Co incineração na arrábida

271 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
271
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Co incineração na arrábida

  1. 1. ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA Ciências e controvérsias públicas - Co-incineração na Serra da Arrábida 1 Por Albertina Maria Seroido Branco Lima – N.º 1 – TAV – 1º Ano - Disciplina CLC.7 (2) Uma Paisagem natural é caracterizada por um espaço onde a natureza impera, sem a interferência da mão humana, repleta de vegetação natural. Setúbal, cidade onde habito, tem como pano de fundo a magnifica paisagem da Serra da Arrábida, inserida num Parque Natural protegido, devido à existência de espécies de plantas únicas no mundo, com um património natural de valor incalculável. Lamentavelmente, foi concessionada à empresa Sécil, nos anos 30, a exploração da cimenteira, no coração da serra, situação que levou, anos mais tarde, à controvérsia da co-incineração num local que hoje é candidato a Património Mundial da Humanidade. A co-incineração consiste no aproveitamento dos fornos das cimenteiras, aproveitando-se assim as altas temperaturas (1.450 a 2.000 graus) para queimar resíduos tóxicos, enquanto se produz cimento. Os resíduos tóxicos consistem numa variada gama de substâncias (líquidas, sólidas ou pastosas), nomeadamente solventes de limpeza, solventes químicos, tinta, vernizes, óleos usados, alcatrões, etc, as quais são encaminhadas para uma estação de pré- tratamento, onde são trituradas, rearmazenadas ou impregnadas em serradura e posteriormente centrifugadas, conforme se tratem de resíduos caloríficos (lamas de águas residuais, etc), termofusíveis (alcatrões, betumes, etc) ou líquidos (solventes, tintas, etc). Após este pré-tratamento, os resíduos são então enviados para as cimenteiras, sendo os mesmos pulverizados para o forno, onde é aproveitado o seu calor ou as suas características como matéria-
  2. 2. ESCOLA SECUNDÁRIA SEBASTIÃO DA GAMA Ciências e controvérsias públicas - Co-incineração na Serra da Arrábida 2 prima, para a própria produção de cimento, não existindo assim resíduos sobrantes deste processo, existindo uma produção mínima de gases tóxicos (embora existam!). Aqui a grande questão fulcral, será a existência da cimenteira num local como este, pois se tal não existisse, não se colocaria este problema. Contudo, o processo de co-incineração é muito importante, pois evita a propagação indevida de lixos tóxicos. Só não deveria ocorrer naquele lugar, embora a Sécil seja uma empresa com Certificação Ambiental. Desde os anos 70, para minimizar os efeitos nefastos ao ambiente natural, decorrentes da sua atuação (extracção de marga e calcário), a Sécil tem tomado algumas medidas para a preservação e recuperação paisagística da Arrábida, devolvendo à natureza um habitat recuperado, com a replantação de árvores e diversa vegetação, após a exploração das pedreiras. As plantas utilizadas nesta recuperação paisagística, são criadas em estufas da própria empresa. Webgrafia consultada http://campus.fct.unl.pt/afr/ipa_9900/grupo0058_restoxicos/oquee.htm http://jjcprovas.cienciahoje.pt/1272 PRESERVAR E CUIDAR DA NATUREZA, É GARANTIR A QUALIDADE DE VIDA DE AMANHÃ! VAMOS TODOS CONTRIBUIR PARA QUE O AMANHÃ ACONTEÇA…

×