Your SlideShare is downloading. ×
Tipo Carioca - setembro 2013
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Tipo Carioca - setembro 2013

383
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
383
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Ano 15 • nº 168 • SETEMBRO 2013 • Barra da Tijuca, Recreio e Vargens • Distribuição mensal e gratuita COLUNA ZEN Nossa colunista Adriana Mello conta como foi a 1ª Festa Medieval de Paulo Vasc, que contou com várias atrações, como expositores, danças folclóricas e o grande ritual das fogueiras. Pág. 13 CIRCULANDO Dona de uma das mais belas vozes da nossa MPB, Adriana Calcanhoto se apresentou recentemente na Cidade das Artes, na Barra. Confira esta e outras novidades na coluna deste mês. Pág. 10 O TRÂNSITO NO ROCK IN RIO Enquanto nomes como a diva Beyoncé (foto) subirão ao palco do Rock in Rio, a prefeitura preparou um esquema espe- cial de trânsito para quem vai ao evento. Confira nesta edição. Pág. 04 P arece que foi ontem. Mas, há exatamente três quinquênios, nascia o Tipo Carioca. Uma década e meia de muita luta e fecundo trabalho, recompensados com muitas vitórias e a certeza do dever cumprido. Num mercado tão imprevisível e concorrido como o atual, levar o melhor da região a você, leitor, durante três lustros, é motivo de muito orgulho. Agradecemos o apoio dos estimados leitores e anunciantes, condição essencial para atingirmos essa marca. E que venham os próximos 15 anos! TOUR O Barbeiro é o assunto da deliciosa colu- na de Paulo Sergio Valle. Um alerta bem- -humorado sobre o cuidado que se deve ter na hora de escrever. Pág. 07
  • 2. Setembro 2013 Jornal Tipo Carioca02 Informe Publicitário FESTA DO DIA DOS SUPERPAIS NO CIEI Estrada do Pontal, no 2.093 - Recreio Tels.: 2490-1673 | 2490-4273 www.ciei.g12.br E-mail: admin@ciei.g12.br M uita descontração e in- tegração entre várias famílias e os funcio- nários da escola. Em linhas gerais, assim foi mais uma tradicional Festa do Dia dos Pais no Ciei, que aconteceu na manhã do dia 17 de agosto. Ou melhor, dos superpais. – A gente sempre vem, é uma oportu- nidade de encontrar pais de outros colegas, além de diretores e funcio- nários da escola. É sempre descon- traído e agradável – elogiou Antonio Polita, que tem dois filhos no Ciei: Beatriz, do sexto ano; e Pedro, da 1ª série do Ensino Fundamental. De fato, não faltou descontração. As atividades começaram com o tradicional alongamento na quadra coberta. Depois, cada turma fez tra- balhos específicos com os respecti- vos pais. Da Educação Infantil ao Ensino Fundamental I, as atrações foram: Papai no cantinho certo (no estacionamento), Chute ao gol (nas mesas do parque), Gincana maluca (no campo de areia) e Rebuliço de brincadeiras (no estacionamento), entre outras. Já os alunos do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio curtiram as seguintes atividades: É hora de bola (na quadra esportiva), Reaproveitando e saborean- do (na cozinha experimental), Ultrapassando desafios com meu filho (no areal próximo aos brin- quedos) e Redescobrindo meu fi- lho (na praça da churrasqueira). Para finalizar, um saboroso lan- che foi servido no refeitório. Carlos Alves da Silva, o professor Carlito, diretor-presidente do Ciei, fez um balanço positivo do evento: – Os pais voltam a ser criança. É importante trazer as famílias para dentro da escola, não só para reclamações, mas para se divertir também. Acho fascinante. Como já disse algumas vezes: não tenho filho, mas sou pai de um monte. E aqui é o momento de se encon- trar, de se realizar. Eventos como esse vão consolidando o ambien- te familiar e a escola faz parte dessa relação. Mapa Astral • Tel.: 8834-7412 adrianafmello@ig.com.br | www.contatoscom.blig.ig.com.br R eunindo mágicos, bru- xos e esotéricos, a Ilha Primeira, na Barra da Tijuca, serviu de cenário para a 1ª Feira Medieval de Paulo Vasc, que aproveitou para realizar o seu 3º Jantar Medieval. Percebendo sua ligação de outras vidas aos espíritos medievais, Paulo começou a organizar as noites bár- baras e seus jantares. Uma reunião do clã que acabou tomando uma maior proporção. O evento contou com vários expo- sitores, danças folclóricas (ventre, cigana e medieval) e o Grande Ritual da Fogueira, que, invocando as sala- mandras, trouxe a todos a energia de prosperidade e limpeza, dando bo- as-vindas à chegada da primavera. Muita energia e alto astral fez parte deste evento. Paulo é um sacerdote pagão, que se dedicou desde cedo ao estudo e decodificação de símbolos. Foi ini- ciado no Clã de Therion, originário da região dos Países Baixos, mistu- rando tradições célticas e nórdicas e, aos 18 anos, foi apresentado aos mistérios e às artes dos druídas. Especialista em artes divinatórias célticas e árabes, iniciou sua trajetó- ria pelo tarô, passando pelos misté- rios das runas, a arte da geomancia, astrologia árabe, numerologia árabe, oráculo druídico do Oghan, cristalo- mancia, cartomancia, I Ching, borra do café. Ao se iniciar no Reiki e na Cura Prânica, associou tais técnicas à prática da cristaloterapia. Paulo hoje atua como simbologista, orientador espiritual, alquimista e consultor ho- lístico empresarial. Ele explica que os cinco pontos da estrela simboli- zam os elementos: Terra, Ar, Fogo, Água e o Espírito. Conta que em seus rituais são usadas velas, comidas, bebidas, poesias, danças. Ele diz que se alguém perguntar algo relaciona- do à sua religião deverá, sim, per- guntar quando será a próxima lua cheia ou melhor, quando será a pró- xima lua azul. Para terminar, diz que um bruxo funciona da energia uni- versal com os deuses, “inclinando” a máquina de probabilidade para algo. 1a Feira Medieval de Paulo Vasc Outras pessoas importantes ao meio passaram pela feira, acrescen- tando seus mistérios, como: Rafael Chiconeli, escritor e diretor do Centro de Cabala iniciática. Rafael lançou seu livro didático este ano: “Toda a Luz da Cabala”, onde conta os aspectos práticos da cabala, seu lado mágico e fala sobre as criaturas medievais; Cris do Tarot, veio de Belo Horizonte para participar do evento. Ela é taró- loga, professora e ministra palestras. Sua proposta é um tarô experimen- tal vivido de uma forma particular; Og Sperle, presidente da UWB (União Wicca Brasileira), que nos contou que sua associação defende os interesses da religião, acabando com o preconceito. Og participa da comissão de combate à intolerân- cia religiosa; Alana Morgana, fundadora da tradi- ção Athena Pronaia. Alana é tarólo- ga, cartomante e bruxa. Na sua pa- lestra, falou sobre o Deus Hermes e sua magia nos tempos atuais. E para quem se interessar em se aprofundar em uns dos assuntos de especialidades destes mestres, se- guem os contatos: Paulo.vasc-groove@ymail.com Rafael@cabalainiciatica.com.br crisdotarot@gmail.com www.uniaowiccadobrasil.org.br atenapronaia@gmail.com Ou, se preferir fazer uma numerolo- gia e saber as energias que estão em circulação na sua vida, mande um e- -mail para mim. Boa entrada de pri- mavera e boas energias a todos.
  • 3. Jornal Tipo Carioca Setembro 2013 03 Editorial P arece que foi ontem. O tem- po voa. O jornal Tipo Carioca completa, com esta edição, quinze anos de circulação. São 5.475 dias dedicados à informa- ção e entretenimento de nossos lei- tores, anunciantes e colaboradores. Durante essa década e meia, muita coisa aconteceu em nossa cidade, mormente o progresso vertiginoso de nossa região. Somos testemunhas da evolução da Barra da Tijuca, Recreio e Vargens, registrando todos os fatos importantes aqui acontecidos. Uma leitura de nossas edições mais an- tigas é um passeio pela história dos três importantes bairros. Recordar é viver, diz o sábio ditado. Assim, vale relembrar o texto que pu- blicamos em setembro de 2003, quan- do completamos o primeiro quinquê- nio de circulação: “Completamos, este mês, cinco anos de circulação ininterrupta, sempre procu- rando levar informação e entretenimen- to ao leitor, nosso alvo editorial. Embora um jornal de bairro, estamos atentos aos grandes temas nacionais, dentro de uma diversificação feita com cuidado e discer- nimento, emitindo nossa opinião sempre que necessário. Agradecemos de coração aos nossos queridos leitores e anuncian- tes pelas manifestações de carinho que têm pautado nossas relações, o que nos incentiva a procurar fazer sempre o melhor, na defesa do interesse de todos. Luta e trabalho não faltarão para que possamos aprimorar cada vez mais nos- sas edições. Um grande abraço a todos!”. Em setembro de 2008, ao comple- tarmos uma década de circulação, uma mensagem de nossa diretora, Katia Lancelotti: “Agradeço aos muitos amigos que participaram do projeto Tipo Carioca, começando pelo “irmão” Rômulo Arantes (in memoriam), que foi o gran- de incentivador para que isso aconte- cesse. Grande parceiro! Aliados a ele, no time de colunistas, estiveram: Zico, Hans Donner, Paulo Sergio Valle, Robson Caetano, Ary Fontoura, Robertinho Silva, Guto Goffi, Henrique Pagnoncelli, Priscilla Couto, Djan Madruga, Rosane Castro Neves, Zézuca, Liliana Rodriguez e tantos outros ilustríssimos colunistas que colaboraram e colaboram para o sucesso do jornal. Aos que prestigiaram, Os textos e artigos assinados não refletem necessariamente a opinião do jornal, sendo responsabilidade de seus autores. www.tipocarioca.com.br Administração: R. Januário José Pinto de Oliveira, 277 Condomínio Maramar Recreio dos Bandeirantes Rio de Janeiro - RJ CEP: 22790-864 CNPJ: 03.072.362/0001-86 Insc. Municipal: 02.577.631 Tel.: 2490-0328 Cel.: 9124-0185 jornal@tipocarioca.com.br página 10 página 15 Ramade Bairro página 04 Gourmet página 15 Social página 14 Tour página 07 Paisagismo página 13 Meio ambiente página 13 Cinema página 14 fizeram parcerias, incentivaram, anun- ciaram e acreditaram no meu trabalho, tenho a mostrar as várias homenagens, moções, agradecimentos, prêmios e tro- féus que recebemos durante esses dez anos de trabalho sério, com dedicação, compromisso, criatividade e determi- nação. (...) Um bom trabalho se realiza com uma boa equipe de funcionários e colaboradores, onde o fruto é a satis- fação do leitor. Portanto, deixo o meu muito obrigada e a certeza que estarei sempre me esforçando para que a qua- lidade do Tipo Carioca continue sendo merecedora de tantas glórias. Qualquer objetivo alcançado é um passo a mais para a meta a ser atingida!”. Chegamos a setembro de 2013. Três lustros de contato com nossos leitores. Muitas pessoas de grande valor em nossa sociedade passaram por nossas páginas. Alguns saíram, outros chega- ram, sem perda de qualidade. Nossa disposição e coragem para enfrentar os desafios irão continuar. Vamos em frente! Que venham ou- tros quinze anos! Dicas de um Tudo página 07 Colunistas: Paulo Sergio Valle, Nelson Barboza, Katia Lancelotti, Rosane Castro Neves, Cleci Meneghel, Adriana Mello, Donato Velloso, Gilvan Nascimento, Fábio Freitas, Dr. José Figueiredo Penteado, Paulinho Barros e Alberto Peribanez Gonzalez. Diretora: Katia Lancelotti | Reg.26340 Reportagem: Gustavo Loio Revisão: Nelson Barboza Distribuição: André Luiz Neto Veículo associado: International Writers Association Premiado com o Troféu AIB de Imprensa 2007, 2009 e 2011 Cabelos página 12 Opinião página 13 Espaço aberto página 06 Cruzadas do Rei página 06 Colaborações: Ramade Martins (Caricaturas), Reinaldo Costa (Enigmas do Rei) e Alessandro Rosalino (Tirinhas do Ale). Distribuição Gratuita: Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes, Vargem Grande e Vargem Pequena. Tiragem: 20.000 exemplares Publicação: Mensal Fotolito e Impressão: Lance! Projeto Gráfico e Arte Publicitária: Saúde página 12 Cultura da vida página 07 MARATONA NO DETRAN Se houvesse um ‘prêmio’ para eleger o órgão público que menos funciona nesta nossa cidade, na minha opi- nião, ele iria, sem sombra de dúvi- das, para o Detran. Há poucos dias, tive que ir nada menos do que quatro vezes ao posto de vistoria da Barra, no Terminal Alvorada, para fazer a vistoria do meu carro. Cada vez que chegava lá, após horas de espera, um funcionário ‘inventava’ uma nova exigência, até mesmo pedindo para fazer uma nova placa (em um carro que nem tem três anos de uso), abu- sando da paciência de quem – como tantos outros – paga os impostos corretamente. Isso sem falar que é simplesmente inacreditável você ter que levar o comprovante de pa- gamento de um Duda (Documento Único de Arrecadação), se o próprio sistema do órgão já identificou que o mesmo já havia sido pago. Caso contrário, não conseguiria agendar a bendita vistoria. Em uma das vezes que tentei resolver a minha situação, precisei ir ao banco pagar uma nova taxa e fui informado de que poderia voltar à fila no posto do Detran, mas sem a garantia de que seria atendido. Não deu outra: fiz o novo procedimen- to e esperei, de novo, em vão, naquele ‘bendito’ lugar. Há exceções, claro, mas o serviço é tão ruim que a única solu- ção é você ter um carro com um ano de uso. Neste caso, você estará livre desse inferno chamado Detran, já que a vis- toria é dispensada para um carro zero no ano seguinte à compra. Enviado por e-mail por João Corrêa. Nota da redação: comprando (ou tro- cando) o carro sempre em janeiro, fica dois anos sem vistoria. OPERAÇAO LIXO ZERO Acho ótima a ideia da recém-lançada Operação Lixo Zero, que busca discipli- nar os porcalhões que espalham sujeira pela nossa cidade. E tenho a certeza de que vai dar certo, já que pega os sujis- mundos pelo bolso. Só acho errado o fato de deslocarem diversos PM’s para esta operação, enquanto muitos bair- ros da nossa cidade continuam à mercê de marginais, sem policiamento. Um exemplo disso é o Recreio, que, não ra- Rua Januário José Pinto de Oliveira, 277 Maramar - Recreio dos Bandeirantes CEP: 22790-864 - FAX: 2490-0328 e-mail: jornal@tipocarioca.com.br Cartas para esta seção: ramente, segue sendo palco da ação de bandidos, a qualquer hora do dia e da noite. Penso que, na Operação Lixo Zero, as equipes de trabalho pode- riam ser formadas apenas por garis e guardas municipais, sem a compa- nhia de policiais militares. Enviado por e-mail por José Barboza. CALÇADA ABANDONADA É inacreditável, mas a calçada da Avenida Ministro Ivan Lins, que dá acesso à Ponte Lúcio Costa, na Barra, não tem pavimentação. O local está cheio de buracos, lama e pedras. A situação é tão ruim que os pedestres são obrigados a caminhar pela rua e correr o risco de serem atropelados. Alô, prefeitura! Enviado por e-mail por Manuela Fernandes.
  • 4. 04 Jornal Tipo CariocaSetembro 2013 Revitalização da pista de skate da Praça do Ó D urante os próximos meses, os skatistas que frequen- tam a pista da Praça do Ó, no Jardim Oceânico, não poderão utilizar o local. Mas é por um bom motivo: o espaço começou a ser revitalizado pela Subprefeitura da Barra e Jacarepaguá, em parceria com a Adidas. A área para a prá- tica do esporte, que atualmente tem 867 metros quadrados, será ampliada para 1.078 metros qua- drados, após a revitalização. Além da recuperação e da expansão, o piso da pista, feito de granilite, ga- nhará aplicação de resina acrílica. Nas demais áreas, o piso inferior, de concreto, receberá polimento. Serão demolidos os obstáculos im- provisados pelos frequentadores, que darão lugar a novos equipa- mentos de concreto. A arquiban- cada, espaço para espectadores, também será recuperada. Museu Casa do Pontal lança programa C om o objetivo de inserir o Recreio nos roteiros turísti- cos, o Museu Casa do Pontal lançou o programa ‘Leme ao Pontal – O Brasil além de cartão postal’. O pacote inclui transporte com embar- que na Zona Sul, Barra ou Recreio, guia turístico, visita guiada musica- da de uma hora e meia ao museu, paradas para tirar fotos na Prainha e em Grumari e retorno a todos os pontos de partida. O passeio tem a duração de seis horas. O acervo do Museu Casa do Pontal reúne cerca de oito mil peças de formas, mate- riais e estilos diferentes, criados por mais de 200 artistas, de 24 estados do país. São obras que contam histó- rias e costumes do povo brasileiro, por meio da arte popular produzida a partir da década de 40. Sheraton recebe o Barra Sustentável O Sheraton foi palco de mais uma edição do Barra Sustentável. Algumas atra- ções deste ano foram a palestra ‘Urbanismo e Planejamento de Cidades Sustentáveis’, com Lourdes Zunino e Gisela Santana, direto- ras do Instituto Verde, e o projeto hors-concours ‘Proteção Ambiental Lagunar’, por Marcos Sant’Ana, pre- sidente do Instituto Terrazul. Tremor assusta em centro comercial na Barra O s funcionários que traba- lham no bloco 6 do Complexo Empresarial Mário Henrique Simonsen, na Barra, levaram um susto na manhã do último dia 31, quando sentiram vibrar o prédio de sete andares, onde trabalham cer- ca de mil pessoas. O fato é devido a uma obra da Cedae, que acontece em terreno nos fundos do centro comercial, próximo ao bloco que re- gistrou as vibrações. Representantes do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) vistoriaram a obra e pediram as licenças da intervenção, mas só encontraram operários no local, que apresentaram apenas uma licença de instalação, o que, de acordo com o fiscal Valdir Almada, que liderou a inspeção, não é suficiente para uma obra desse porte. Confira o esquema de trânsito durante o Rock in Rio P ara quem for ao Rock in Rio, que começa no dia 13, o acesso será feito pela li- nha especial de ônibus Alvorada – Cidade do Rock, que circulará das 10h até as 4h do dia seguinte, com tarifa de R$ 2,75. Essa linha passará pelos pontos em frente ao BarraShopping, ao CasaShopping e ao Shopping Via Parque, desem- barcando no Terminal Rock in Rio (em frente ao Autódromo). De lá, o público deve caminhar até o local do evento. Na volta, os ôni- bus farão o percurso Autódromo/ Terminal Alvorada. As linhas regulares provenientes de todas as regiões da cidade e que têm como destino o Terminal Alvorada serão reforçadas, e os coletivos serão identificados com adesivo especial Rock in Rio, no para-brisa diantei- ro. No terminal, será feita a cone- xão com a linha especial que leva à Cidade do Rock. Além disso, as linhas regulares, que passam próximas ao Riocentro/ Parque dos Atletas, também serão reforçadas e são alternativas de che- gada ao evento. Elas terão os itinerá- rios ajustados e funcionarão apenas até meia-noite, não estando disponí- veis para a volta. Outra opção para quem for ao Rock in Rio são os ônibus executivos, que partirão de 15 pontos da cidade até o Riocentro. Mais informações sobre este serviço podem ser vistas no site oficial do Rock in Rio (http://rockin- rio.com/rio/) Principais interdições Das 11h do dia 13/09 (sexta-feira) às 5h do dia 16/09 (segunda-feira); das 11h do dia 19/09 (quinta-feira) às 5h do dia 20/09 (sexta-feira) e das 11h do dia 20/09 (sexta-feira) às 5h do dia 23/09 (segunda-feira) serão interditadas as seguintes vias: • Avenida Salvador Allende, entre a Avenida das Américas e a Estrada dos Bandeirantes; • Av. Embaixador Abelardo Bueno, da Avenida Canal Arroio Pavuna até a Av. Salvador Allende; • Avenida Olof Palme, da Estrada dos Bandeirantes até a Avenida Salvador Allende; • Rua Abrahão Jabour, entre a Avenida Olof Palme e a Avenida Salvador Allende; • Rua Pedro Calmon entre a Rua Abrahão Jabour e a Avenida Salvador Allende; • Via Inominada entre a Estrada dos Bandeirantes e Rua Abrahão Jabour. E ncurtar a distância entre li- vros e pessoas é o nobre ob- jetivo do projeto BiblioSesc, que está completando cinco anos de andanças nas comunidades da Barra da Tijuca, Recreio e também de Jacarepaguá. O veículo empres- ta livros de graça, para estimular a leitura. Seu acervo é constituído de quase três mil títulos, incluindo re- vistas com temas atemporais e qua- drinhos. Para realizar o empréstimo de uma obra, é preciso fazer um ca- dastro gratuito, com identidade, CPF, comprovante de residência e dois números de telefone. BiblioSesc completa cinco anos EDITAL DE CONVOCAÇÃO Av. das Américas, 19.019 – Setor 04 - Mezanino do 1º Piso Recreio Shopping –E-mail: gerenciaacir@gmail.com Telefone: 2138.9613 ou Telefax: 2138.9614 N os termos do Estatuto em vigor ficam con- vocados todos os Senhores sócios efetivos e Conselheiros da ACIR Transoeste - Associação Comercial e Industrial da Região Transoeste para se reu- nirem em Assembleia Geral Ordinária, na sua sede - Setor 4 – Mezanino do 1º piso do Recreio Shopping, situado na Avenida das Américas, 19.019 no Recreio dos Bandeirantes – Rio de Janeiro – CEP: 22790-701, no dia 02 de ou- tubro de 2013 às 08:30 horas em primeira convocação e às 09:00 horas, em segunda e última, com qualquer número para delibera- rem sobre a seguinte ordem do dia: 1- Eleição de Diretoria para o biênio - outubro 2013 a outubro 2015; 2- Eleição do Conselho Fiscal para o mesmo período; 3- Assuntos Gerais. Somente terão direito de voto os sócios quites com suas obrigações sociais nos termos do art. 9º do Estatuto. Rio de Janeiro, 05 de setembro de 2013. Alfredo Lopes Presidente. Associação Comercial e Industrial da Região TransOeste P oliciais da 42ª DP (Recreio) investigam a existência de um cemitério clandestino na Praia de Grumari, na Zona Oeste do Rio. As investigações tiveram início com base em denúncia anônima de- talhada, enviada à ONG Rio de Paz, que luta pela redução de homicí- dios no país. Policiais foram ao local, onde constataram evidências de que uma mata na praia é usada como ce- mitério clandestino e local de tortu- ras e execuções. A Polícia deve pedir ao Instituto de Criminalista Carlos Éboli para enviar peritos ao local, em busca de mais indícios. Polícia investiga cemitério clandestino em Grumari O s moradores do entorno da Ponte Lucio Costa fizeram um ato contra o esquema de segurança na região. Há aproxima- damente um ano, eles começaram a perceber que a cabine da Polícia Militar, instalada ali há 11 anos, vi- nha sendo pouco utilizada. De acor- do com o presidente da Associação Bosque Marapendi (ABM), Ricardo Magalhães, assim que começou a notar a diminuição da presença da PM no local, ele entrou em conta- to com o 31º Batalhão, responsável pela área, e foi informado de que o efetivo não era suficiente para cobrir a demanda. ABM protesta contra a falta de policiamento
  • 5. 05Setembro 2013Jornal Tipo Carioca
  • 6. 06 Jornal Tipo CariocaSetembro 2013 NA TERRA DOS MÉDICOS Fidel está fazendo um de seus famo- sos discursos: – E a partir de agora teremos de fa- zer mais sacrifícios! Diz alguém na multidão: – Trabalharemos o dobro! ... E temos de entender que haverá menos alimentos! Diz a mesma voz: – Trabalharemos o triplo! ... E as dificuldades vão aumentar! Completa a mesma voz: – Trabalharemos o quádruplo! Aí o Fidel pergunta ao chefe de segurança: – Quem é esse sujeito que vai traba- lhar tanto? – O coveiro, mi comandante. OLHA A MANGUEIRA Semana Santa, o sujeito no maior porre, na porta de um boteco, vê a procissão passando, carregando uma Santa num andor todo verde e rosa, e berra: – Olha a Mangueira aí, geeeente! Enfezado, o padre vira-se para o bê- bado e esbraveja: – Mas que falta de respeito, seu ex- comungado! Cuide de sua vida e nos deixe, com a nossa fé! Nem bem acabou de falar, a Santa bate num galho de uma mangueira, cai e se espatifa no chão. E o bêbado: - Bem que eu avisei, mas o padre é estressadinho... MULHER VAI AO MÉDICO PARA EXAMES DE ROTINA: Diz o médico: – Seu pulmão, seu coração e a sua pressão estão ótimos. Agora deixe- -me ver essa coisinha que costu- ma meter as mulheres em grandes encrencas. A mulher prontamente tira o vestido e quando começa a tirar a calcinha é interrompida: – Não... não! Não precisa tirar a rou- pa, minha senhora... Só quero que me mostre a sua língua...!!! MORRE A SOGRA O cara resolve levar a sogra junto na lua de mel para o Oriente Médio. Chegando lá, a velha logo bate as botas. Apavorada, a filha pede ao marido que tome providências para levar a mãe dela para o Brasil. O cara vai ao IML local e pergunta quanto custa o translado do corpo, e quanto custaria para enterrar a velha por lá mesmo. O sujeito do IML responde Rua Januário José Pinto de Oliveira, 277 Maramar - Recreio dos Bandeirantes CEP: 22790-864 - FAX: 2490-0328 e-mail: jornal@tipocarioca.com.br Cartas para esta seção: Reinaldo enigmadorei@gmail.com | (19) 3257-1381 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 Nº Horizontais 1 A PRAIA DA GAROTA FAMOSA / BOTEQUIM 2 MORTAL / GOIÁS (sigla) / SORRI 3 EXTRATERRESTRE 4 MATÉRIA PUBLICADA EM JORNAL / PROCURA 5 O PECADO DO COMILÃO / NÃO É MILITAR 6 INATIVO 7 O BAIRRO DO DOMINGUINHOS 8 DECIFRA / NOS ARES / RONDÔNIA (sigla) 9 RODA / ABREVIATURA DE SATÉLITE / O AUTOR 10 MEXE / SUPÕE 11 OUÇO / VERDADEIRO Nº Verticais 1 PAQUETÁ E GOVERNADOR / ENCHIDO DE CARNE DE PORCO 2 BASE / UMA MARCA FONOGRÁFICA / DEUS DO AMOR 3 POSTURA / ORGANIZAÇÃO VICTOR COSTA (iniciais) 4 SÍMBOLO DE SÓDIO / SÃ E SALVA / 1ª PES. DO SINGULAR 5 REQUINTADOS 6 TOCANTINS (sigla) / PERVERTIDO 7 AGÊNCIA (abrev.) / PORRETE 8 FAMOSA PROCISSÃO DE BELÉM / DOUTOR 9 TRANSATLÂNTICO / RUA (francês) 10 BRISA / IRMÃO DO PAI / ORA 11 ADVERSÁRIO / MACHO DA VACA RESPOSTA: que para trazer o corpo para o Brasil custa R$ 50 mil, e para enterrar por lá custaria R$ 5 mil. O genro responde que prefere tra- zer o corpo para o Brasil. O cara olha espantado para o brasileiro e responde: – Mas o senhor ama tanto a sua so- gra, para pagar um valor desses? O cara olha para o agente e responde: – Prefiro não arriscar, meu amigo; estamos em Jerusalém, e já ressusci- tou gente por aqui. MARIDO ARREPENDIDO O marido, sentado na poltrona, está se desmanchando de tanto chorar. Nisso, chega a esposa e pergunta: – O que foi que houve? Daí, ele responde: – Lembra que o seu pai disse “ou casa ou vai pra cadeia”? Pois é! Hoje eu estaria saindo da cadeia! Av. Lúcio Costa, 16.580 - Tel.: 2490-1684 / 9987-6022 1234567891011 1IPANEMABAR 2LETALGORI 3HIETNV 4ARTIGOCATA 5GULACIVIL 6SEDENTARIO 7AESTACIOB 8LEAEREORO 9AROSATREI 10MOVEDEDUZ 11ESCUTOREAL
  • 7. Jornal Tipo Carioca Setembro 2013 07 Médico Alberto P. Gonzalez www.doutoralberto.com C hega dia 13 ao Brasil o ho- mem que veio para alte- rar o curso da medicina. Gabriel Cousens, médico, rabino, homeopata e especializa- do em ayurveda, que exerceu psi- quiatria em seus primeiros anos de atividade de pesquisa. Autor de livros memoráveis como “Livre da Depressão para Toda a Vida”, “Nutrição Evolutiva”, “a Cura do Diabetes pela Alimentação Viva”, “A Dieta do Arco-Iris”, “A Cozinha Verde” e do último lançamento, “A Torah como um Guia para a Iluminação”, e considerado também um dos nomes do empreendedo- rismo americano na área da saúde, fundou e coordena hoje a Fundação Tree of Life, com atuação nos EUA, México, Nigéria (Biafra), Gana e Sri Lanka. Entre suas muitas ativida- des no Brasil, vem solidificar a par- ceria que teremos na prevenção e no tratamento do diabetes mellitus. Mas de quem se trata esta pessoa? Não seria qualquer um para enfrentar, dentro do país que criou a pior dieta do planeta, e onde a própria Sociedade Americana do Diabetes define esta doença como “crônica e sem cura”. Gabriel formou-se pela Universidade de Columbia (quinta no ranking mundial), com a menção summa cum laude, o que significa médias acima de nove. É o que se pode notar ao abrir-se qualquer um de seus livros. Uma efusão de conhecimentos começa a brotar desde a leitura de suas primeiras linhas. Um homem sempre à frente de seu tempo, capaz de somar as forças vigentes na medicina e na fisiologia e fazer valer novos axiomas, não apenas na teoria, mas também na prática. Seus estudos já trazem estatísticas assombrosas no aspecto medico: 40% e 70% de reversão do diabetes dos tipos I e II respectivamente. Em medicina, basta estatística acima de 30% de cura para que um determinado procedimento seja considerado curativo. Chega ao Brasil para palestrar no Simpósio Internacional de Saúde Quântica, onde também tenho palestra (já são 1800 inscritos, segundo Wallace Liimaa, o organizador). Estão também Amit Goswami, Masaru Emoto, John Veltheim, Lair Ribeiro e Fernando Bignardi. Este último, coordenador do Centro de Estudos do Envelhecimento, na Escola Paulista de Medicina, convidou Gabriel para uma palestra que já considero histórica, e ocorrerá para assistênciademédicosapenas,nodia 16 de setembro, uma segunda-feira. Depois disso, nos dirigiremos ao magnífico hotel Paraíso Eco Lodge, com capacidade para duzentas pessoas. A maior parte dos inscritos são ex-alunos de meus cursos, assim que já restam apenas algumas vagas. Serão cinco dias de instruções elevadas. Além de aulas magníficas sobre fisiologia e metabolismo do diabetes e outras doenças metabólicas, Gabriel veicula a ideia de uma Cultura de Vida, que vem a substituir, nestes estranhos tempos, a cultura da morte. O festival que o abriga nestes dias é fruto de nossa obra, minha e de minha equipe. Chama-se Festival Culture of Life e terá repetição anual. Tem por objetivo despertar a consciência e o potencial de nossa juventude e nossos profissionais, para um mundo mais orgânico, mais ecológico e mais saudável. O MÉDICO ESTÁ CHEGANDO DEZ DICAS PARA UMA BOA ENTREVISTA DE EMPREGO 1. Hoje em dia, quase todas as firmas têm sites na internet. Aprenda algo sobre a empre- sa antes de ir a uma entrevista. Mas atenção: não mostre que sabe de- mais sobre ela. Use essa informação para fazer algumas perguntas; 2. Liste no papel todas as perguntas que você pen- sa que um entrevistador poderia lhe fazer. Então, prepare algumas respostas e escreva-as por baixo delas. Escrevê-las vai ajudá-lo a recordá-las. Pratique com alguém os textos; 3. Pense nas suas fraquezas. Deve estar preparado para que lhe façam referência a uma área na qual a sua experiência e/ou conhecimento têm algumas fa- lhas. Se não lhe for perguntado, en- contre uma maneira de incluir isso na entrevista. Os entrevistadores es- peram ouvi-lo falar dos seus pontos fortes, mas não sobre os fracos ou “necessidades”. Apreciarão a sua sin- ceridade, e isso irá impressioná-los. Entretanto, assegure-se de que as fa- lhas por você divulgadas possam ser facilmente remediadas; 4. Leia o seu C.V. e planeje como explicar um “lapso de tempo”. Por exemplo, se você tiver um par de meses entre deixar um trabalho e começar um novo, certifique-se de que tem uma boa explicação para o que fez du- rante o período intermediário en- tre os dois empregos; 5. Certifique-se de que o seu passado acadêmico e/ou de trabalho sejam discuti- dos. Assim, esteja preparado para falar sobre realizações específicas. Explique o que você sentiu sobre um sucesso ou um fracasso. Os senti- mentos são importantes; 6. Perguntas. Evite perguntas que empurrem o entrevis- tador para um compromis- so – a menos que você esteja sendo entrevistado para um trabalho de vendas. Algumas perguntas boas a levantar são: – Pode falar-me um pouco sobre as pessoas que trabalham nessa equipe? – Com que frequência as pessoas progridem na organização? – Quando é que se pode esperar uma decisão sobre este processo de seleção?; 7. Use os verbos na terceira pessoa; evite o “eu”, ao falar sobre o trabalho. Evite falar como se o trabalho já fosse seu. Não pergunte: “Qual vai ser o meu salário por mês? “ Pergunte antes: “Qual é, aproximadamente, o salário mensal para este cargo? “; 8. Encontre algo positivo sobre a empresa, enquanto pesqui- sa as informações que reco- lheu no site dela, algo que você sinta que o entrevistador saberá respon- der e dê-lhe a oportunidade de falar (orgulhosamente) sobre isso; 9. Se o seu C.V. Ainda não tiver uma fotografia, assegure-se de que leva uma foto e mais um C.V. consigo para a entrevista. 10 . Se você não conhecer exatamente o local da entrevista, tente sair uma hora mais cedo, para chegar a tem- po. Independentemente de uma boa desculpa, um atraso dá logo uma im- pressão negativa sobre si. Se puder, leve um telefone celular, pois, se fi- car preso no meio do trânsito, você pode, pelo menos, comunicar ao en- trevistador o seu atraso. var.imagens@hotmail.com magodaslentes@gmail.com Telefones: (021) 2459-0117 / 3406-1804 Celulares: (021) 9395-2000 / 7614-7188 Vicente Rodrigues fotógrafo var.imagens “E screver é muito peri- goso. É preciso tomar muito cuidado com o que se escreve”. Meu leitor talvez pense que a fra- se acima foi dita por um jornalista político, temeroso das consequên- cias de suas análises, quem sabe até de um processo por calúnia ou difamação. Indo mais longe, o leitor talvez imagine que foi pronunciada por um escritor, arrependido das inconfidências cometidas em seus livros. Poderia também ser de um eco- nomista metido a fazer previ- sões sobre as finanças de um país, quase sempre contrariadas pela realidade. E não é de se desprezar a possi- bilidade de ter sido dita por uma personalidade, quem sabe algum artista, contrário à publicação de biografias não autorizadas, onde nem sempre o que está escrito cor- responde à imagem que tal perso- nalidade faz de si mesma. Mas, poderia ser também de um sociólogo que, depois de ser elei- to presidente da República, suge- O BARBEIRO riu que se esquecesse tudo o que havia escrito anteriormente, pois conflitava com seus atos no exercí- cio do cargo. Pois é, leitor amigo, poderia ser tudo isso. Mas não foi. Quem me disse tais frases foi meu antigo bar- beiro, num salão de Copacabana, enquanto cortava minhas melenas. O fato é que o velho “fígaro”, bom conversador e melhor ouvidor, gostava de escrever “crônicas” ba- seadas nas histórias que ouvia de seus clientes. Guardava seus escritos no bolso do avental e, às vezes, dava-os para seus clientes antigos lerem. Pois não é que uma dessas “crô- nicas”, que contava a história de uma infidelidade feminina, caiu nas mãos de um cliente que, des- confiado da mulher, cismou que a história era a sua? O cara interrompeu o barbear, ras- gou o papel, e jogou-o na cara do barbeiro. – E a história era mesmo a dele? – Ousei perguntar. – Não, mas é preciso tomar muito cuidado com o que se escreve – respondeu-me ele.
  • 8. 09Setembro 2013Jornal Tipo Carioca
  • 9. 10 Jornal Tipo CariocaSetembro 2013 F oi um sucesso a inauguração da grife Carolina Herrera, no VillageMall, na Barra. Um ba- dalado coquetel, com socialites e artistas, marcou a abertura da nova boutique. Foto 01: as atrizes Carol Castro, Flavia Alessandra, Marina Ruy Barbosa e Giovana Ewbank; Foto 02: a promotora de eventos Nina Kauffmann e Marco Megiani, diretor de Carolina Herrera no Brasil. Crédito: Miguel Sá. Outro momento de muito glamour no VillageMall foi o Breakfast at Tiffany, comandado por Nina Kauffman. Foto 03: Camilla Alves, Rony Muller breakfast e a anfitriã Nina Kauffmann. Crédito: Vera Donato. O cartunista, chargista, músico e hu- morista Chico Caruso e a cantora e atriz Eduarda Fadini apresentaram o espetáculo ‘Lupicínio, Uma Paixão’, no shopping Città America. Esse show em homenagem a Lupicínio Rodrigues contou com marchinhas e sambas que foram acompanhados pelos músicos Roberto Bahal (piano), Aroeira (saxofo- ne), Thiago Tomé (percussão) e Gustavo Pereira (violão). Foto 04: Eduarda Fadini e Chico Caruso, em cena. Aconteceu na Churrascaria Estrela do Sul o lançamento do Polo Gastronômico do Recreio, que faz parte do projeto Polos do Rio, da prefeitura. O novo es- paço começa na esquina da Avenida das Américas com a Estrada Vereador Alceu de Carvalho e vai até as ave- nidas Alfredo Baltazar da Silveira, Pedro Moura (Avenida do Contorno) e Lúcio Costa, passando pelas estra- das do Pontal e Vereador Alceu de Carvalho. Foto 05: os empresários responsáveis pelo Polo Gastronômico; Foto 06: Alfredo Lopes (Acir) e a dire- toria da entidade; Foto 07: o subpre- feito Tiago Mohamed prestigiou o even- to; Foto 08: os empresários Eduardo e Bruno; Foto 09: a imprensa pre- sente: Manuel Lopes, Daniela Andrade e Alexandre Serrão. Crédito: Marlene Morbeck A programação da Cidade das Artes, na Barra, é das mais variadas. Recentemente, a Orquestra Petrobras Sinfônica se apresentou pela primei- ra vez no local, mais precisamente no Teatro de Câmara. Com participação de Daniel Binelli e Polly Ferman, a orques- tra apresentou um programa dedicado ao tango. Foto 10: Daniel Binelli e Polly Ferman. Subsecretário de Transportes Públicos, Acessibilidade e Mobilidade Urbana de Rio das Ostras, o advogado Marcio Dias foi nomeado membro do Conselho de Logística e Transporte da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ). Parabéns, Marcio! Foto 11: Marcio Dias, no momento da nomeação. A dupla sertaneja Gean e Roger foi uma das atrações da Festa das Modelos do Clube da Moda, no Eclético, na Barra. Também participaram o Dj Português e Bruno Ribeiro, que produziram a versão remix da música nova de traba- lho Furacão. Foto12: Bruno Ribeiro, Gean, Roger e o DJ Português. Crédito: Cássio Jóffily. Muitas felicidades, paz, saúde e suces- so aos aniversariantes do mês: Lourdes Maciel, Marcello Siciliano, Andréa Holl, Fátima Lawryodhó, Danielle Barros, Sandro Vidal, Edgard Mattos, Eduardo Terra, Wandinho Reis, Rebecca Villar, Marcus Casanova, Cândida Camelo, Sylvinho Blau Blau, Jorge Haddad, Carmen Marly, Renato Gama, Ilda Espósito, Camilla Viana, Vânia Lúcia, RobsonMotta,RômuloMotta,Claudinho Mill, Shirley Heil, Jorge Sanchez, Ricardo e Valentina Garcia, Higor Martins, Beto Filho, minha comadre Márcia Aranha, Carla de Cássia, Moisés Faria, Toni Lourenço e meu querido neto Nícolas. Foto 13:BetoFilho,presidentedaABF (Associação Brasileira de Franchising), recebeu a visita de Xuxa, no estande da Feira de Franquias; Foto 14: Eduardo Terra, vocalista da Banda Maramar; Foto 15: as animadas e queri- das aniversariantes Carmen Marly, Ilda Espósito e Lourdes Maciel; Foto 16: a querida Rebecca Villar; Foto 17: o cantor e compositor Marcus Casanova; Foto 18: o publi- citário Tony Lourenço, autor da famo- sa frase ‘Sorria, Você Está na Barra’; Foto 19: o cantor Sylvinho Blau Blau; Foto 20: Nícolas, com os pais: Anna e Leonardo Lancelotti. A cantora e compositora Adriana Calcanhoto e o jornalista e escritor com Katia Lancelotti 03 02 01 14 15 16 17 18 19 20
  • 10. Jornal Tipo Carioca Setembro 2013 11 04 Zuenir Ventura foram os convidados especiais na inauguração da Sala de Leitura da Cidade das Artes, na Barra. Mais uma da Cidade das Artes: no pró- ximo dia 18, a Acibarra (Associação Comercial e Industrial da Barra) promo- ve um café da manhã com o presidente da Fetranspor, Lélis Marcos Teixeira, e o secretário municipal de Transportes, Carlos Roberto Osório. Em pauta, as li- nhas BRTs: Transoeste, Transcarioca e Via Olímpica. Uma das atrações da edição deste ano do Rio Gastronomia, que rolou de 15 a 25 de agosto, foi a Cozinha Show, no shopping Downtown. Trata-se de uma cozinha itinerante, comandada por che- fs renomados, que percorreu a cidade, promovendo a gastronomia. O skate foi o tema da quarta etapa do Desafio Esportivo do Cidade Jardim, na Barra. Segundo lugar no Campeonato Brasileiro da modalidade, o skatista Lucio Flavio se apresentou durante o evento, na arena freestyle. Visando os grandes eventos que vêm por aí, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas, começaram este mês os cursos de pizzaiolo e organizador do evento, promovido pela Riotur, em par- ceria com o Ministério do Turismo. As aulas são ministradas pelo Senac Barra. Anote na agenda: no próximo dia 13, a OAB-Barra promove a palestra ‘Drogas: Social e legalmente falando’. Os pales- trantes serão os advogados Wanderley Rebello Filho, presidente das Comissões de Políticas Sobre Drogas da entidade e da OAB-RJ e presidente da Sociedade Brasileira de Vitimologia; e Arlete Branco Januzzi, conselheira e especialis- ta em dependência química, pela Abrad. OInstitutoRioPatrimôniodaHumanidade acaba de lançar o concurso de fotografias “Olhos de Ver – Bens Culturais de Natureza Imaterial”. Para participar, você deve en- viar imagens de bens culturais de natu- reza imaterial da Cidade Maravilhosa. A inscrição é gratuita, e o regulamento do concurso pode ser acessado pela inter- net: (http://www0.rio.rj.gov.br/patrimo- nio/principal.shtm). Eu apoio. No dia 11 agora, o Hemorio vai coletar sangue na Paróquia São Francisco de Paula, na Barra. A Acir Transoeste (Associação Comercial e Industrial da Região Transoeste), a Câmara Comunitária da Barra da Tijuca e a Amor (Associação de Moradores do Recreio) promovem o 10º Fórum do Meio Ambiente. Desta vez, o encon- tro acontecerá no dia 11 de outubro, a partir das 9h, no Parque Marapendi, no Recreio. No último dia 25, o Ciclo Local realizou, no Recreio, mais uma caminha- da ecológica, com o objetivo de recupe- rar áreas degradadas. A ação aconteceu no entorno da Pedra do Pontal. Coordenado pelos professores Edgard Freitas Junior, Claudio Patriota e Marcello Belerofonte, o IV Festival de Judô do Città America rolou no último dia 31. Nada menos que 300 crianças, dos três aos 12 anos, participaram. Entre as muitas atividades promovidas pelo Barra Week aconteceu, no início do mês, um debate sobre mobilidade urbana, no Windsor Hotel, na Barra. Participaram do encontro: o subpre- feito Tiago Mohamed; Rodrigo Vieira, subsecretário da Casa Civil do governo do estado; Ney Suassuna, presidente da Associação Comercial e Industrial da Barra (Acibarra) e Paulo Cezar Ribeiro, professor do Programa de Engenharia de Transportes da Coppe. O Lions Club Recreio acaba de lançar o concurso ‘Jardins que Embelezam o Recreio’. A premiação será no dia 20 de outubro, no Parque Chico Mendes, no Recreio. No dia 17, das 18h às 00h, o Rio Design Barra recebe o Vogue Fashion’s Night Out, um evento que é a celebração da moda mundial. A programação está sensacional. Dica: arrase no look, por- que estará concorrendo a presentes, se postar suas fotos com a hashtag #fno- riodesign. Participação da blogueira Lari Duarte, entre outras personalida- des. Imperdível. 05 06 07 08 09 10 11 12 13
  • 11. Setembro 2013 Jornal Tipo Carioca12 E steatose é o acúmulo de gor- dura em qualquer parte do corpo. Quando é nos órgãos, é chamada de visceral; os mais acometidos são o fígado e o pâncreas. Na maioria das vezes, é achada através do exame ultrassonográfico, já que evolui totalmente sem trazer sinto- mas. Quando aparece essa deposição gordurosa, os pacientes ficam muito assustados e preocupados. A incidên- cia média da gordura nos exames de ultrassom é de 50%. De acordo com o grau de penetração, é dita como leve, moderada ou intensa. Existem dois tipos básicos de gordura no fígado: a não alcoólica e a alcoólica, que, na fase inicial, são difíceis de diferenciar. Não alcoólica – Chamada de Doença Hepática Gordurosa não Alcoólica (DHGNA), tem como causa básica um ou vários componentes da síndrome me- tabólica, que engloba hoje: obesidade, diabetes tipo II, dislipidemia (aumen- to de colesterol e/ou triglicerídeos) e, mais raramente, pode ser secundária a medicamentos, toxinas, cirurgias. Os critérios diagnósticos se baseiam em história negativa para ingestão alcoóli- ca (menos de 20 g/dia) e investigação negativa para as principais causas de doenças crônicas do fígado. O manejo é muito difícil porque incide em pacientes obesos, com ingestão ali- mentar inadequada, sem realizar exer- cícios físicos e com alterações do me- tabolismo do açúcar e/ou da gordura. Logo, qualquer proposição terapêutica medicamentosa implica numa mudan- ça do tipo de vida, tão difícil no mundo atual, com tantos chamativos para se manter acima do peso. Gordura no fígado (esteatose hepática) Importante observar, sempre, que essa forma de gordura não alcoólica, apesar de ter uma evolução lenta e com tendên- cia benigna, pode evoluir para cirrose he- pática e câncer do fígado. De qualquer forma, a correção se apoia no tripé: orientação dietética; exercícios físicos e tratamento medicamentoso. Alcoólica – Chamada de Doença Hepática Gordurosa Alcoólica (DHGA), é álcool de- pendente, pois é fruto da exposição do fígado ao etanol, substância componente das bebidas alcoólicas. Tem alta incidên- cia no mundo, com prevalência de até 60% de casos e mortalidade de 30 a 55%. Em geral, as mulheres são mais suscetí- veis, evoluindo mais rapidamente para a cirrose. Nos estágios iniciais, pode ser revertida. A evolução é lenta, tem grande relação com fatores genéticos e uma cer- ta suscetibilidade individual. Estima-se que a quantidade de álcool que é necessária para desenvolver a doença é de 20 a 40 g por dia para as mulheres e 60 a 80 g por dia para os homens. Lembrar que 20 g de etanol correspondem a 600 ml de cerveja; 220 ml de vinho e 60 ml de destilados. É necessário uso continuado do etanol por no mínimo cinco anos. O tratamento repousa no controle de uma doença que é o alcoolismo, multifatorial e de insucessos frequentes; ao contrário da forma não alcoólica, as lesões hepáticas vão se agravando até a cirrose hepática e, em algumas vezes, até câncer do fígado, com todo o seu cortejo sintomático. Tratamos aqui de dois flagelos da huma- nidade: a obesidade e o alcoolismo, com todas as grandes dificuldades das duas na solução e controle dos portadores. Prof. J. F. Penteado – Ref.: Advances in Terapy of Liver Diseases, edição 2007, Arroyo, V. N ós, homens, estamos cada vez mais preocupados com o visu- al. De acordo com a ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), o Brasil ocupa o segundo posto entre os consumidores de pro- dutos lançados para o público mascu- lino, perdendo apenas para os Estados Unidos, ou seja, estamos consumindo cada vez mais. Treze dicas para os homens cuidarem do cabelo: 1) Os fios devem ser bem lavados, para controlar a oleosidade, de preferência com xampus específicos, com atenção para não deixar resíduos no couro cabeludo; 2) O xampu deve ser apropriado para o seu tipo de cabelo, mas os da modalidade 2 em 1 devem ser evitados, já que aumen- tam a oleosidade dos fios e deixam o cabe- lo com aspecto pesado; 3) Cabelos grisalhos necessitam de xam- pus adequados; caso contrário, podem ficar amarelados; 4) Não utilize sabonetes para lavar os fios, pois eles possuem componentes que po- dem agredi-los, proporcionando a quebra; 5) Independentemente de o cabelo ser masculino ou feminino, todos estão su- jeitos aos efeitos externos e, por isso, precisam de hidratações, para fortaleci- mento dos fios. O ideal é que sejam feitas quinzenalmente; 6) Utilize produtos especificamente para homens. Xampus para cabelos femininos podem resultar em couro cabeludo oleoso e desencadear caspa. Use xampus sem sal, sem corantes e com pH fisiológico (6,5); 7) Lave o cabelo diariamente. O hábito de lavar a cabeça diariamente é saudável porque vivemos em um país tropical, com temperaturas medianas quase o ano todo; 8) Não durma com os cabelos úmidos. Esta prática contribui para o aparecimento de descamação no couro cabeludo, o que pode provocar a queda de cabelo; 9) Dê preferência aos produtos com prote- ção solar; 10) Não deixe resíduos de xampu no cabe- lo. Enxágue bem e de preferência em água fria; 11) Evite usar gel ou outros produtos à base de álcool diariamente; eles ressecam os cabelos e deixam os fios opacos; 12) Dê preferência ao mousse hidratante, para modelar o cabelo; os outros modela- dores costumam sobrecarregar os fios e abafar o couro cabeludo; 13) Não durma com gel no cabelo, pois pode ocorrer a quebra dos fios. Use fórmu- las sem álcool e silicone (PVP). Seguindo estas dicas, seu cabelo vai ficar muito melhor! Afinal, cabelo caindo, opaco, oleoso ou com caspa não faz bem para a imagem de nenhum homem. Em breve, mais dicas pra você cuidar do seu cabelo. Tel: 2487-3778 2487-3909 CUIDADOS COM OS CABELOS MASCULINOS
  • 12. Jornal Tipo Carioca Setembro 2013 13 REDUZA seu consumo, REUTILIZE o muito que já tem, REFORME o que for possível, RECICLE o que não tiver mais utilidade para você, Pela conservação de nosso Planeta: REPENSE uma nova e responsável forma de viver! O PACTO DE RESGATE AMBIENTAL é um pro- cesso aberto, contínuo, de fortalecimento e ar- ticulação integradora de práticas voltadas para o cuidado ambiental local, na promoção de melhor qua- lidade de vida e bem-estar comu- nitário. Estamos em um estágio no qual consolidamos um reconheci- mento de esforço para participação efetiva, ao engajar, ouvir e incenti- var milhares de envolvidos para a cooperação conjunta de promoção de mudanças. Faz-se cada vez mais urgente cuidar das belezas natu- rais do nosso Complexo Lagunar, do Parque Estadual da Pedra Branca, do Parque Nacional da Tijuca, inse- ridos no que pouco resta do bioma mata atlântica. Nossa natureza con- servada, além da beleza, proporcio- na bem-estar, e garante as diversas formas de vida da nossa biodiver- sidade. Vamos intensificar ações no campo da educação ambiental, prestar e fomentar inúmeros ser- viços ambientais, em especial nas comunidades ribeirinhas dos rios que vertem dos maciços da Pedra Branca e Tijuca. Mas, para resul- tados satisfatórios, é necessário forte apoio de todos os segmentos comunitários, dos governos e, prin- cipalmente, do empresariado, e que se mantenham objetivos comuns de planos, projetos e ações focados numa economia de baixo carbono, mudanças na matriz energética, no uso sustentável da Terra e urgente despoluição dos corpos hídricos. Diante das crises sociais, econômi- cas e, especialmente, a ambiental, sem precedentes na história da hu- manidade, o agravamento persiste, mudanças climáticas, perda da bio- diversidade, extinção de espécies, degradação/ poluição do solo, ar, água, consumismo, entre outros que vivenciamos passivamente dia após dia. Assistimos a padrões do- minantes de produção e consumo insustentáveis causando o esgota- mento dos produtos naturais; se mantivermos o consumo no nível em que está hoje, precisaremos de outro planeta para nos acomodar. O crescimento sem precedentes da população humana tem sobre- carregado os centros urbanos e PACTO DE RESGATE AMBIENTAL donato@pactoderesgateambiental.org Tel.: (21) 8728-0430 Ambientalista; graduado em Comunicação Social; Presidente do Lagoa Viva, diretor da AIB e Acibarra, Consultor de Ecodesenvolvimento da Acibarra e Coordenador do Movimento Evolutivo Pacto de Resgate Ambiental. PACTO DE RESGATE AMBIENTAL - Buscando um território sustentável os sistemas ecológico e social. As bases da segurança global estão ameaçadas. Essas tendências são perigosas e colocam em perigo as gerações vindouras. São necessá- rias mudanças fundamentais em nossos valores, hábitos, institui- ções e modos de vida. Para tanto, devemos priorizar políticas vol- tadas para educação ambiental, pagamentos por serviços ambien- tais e lutar pela instituição do I.R. ECOLÓGICO, já em tramitação no Congresso. Proporcionando práti- cas, campanhas, seminários, proje- tos, palestras, filmes, material edu- cativo, no objetivo de fundamentar, sensibilizar, agregar milhares de atores e semear realizações na luta contra a degradação ambiental e a poluição. Conclamamos os leitores para que prestem atenção à nossa curta existência, nossas respon- sabilidades para com o próximo, com as próximas gerações, e que nosso estado de alerta para com o cuidado ambiental seja nosso guia e se intensifique a partir de agora. DEUS nos proporcionou a pureza das crianças, a beleza das monta- nhas, dos bosques, das flores, dos rios, dos lagos, das praias, além de nossa vida, curta, mas preciosa. Aí é onde DEUS vive e aí expressa seu amor por todos. Momentos de nossas vidas são especiais, o aqui e agora é único e não volta mais. Todos desejamos um lugar limpo, florido, equipamentos urbanos eficientes, melhor qualidade do ar, matas, lagoas, rios e praias. Se a única certeza é que estamos aqui, que estamos vivos, e que ainda podemos mudar o destino da humanidade, para que pos- sam contemplar e desfrutar das maravilhas naturais, tenhamos atitude! Não deixe pra lá animais e crianças desasistidas, passando fome. Respeite a natureza, o teu próximo e não faças o que não queiras para ti. Os valores mo- rais, éticos e ambientais devem ser prezados. O certo é ser susten- tável, vamos evitar o desperdício e preservar a Natureza. Apoie e participe de ações e projetos em favor das causas socioambientais locais. Não tenha medo, junte-se aos que fazem! Q uero falar de flores! Flores traduzem ale- gria, felicidade e paz. Assim eu me sen- tia quando o papa estava no Brasil. Ele deixou um rastro de bem viver! Esqueci temporariamente que existem centenas de doentes esperando um atendimento, dos hospitais sucateados, das escolas públicas que estão es- perando as reformas prome- tidas, das famílias sem casa, mas plenas de esperança pe- las promessas que ouviram quando surgiu o Minha Casa Minha Vida. Cada vez que o assunto Santa Maria (RS), vem à tona, cho- ro pelas vidas jovens perdi- das pelo descaso do órgão competente ao dar OK para o uso de um “brete” sem volta. Num local onde só existe UMA ENTRADA, presume-se que não haja saída. Só houve saída para os verdadeiros respon- sáveis pela “chacina” daquela noite trágica. Quero falar de flores, mas não posso. Querem que eu acredite que um menino de 13 anos seja o responsável pelas mortes na sua casa. Os internos, nas casas de deten- ção para menores, não recebem a devida REEDUCAÇÃO, o que, com certeza, só colabora para saírem de lá graduados em bandidagem. Gostei de saber que haverá mul- tas, para quem jogar lixo na rua. Cato muito lixo quando ando na rua, principalmente sacos plásti- cos que voam ao vento. Vi crian- ças acabarem de lanchar e jogar o lixo no chão, na frente da mãe. Quando queremos convencer, nosso exemplo é o mais forte convencimento. Tudo que o papa falou quan- do aqui esteve, se resume em SOLIDARIEDADE. Acredito que, sendo solidários, cumprimos to- das as qualidades necessárias para sermos cidadãos do bem. Ahhh! Saudades do papa! FLORES Q uando o assunto é floricul- tura e plantas ornamen- tais, os países que mais se destacam no planeta são a Holanda, o Japão e os Estados Unidos. Esses três detém, mais ou menos, a metade da produção mundial. Como se isso não bastasse, cerca de 25% de toda a área destinada ao cultivo de flores e plantas ornamentais está também nas mãos, ou melhor, nas terras desses três países. A Holanda se destaca como o maior produtor em nível de excelência de seus produtos, além de manter os maiores investi- mentos em pesquisa, desenvolvimen- to, logística e distribuição deles. Os números que envolvem a produção e distribuição de produtos tão pere- cíveis não deixam dúvidas de que se trata de um negócio bastante lucrati- vo. Na América Latina, os países que se destacam são a Colômbia (com pro- dução de rosas de excelente qualida- de), o Equador e a Costa Rica. Aqui no Brasil, não é diferente. Embora tenha uma participação ainda muito pe- quena no cenário mundial, nosso país se destaca por conta do seu enorme poten- cial de crescimento, não só no mercado externo, como, principalmente, no in- terno. No Brasil o comércio de flores e plantas ornamentais cresce em média de 10 a 15% ao ano. Esses números se mantêm assim há pelo menos dez anos e estãobemacimadamédianacional.Há vários seguimentos nesse setor: produ- ção de sementes e propágulos, produção de mudas envasadas, produção de flores para corte, produção de gramas, entre muitos outros. Produzimos pouca ou quase nenhuma semente, mas o país é um importante produtor de propágulos (partes das plantas que são usadas para a sua multiplicação), como caules, folhas e bulbos, estes últimos importantes para amarílis, lírios e gladíolos (a famosa pal- ma-de-santa-rita, muito comercializada aqui nas festas de fim de ano). Nosso potencial de crescimento está principalmente na produção de flores tropicais, como alpínias, helicônias, bastão-do-imperador, dentre outras. São plantas que não precisam de gran- des investimentos para produção e podem ser cultivadas a céu aberto. Isso porque a produção de flores e plantas ornamentais é um ramo de atividade que envolve muita tecnologia e deman- da mão de obra especializada. Outro grande destaque no país é a produção de flores para corte. São produtos que, além da tecnologia en- volvida, necessitam também de uma ampla rede de distribuição e logística muito bem arquitetada para seu suces- so, pois precisam chegar em perfeito estado aos olhos do consumidor. Nesse seguimento (flores de corte), as rosas são o maior destaque no Brasil. São mais de 50 variedades que invadem o mercado brasileiro, e temos os melho- res padrões de excelência e qualidade de produção. Destaques aqui para o Fábio Cardoso de Freitas Engenheiro Agrônomo fcarfreitas@yahoo.com UM OLHAR SOBRE A PRODUÇÃO DE FLORES E PLANTAS ORNAMENTAIS NO BRASIL E NO MUNDO interior de São Paulo e do Ceará. SãoPaulosedestacacomooestadobra- sileiro que mais produz flores e plantas ornamentais. Aproximadamente 70% de toda a produção estão naquele esta- do, sobretudo em Holambra (junção da palavra Holanda + América + Brasil), cidade a pouco mais de 100 km da ca- pital do estado e que concentra muitos imigrantes europeus, especialmente holandeses, que trouxeram toda a cul- tura e tecnologia de produção. Como se não bastasse isso, importaram tam- bém um dos sistemas mais modernos de comercialização desse negócio, o Veiling, que é uma espécie de bolsa de valores do setor que regula os preços de comercialização dessas espécies em toda a América Latina. E o nosso Rio de Janeiro? Desponta na capital um importante polo de produ- ção, o bairro da Ilha de Guaratiba, com muitos produtores direta ou indireta- mente influenciados por Roberto Burle Marx, que morou por mais de 40 anos nas cercanias do local. Além disso, o Rio tem o segundo maior mercado do país (em valor). Nossa produção de or- quídeas na região serrana do estado é muito importante e poderemos crescer ainda mais por conta de eventos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas, es- pecialmente por conta dos investimen- tos em paisagismo. E você? Já comprou sua flor hoje? Elas estão bem mais perto de você agora, não acha? Que tal conferir de perto suas belezas?
  • 13. 14 Jornal Tipo CariocaSetembro 2013 Nelson Barboza Rosane Castro Neves E m 1948, tivemos uma pe- quena melhora na produ- ção hollywoodiana, com destaque para três filmes: – Odeio-te meu amor (Preston Sturges): obra-prima do especialis- ta da comédia, diretor de vários su- cessos, como: As três noites de Eva, Contrastes humanos, Papai por aca- so, Herói de mentira. Maestro (Rex Harrison), que acredita estar sendo enganado por sua mulher, arquiteta sua vingança enquanto está regen- do um concerto, imaginando os mo- dos de agir, que variam conforme os trechos da música; – O tesouro de Sierra Madre (John Huston): bela adaptação do romance de 1928 de Bruno Traven (1890-1969). Um es- tudo da natureza humana diante da cobiça. Neste espetacular faroeste, Huston, mais uma vez, aborda a te- mática do fracasso (Vide: Relíquia Macabra, 1941), que teria continui- dade com Resgate de Sangue (1949) e Segredo das joias (1950): três ho- mens ambiciosos vão a busca de ouro nas montanhas do México, dis- postos a fazer fortuna. Enfrentam muitos obstáculos juntos, mas, obcecados pela cobiça, deixam vir à tona o que de pior existe em suas personalidades. Neste filme, Huston ganhou dois Oscar (direção e roteiro) e dirigiu seu pai, Walter Huston, que levou o Oscar de ator coadjuvante. Humphrey Bogart não ganhou um Oscar, apesar de sua excelente atuação no papel do pa- ranoico Dobbs, uma de suas melho- res interpretações; – Rio Vermelho (Howard Hawks): mais uma grande obra de Hawks, retratando aspec- tos do Velho Oeste. Após o término da guerra civil americana, fazen- deiro (John Wayne) mais seu filho adotivo (Montgomery Clift em seu primeiro filme) e alguns ajudantes empreendem penosa viagem pelo Missouri, conduzindo gado para venda no Norte, numa aventura cheia de incidentes. O ano de 1948 ainda teve outros fil- mes de qualidade, como: Perdidos na tormenta (Fred Zinnemann); A mundana (Billy Wilder); Paixões em fúria (John Huston); Na cova das serpentes (Anatole Litvak); Sapatinhos vermelhos (Michael Powell, Emeric Pressburger); Festim diabólico (Alfred Hitchcock); Desfile de Páscoa (Charles Walters); A dama de Shangai (Orson Welles); A força do mal (Abraham Polonsky). E o ganhador do Oscar de 1948 foi um filme inglês: Hamlet, de Laurence Olivier... Em 1949, seis filmes se destacaram: – A grande ilusão (Robert Rossen): baseado no romance de 1946 de Robert Penn Warren (1905-1989), ganhador do prêmio Pulitzer, mostra a ascensão e queda de um político antes honesto (Broderick Crawford) e que é seduzido e obcecado pelo poder a ponto de transformar-se num demagogo corrupto, seguin- do as artimanhas da política. Oscar de melhor filme, ator (Crawford) e atriz coadjuvante (Mercedes McCambridge); – Um dia em Nova York (Stanley Donen e Gene Kelly): primeiro sucesso de direção de Kelly e Donen, precursor de outro grande êxito da dupla, o fabuloso Cantando na chuva (1952). Comédia musical inovadora, foi a primeira do gênero filmada em locações externas, uma espécie de “Dançando na rua”, tão ao gosto de Donen. Três marujos (Gene Kelly, Frank Sinatra e Jules Munshin) desembarcam em uma manhã e, com direito a 24 horas de folga, saem à procura de diversão e mulheres. Com belas canções, o filme levou o Oscar de melhor trilha sonora. Destaque para a canção New York, New York, com exuberante atuação de Sinatra, Kelly e Munshin; – Tarde demais (The heiress, de William Wyler): ba- seado na obra Washington Square, de 1881, do romancista inglês de ori- gem norte-americana Henry James (New York 1843-Londres 1916) e considerado por muitos como o me- lhor filme de Wyler (muito feliz na adaptação do romance para a tela), mostra a história de uma herdeira rica (Olivia de Havilland, que levou o Oscar pela interpretação) e pou- co atraente que fica apaixonada por um caçador de dotes inescrupuloso (Montgomery Clift), contrariando os conselhos recebidos de seu pai (Ralph Richardson). A história foi refilmada em 1997 pela diretora polonesa Agnieszka Holland, sob o nome Washington Square, mas, como costuma acontecer com os remakes, sem o mesmo brilho do filme ori- ginal; – Almas em chamas (Henry King): grande espetáculo sobre a II Guerra Mundial. Sucessor de coman- dante de um esquadrão de aviadores dos EUA na Inglaterra que fora subs- tituído após sofrer um colapso ner- voso, jovem general (Gregory Peck, em uma de suas melhores atuações) passa a sofrer problemas emocionais semelhantes, oriundos das pressões inerentes ao cargo, principalmen- te a angústia de enviar pilotos para Capítulo 1 – Estados Unidos da América – Parte 13 M ês passado, não foram colocados os aniver- sários da Gloria e da Gegê, na coluna. As duas são pessoas queridíssimas às quais dedico enorme carinho. Parabéns, minhas queridas! Como prometi mês passado, publi- co a foto da cadela Tasha, que está fazendo transplante de células- -tronco com a dra. Michele Andrade de Barros, no Città Vet-Barra. Ela é muito meiga e querida, um doce que já estará andando! Tipo Carioca tor- cendo com todos pela breve recupe- ração da Tasha! Elizia Moraes, “mãe” de Tasha, se formou em enferma- gem. Parabéns! Alan Rezende deu aula muito diver- tida de musical, na Exata, para as meninas de sábado! Alan arrasa! Em breve, o veremos no musical Elis! Jantar na casa da Loreta Burlamaqui e de sua eterna parceira Christina promete! Mês que vem, teremos fo- tos! Será a inauguração da cozinha, com comidinhas feitas por ela, é claro! Os pães variados de Mauro Peczek mereceram fotos na coluna, de tão especiais e deliciosos que são! Ele aceita encomendas pelo e-mail fer- nandamppp@yahoo.com.br. Passe e-mail pedindo a lista de preços! Entrega em casa! Esse mês, a querida colunista e amiga Hildegard Angel faz aniver- sário! Hilde é uma pessoa maravi- lhosa, que está sempre presente para os amigos e sempre dando apoio! Hilde, desejamos muitas fe- licidades para você e que sua vida sempre seja cheia de amor, alegrias e muita saúde! Está chegando 30 de outubro, quando a Sauer Danças vai estar no Oi Casa Grande, com apresen- tação de final de ano de dança, ba- seada na vida de Audrey Hepburn! Sucesso garantido! Aniversariantes do mês: Hilde, Thiago, Lette, Fernando Costa e Silva, Monica Pegado, Ilka, Vasconcellos, Sonia Tomé, Márcia Albuquerque, Bia e Cecília Braga, Deborah, Lilian Ferreira, Mary Lin, Vânia Chami, Penha, Clarisse, Lenir, Lilian Antunes, Rubem Gabira, Giseli Touso, Nina, Ana Tereza Nadruz, Ângela Paula, Andre Damasdio, Stella Amarantes, Dill, Liane Maya, Nélia e Maria Fernanda Lucena. A todos, muitas felicidades. Alegrias e amor no co- ração! PARABÉNSSSS!!!!! BREVE HISTÓRIA DO CINEMA MUNDIAL missões arriscadas. Oscar de melhor ator coadjuvante para Dean Jagger, como o ajudante de ordem do ge- neral; – A costela de Adão (George Cukor): comédia que mostra, de maneira sofisticada, a batalha dos sexos. Casados na vida real, Spencer Tracy e Katharine Hepburn (em seu sexto filme juntos) vivem um casal de advogados (ela, advogada de de- fesa; ele, promotor), no julgamento de um caso de assassinato em que uma esposa atirou em marido erran- te; e a disputa começada na corte vai continuar dentro do lar. A pedido de Hepburn, Cole Porter contribuiu com a canção Farewell, Amanda; – Quem é o infiel? (Joseph Mankiewicz): filme ganhador do Oscar de melhor rotei- ro e direção, que evidencia o talento de Mankiewicz, um dos mais cultos e inteligentes diretores de Hollywood. A história é sobre as reações de três mulheres que recebem uma carta sobre caso com um de seus maridos. Outros filmes de 1949 com boa dose de qualidade são: Legião invencível (John Ford); Punhos de campeão (Robert Wise); A sedutora madame Bovary (Vincente Minnelli); Fúria sanguinária (Raoul Walsh); Trágica decisão (Sam Wood). Alan Resende, anote este nome, sucesso total nos musicais. Elizia Moraes, “mãe” da Tasha, se formando. Enfim, sós! Novo casal 20: Ricardo e Marcia, casados como manda o figurino. Gargalhada das amigas desde sempre: Deborah, Sylvia, Rô, Marcia e Loreta! Pães deliciosos de Mauro Peczek. Encomendas, já! Tasha, a cadelinha famosa que está fazendo transplante de medula, com a colunista aqui, posando para a coluna. OS GRANDES FILMES NORTE-AMERICANOS DA DÉCADA DE 1940 (parte final)
  • 14. 15Setembro 2013Jornal Tipo Carioca ARROZ DE BACALHAU DO GILVAN recipiente com água (suficiente para cobri-lo) e troque a água a cada hora. No dia seguinte, antes de preparar o arroz, desfie o bacalhau, escorra e reserve. Faça o arroz da forma que desejar (dica: você pode preparar o Arroz Branco do Gilvan), não esquecendo de acrescentar a páprica e o ajino- moto. Reserve. Em outra panela, coloque o azeite, o alho e a cebola, o bacalhau e a “pi- I ngredientes: meio quilo de bacalhau; duas xícaras de arroz branco; uma cebola média, picada; dois dentes de alho, socados; uma colher, de café, de páprica picante; uma colher, de café, de ajinomoto; uma pitada de pimenta-do-reino, moída (opcio- nal); azeite; salsa e cebolinha, pi- cadas, a gosto. Modo de preparo: um dia an- tes, coloque o bacalhau em um Bom apetite!!! Gilvan Nascimento Conheça mais receitas no Blog do Gilvan: http://gilvannascimento.blogspot.com menta” (nessa ordem). Refogue, mexendo bem. Apague o fogo. Acrescente o arroz, misturando bem, com cuidado, e sirva salpi- cando a salsa e a cebolinha. Dica: você pode acrescentar, du- rante o refogado, tomates picados, sem pele e sem sementes. É PRIMAVERA Foi-se o inverno, veio a primavera Encanta-nos o romantismo, a beleza das plantas, das flores, da natureza Redobram-se os cuidados no plantio nos jardins e nos campos verdejantes Estação maravilhosa, dias longos a fio Mais horas de luz, mais atenção para semear mudas e plantar Exige carinho e boa mão. Os jardineiros exultam de alegria Orgulhosos dos seus conhecimentos Adubam a terra a cada dia E quando assistem o desabrochar Um verdadeiro mistério da natureza É primavera, maior vigor e beleza. Walkyrio Rotay MINHA VIDA O amor que sinto por você é tão especial que jamais conseguiria descrevê-lo, mas tentarei expressá-lo da forma mais simples. Esse amor foi brotando aos poucos e numa noite linda de luar, céu estrelado, ele nasceu. E foi arrebatador, nos entregamos ao amor, Rua Januário José Pinto de Oliveira, 277 Maramar - Recreio dos Bandeirantes CEP: 22790-864 - FAX: 2490-0328 e-mail: jornal@tipocarioca.com.br Cartas para esta seção: sem pensar no amanhã. Muitas coisas aconteceram, tivemos nossos encontros secretos e proibidos, desencontros. Esse amor cada vez aumentava mais, e não foi só ele que aumentou, mas também as dificuldades de vivê-lo. Poderia um amor tão bonito e sincero magoar alguém? Infelizmente, sim E isso acabou causando distância e com ela muita saudade. Ter você longe de mim é sentir um enorme vazio na alma é querer ter você ao meu lado, toda hora. Quando você chega, o Sol brilha, a alma sorri, o coração acelera o sorriso... impossivel conter. Sentir o toque das suas mãos, seu calor e seu cheiro no meu corpo, me faz suspirar alto e me sentir a mulher mais feliz de todas as mulheres. Sueli Franco
  • 15. Setembro 2013 Jornal Tipo Carioca16

×