E PortefóLios Versaofinal

3,142 views
3,045 views

Published on

Published in: Education, Business, Technology
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,142
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
146
Actions
Shares
0
Downloads
64
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

E PortefóLios Versaofinal

  1. 1. E-portefólios<br />Uma ferramenta de avaliação de cursos on-line<br />
  2. 2.
  3. 3. Conceito básico de e-portefólio<br /> O e-portefólio é mais do que uma nova expressão do portefólio de formato tradicional para o formato digital<br />Usa tecnologias electrónicas como base, permitindo que estudantes e professores recolham e organizem materiais de diversos tipos de suporte (áudio, vídeo, gráficos, texto); e usando links de hipertexto para organizar o material, relacionando evidências para atingir resultados, objectivos ou critérios” (Barrett, 2005, p. 5)<br />
  4. 4. Estrutura de um e-portefólio<br />
  5. 5. Características do e-portefólio<br />Portefólio educacional<br />É aquele em que o aluno contribui para o seu portefólio continuadamente ao longo da sua aprendizagem na vida, e que recorrem  a ele para avaliação, entrevistas e actualização do seu currículo.<br />
  6. 6. Características do e-portefólio<br />Vantagens do e-portfólio<br />E-tecnologias permitem:<br /><ul><li> Recolher</li></ul>• Seleccionar<br />• Reflectir<br />• Projectar<br />• Partilhar<br /><ul><li>Arquivar</li></ul>• Relacionar/ Reflectir<br />• Contar uma história<br />• Colaborar<br />• Publicar<br />
  7. 7. Diferentes usos do e-portefólio educacional<br />desenvolvimento;<br /> apresentação;<br /> avaliação.<br />Conceito fundamental do e-portefólio: educação ao longo da vida.<br />
  8. 8. Vantagens do e-portefólio<br /> Ser capaz de voltar e reformular vários componentes do portefólio é uma vantagem significativa do portefólio electrónico. <br />O processo de recolha e selecção de itens para o e-portefólio, é  mais fácil:<br />os utilizadores podem realizar, organizar e reorganizar o conteúdo fácil e rapidamente.<br />  <br />Como um método de avaliação final do curso, os e-portefólios fornecem muitas oportunidades para integrar todo o trabalho do aluno no curso e para ligar  novas ideias com conhecimentos do aluno e do contexto. <br />
  9. 9. Vantagens do e-portefólio<br />
  10. 10. Aprendizagem através do e-portefólio<br />O potencial para criar um "e-portefólio '(Barrett, 2003) oferece um processo interactivo, em que os estudantes podem desenvolver e partilhar os seus portefólios com professores e outros estudantes. Ao estar disponível electronicamente, os e-portfolios podem formar a base para a colaboração e interacção, comentando, re-visionando e discutindo.<br />A premissa básica da aprendizagem através do e-portefólio é de que a reflexão ao longo do tempo aumenta a capacidade de dar sentido à experiência concreta. A aquisição de competências vem através da reflexão sobre as actividades e produtos que o aluno experimenta e gera num contexto social (Cambridge & Cambridge, 2003).<br />
  11. 11. Apresentação multimédia<br />Portfólio -uma verdadeira actividade de aprendizagem centrada<br />pode fazer uso de:<br />arquivos de áudio e vídeo,<br /> gráficos,<br /> referências a fontes externas,<br /> fotografias <br />e outros artefactos digitais<br /><ul><li> apropriação do seu portefólio por parte dos alunos;
  12. 12. escolha  de itens a apresentar ou a submeter.</li></ul>em termos de avaliação, o e-portfolio <br /><ul><li> dota  o aluno de confiança
  13. 13. de capacidade de reflexão, 
  14. 14. de recursos interactivos e individuais</li></ul>Todos esses atributos têm vantagens sobre outras formas de avaliação, tais como: exames e computador-assistido e escolha múltipla. (Chang,2001).<br /> <br />
  15. 15. Critérios dos e-portefolios<br />padrões de interoperabilidade<br /> a cumprir:<br />Formato de documento <br />Ex: PDF, HTML, XML, etc<br /> Acessibilidade <br />Ex: WAI),<br />Formato de dados<br />Ex: perfil de aluno<br /> Autenticação <br />Ex: certificados<br />Direito de acesso…<br />Normas a incluir no futuro<br />Especificações EMS como LIP (Learner Information Profile)<br /><ul><li> Embalagens de conteúdo</li></ul>Ao aderir  às normas, vai  permitir que os repositórios de e-portefólios sejam reutilizáveis ao longo do tempo, dentro de diferentes sistemas, convenientemente acessíveis a diferentes públicos.<br />
  16. 16. ESTUDO DE CASO: O E-portefólio usado com objectos de aprendizagem para avaliação final de um curso<br />Cada objecto de aprendizagem foi concebido como uma experiência holística de aprendizagem, revelando integridade interna com a unidade de estudo<br />A abordagem pedagógica do programa é construtivista e centrada no aluno <br />Os objectos de aprendizagem no Curso, em consonância com a essência do conceito, são autónomos e não se referem uns aos outros <br />O Curso é inteiramente estruturado com objectos de aprendizagem <br />
  17. 17. ESTUDO DE CASO: O E-portefólio usado com objectos de aprendizagem para avaliação final de um curso<br />O conteúdo do curso, a abordagem pedagógica e a ênfase na escolha do aluno, bem como a apresentação em objectos de aprendizagem, ditou o uso de um e-portfólio como o método de avaliação primária <br />O curso consistiu em mais de 100 objectos de aprendizagem, dos quais 55 designámos como possíveis opções para usar na ECA. Os alunos foram convidados a seleccionar duas actividades de cada um dos quatro módulos, completando oito peças de trabalho no total. <br />
  18. 18. ESTUDO DE CASO: O E-portefólio usado com objectos de aprendizagem para avaliação final de um curso<br />A maioria dos objectos de aprendizagem consistiu em três elementos: <br />1. Uma visão geral do tópico. Destaque das questões fundamentais, problemas ou ideias.<br />2. Links para mais recursos, sites ou artigos de revistas para leitura posterior. Estes foram cuidadosamente seleccionados pela equipe do curso para oferecer oportunidades para que, tanto os estudantes das empresas como os estudantes de ensino superior se envolvessem com o tema numa perspectiva que lhes fosse familiar. <br />3. Uma ou duas actividades, algumas individuais, algumas colaborativas, que formavam a base da pedagogia experimental do curso. Algumas das actividades envolviam escrita; outras envolviam a criação de um Powerpoint, outras, a exploração de tecnologias desconhecidas, muitas envolviam a pesquisa na web, e outras baseavam-se na discussão on-line ou a interacção entre os estudantes em pequenos grupos.<br />
  19. 19. ESTUDO DE CASO: O E-portefólio usado com objectos de aprendizagem para avaliação final de um curso<br />Um dos princípios fundamentais do curso foi o de escolha, dando aos alunos oportunidades para seleccionar que objectos de aprendizagem queriam concluir, com base nos seus interesses pessoais, a relevância para a profissão,  tempo e preferência.<br />O conselho dado aos estudantes acerca da escolha dos objectos de aprendizagem a estudar em detalhe foi de que eles devem seguir os seus interesses pessoais ou profissionais. <br />Nenhum conselho foi dado sobre como seleccionar objectos de aprendizagem para apresentar no e-portfólio.<br />
  20. 20. ESTUDO DE CASO: O E-portefólio usado com objectos de aprendizagem para avaliação final de um curso<br />Partindo da noção geral de Conectividade, o e-portefólio foi escolhido como forma de avaliação do Curso. <br />Pedia-se a escolha justificada de oito actividades que fundamentasse a afirmação:<br />"O crescimento da conectividade está a provocar uma mudança fundamental em todos os aspectos da aprendizagem." <br />
  21. 21. Avaliação e Resultados<br />A eficácia sobre a abordagem do e-portfolio foi avaliada de várias maneiras pela equipa envolvida <br />no desenvolvimento e apresentação do curso:<br />31 dos 41 alunos que concluíram o curso foram entrevistados por telefone e as suas observações foram registadas.<br />Durante o curso, os alunos foram convidados a preencher um e-questionário, composto por várias questões abertas sobre as suas opiniões acerca da estrutura do curso, sobre a utilização de objectos de aprendizagem e as atitudes subjacentes às escolhas efectuadas.<br />Foram analisados os dados estatísticos sobre a escolha dos alunos relativamente aos objectos de aprendizagem submetidos.<br />Os e-portfolios foram lidos, duplamente verificados e analisados.<br />Mensagens destinadas à avaliação final de curso e outros fóruns de discussão foram analisados.<br />Foi solicitado feedback por parte dos tutores.<br />Avaliação da eficácia do e.portfolio<br />
  22. 22. Avaliação e Resultados<br />Recolha de dados<br />No e-questionário e durante as entrevistas telefónicas os alunos foram convidados a comentar directamente sobre a forma como trabalharam ao longo do curso, como é que fizeram as escolhas sobre o que estudar e como é que escolheram quais os objectos de aprendizagem a submeter no seu portfolio.<br />
  23. 23. Avaliação e Resultados<br />Dificuldades sentidas pelos alunos<br />Um terço dos alunos entrevistados relatou dificuldades relativamente à necessidade de fazer escolhas:<br /><ul><li> Receavam que os objectos de aprendizagem que conceberam durante o curso, pudessem não ser os melhores a submeter no portfolio;
  24. 24. Sentiram-se sobrecarregados pelo número de temas;
  25. 25. Sentiram-se culpados por não terem conseguido trabalhar com todo o material fornecido. </li></li></ul><li>Avaliação e Resultados<br />Constatou-se uma percentagem muito elevada relativamente à utilização dos objectos de aprendizagem disponíveis: dos 55, 53 foram de facto utilizados. <br />Os dados analisados também indicam que quando os estudantes chegavam aos módulos finais do curso, conseguiam ser mais estratégicos nas suas opções. <br />Constatou-se que as três actividades mais populares incluíam pelo menos uma de duas actividades colaborativas. <br />Relativamente aos conteúdos dos e-portfolios submetidos verificou-se que 90% dos estudantes corresponderam de uma forma muito satisfatória à declaração do portfolio e ao conceito dos objectos de aprendizagem como suporte de evidência. <br />Todos os e-portfolios obtiveram uma classificação que permitiu passar de nível, através da dupla verificação e de um avaliador externo.<br />Análise de dados<br />
  26. 26. Avaliação e Resultados<br />Aspectos a melhorar<br />Vários aspectos emergem da análise destes dados qualitativos e quantitativos, os quais já estão a ser considerados na redefinição do curso e na abordagem ao e-portfolio.<br />
  27. 27. Avaliação e Resultados<br />Vários aspectos emergem da análise destes dados qualitativos e quantitativos, os quais já estão a ser considerados na redefinição do curso e na abordagem ao e-portfolio<br />Discussão<br />Em primeiro lugar, é necessário reconsiderar a questão da escolha e de que forma é beneficia o aluno. <br />Em segundo lugar, temos a questão da função integradora do e-portfolio do ponto de vista tanto do tutor, bem como, do estudante. Será que a utilização do e-portfolio permitiu aos alunos envolverem-se com as ideias cruciais do curso? <br />Em terceiro lugar, temos a questão dos direitos de autor e em que medida é que os e-portfolios capacitaram os alunos para assumirem a responsabilidade da sua aprendizagem.<br />
  28. 28. Algumas consequências da Utilização do e-portefólio:<br />A escolha como estratégia de ensino<br />Os E-Portefólios como integradores do curso<br />A escolha das actividades revelou-se mais estratégica do que se previa. Os alunos escolheram as actividades que menos haviam sido escolhidas na realização pelos colegas.<br />Os alunos referiram ainda o efeito integrador que o e-portefólio teve relativamente ao curso, como refere um dos alunos:<br />O e-portfolio foi um grande passo em prol da afirmação do que havíamos aprendido - reuniu alguns dos trabalhos que tínhamos feito durante o curso e  obrigou-nos  a reflectir e a ligar  os objectos de aprendizagem. <br />
  29. 29. Algumas consequências da Utilização do e-portefólio:<br />Queixas dos alunos<br />Capacidades que tem que ser desenvolvidas pelos alunos<br />Alguns alunos queixaram-se de muito trabalho e da existência de muita tensão originada pela escolha das actividades e o facto de ser necessário apresentar a justificação dessa escolha.<br />Identificar e seleccionar informação;<br />Auto-confiança do aluno para tomar decisões;<br />Autonomia da aprendizagem.<br />
  30. 30. Conclusões<br />Os resultados demonstram que o uso do e-portfólio é um meio adequado para o processo de avaliação final de um curso em que os objectos de aprendizagem são a base do curso.<br />Criação de um curso holístico em que a pedagogia, objectos de aprendizagem e estratégia de avaliação são integrados num todo.<br />Um curso baseado em porte-fólios permite uma aprendizagem integrada.<br />Instruções mais claras de forma a reforçar o uso da escolha.<br />Pertinência de e-portefólios, como um método de avaliação final de curso.<br />A possibilidade de escolha permite uma avaliação flexível.<br />O e-portfolio como forma de avaliação, desenvolve uma aprendizagem autónoma, independente e centrada no aluno.<br />
  31. 31. Referências bibliográficas<br />Barrett, H. C. (2003). Electronic portfolios. In A. Kovalchick & K. Dawson (Eds), Educational<br />technology: an encyclopedia. Santa Barbara: ABC-CLTO.<br />Bolander, K. (2000). Student centred learning reportfor the teaching and learning service.<br />http://www.gla.ac.uk/services/tls/ProjectReports/whole/index.html<br />Cambridge, B. & Cambridge, D. (2003). Thefuture of electronicportfolio technology: supporting what<br />we know about learning ePortfolio 2003. Poitiers, France. http://www.eife-l.org/portfolio<br />Chang, C. (2001). A study on the evaluation and effectiveness analysis of web-based learning<br />portfolio. BJET, 32, 4, 435-458.<br />Ittelson, J. C. (2001). Building an e-dentity for each student. Educause Quarterly, No. 4.<br />Macdonald, J., Heap, N. & Mason, R. (2001). 'Have I learnt it?' Evaluating skills for resourcebased<br />study using electronic resources. BJET, 32, 4, 419-433.<br />Rehak, D. & Mason, R. (2003). Keeping the learning in learning objects. In A. Littlejohn (Ed.),<br />Reusing educational resourcesfor networked learning. London: Kogan Page.<br />Weller, M. (2002). Delivering learning on the net. London: Kogan Page.<br />Weller, M., Pegler, C. & Mason, R. (2003). Working with learning objects-some pedagogical suggestions.<br />ALT-C, Sheffield, September. http://iet.open.ac.uk/pp/c.a.pegler/ukeu/altc.doc<br />
  32. 32. Universidade Aberta 2010<br />UC: Concepção e Avaliação em e-Learning<br />Actividade 4:<br />Actividades, instrumentos e modalidades de avaliação em contexto de formação online <br />Filomena Marques<br />Maria Leal<br />Teresa Rafael <br />Pedro Teixeira<br />

×