Your SlideShare is downloading. ×
0
Storytellingthera4
Storytellingthera4
Storytellingthera4
Storytellingthera4
Storytellingthera4
Storytellingthera4
Storytellingthera4
Storytellingthera4
Storytellingthera4
Storytellingthera4
Storytellingthera4
Storytellingthera4
Storytellingthera4
Storytellingthera4
Storytellingthera4
Storytellingthera4
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Storytellingthera4

296

Published on

cursos de um percurso

cursos de um percurso

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
296
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. ...cursos de um percurso... Histórias de vida, na vida das histórias ©Thera
  • 2. Teresa Rafael 52 anos, professora de português no 2º ciclo do Ensino Básico em Almada. eterna aprendente....eterna sonhadora...eterna contadora de histórias... histórias de vida © Thera 2013
  • 3. Nasci em Leiria • perto de um dos dois liceus que mais tarde iria frequentar https://encrypted- tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcS9hdLfVlf0afDfy0vNmFqlRMIQyXVjk8CK2 2kUx2igPq78AVI01DLiPHwp Escola Preparatória D. Dinis Liceu Nacional de Leiria © Thera 2013
  • 4. Onde cresci… Cedo, porém, me mudei para a casa da minha avó: uma casa térrea com um grande quintal e com gente da minha idade para brincar: cinco rapazes, duas raparigas e um cão. • posso dizer que ali tive uma infância feliz.... Vila Rosa Maria… © Thera 2013
  • 5. A escolaridade… • Aí me foram ensinados os rudimentos da escrita, da aritmética e de outras atividades manuais. Aos 5 anos, entrei para o Jardim-Escola João de Deus © Thera 2013 •Aí também, me vaticinaram o pendor imaginativo e a queda para as letras.
  • 6. … um episódio… • Numa das visitas da minha mãe à escola, a educadora Fátima Fonseca, que por acaso também trabalhava numa das mais famosas ourivesarias da cidade (daquelas onde ainda havia “escarradores”, embora já transformados em cinzeiros ou depósito de papéis inúteis), mostrou à minha mãe uma composição ilustrada que eu fizera e cujo tema era: O Escarrador e a Saúde Pública © Thera 2013
  • 7. … um episódio… • Segundo ela, eu tinha conseguido entrar na pele da borboleta e transmitir a visão do que o que ela via ao sobrevoar os campos sem fim. • Não me lembro de mais nada da conversa, nem de que a mesma tenha arrancado à minha mãe muito mais do que um “muito bem, filha! ” © Thera 2013
  • 8. … um episódio… • Ainda hoje recordo esse episódio que muitas vezes encaro como uma premonição relativa à professora que viria a ser e que para tudo arranja uma história ou uma mnemónica que facilite a aprendizagem. © Thera 2013
  • 9. a escola primária… • Filha de professor primário e de funcionária do Registo Civil, nunca me foi dada a oportunidade de ser conhecida pelo que de mim fiz. A responsabilidade sociofamiliar fez com que sempre me comportasse de acordo com o que me era pedido. Escola Primária de Santo Estevão (um antigo convento cujos claustros assustavam e atraíam- diziam que lá estavam enterrados esqueletos de bebés!!) © Thera 2013
  • 10. a escola primária… • Fui sempre uma boa aluna, apagada e bem comportada, mas confesso que houve vezes em que, na senda de deixar de ser a “filha de”, me esforcei por experimentar a célebre “régua”. Concluído o exame da 4ª classe, recebi o relógio de pulso da “praxe”. Era um Timex dourado retangular com bracelete castanha…Lindo!! Escola amarela - Leiria © Thera 2013 • Apenas consegui, contudo, um “afloramento” aquando de um castigo coletivo.
  • 11. Do ciclo ao liceu… •O ciclo preparatório começou por ser uma grande aventura: • Já me era permitido ir e vir da escola com colegas (e pelo caminho comprar pinhoadas e chupa-chupas de esticar)… • Soube pela primeira vez o que era ser independente fazendo coisas à revelia dos pais… • Conheci também o preço amargo da mentira… © Thera 2013
  • 12. Do ciclo ao liceu… •Sou uma rapariga do liceu… • Agora podia andar vestida como queria, sem bata nem constrangimentos, pois o 25 de abril aconteceu. • Em casa, de repente, tudo era permitido sem que eu percebesse bem porquê. • Também não entendia as passagens administrativas, mas sabia da minha ignorância para prosseguir estudos e os meus pais viram-se obrigados a pagar explicações. •A adolescência dava mostras de si, mas a liberdade, para isso, não existia...afinal de contas eu era uma menina do liceu… © Thera 2013
  • 13. Lisboa e a faculdade… •Sozinha e sem rede… • Se fosse hoje diria que fui uma espécie de “Linda de Suza”…com a mala de “enxoval”, largada como fui à porta de um lar de freiras por um tio demasiado atarefado e apressado para se condoer com as tacanhices provincianas . • Entregue a mim própria, depressa aprendi que era assim que estava bem e que devia estudar para que, com a minha independência, pudesse afirmar como Pessoa: “Viajar perder países…” © Thera 2013 Lar de Santa Doroteia
  • 14. Lisboa e a faculdade… •Vida de estudante… •…mas “de intenções está o inferno cheio” e a promessa foi difícil de cumprir. Acabado o curso para onde ir? E começava a vida de professora… © Thera 2013
  • 15. O percurso que se segue? No correr do tempo… •Lisboa e arredores… • Mouriscas…Abrantes • Caminha e o estágio em Viana do Castelo •Salvaterra de Magos e o ensino profissional • Montemor-o-Novo • Almada © Thera 2013
  • 16. pelo meio… • Outros mundos… • Almada de novo… •… a vontade de partir… © Thera 2013 • Uma família… • Muitas histórias… • Muitos alunos… • Muitas aprendizagens… ?!

×