IOF 2008 09 resultados 30 set 2010

2,157 views
2,054 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,157
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
23
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

IOF 2008 09 resultados 30 set 2010

  1. 1. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE 3ª Avaliação Nacional da Pobreza Resultados Principais Maputo, 21 de Setembro de 2010 APRESENTAÇÃO AO CONSELHO DE MINISTROS
  2. 2. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE <ul><li>Introdução </li></ul><ul><li>Abordagens da Pobreza </li></ul><ul><li>Situação Económica em 2008-09 </li></ul><ul><li>Investimentos Realizados </li></ul><ul><li>Resultados da Pobreza </li></ul><ul><li>Conclusões </li></ul><ul><li>Acções de Seguimento </li></ul>ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO
  3. 3. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE <ul><li>Analise usa dados do Inquérito aos Orçamentos Familiares realizado entre Setembro de 2008 a Agosto de 2009. </li></ul><ul><li>O Inquérito recolheu dados de despesas alimentares e não alimentares ao nível dos agregados familiares. </li></ul><ul><li>Abrangeu 10832 agregados familiares, sendo: </li></ul><ul><ul><li>5609 agregados familiares nas zonas rurais </li></ul></ul><ul><ul><li>5223 agregados familiares nas zonas urbanas </li></ul></ul><ul><li>Com estes dados mede-se a pobreza total (alimentar e não alimentar). </li></ul>(I) INTRODUÇÃO
  4. 4. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE (II) ABORDADENS DA POBREZA Abordagens da Pobreza Vantagens Desvantagens Óptica do Consumo <ul><li>Nível de consumo que satisfaça as necessidades básicas de alimentos e não alimentos (pobreza absoluta); </li></ul><ul><li>Define uma linha de pobreza </li></ul><ul><li>Capta só uma dimensão do bem estar; </li></ul><ul><li>Sensível a variações de curto prazo (choques climáticos e económicos) </li></ul>Pobreza não monetaria <ul><li>Posse de bens duráveis, acesso aos serviços públicos; </li></ul><ul><li>Reflecte processos de desenvolvimento de longo prazo </li></ul><ul><li>Não há ligação com um padrão fixo de bem estar; </li></ul><ul><li>Fraca relação com consumo no curto prazo. </li></ul>Desnutrição (Crianças menores de 5 anos) <ul><li>Medida internacional de privaç ão absoluta; </li></ul><ul><li>Precisa e consistente (em termos temporais e geográficos) </li></ul><ul><li>Fraca rela ção com crescimento económico no curto prazo; </li></ul><ul><li>Não captura aspectos dinamicos da pobreza </li></ul>
  5. 5. <ul><li>2008 </li></ul><ul><li>Situação internacional </li></ul><ul><li>Crise do petróleo </li></ul><ul><li>Alta de preços dos cereais </li></ul><ul><li>Crise financeira internacional </li></ul><ul><li>Xenofobia na África do Sul => 40 mil moçambicanos regressaram </li></ul><ul><li>O crescimento económico em Moçambique manteve-se a um nível elevado, para os padrões internacionais, apesar de ter desacelerado </li></ul>REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE (III) SITUAÇÃO ECONÓMICA EM 2008-2009 Moçambique 2007 2008 2009 PIB (crescimento, %) 7,3 6,8 6,4 Inflação média anual 8,2 10,3 3,3 Mundo 2007 2008 2009 PIB (crescimento, %) 4,9 3,1 -0,6
  6. 6. <ul><li>2008 (continuação) </li></ul><ul><li>Os sectores com maior crescimento no PIB foram: Água (15%); Electricidade (13,5%); Transportes, armazenagem e comunicações (13%); Construção (12,5%); Alojamento, restaurantes e similares (11,4%) </li></ul><ul><li>Os sectores com menor crescimento no PIB foram: Manufactura (4,9%); Actividades financeiras (3,3%); Reparação de veículos automóveis, motociclos e de bens de uso pessoal e doméstico (2,4%) </li></ul><ul><li>Agricultura </li></ul>REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE (III) SITUAÇÃO ECONÓMICA EM 2008-2009 Produção Agrícola (Taxas de crescimento, %) BdPES 2007 BdPES 2008 BdPES 2009 Total 8,8 11 4,2 Empresarial 3,9 30,5 6,9 Familiar 9,3 9,3 4,0 Fam. Comercializada 11,8 20,6 Autoconsumo 7,6 0,9
  7. 7. <ul><li>2008 (continuação) </li></ul><ul><li>Ocorrência de secas, cheias, ventos fortes e ciclone Jokwe, ocorrência de queimadas descontroladas com destaque para as províncias de Manica e Sofala </li></ul><ul><li>No início da campanha agrícola de 2007-2008 destacam-se as cheias no vale do Zambeze </li></ul><ul><li>A segunda época agrícola contribuiu para a recuperação de algumas áreas perdidas </li></ul><ul><li>2009 </li></ul><ul><li>Situação internacional </li></ul><ul><li>Queda do PIB a nível mundial </li></ul><ul><li>Redução nos fluxos do Investimento Directo Estrangeiro </li></ul><ul><li>Aumento das taxas de desemprego </li></ul><ul><li>Desaceleração dos níveis de preços, com a queda da procura agregada </li></ul><ul><li>Queda no comércio internacional </li></ul>REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE (III) SITUAÇÃO ECONÓMICA EM 2008-2009
  8. 8. <ul><li>2009 (continuação) </li></ul><ul><li>Os sectores com maior crescimento no PIB foram: Electricidade (10,9%); Transportes, armazenagem e comunicações (10,2%); Actividades financeiras (9,8%); Administração pública, defesa e segurança social obrigatória (9%); Saúde e acção social (8,8%) </li></ul><ul><li>Os sectores com menor crescimento no PIB foram: Manufactura (3,1%); Indústrias extractivas (2,7%); Alojamento, restaurantes e similares (2,2%) </li></ul><ul><li>As exportações totais de bens em 2009 reduziram em 37,2%, para USD 1 285,0 milhões, comparativamente ao mesmo período de 2008, [Balanço do PES de 2009 (período de Janeiro-Setembro)] </li></ul>REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE (III) SITUAÇÃO ECONÓMICA EM 2008-2009
  9. 9. INVESTIMENTOS REALIZADOS <ul><li>Durante o Quinquenio foram construídas 7.767 fontes de água nas zonas rurais beneficiando mais de 3.5 milhões de pessoas. </li></ul><ul><ul><li>Taxa de cobertura de água rural saiu de 40% em 2004 para 51.8% em 2008. </li></ul></ul><ul><ul><li>Taxa de cobertura de água urbana saiu de 36% em 2004 para 50% em 2008. </li></ul></ul><ul><li>Expansão da rede eléctrica nacional </li></ul><ul><ul><li>86 sedes distritais ligadas a rede nacional de energia contra 52 sedes distritais ligadas até finais de 2004. </li></ul></ul><ul><ul><li>Feitas ligações de energia eléctrica a mais de 320.000 consumidores </li></ul></ul>
  10. 10. INVESTIMENTOS REALIZADOS <ul><li>No sector da educação, o número de escolas aumentou de 9655 em 2004 para 13006 em 2009. </li></ul><ul><li>Na saúde, foram concluídas 300 intervenções (reabilitações e novas construções) da rede primária de saúde; </li></ul><ul><li>Foram concluídas 15 intervenções de reabilitação nos hospitais provinciais; </li></ul>
  11. 11. INVESTIMENTOS REALIZADOS <ul><li>Foram reabilitados 5 blocos dos hospitais centrais; </li></ul><ul><li>O Número de hospitais rurais e gerais saiu de 33 em 2004 para 41 em 2009; </li></ul><ul><li>O número de centros de saúde saiu de 479 em 2004 para 999 em 2009. </li></ul>
  12. 12. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE (IV) Resultados: Pobreza não monetária Taxas de escolarização líquidas [TELs] (2002/03 – 2008/09) <ul><li>As taxas de escolarização aumentaram, tanto no ensino primário como no ensino secundário. </li></ul><ul><li>Observam-se aumentos muito significativos nas taxas de escolarização no ensino secundário, o que está aliado a maior expansão dos níveis de ensino no país. </li></ul>76.5 66.8 73.8 61.4 83.3 79.2 0 20 40 60 80 Nacional Rural Urbana (a) Primária TEL IOF02 IOF08 22.0 8.2 10.8 1.2 41.3 19.6 0 10 20 30 40 Nacional Rural Urbana (b) Secundária TEL IOF02 IOF08
  13. 13. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE (IV) Resultados: Pobreza não monetária Acceso a saúde e água potável, % agregados familiares (2002/03 – 2008/09) <ul><li>Melhorias significativas no acesso aos serviços de saúde, especialmente nas zonas rurais. A expansão das zonas urbanas não é devidamente acompanhada pela expansão dos serviços. </li></ul><ul><li>Aumentos significativos na proporção de famílias com acesso a água potável </li></ul>
  14. 14. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE (IV) Resultados: Pobreza não monetária Posse de bens duráveis pelos agregados familares (%) <ul><li>Com a excepção de radio, a posse de bens ao nível dos agregados familiares aumentou significativamente entre 2002-03 e 2008-09. </li></ul>5.8 3.9 0 2 4 6 IOF08 IOF02 geleira 7.0 5.0 0 2 4 6 8 IOF08 IOF02 ferro 38.1 28.1 0 10 20 30 40 IOF08 IOF02 bicicleta 45.8 45.5 0 10 20 30 40 50 IOF08 IOF02 radio 12.4 6.3 0 5 10 15 IOF08 IOF02 tv 23.7 4.3 0 5 10 15 20 25 IOF08 IOF02 Telefone celular
  15. 15. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE (IV) Resultados: Pobreza não monetária Casas cobertas de chapas de zinco (%) <ul><li>Aumentos na % de casas cobertas de chapas de zinco, tanto nas zonas rurais, como nas urbanas. </li></ul>
  16. 16. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE (IV) Resultados: Pobreza não monetária Paredes das casas construídas de blocos de cimento (%) <ul><li>Aumentos na % de casas com as paredes construídas de blocos de cimento, tanto nas zonas rurais, como nas urbanas. </li></ul>
  17. 17. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE (IV) Resultados: Definição das Linhas de Pobreza <ul><li>Linha de pobreza: é o custo para a satisfação das necessidades básicas mínimas por pessoa/dia. </li></ul><ul><ul><li>É resultado da soma da linha alimentar e linha não alimentar (por exemplo: despesas com educação, renda da casa, transporte). </li></ul></ul><ul><li>O aumento dos preços fez com que o cabaz para a satisfação das necessidades básicas aumentasse de 8.5 MT em 2002/03 para 18.4 MT em 2008/09. </li></ul>Linha de Pobreza Total (1996/07 -2008/09) (MT) 1996-97 2002-03 2008-09 5.3 8.5 18.4
  18. 18. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE (IV) RESULTADOS: Pobreza e desigualdade na óptica do consumo Áreas geograficas Incidencia da Pobreza Desigualdade (Gini) 1996-97 2002-03 2008-09 1996-97 2002-03 2008-09 Niassa 70.6 52.1 31.9 0.36 0.358 0.427 Cabo Delgado 57.4 63.2 37.4 0.44 0.445 0.348 Nampula 68.9 52.6 54.7 0.36 0.361 0.419 Zambezia 68.1 44.6 70.5 0.35 0.351 0.366 Tete 82.3 59.8 42 0.4 0.4 0.323 Manica 62.6 43.6 55.1 0.4 0.401 0.345 Sofala 87.9 36.1 58 0.43 0.428 0.457 Inhambane 82.6 80.7 57.9 0.44 0.444 0.383 Gaza 64.6 60.1 62.5 0.41 0.407 0.428 Provincia Maputo 65.6 69.3 67.5 0.43 0.434 0.387 Cidade de Maputo 47.8 53.6 36.2 0.52 0.524 0.512 Norte 66.3 55.3 46.5 0.38 0.39 0.411 Centro 73.8 45.5 59.7 0.37 0.39 0.381 Sul 65.8 66.5 56.9 0.43 0.47 0.456 Urbano 62 51.5 49.6 0.47 0.48 0.481 Rural 71.3 55.3 56.9 0.37 0.37 0.367
  19. 19. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Mudança na Incidência da pobreza absoluta (2002/03 – 2008/09) (IV) RESULTADOS: Pobreza na óptica do consumo <ul><li>Dos treze (13) domínios espaciais definidos, a pobreza absoluta aumentou em quatro (4). </li></ul><ul><li>Porque a pobreza aumentou em duas das províncias mais populosas do país, isso resultou na estagnação dos níveis de pobreza nacional. </li></ul>
  20. 20. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE <ul><li>O Número de refeições por dia em 2008-09 é igual ao número de refeições obtido em 2002-03 (2.3 refeições por dia) </li></ul><ul><li>Peso de alimentos no consumo total foi de 74% em 2002-03 e 75% em 2008-09. </li></ul>(IV) Análise da consistência dos resultados
  21. 21. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE <ul><ul><li>Fraca produção agrícola 2008 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>em parte ligada às cheias de 2007 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Maior variação da produção anual (>20%) devido a dependência das chuvas e ao fraco acesso às tecnologias melhoradas. </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Observam-se maiores aumentos nos preços de produtos agrícolas </li></ul></ul><ul><ul><li>Amarelecimento letal do coqueiro (província da Zambézia) </li></ul></ul><ul><ul><li>Mortes Cumulativos por causa de HIV/SIDA (1998-2009): </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>>600,000 na zona Centro </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Sul ≈ 200,000 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Norte < 150,000 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>As mortes limitam a disponibilidade da mão-de-obra </li></ul></ul></ul>(IV) Pobreza em Sofala e Zambézia - zona rural
  22. 22. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE (IV) Evolução da produtividade e das calorias (2002-2008) <ul><li>Dados referem-se à produção das culturas alimentares. </li></ul><ul><li>O índice da produtividade em 2008 foi 15 pontos abaixo do nível observado em 2002 </li></ul>  Índice de produtividade Calorias (pessoa / dia) 2002 100.0 2,135.2 2003 92.3 2,080.1 2005 83.9 2,103.0 2006 105.1 2,716.6 2007 94.9 2,421.5 2008 85.0 1,999.9 2002-'08 -15.0 -6.3
  23. 23. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE (IV) Pobreza em Sofala e Zambézia - zona rural Produção agrícola (calorias por pessoa / dia)
  24. 24. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE (IV) Resultados : Desnutrição Desnutrição entre crianças menores de cinco anos (%) <ul><li>Ligeiras mudanças ao longo do tempo nas taxas de desnutrição (níveis bastantes elevados) </li></ul><ul><li>Hábitos alimentares influenciam para esta fraca variação </li></ul><ul><li>Em elaboração o Plano multi-sectorial de Acção de combate a desnutrição crónica </li></ul>
  25. 25. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE (IV) Resultados: Sumário dos Resultados 2002/03 2008/09 Taxa de escolarização primária líquida (%) 66.8 76.5 ↑ Taxa de escolarização secundária líquida (%) 8.2 22.0 ↑ Posse de bens (0 - 8) 1.25 1.70 ↑ Acceso a um posto de saúde (<45 mins a pé) 54.4 65.2 ↑ Desigualdade (Gini) 0.42 0.41 ↔ Desnutrição crónica (%) 47.1 46.4 ↔ Taxa de pobreza de consumo (%) 54.1 54.7 ↔
  26. 26. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE <ul><li>Melhorias significativas da pobreza não monetária </li></ul><ul><ul><li>Tendências positivas do longo prazo – conforme esperado </li></ul></ul><ul><ul><li>Corresponde com as áreas prioritárias do Governo (educação, saúde, abastecimento de água e saneamento e fornecimento de energia eléctrica). </li></ul></ul><ul><ul><li>Cria ambiente propício para o futuro desenvolvimento do país. </li></ul></ul><ul><li>Estagnação (nacional) da pobreza na óptica do consumo entre 2002-03 e 2008-09, que relaciona-se com: </li></ul><ul><ul><li>Falta do crescimento da produtividade agrícola, particularmente no sector familiar </li></ul></ul><ul><ul><li>Aumentos nos preços internacionais </li></ul></ul><ul><ul><li>Choques climáticos que provocam baixa produção e aumentos nos preços </li></ul></ul><ul><ul><li>Hábitos alimentares e preferencias na alocação do orçamento entre alimentos e não alimentos. </li></ul></ul>(v) Conclusões
  27. 27. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE <ul><li>Estimular o sector agrícola familiar, para se atingir a incidência da pobreza de 40% em 2015 (Meta do Desenvolvimento do Milênio) </li></ul><ul><ul><li>Intensificação da produção agrícola em áreas com maior potencial </li></ul></ul><ul><ul><li>Implementação de acções de produção de comida e criação de emprego através do Fundo Distrital de Desenvolvimento. </li></ul></ul><ul><ul><li>Sensibilização sobre a necessidade de mudanças nos hábitos alimentares (consumo de produtos locais e necessidade de maior consumo de alimentos) </li></ul></ul><ul><ul><li>Sensibilização sobre o uso de activos dos agregados familiares para fins comerciais (Exemplos: venda de gado, empréstimos bancários). </li></ul></ul>(VI) Acções de seguimento
  28. 28. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE <ul><li>Promover o Crescimento do emprego </li></ul><ul><ul><li>Facilitar a criação e o desenvolvimento de pequenas e médias empresas; </li></ul></ul><ul><ul><li>Promover o agro-processamento </li></ul></ul><ul><ul><li>Implementação do Plano Estratégico de Redução da Pobreza Urbana (PERPU) </li></ul></ul><ul><ul><li>Incentivar o desenvolvimento do sistema financeiro </li></ul></ul>(VI) Acções de seguimento
  29. 29. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Resultados da 3ª Avaliação da Pobreza Maputo, 21de Setembro de 2010 OBRIGADO APRESENTAÇÃO AO CONSELHO DE MINISTROS

×