Your SlideShare is downloading. ×
0
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Ciência geográfica
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Ciência geográfica

3,583

Published on

1 Comment
7 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
3,583
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
12
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
7
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. geocontexto.blogspot.com
  • 2. ESPAÇO GEOGRÁFICO Espaço geográfico é o resultado da relação HOMEM, NATUREZA e TRABALHO Estuda das relações entre o homem e o meio, entre a sociedade e a natureza
  • 3. Desenvolvimento da geografia Gregos – aprofundaram estudos referentes aos fenômenos naturais e às rotas marítimas (mediterrâneo), cartografia (V a.C) Geografia – geo: terra graphía: estudo Romanos – descrição do seu imenso império Expansão dos domínios árabes – avanço da cartografia, surgimento de relatos climáticos Grandes navegações – conhecimentos geográficos serviram para ampliar territórios europeus (XVI), expedições com naturalistas, botânicos, geógrafos
  • 4. Até então a Geografia apresentava duas grandes tendências:  Estudo matemático sobre a forma/dimensão da terra, com cartografia e astronomia.  Descrição de lugares exóticos, povos, cultura e seus modos de vida em seu espaço de vivência.
  • 5. Princípios da geografia Principio da extensão (Ratzel) O fenômeno ocorre em uma área delimitada
  • 6. Principio da analogia ou comparação (Ritter e La Blache) Delimitada a área deve-se comparar com outras áreas, buscando semelhanças e diferenças
  • 7. Principio da causalidade (Humboldt) As causas ou fatos observados devem ser explicados
  • 8. Principio da conexão ou da interação (Brunhes) Todos os elementos da superfície terrestre se relacionam (físicos e humanos)
  • 9. Principio da atividade (Jean Brunhes) A paisagem possui caráter dinâmico
  • 10. Escolas da Geografia Determinismo geográfico (alemão) Homem como fruto do meio em que vive (mais ou menos capaz, desenvolvido, inteligente, etc), influenciados por fatores como o clima dentre outros Ex. Habitantes de planícies seriam agricultores, de regiões litorâneas pescadores
  • 11. Os habitantes dos trópicos (clima menos agressivo) estavam “condenados” pela natureza a serem povos inferiores, enquanto os habitantes das zonas temperadas estavam destinados ao progresso (meio hostil exigia melhor organização social) ESPAÇO VITAL Espaço é poder Friedrich Ratzel, Karl Ritter, Alexander von Humboldt
  • 12. Justificou o expansionismo alemão
  • 13. o problema do Nordeste do Brasil é a seca (frase determinista)
  • 14. Possibilismo geográfico (francês) Combater a escola Alemã Possibilidade de haver influências recíprocas entre o homem e o meio natural. Partiu da ideia de que o homem se adapta ao meio, além de modificá-lo.
  • 15. A natureza exerce influencia sobre o Homem, mas este escolhe e modifica os diferentes espaços que poderiam ou não ser aproveitado de acordo com suas necessidades Grande expoente foi Vidal De La Blache O subdesenvolvimento seria superável após o contato com o gênero de vida das civilizações europeias (desenvolvidas)
  • 16. Os adeptos da perspectiva possibilista não atribuem às condições ambientais a responsabilidade absoluta pela pobreza da população regional
  • 17. Método Regional Richard Hartshorne os espaços eram divididos em classes de área, nas quais os elementos mais homogêneos determinariam cada classe, e assim as descontinuidade destes trariam as divisões das áreas. Este pensamento geográfico ficou conhecido como método regional. - O método era comparar regiões, segundo critério de similaridade e de diferenciação.
  • 18. Nova Geografia (teorética-quantitativa) Pós 2ª guerra mundial O cenário de destruição fez com que os geógrafos buscassem novas formulações para superar a crise econômica capitalista. Esta corrente efetua uma crítica a geografia tradicional pela sua insuficiência da análise tradicional. “Os números servem para o Estado interferir na realidade”. Os modelos matemáticos servem para analisar o espaço, agir sobre a natureza e fortalecer os investimentos do Estado em regiões homogêneas e funcionais, através de meios estatísticos.
  • 19. A natureza era tida como objeto do capital camuflada sob as orientações do avanço econômico e da necessidade de explorá-la, pois o processo industrial necessitava constantemente de matériaprima
  • 20. Geografia Crítica (1970) Aprofundamento das questões sociais Analisar as contradições sociais no espaço
  • 21. Principais críticas as correntes anteriores são:  Os modelos em que ela se apoia são insuficientes para explicar a realidade  Os modelos encontram-se afastados da conduta real do homem  A Nova Geografia não se preocupa com a resolução dos problemas sociais
  • 22. Propõe uma Geografia mais atuante, que possa ser melhor compreendida para que haja uma efetiva intervenção na realidade social. A expressão foi criada na obra "A Geografia", de Yves Lacoste "A Geografia - isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra", Yves Lacoste.
  • 23. No Brasil, o grande nome da Geografia Crítica foi Milton Santos, que publicou os primeiros trabalhos da nova escola nesse país. Existem apenas duas classes sociais, as do que não comem e as dos que não dormem com medo da revolução dos que não comem
  • 24. Escolas geográficas: Determinismo ambiental: Possibilismo: Base metodológica: Positivismo Método regional: Positivismo A divisão do espaço em regiões favorecem o planejamento, mas se qualquer finalidade de redução das desigualdades sociais. Quantitativa ou Teorética Neo-positivismo. Superável. É um estágio necessário para se chegar ao desenvolvimento que passa pela industrialização. Crítica: Materialismo histórico Desmascara as outras escolas e a dialética marxista. geográficas ao demonstrar que o papel dessas escolas é o de legitimar os interesses econômicos das classes dominantes. Positivismo Como encaravam o subdesenvolvimento Como resultado dos condicionantes naturais. Superável após o contato com o gênero de vida das civilizações europeias (desenvolvidas). Extraído do blog http://geografalando.blogspot.com.br
  • 25. REVISÃO
  • 26. antiga Clássica (XIX) { { gregos romanos descritiva árabes europa Determinismo possibilismo Friedrich Ratzel, Karl Ritter, Alexander von Humboldt Vidal De La Blache Movimentos de renovação Teorética/quantitativa/ pragmática (pós 2º guerra mundial Crítica (1960) Yves Lacoste, Milton Santos

×