Your SlideShare is downloading. ×

Sucata

1,452
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,452
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
12
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. C omputadores, aparelhos de televisão, rádios e celulares carregam muito mais que utilidades e facilidades: quase todos os metais da tabela periódica podem ser encontrados em placas de circuito impresso que compõem equipamentos eletroeletrônicos em geral. Preocupado em impedir que esses metais retornem ao meio ambiente de forma inadequada, o engenheiro Hugo Marcelo Veit desenvolveu um processo inédito para reciclar sucatas eletrônicas, que envolve métodos mecânicos (magnéticos e eletrostáticos) e eletroquímicos. O trabalho foi realizado dentro do programa de pós-graduação em ciência dos materiais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). nome:lucas ano:4b
  • 2. Se te em cada 10 dos 50 milhões de toneladas de sucata eletrônica produzidas por ano vão parar na China, onde são recicladas
  • 3.  
  • 4. O material plástico das carcaças de computador leva séculos para se decompor na natureza. Os componentes, como as placas-mãe, estão recheados de metais pesados, como mercúrio, chumbo, cádmio e berílio, altamente tóxicos.
  • 5. O problema só não é mais grave na Europa e nos Estados Unidos - os maiores produtores mundiais de sucata eletrônica - porque 70% de todo o lixo é enviado gratuitamente ou vendido a preços simbólicos à China.
  • 6. Naose sabe a quantidade exata de lixo eletrônico existente no Brasil. Porém, segundo a Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, o número de aparelhos celulares em uso chega à marca de 130,5 milhões de unidades e a de computadores, nas empresas e residências, de 50 milhões de aparelhos _ftnref1[1] , que mui N ãoto brevemente ficarão obsoletos e serão substituídos por equipamentos mais modernos.
  • 7. Podemos definir como LIXO ELETRÔNICO, ou E.LIXO, tudo o que é proveniente de equipamentos eletro-eletrônicos, incluindo aparelhos celulares, computadores, impressoras e periféricos
  • 8. O processo começa com a separação de materiais que contêm substâncias corrosivas, como baterias, e em seguida as placas passam por rotores dotados de facas de aço. A sucata é moída duas vezes até que todos os pedaços fiquem com menos de 1 mm. Segundo Veit, a moagem libera os metais – faz com que os materiais polímeros e cerâmicos deixem de envolvê-los. Depois o pó é peneirado para uma primeira separação, chamada de granulométrica. Em geral os metais são mais grossos que as outras substâncias.
  • 9. Felizmente, além dessas operadoras, o Brasil também conta com empresas que desenvolvem um belo trabalho em respeito ao meio ambiente. É o caso da Umicore Brasil. Ano passado ela enviou para a Suécia 30 toneladas de baterias recarregáveis, o que representa 3% da coleta que o grupo fez em 29 países. Em 2008 o grupo já Coletou 20 toneladas e até abril pretende exportar 10. De acordo com Ricardo Rodrigues, gerente de desenvolvimento de negócios da Icoremia, o aumento no volume é uma conseqüência do acordo fechado entre a empresa e a Motorola. Já nas refinarias do grupo no exterior, os produtos são reciclados e posteriormente são utilizados na fabricação de catalisadores automotivos e componentes para a indústria eletrônica.
  • 10. Enquanto nosso país ainda discute a política de resíduos sólidos, operadoras e fabricantes de equipamentos vão ensaiando os primeiros passos. A partir deste ano, a Claro passa a se responsabilizar não só pelo recebimento dos aparelhos, mas também pela destinação dos componentes às recicladoras credenciadas por órgãos ambientais. Hoje, as lojas próprias da Claro possuem urnas coletoras. A empresa garante que, até junho, todos os pontos-de-venda, inclusive os 3,3 mil agentes autorizados da operadora, estarão equipados com a urna coletora.
  • 11. Todos os dias, milhares de aparelhos e equipamentos eletrônicos - como Ipods, TVs, computadores e outros - são substituídos, pois tornaram-se obsoletos, aos olhos de seus donos. Isto acontece devido à velocidade com que novos aparelhos são lançados e novas tecnologias que surgem, num processo planejado que visa obrigar o consumidor a substituir seus aparelhos, na maioria das vezes ainda funcionando, por novos, contribuindo para o aumento do chamado lixo eletrônico ou sucata eletrônica .
  • 12. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vai descartar 800 toneladas de sucata eletrônica. São 59.233 urnas utilizadas nas eleições de 1996 a 2004, além de outros materiais. O tribunal contratou uma empresa especializada em reciclagem para que as urnas sejam descartadas de forma ecologicamente correta. As urnas que serão descartadas foram as primeiras fabricadas para a votação eletrônica no Brasil. Na eleição municipal de 1996, a Justiça Eleitoral adquiriu 77.469 urnas, utilizadas pelos eleitores das capitais e nas cidades com mais de 200 mil eleitores.
  • 13. S ob o ponto de vista ambiental, o lixo eletrônico se configura em um grave problema, desde a sua produção até o seu descarte. Para serem produzidos, os computadores e outros aparelhos consomem uma enorme quantidade de recursos naturais, água e energia. Como exemplo, podemos citar o consumo de água para se produzir um único laptop: 50.000 litros de água _ftnref2[2] ! Se considerarmos que a vida útil desses equipamentos é muito curta (tempo de vida médio de um computador: 3 a 4 anos; tempo de vida médio de um aparelho celular: 1 a 2 anos), é possível avaliar a quantidade imensa de lixo que o descarte de eletrônicos significa, e que tende a piorar cada vez mais com o passar dos anos. Porém, o pior fator de poluição do chamado e.lixo é seu conteúdo: fazem parte de sua composição diversos metais pesados – como o chumbo, o cádmio, mercúrio – e vários outros elementos tóxicos. Por isso, é considerado um resíduo perigoso e precisa de tratamento adequado pois, se não for destinado da forma correta, pode causar sérios danos à saúde humana, bem como ao meio ambiente
  • 14. Segundo pesquisas, os usuários brasileiros trocam de celular a cada 18 meses. Este giro ocorre, principalmente, devido aos lançamentos de apare lhos mais sofisticados e aos apelos das operadoras. Afinal, com o ob jetivo de reter seus clientes, algumas chegam a dar terminais. Além do curto “tempo de vida” dum celular por aqui, o Brasil está perto de ultrapassar os 123 milhões de linhas móveis. Fato que deixa nosso país na quinta posição mundial e todo este alvoroço sequer está perto da calmaria. A Abine (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica), por exemplo, estima que o mercado interno absorverá cerca de 62% dos 78 milhões de aparelhos que serão produzidos apenas em território nacional em 2008.
  • 15. Fonte: http://ceticismo.wordpress.com/2007/07/26/reciclagem-de-sucata-eletronica-permite-obtencao-de-materia-prima-nobre/