Javascript, HTML5 e CSS3

2,684 views
2,493 views

Published on

Trabalho de grupo no âmbito da cadeira Tecnologias Dinâmicas para a Internet pela Universidade de Aveiro.

Published in: Education, Technology, Design
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,684
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
12
Actions
Shares
0
Downloads
57
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Javascript, HTML5 e CSS3

  1. 1. Javascript HTML5 . CSS3 Apresentação
  2. 2. Origem da Web •Hipertexto •Do Enquire à Web •W3C
  3. 3. Hipertexto Theodor H. Nelson - 1965 Forma não linear de apresentar texto em formato digital. Contem ligações feitas através de marcas de hipertextualidade: • Nó é uma unidade de conteúdo do documento (uma página, um parágrafo, etc). • Elo é uma ligação entre dois nós, que pode ser uni ou bidireccional. • Âncora é o ponto do documento onde inicia-se ou termina um elo, âncora de origem ou de destino.
  4. 4. Hipertexto Para que serve? • esclarecer conceitos com ligações externas. • viajar dentro do documento. • encaminhar para documentos que complementam o texto. • conjugar com vídeos, imagens e animações - hipermédia.
  5. 5. Hipertexto Theodor Nelson - projecto Xanadu - 1967 • Primeira tentativa não implementada. • Sistema que possuía as características conceptuais do hipertexto. • E ainda capaz de processar versões múltiplas de um texto, e mostrar as diferenças entre elas.
  6. 6. Hipertexto • Douglas Engelbart e Augmentation Research Center (SRI) - 60's • NLS (oN-Line System) • Primeiro sistema que conseguiu pôr em prática: • hipertexto + inovações tecnológicas + inovações conceptuais • No hipertexto os limites dependem: • criatividade literária + competência tecnológica do leitor
  7. 7. Do Enquire à Web • Tim Berners-Lee - 80's • Consultor de Engenharia de Software no CERN (European Council for Nuclear Research) - maior centro de estudos sobre física de partículas do mundo. • Desenvolveu o primeiro programa de armazenamento de informação baseado no conceito de hipertexto - Enquire
  8. 8. Do Enquire à Web • Tim Berners-Lee - 80's • Consultor de Engenharia de Software no CERN (European Council for Nuclear Research) - maior centro de estudos sobre física de partículas do mundo. • Desenvolveu o primeiro programa de armazenamento de informação baseado no conceito de hipertexto - Enquire. • ENQUIRE • Objectivo: interligar os computadores do laboratório a outras instituições de pesquisa, e exibir documentos científicos de forma simples. • trabalho colaborativo + partilha dos documentos em rede.
  9. 9. Do Enquire à Web • Tim Berners-Lee && Robert Cailliau - final 90's • publicaram uma proposta para a World Wide Web • Tim Berners-Lee construiu • o primeiro Web Browser WorldWideWeb + o primeiro servidor Web NeXT Computer • Disseminação da Web • 1º Web apenas no CERN • 2º Web no mundo
  10. 10. Do Enquire à Web • Primeira página Web publicada @ 6 Agosto de 1991 • página de texto com explicações sobre: • conceito de World Wide Web • como criar um Browser • como instalar/configurar um servidor Web • O conceito de Web foi sendo alargado: • sistema de partilha de informação comunidade
  11. 11. W3C • W3C - Tim Berners-Lee - 1994 • World Wide Web Consortium • Consórcio de empresas de tecnologia que promove a evolução, estandardização e a interoperabilidade das tecnologias emergentes - directivas, especificações, ferramentas e software.
  12. 12. W3C • MIT - Laboratório de Ciências da Computação e de Inteligência Artificial (CSAIL) - EUA • Consórcio Europeu de Investigação em Informática e Matemática (ERCIM) - França • Universidade de Keio - Japão • Escritórios espalhados por todo o mundo +/- 16 regiões • Parcerias com as comunidades Web de cada região, de modo a promover as recomendações e certificações do W3C nos idiomas locais • Encorajam a participação internacional nas actividades desenvolvidas pelo W3C.
  13. 13. W3C • Objectivo inicial: obter o acordo de todos os developers sobre um conjunto de princípios fundamentais, de modo a evitar problemas de compatibilidade e interpretação. • Actualmente: integra vários comités que estudam as tecnologias existentes para a apresentação de conteúdo na Internet e criam padrões de recomendação para utilizar essas tecnologias. • Os padrões de acessibilidade criados pelo W3C ganharam bastante importância no desenvolvimento de páginas Web, pois a intenção de derrubar as barreiras tecnológicas tem sido crescente.
  14. 14. HTML5 • HTML e XHTML • HTML4 vs. HTML5 • Porquê HTML5 e não XHTML2? • Criar estrutura / marcação adequada às novas necessidades • Novas funcionalidades
  15. 15. HTML e XHTML • 1991 • HyperText Markup Language é uma linguagem de marcação • Inventada por Tim Berners-Lee • 1993 • Primeira publicação • 1995 • HTML 2.0 • Linguagem demasiado flexível • 1999 • Com a ajuda da W3C surge a HTML 4.01 • 2000 • Surge o XHTML (eXtensible HyperText Markup Language)
  16. 16. HTML4 vs. HTML5 • HTML4 • Continua orientado a documentação textual (artigos científicos) • HTML5 • Renderização de gráficos • Controle embutido de conteúdos audio e vídeo • Armazenamento de dados por parte do cliente • Maior interactividade • Não necessita de tecnologias proprietárias como Flash, Silverlight e JavaFX • Estrutura do HTML5 vs. HTML4
  17. 17. Porquê HTML5 e não XHTML2? • XHTML2 • não é uma reformulação mas sim uma nova especificação • inteiramente baseado em XML e Markups • a W3C anunciou a descontinuidade do XTHML 2.0 • apresentava sérios problemas ao nível da retro-compatibilidade e implementação. • HTML5 • é uma evolução/extensão do HTML 4 e do XHTML1 • é influenciado pelo "state of the art" e pela utilização corrente dos Markups • Misunderstanding Markup: XHTML 2/HTML 5 Comic Strip
  18. 18. Novas funcionalidades • A parte interessante! • app cache e database • geolocation • web workers • canvas • SVG • Exemplos #1 • Exemplos #2 • Exemplo de SVG (electionAtlasGermany)
  19. 19. CSS • Porquê a criação de CSS • Vantagens do CSS3 face a versões anteriores • CSS3 e HTML5 • Exemplos
  20. 20. Porquê a criação de CSS • Linguagem de estilização e formatação - Sistema flexível para especificar a formatação de elementos html. • Define fontes, tamanhos, cores, imagens, margens, etc. • Funciona em conjunto com a linguagem html. • Separa conteúdo de layout e estilo de uma forma organizada. • Permite partilhar várias folhas de estilos em múltiplos documentos ou num site inteiro. • Ajuda a melhorar a acessibilidade e manutenção
  21. 21. Vantagens do CSS3 face a versões anteriores • As versões mais antigas eram demasiado longas e complexas para serem actualizadas de uma só vez. • O CSS3 está a ser separado em módulos. • Simplificação com novas propriedades inseridas. • Novas características mais flexíveis ao nível de desenho do interface e de acessibilidades. • Ainda não é possível dizer quantos browsers iram adoptar as novas funcionalidades do CSS3, estas novas funcionalidades estão a ser implementadas gradualmente (um a dois anos para ser amplamente adoptada).
  22. 22. Vantagens do CSS3 face a versões anteriores
  23. 23. CSS3 e HTML5 .lista:before{   content:"::  ";;} .lista:after{   content:"  ...";;} .redimensionar  {       width:  100px;;       height:100px;;       border:  1px  solid;;       resize:  both;;       overflow:  auto;;} button{   position:absolute;;} button#b1  {   top:5%;;   nav-­index:1;;   nav-­up:#b2;;  } button#b2  {   top:10%;;     nav-­index:2;;   nav-­down:#b1;;  nav-­up:#b3;;  } button#b3  {   top:15%;;   nav-­index:3;;   nav-­down:#b2;;  nav-­up:#b4;;} button#b4  {   top:20%;;   nav-­index:4;;   nav-­down:#b3;;} .border_redonda{   background-­color:  #EFEFEF;;   -­moz-­border-­radius:  5px;;   -­webkit-­border-­radius:  5px;;   border:  2px  solid  #CCCCCC;;   padding:  20px;;   width:  450px;;   height:  50px;;  } .texto_com_sombra{     text-­shadow:  2px  2px  2px  #58595b;;  } .fundo_imagem{       background:  url(images_background.png);;     border:1px  solid  black;;       width:  450px;;   height:  20px;;  } Nome  do  Site .font-­face  {     font-­family:  "barmeno";;     src:  url(font  »  bauhaus.ttf)  format("truetype");;  }  .h1  {  font-­family:  "bauhaus",  sans-­serif;;  } .columns  {   -­moz-­column-­gap:1px;;   -­moz-­column-­rule:medium  solid;;   -­moz-­column-­width:80px;;   -­moz-­column-­gap:50px;;  } text-­shadow   background-­clip   border-­radius   resize    nav      generated  Content    multiple  Column   border-­radius  
  24. 24. Exemplos • Multiple Columns • http://weblogs.mozillazine.org/roc/archives/2005/03/gecko_18_for_we.html • Web Fonts (@font-face) • http://www.alistapart.com/d/cssatten/nels.html • http://www.alistapart.com/d/cssatten/poen.html • http://www.alistapart.com/d/cssatten/heid.html • Text Shadow • http://westciv.com/tools/shadows/index.html • Box Shadow • http://westciv.com/tools/boxshadows/index.html • Round-Corners • http://www.bestinclass.com/blog/samples/css3-rounded-corners-ie/example.html
  25. 25. Javascript • má fama: uso obstrutivo • Javascript moderno: • não obstrutivo • gestão de eventos • DOM scripting / DHTML • Ajax • bibliotecas
  26. 26. Exemplos • Bad javascript • Good Javascript
  27. 27. FIM! Universidade de Aveiro Ano lectivo 2009/10 Departamento de Comunicação e Arte Mestrado em Comunicação e Multimédia Multimédia Interactivo Tecnologias Dinâmicas para a Internet Orientadores Benjamin Júnior Telmo Silva Autores Alexandre das Neves (34343) CarlaVanessa Ferreira Alves Leite (39925) Celso Farias Duarte Lopes (48454) Joana Pimparel Mineiro (49221) Tim Theodor Koch- Grünberg (35922)

×