Fontes: Cloreto de sódio ou sal de cozinha. Alimentos protéicos contêm mais sódio que outros tipos de alimentos, portanto, geralmente não é necessário o acréscimo de sal em algumas preparações. A quantidade necessária de sal por pessoa é de ¼ de colher de chá por dia. Ferro Importante na formação das células vermelhas, prevenindo a anemia. Quando fornecido pelas carnes, este mineral é melhor absorvido do que os de origem vegetal. falta de ferro é a mais comum de todas as defi- ciências nutricionais, principalmente para crianças menores de 2 anos, 10
    • Práticas de Higiene na Manipulação de Alimentos meninas adolescentes, grávidas e idosos. Fontes: Fígado, carnes, gema de ovo, feijão, frutas secas, cereais, lentilha, folhas verde-escuras e beterraba. Os refrigerantes a base de cola reduzem a absorção do ferro se consu- midos durante a refeição. Para melhorar a absorção consuma alimentos ricos em ferro junto com alimentos ricos em vitamina C. Para melhorar a absorção consuma alimentos ricos em ferro junto com outros ricos em Vitamina C. Potássio Evita a fraqueza muscular e controla os batimentos do coração. Fontes: Frutas, leite, carnes, cereais, vegetais e legumes. Fibras Sua função é estimular o funcionamento intestinal. Absorvem líquidos e ligam substâncias, por isso previnem a prisão de ventre, eliminando também elementos tóxicos do organismo. omendo poucas fibras pode-se ter doenças como: hipertensão, colesterol alto, obesidade, nflamação da hemorróida e câncer de intestino. Fontes: Pão integral, frutas com casca, vegetais crus, grãos, leguminosas e cereais integrais. Água A água também regula nosso organismo e nos hidrata. O corpo perde água naturalmente, através da pele com a transpiração, dos rins com a urina e pelo intestino com as fezes. Por isso, devemos repor líquidos, preferencialmente, através da ingestão 11
    • Instituto Ecológica de água; e também através de frutas como melancia e melão (que possuem 80 e 60% de água respectivamente). A reposição de água deve ser de 2,5 litros/dia, ou de 8 a 10 copos/dia. Alimentação Integral Alimentação Integral A alimentação integral possui como princípio básico a diversidade de alimentos e a complementação de refeições, com o objetivo de reduzir custo, proporcionar o preparo rápido e oferecer paladar regionalizado. Estudos mostram que o homem necessita de uma alimentação sadia, rica em nutrientes, que pode ser alcançada com partes dos alimentos que normalmente são desprezadas. Os principais alimentos ou produtos utilizados para complementar a dieta convencional são: pós (casca de ovo, semente de abóbora); farelos (trigo, arroz, milho); farinhas torradas, raízes e tubérculos. Quando se utiliza partes dos alimentos que seriam descartados, beneficiamos o meio ambiente, pois deixamos de depositar mais materiais no lixo e assim não poluímos. As sobras não aproveitadas podem ainda ter um outro destino: a compostagem. Compostagem é o processo de decomposição biológica da matéria orgânica contida em resíduos animais ou vegetais. É feita por muitas espécies de microorganismos e animais invertebrados que em presença de umidade e oxigênio, se alimentam dessa matéria e propiciam que seus elementos químicos e nutrientes voltem à terra. Pode ser executado com parte do nosso lixo doméstico resultando em um excelente adubo para ser utilizado em hortas, vasos de plantas, jardins ou algum terreno que você tenha disponível. Este é um dos métodos mais antigos de reciclagem onde imitamos os processos da natureza para melhorarmos a terra. 12
    • Práticas de Higiene na Manipulação de Alimentos O Passo a passo da Compostagem: • Escolha um lugar sombreado, de fácil acesso e preferen- cialmente sobre a terra, de modo a manter contato mais íntimo com a vida do solo; • Reduza o tamanho do material, picando ou rasgando; • Coloque primeiro o material graúdo (o mais adequado é o de poda de árvores e cercas vivas, devidamente picado) até uma altura de 20 cm; • Acrescente outros resíduos de jardim e de cozinha, evi- tando, porém, a formação de camadas nitidamente dife- renciadas de um único tipo de material; • Mantenha o material solto e fofo; • Depois de colocar o material, recubra com uma camada de grama, palha, folhas de bananeira, de palmeira ou fo- lhagem para protegê-lo tanto do ressecamento quanto de chuvas fortes, conservando-lhe a umidade e o calor; • Molhe sempre que necessário para manter a umidade, mas lembre-se que não deve ficar muito úmido; • Avalie a temperatura usando um termômetro de haste longa, uma barra de ferro ou colocando a mão no inte- rior do monte. Se for possível suportar o calor da barra ou do composto, a temperatura está boa, mas se é prati- camente impossível segurar a barra ou manter a mão no monte, é preciso resfriá-la. Fonte: www.recicloteca.org.br Características Básicas da Alimentação Integral: • Alto valor nutritivo; • Baixo custo; • Paladar regionalizado; • Preparo rápido. 13
    • Instituto Ecológica O O Manipulador de Alimentos Manipulador de Alimentos Manipuladores de alimentos são todas as pessoas que trabalham com a alimentação, ou seja, quem produz, coleta, transporta, recebe, prepara e distribui o alimento. O manipulador de alimentos necessita conhecer quais são os principais riscos ao trabalhar com os alimentos, ou seja, reconhecer tudo aquilo que pode causar algum mal à saúde das pessoas, são eles: Biológicos: os microrganismos Físicos: pedras, cacos de vidro, pregos etc. Químicos: os venenos Destes riscos, o mais perigoso é o biológico. Ele se dá pela contaminação dos alimentos através de microrganismos, também chamados de micróbios. São seres vivos muito pequenos que só podem ser vistos com um auxílio de um aparelho chamado microscópio ou em colônias, quando existem milhões de microrganismos juntos. O que os microorganismos precisam para se multiplicar? Alimento Os restos de comida servem como alimento para os microrganismos. Água Quanto mais úmido o alimento melhor para os microrganismos. 14
    • Práticas de Higiene na Manipulação de Alimentos Temperatura Conseguem viver em ambiente não muito quente, nem muito frio. As temperaturas de verão ou do nosso corpo são ótimas para os microrganismos. Onde estão os microorganismos? Nos alimentos, nos utensílios, nas pragas como ratos e baratas, nas superfícies de plantas e nos pêlos dos animais, no chão, no ar, na água e na poeira. Mas não é só aí, nas pessoas também existem microorganismos! Eles estão no cabelo, no nariz, na garganta, na boca, no intestino, nas mãos, nas roupas e sapatos! Ufa! O que os microorganismos podem causar? Quando os microorganismos infectam os alimentos eles podem causar muitas doenças. Estas doenças são chamadas de DTA – Doenças Transmitidas por Alimentos e são causadas pelo consumo de alimentos contaminados por perigos biológicos (bactérias, vírus, parasitos e fungos). Alguns exemplos de DTA são a salmonelose, hepatite A, giardíase, gastroenterite, etc. As doenças transmitidas por alimentos acontecem devido a: • Falta de higiene de utensílios, mãos e equipamentos; • Cruzamento entre alimentos crus e cozidos (principal- mente na arrumação da geladeira); • Uso de alimentos contaminados; • Exposição prolongada dos alimentos a temperatura ina- dequada ou cozimento insuficiente (tempo e temperatu- ra). 15
    • Instituto Ecológica Os principais efeitos de uma DTA são: • Diarréia; • Náusea; • Vômito; • Dor de cabeça; • Dor Abdominal; • Febre; • Formação de gases; • Fadiga; • Perda de apetite. Quando duas ou mais pessoas comem o mesmo alimento contaminado e apresentam os mesmos sintomas de uma DTA, significa que houve um surto de contaminação. Como controlar os perigos? 16
    • Práticas de Higiene na Manipulação de Alimentos Implantando as Boas Práticas Implantando as Boas Práticas Você já ouviu falar nisso? As Boas Práticas são regras que, quando praticadas, ajudam a evitar ou reduzir os perigos. As Boas Práticas envolvem: • Adequação e manutenção das instalações; • Prevenção da contaminação por utensílios, equipamen- tos e ambientes; • Prevenção da contaminação por colaboradores; • Prevenção da contaminação pelo ar ambiente (ar condi- cionado, condensação etc.); • Prevenção da contaminação por produtos químicos; • Controle de pragas; • Garantia da qualidade da água (ex: limpeza da caixa d’água); • Cuidado com o lixo. 17
    • Instituto Ecológica A água Vamos iniciar as boas práticas na manipulação de alimentos falando sobre a água. A qualidade dela é muito importante, pois a usamos para beber, lavar utensílios e equipamentos, preparar alimentos e lavas as mãos. Portanto ela deve ser de boa qualidade, ou seja, sem gosto, sem cheiro, transparente e livre de microrganismos perigosos. Cuidado: galões que foram usados com produtos tóxicos (químicos) não devem ser reaproveitados como depósito de água. Use sempre água tratada ou filtrada e fervida! O controle de pragas Moscas, baratas, formigas, ratos, pássaros, gatos e outros animais podem representar grandes risco de contaminação. Portanto, não é permitida a presença de animais e pragas nas áreas de preparo, manipulação e armazenamento de alimentos. Cuidados com o lixo O lixo acumulado na cozinha é uma fonte perigosa de microrganismos. Por isso: • É importante removê-lo diariamente, ou tantas vezes quanto forem necessárias durante o dia; • Ele deve sempre estar ensacado e em recipientes apro- priados, com tampa; 18
    • Práticas de Higiene na Manipulação de Alimentos • Quando removido dos ambientes, o lixo deve ser arma- zenado em local fechado e freqüentemente limpo, até a coleta pública ou outro fim a que se destine. Lixo exposto atrai insetos, roedores e outros animais. Higienização Envolve duas etapas: • Limpeza: retiramos a sujeira que vemos. • Desinfecção: retiramos a sujeira que não vemos (os mi- crorganismos). Resíduos de alimentos deixados no ambiente e materiais fora de uso favorecem o aparecimento de pragas. Os produtos de limpeza devem ser guardados em local separado dos alimentos. Higiene de ambientes A higiene de ambientes (pisos, paredes, portas, ralos, janelas, banheiros etc.) deve ser feita da seguinte forma: • Remova a sujeira; • Lave com detergente; • Enxágüe; 19
    • Instituto Ecológica • Retire o excesso com auxílio de um rodo; • Desinfete com solução clorada para ambientes. Observações: • Sempre comece pelo alto; • Higienize tanques, ralos, vassouras, panos, rodo, entre outros; • Separe os materiais para lavar o chão dos que são usados para lavar pias. Higiene de Utensílios É a higiene de pratos, talheres, panelas, tabuleiros e outros utensílios. A higiene deve ser feita da seguinte forma: • Retire o excesso; • Lave com detergente; • Enxágüe; • Desinfete com solução clorada para utensílios/ equipa- mentos; • Deixe secar ao ar sempre que possível; • Guarde emborcados em local limpo e protegido. Higiene de equipamentos É a higiene de liquidificador, batedeira, moedor de carne, freezer, geladeira, etc. • Retire da tomada e desmonte as peças; • Lave com detergente; • Enxágüe; • Desinfete com solução clorada; • Deixe secar ao ar; • Remonte as peças; • Use somente após 15 minutos ou guarde em local limpo e fechado. 20
    • Práticas de Higiene na Manipulação de Alimentos Preparando uma solução clorada Adicione 1 colher de sopa de água sanitária (com 2% de cloro) em um li- tro de água limpa. Ou adicione 100 ml água sanitária (com 2% de cloro) em 10 litros de água limpa. Lembretes • A desinfecção com a solução clorada pode ser feita bor- rifando a superfície, ou deixar o utensílio de molho por 2 minutos; • Só reutilize 15 minutos depois; • Após o uso de panos de cozinha, lavá-los e fervê-los. Usar sempre panos secos e limpos, trocando-os quando necessário. Cuidados na preparaçãode Cuidados na preparação de Alimentos Alimentos Recebimento de matérias primas Nesta etapa o manipulador deve fazer uma breve seleção, de modo que os produtos que não apresentem qualidade apropriada (condição de uso) sejam descartados, como já mencionamos, a composteira é o melhor for- 21
    • Instituto Ecológica ma de se desfazer dos alimentos ou suas partes que não nos interessam. As embalagens externas (como caixas de papelão, de madeira e sacos de papel) devem ser retiradas para evitar entrada de pragas e não aumentar a contaminação ambiental. Este material é o que chamamos de lixo seco, com ele é possível separarmos os materiais para encaminhar a recicla- gem. Armazenamento O manipulador deve armazenar rápida e corretamente os alimentos para conservar sua qualidade o maior tempo possível, evitando que estra- guem. O armazenamento pode ser à frio – em geladeira, congelador ou freezer ou a seco – no estoque de pré-preparo. Descongelamento As melhores maneiras de descongelar um alimento são: • Retirar do freezer ou congelador e repousando-o dentro da geladeira; • Fazer o cozimento direto (fritura, chapa, etc), • Em caso de urgência, em água com o alimento em saco plástico bem fechado. Evite o desperdício de água; • Direto no cozimento (fritura, chapa etc.) • À temperatura ambiente por no máximo 4 horas, termi- nando o descongelamento em geladeira. Dessalgue Dessalgar é o processo de tirar o sal de um alimento. Este processo pode ser feito das seguintes formas: • Na água, em geladeira; 22
    • Práticas de Higiene na Manipulação de Alimentos • Na água à temperatura ambiente, trocando a água de 4 em 4 horas (no máximo); • Por fervura, se for para preparo imediato. Higiene de legumes, verduras e frutas Este é um passo muito importante, pois auxilia a redução da contamina- ção dos alimentos que serão consumidos crus. • Retire as partes estragadas; • Lave as folhas uma por uma em água corrente; • Desinfete em solução clorada por 15 minutos; • Enxágüe em água corrente; • Coloque em um utensílio limpo e coberto. Manipulação de alimentos É a etapa onde os alimentos, como vegetais e carnes em geral, são dividi- dos em tamanhos menores e temperados. Ex: corte em bifes. 23
    • Instituto Ecológica Cuidado com a higiene das mãos, facas e tábuas de corte. Importante Após a abertura da embalagem original, o alimento deve ser acondicionado em recipientes adequados, de plástico, previamente lavados e desinfetados, devendo ser colocada uma etiqueta de identificação com o nome do produto e prazo de validade. Deve ser verificada a necessidade de refrigeração, conforme a recomendação do fabricante. Após a abertura da embalagem original perde-se o prazo de vali- dade informado pelo fornecedor. Catação / escolha É realizada principalmente para grãos (arroz, feijão etc.). Ajuda a evitar perigos físicos como pedras, pedaços de madeira, vidro ou metais. Importante: cuidado com a higiene do local antes e após a catação. Moagem O equipamento de moer deve estar muito bem higienizado para evitar a contaminação dos alimentos, principalmente se o mesmo equipamento for usado para moer produtos diferentes ou crus e cozidos (por exemplo, carne crua e batata cozida). Todos os alimentos pré-preparados que necessitem de refrigeração, devem ser mantidos em geladeira até a etapa de preparo. 24
    • Práticas de Higiene na Manipulação de Alimentos Cozimento O cozimento é muito importante para eliminar os perigos biológicos, bem como para dar um bom aspecto ao alimento. Deve-se, portanto, obedecer a seguinte regra fundamental: Todo alimento deve ser bem cozido. Nada de alimento mal passado! Temperatura interna Valores médios * do alimento acima de 74ºC R$ 500,00** 70ºC 2 minutos 65ºC 15 minutos Resfriamento Alguns alimentos, após o cozimento, são resfriados para serem: • Consumidos frios, como as saladas de legumes e sobre- mesas; • Fatiados, recheados ou montados como pastéis, empa- dões, etc.; • Consumidos no dia seguinte. É interessante seguir algumas dicas para acelerar o processo de penetra- ção do frio: • Fatiamento ou redução de tamanho (peças de carne); • Distribuição em pequenos volumes; • Arrumação nos equipamentos com sobreposição em cruz, se necessário (quando houver pouco espaço no equipamento de refrigeração); • Agitação de alimentos pastosos ou líquidos; • Banho de gelo ou freezer vazio. 25
    • Instituto Ecológica Muito cuidado!!! O resfriamento mal feito pode provocar muitos casos de doença. Ele deve ser rápido, para não dar tempo aos microorganismos de se multiplicarem. Para evitar que isso ocorra devemos obedecer às seguintes regras: • Colocar o alimento cozido e ainda quente em recipien- tes rasos (no máximo 10cm de altura); • Deixar sair o vapor em temperatura ambiente por cerca de 30 minutos; • Colocar o alimento para resfriar em geladeira ou free- zer; • Não esquecer de cobrir os alimentos. Aproveitamento dos Alimentos Aproveitamento dos Alimentos A alimentação é a base da vida e dela depende o estado de saúde do ser humano. O desconhecimento dos princípios nutritivos do alimento, bem como o seu não aproveitamento, ocasiona o desperdício de tonela- das de recursos alimentares. O desperdício é um sério problema a ser resolvido na produção e dis- tribuição de alimentos, principalmente nos países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento. O crescimento da população mundial, mesmo que amparado pelos rápidos avanços da tecnologia, nos faz crer que o des- perdício de alimentos é uma atitude injustificável. Por isso, não podemos mais desperdiçar. Como evitar o desperdício Comprar bem: preferir legumes, hortaliças e frutas da época. Conservar bem: armazenar em locais limpos e em temperaturas adequa- 26
    • Práticas de Higiene na Manipulação de Alimentos das a cada tipo e alimento. Preparar bem: lavar bem os alimentos, não retirar cascas grossas e prepa- rar apenas a quantidade necessária para a refeição de sua família. Aproveitar sobras e aparas, desde que mantidas em condições seguras até o preparo: • Carne assada: croquete, omelete, tortas, recheios etc.; • Carne moída: croquete, recheio de panqueca e bolo sal- gado; • Arroz: bolinho, arroz de forno, risotos; • Macarrão: salada ou misturado com ovos batidos; • Hortaliças: farofa, panquecas, sopas, purês; • Peixes e frango: suflê, risoto, bolo salgado; • Feijão: tutu, feijão tropeiro, virado e bolinhos; • Pão: pudim, torradas, farinha de rosca, rabanada; • Frutas maduras: doces, bolo, sucos, vitaminas, geléia; • Leite talhado: doce de leite. Alimentos que podem ser aproveitados integralmente: • Folhas de: cenoura, beterraba, batata doce, nabo, couve- flor, abóbora, mostarda, hortelã e rabanete; • Cascas de: batata inglesa, banana, tangerina, laranja, ma- mão, pepino, maçã, abacaxi, berinjela, beterraba, melão, maracujá, goiaba, manga, abóbora; • Talos de: couve-flor, brócolis, beterraba; • Entrecascas de melancia, maracujá; • Sementes de: abóbora, melão, jaca; • Nata; • Pão amanhecido; • Pés e pescoço de galinha; • Tutano de boi. 27
    • Instituto Ecológica Dicas úteis • Prepare os legumes no vapor, a fim de preservar os nu- trientes desses alimentos. • Quanto maior o contato com a água, maior será a perda de nutrientes. • Consuma legumes e frutas com a casca, sempre que pos- sível, para aproveitar as fibras contidas na casca. • Consuma os sucos de frutas logo após seu preparo, pois a ação do ar e da luz altera seu valor nutritivo. • Para adicionar sabor e reduzir o uso de gordura e sal uti- lize condimentos como alho, pimenta, gengibre, oréga- no, cebolinha, salsinha, de preferência, ao final da prepa- ração. • Prepare as refeições utilizando pouco óleo: tire as gor- duras mais visíveis da carne; remova as peles de aves e peixes; cozinhe, asse, grelhe, ao invés de fritar. • Procure fazer seis refeições por dia, dessa forma pode-se variar bastante os alimentos, além de quantificá- los me- lhor. • Com a água de verduras e legumes você pode preparar outros pratos, como risotos, sopas etc. 28
    • Práticas de Higiene na Manipulação de Alimentos A A Saúde eoo Meio Ambiente Saúde e Meio Ambiente agradecem... agradecem... O manipulador de alimentos precisa ter muita responsabilidade para executar o seu trabalho, pois através do consumo dos alimentos que pre- para podemos obter a saúde ou as doenças. O manipulador ainda precisa ser consciente sobre seu papel cidadão, de cooperar com meio ambiente. Escolher alimentos de procedência conhecida, de preferência produtos orgânicos que dispensam o uso de agrotóxicos ou mesmo direcionar as sobras dos alimentos para a compostagem, evitando assim o envio destes materiais aos aterros sanitários, são exemplos da boa conduta do mani- pulador. 29
    • Instituto Ecológica Anotações Anotações 30