Vanguarda européia

2,553 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,553
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
431
Actions
Shares
0
Downloads
70
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Vanguarda européia

  1. 1. Vanguarda Européia O movimento vanguardista surgiu na século XX, provocando rupturas com o passado, assim, influenciando nas manifestações artísticas de todo o mundo.Sendo respectivamente os principais movimentos:Futurismo (1909) o movimento artístico queExpressionismo (1010)Cubismo (1913) “marcha naDadaísmo (1918) frente”, anunciando aSurrealismo (1924) criação de um novo tipo de arte
  2. 2. Futurismo Itália, Séc. XX 1909Futurismo
  3. 3. Maior representante do Futurismo Iniciou o movimento futurista: Filippo Marinetti publicou o manifesto no Jornal francês “Le Fígaro” em fevereiro de 1909Futurismo
  4. 4. Ode triunfal De Fernando Pessoa À dolorosa luz das grandes lâmpadas elétricas da fábrica Tenho febre e escrevo. Escrevo rangendo os dentes, fera para a beleza disto, Para a beleza disto totalmente desconhecida dos antigos. Ó rodas, ó engrenagens, r-r-r-r-r-r-r eterno! Forte espasmo retido dos maquinismos em fúria! Em fúria fora e dentro de mim, Por todos os meus nervos dissecados fora, Por todas as papilas fora de tudo com que eu [sinto! Tenho os lábios secos, ó grandes ruídos [modernos, De vos ouvir demasiadamente de perto, E arde-me a cabeça de vos querer cantar com um excesso De expressão de todas as minhas sensações, Com um excesso contemporâneo de vós, ó máquinas! Em febre e olhando os motores como a uma Natureza tropical - Grandes trópicos humanos de ferro e fogo e força - Canto, e canto o presente, e também o passado [e o futuro, Porque o presente é todo o passado e todo o futuro (...)Futurismo
  5. 5. Futurismo
  6. 6. Cubismo Pablo Picasso Georges BraqueCubismo
  7. 7. Fundadores do Cubismo 1912 ALBERT GLEIZES & JEAN METZINGERCubismo
  8. 8. GUILLAUME APOLLINAIRE Manifesto-Síntese 1913 CaligramasCubismo
  9. 9. Principais Obras e AutoresCubismo
  10. 10. Características• Ilogismo• Linguagem caótica• Tempo presente• Humor• Menosprezo
  11. 11. A Ponte Mirabeau Linguagem Ilogismo caótica Sob a ponte Mirabeau corre o Sena O amor se vai como água E nosso amor corrente É preciso trazê-lo à cena O amor se vai Vinha sempre a alegria antes da pena Como a vida é lenta Venha a noite, soe a hora Como a esperança é violenta Os dias se vão, não vou embora Venha a noite, soe a hora Os dias se vão, não vouDe mãos dadas ficamos face à face embora Enquanto que sob Humor Passam os dias e as semanasA ponte dos nossos braços passa Nem o tempo passadoEternos olhares a onda tão lassa Nem o amor acena Venha a noite, soe a hora Sob a Ponte Mirabeau flui o Os dias se vão, não vou embora Sena. Tempo Presente Apollinaire
  12. 12. Fim do Cubismo 1918• Le Corbusier(arquiteto)• Ozenfant (pintor)Decretam o fim do movimento com a publicação do manifesto Depois do Cubismo
  13. 13. Dadaismo “O movimento de negação” 1916Dadaismo
  14. 14. Dadá Significa “cavalo de pau” Hugo Ball Tristan TzaraDadaismo
  15. 15. Manifesto Dadá 1918 “Que cada homem grite: há um grande trabalho destrutivo, negativo, a executar. Varrer, limpar. A propriedade do indivíduo se afirma após o estado de loucura, de loucura agressiva, completa, de um mundo abandonado entre as mãos dos bandidos que rasgam e destroem os séculos”. "Liberdade: DADÁ DADÁ DADÁ, uivos das dores crispadas, entrelaçamentos dos contrários e de todas as contradições, dos grotescos, das inconsequências: A VIDA." Tristan TzaraDadaismo
  16. 16. Receita de Tzara para criar um poema Pegue um jornal. dadaísta Pegue a tesoura. Escolha no jornal um artigo do tamanho que você deseja dar a seu poema. Recorte o artigo. Recorte em seguida com atenção algumas palavras que formam esse artigo e meta-as num saco. Agite suavemente. Tire em seguida cada pedaço um após o outro. Copie conscienciosamente na ordem em que elas são tiradas do saco. O poema se parecerá com você. E ei-lo um escritor infinitamente original e de uma sensibilidade graciosa, ainda que incompreendido do público.Dadaismo
  17. 17. Marcel Duchamp Ready-MadeSignifica confeccionado,pronto Designar qualquer objeto manufaturado de consumo popular, tratado como objeto de arte por opção do artistaDadaismo
  18. 18. Características • Agressividade verbalizada; • Desordem das palavras; • Incoerência; • Banalização da rima, da logica e do raciocínio; • Non sense;Dadaismo
  19. 19. Principais artistas • Marcel Duchamp • Francis Picabia • Max Ersnt • Man RayDadaismo
  20. 20. Dadaísmo no Brasil• Manifestação nas obras modernistas brasileiras• Escrita totalmente brasileira• Língua nacional livre• Uso de paródias “Estes homens de São “Que soluças Paulo,Todos iguais e tu,Transido de desiguais,Quando vivemfrio,Sapo-cururu Da dentro dos meus olhos tão beira do rio...” ricos, Parecem-me uns macacos, uns macacos.”
  21. 21. Fim do Dadaísmo 1922 Com as profundas desavenças entre Tristan Tzara e André Breton, tiveram como consequência o desaparecimento do movimento dadaísta com o tal nascimento do Surrealismo. O fim do movimento dadaísta, em 1923 deu-se após um escândalo. A partir desse momento Tzara se dedica a rezar o “Oracion Fúnebre por Dadá” em diversas reuniões celebradas em distintas cidades da Alemanha. O dadaísmo foi mais um estado de espírito, oriundo das convulsões geradas pela I Guerra Mundial, que propriamente um movimento com leis e estruturas próprias; sob seus escombros ergue-se-ia porém o Surrealismo, e algumas de suas inteções foram retomadas recentemente pelos adeptos da Pop Art.Dadaismo
  22. 22. SURREALISMO A persistência da memória, Salvador Dalí.Surrealismo
  23. 23. Paris, 1920Surrealismo
  24. 24. André Breton Características Poeta, escritor, e psiquiatra francês A arte surrealista é livre como um rio: o fluxo dos versos e das pinceladas desaguando no papel e na tela e automático, inconsciente, es pontâneo e subjetivo, sem barreiras entre o real e o imaginário.Surrealismo
  25. 25. MANIFESTO SURREALISTA (...)De fato, alucinações, ilusões, etc. são fonte de gozo nada desprezível.(...)As confidências dos loucos, passaria minha vida a provocá-las. São pessoas de escrupulosa honestidade.(...) Foi preciso Colombo partir com loucos para descobrir a América. E vejam como essa loucura cresceu, e durou. Não é o medo da loucura que nos vai obrigar a hastear a meio-pau a bandeira da imaginação.
  26. 26. Pintura Salvador Dalí Yves Tanguy René Magritte Joan MiróSurrealismo
  27. 27. Poesia Aimé Césaire Max Ernst Herberto HelderSurrealismo
  28. 28. Brasileiros Cícero Dias (pintura) Murilo Monteiro Mendes Tarsila do Amaral (poesia) (pintura)Surrealismo
  29. 29. PinturasSurrealismo
  30. 30. Poemacto II Minha cabeça estremece com todo o esquecimento. Eu procuro dizer como tudo é outra coisa. Falo, penso. Sonho sobre os tremendos ossos dos pés. É sempre outra coisa, uma só coisa coberta de nomes. E a morte passa de boca em boca com a leve saliva, com o terror que há sempre no fundo informulado de uma vida. Sei que os campos imaginam as suas próprias rosas. As pessoas imaginam os seus próprios campos de rosas. E às vezes estou na frente dos campos como se morresse; outras, como se agora somente eu pudesse acordar. Herbert Helder, poeta portuguêsSurrealismo
  31. 31. Referências Bibliográficas• http://papoliterarioobjetivo.blogspot.com.br/2011/01/o- dadaismo.html• http://www.mundoeducacao.com.br/literatura/dadaismo.ht m• http://www.historiadaarte.com.br/linha/dadaismo.htm• http://www.almascorsarias.com.br/2009/09/andre-breton- manifesto-surrealista.html• http://www.suapesquisa.com/surrealismo/• http://recantofilosofico.blogspot.com.br/2012/12/surrealistic a-andre-breton-e.html
  32. 32. LITERATURA 3°Tibiriçá Prof° Jeferson GrupoCamilla CristhineIsabella NarcizoThainar Andrade Rodrigo Tricca

×