• Save
A evolução de terapias baseadas em corticosteroides para o tratamento da asma
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

A evolução de terapias baseadas em corticosteroides para o tratamento da asma

  • 1,554 views
Uploaded on

INTRODUÇÃO: A asma é uma patologia com grande impacto socioeconômico que afeta cerca de 300 milhões de pessoas no mundo, sendo que o Brasil se destaca negativamente como um dos 10 países com......

INTRODUÇÃO: A asma é uma patologia com grande impacto socioeconômico que afeta cerca de 300 milhões de pessoas no mundo, sendo que o Brasil se destaca negativamente como um dos 10 países com maiores índices de prevalência. Os corticosteroides são o tratamento de escolha para a maioria dos pacientes asmáticos, sendo recomendados atualmente por importantes diretrizes internacionais de manejo da patologia.
OBJETIVO: O objetivo do presente trabalho é revisar e analisar criticamente a literatura científica sobre a evolução do uso de corticosteroides no tratamento da asma, analisando o histórico de mudanças dessa classe terapêutica ao longo da cronologia médica e farmacêutica global, com intuito de inferir a viabilidade de novos tratamentos com tais moléculas nessa patologia.
MATERIAIS E MÉTODOS: Este trabalhou utilizou os principais guidelines de tra-tamento e manejo da asma e bases de dados como Pubmed/Medline, ISI Web of Knowledge e SCOPUS. A busca de palavras-chave como “asthma” e “corticoste-roids” foi cuidadosamente combinada com os termos “inhaler”, “metered-dose inhaler”, “hydrofluoroalkane”, “chlorofluorocarbon” e “epidemiology”, bem como esses termos em português. Os critérios de inclusão foram a data das publicações (1990 até 2012) e o idioma do artigo (inglês, português, espanhol ou italiano) e os de exclusão foram adotados para aqueles artigos cuja discussão da troca do propelente CFC para HFA fosse puramente ambiental ou artigos que trataram apenas de questões anatômicas da patologia.
RESULTADOS: Os estudos analisados mostram que os corticosteroides evoluíram consideravelmente desde seu primeiro uso no tratamento da asma, tanto em aspectos moleculares, nos seus dispositivos farmacotécnicos, na potência e segurança e em questões ligadas ao meio ambiente, dada a necessidade de um propelente para veiculação do fármaco. Nos últimos anos houve a descoberta de uma nova, e muito mais tecnológica, classe dessa família de moléculas, na forma de pró-fármacos (mais seguros dada sua ativação in situ), sendo a ciclesonida o principal exemplo dessa classe.
CONCLUSÃO: Novas terapias com corticosteroides para o tratamento da asma são possíveis e desejáveis, e podemos citar como prováveis próximos passos a melhoria da tecnologia de entrega do fármaco ao local de ação (hoje obtida pelos MDIs). Idealmente podemos chegar à perfeita terapia tópica com corticosteroides no tratamento da asma, no caso do advento de uma formulação com 100% de aproveitamento pul-monar e zero biodisponibilidade sistêmica, sendo essa uma importante lacuna a ser preenchida nessa patologia de grande prevalência e importância mundial.

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,554
On Slideshare
1,548
From Embeds
6
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 6

http://www.linkedin.com 6

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Defesa de Trabalho de Conclusão de Curso Aluno: Thalles Diório Peixoto Orientadora: Profa. Dra. Carlota de Oliveira Rangel Yagui“A diferença entre um remédio e um veneno está só na dosagem” Paracelso – Médico e físico do séc. XVI
  • 2. INTRODUÇÃOOBJETIVOMATERIAIS E MÉTODOSRESULTADOSCONCLUSÃO
  • 3.  Asma: doença inflamatória crônica das vias aéreas Afeta cerca de 300 milhões de pessoas no mundo Brasil: 8º lugar emprevalência
  • 4.  Corticosteroides: ◦ Potentes anti-inflamatórios ◦ Classe terapêutica estudada para o tratamento da asma desde 1900 ◦ Diversos avanços na classe durante o séc. XX, tanto molecularmente quanto nos dispositivos de veiculação e mesmo evoluções ambientais ◦ Tratamento de escolha para a maioria dos pacientes asmáticos
  • 5. INTRODUÇÃOOBJETIVOMATERIAIS E MÉTODOSRESULTADOSCONCLUSÃO
  • 6. O objetivo do presente trabalho é revisar e analisarcriticamente a literatura científica sobre a evoluçãodo uso de corticosteroides no tratamento da asma,discorrendo e analisando o rico histórico demudanças e progressos dessa classe terapêutica aolongo da cronologia médica e farmacêutica global,com intuito de inferir a viabilidade de novostratamentos com tais moléculas nessa patologia.
  • 7. INTRODUÇÃOOBJETIVOMATERIAIS E MÉTODOSRESULTADOSCONCLUSÃO
  • 8.  Revisão da literatura internacional e guidelines Bases de Dados ◦ Pubmed/Medline ◦ ISI Web of Knowledge ◦ SCOPUS
  • 9.  Palavras-chave:  Critérios (Inclusão) ◦ Asthma ◦ De 1990 até 2012 ◦ Corticosteroids ◦ Idiomas aceitos: ◦ Inhaler  inglês, português, espanhol ou italiano ◦ Metered-dose inhaler ◦ Hydrofluoroalkane  Critérios (Exclusão) ◦ Foco puramente ambiental ◦ Chlorofluorocarbon na discussão sobre os ◦ Epidemiology propelentes CFC e HFA ◦ Artigos sobre questões anatômicas da asma ◦ Tratamentos não medicamentosos
  • 10. INTRODUÇÃOOBJETIVOMATERIAIS E MÉTODOSRESULTADOSCONCLUSÃO
  • 11.  Corticosteroides na asma: ◦ Mais potente e efetivo tratamento disponível para asma atualmente ◦ Amplo espectro de ação anti-inflamatória nas vias aéreas ◦ Seu uso constante auxilia a reduzir as consequências fisiológicas da asma (edema de mucosa, hipersecreção e remodelamento das vias aéreas)
  • 12.  Cortisol: ◦ Hormônio corticosteroide humano, produzido pela glândula suprarrenal ◦ Diretamente envolvido na resposta ao estresse ◦ Uso farmacológico: potente imunossupressor e anti- inflamatório ◦ A cortisona (derivado desse hormônio) foi a molécula pioneira para comprovação da alta eficácia dessa classe no tratamento sintomático de doenças inflamatórias, dentre elas a asma
  • 13.  Uso de terapias anti-inflamatórias na asma: ◦ Corticosteroides inalatórios (CIs) – mais potente e efetivo grupo de moléculas ◦ Estabilizadores de mastócitos – Ex. cromoglicato sódico (tratamento de crianças com asma leve) ◦ Antagonistas de receptores de leucotrienos – Ex. montelucaste (têm como alvo a síntese e a atividade desses mediadores inflamatórios essenciais)
  • 14. Tabela 1: Medicações recomendadas de acordo com a intensidade da asma em adultos e crianças maiores de 5 anos. Grau de Outras opções Medicação de controle diário intensidade de tratamento Etapa 1 Não necessário --- Intermitente* • Teofilina de liberação Etapa 2 Corticoide inalatório (CI) de lenta; Leve Persistente baixa dose • Cromona; • Modificador de leucotrieno • CI média dose + teofilina de liberação lenta, ou • CI média dose + β2 Etapa 3 CI de média dose agonista de longa ação, ou Moderada Persistente • CI alta dose, ou • CI dose média + modificador de leucotrieno CI dose elevada + um ou mais dos seguintes, se necessário: Etapa 4 - teofilina de liberação lenta; --- Grave Persistente - β2 agonista de longa ação; - modificador de leucotrieno; - glicocorticoide oral. Em todos os níveis: em adição ao medicamento de controle diário, β2 agonista de curta ação pode ser necessário para alívio dos sintomas, mas não devem ser usados mais do que 3 a 4 vezes ao dia. A educação do paciente é necessária em todas as etapas. * Pacientes com asma intermitente, mas exacerbações graves, devem ser tratados como tendo asma moderada persistente. Fonte: Global Initiative for Asthma (GINA). Global strategy for asthma management and prevention. 2011.
  • 15.  Benefícios clínicos dos CIs: ◦ Melhoram os sintomas da asma e a função pulmonar ◦ Diminuem a necessidade de medicações de resgate ◦ Diminuem os índices de exacerbações agudas e assistência emergencial, quando o paciente faz uso regular da terapêutica com CIs ◦ Reduz a evolução das alterações da mucosa (remodelamento das vias aéreas)
  • 16.  Segurança e biodisponibilidade dos CIs: ◦ Anos 50: uso pela via intramuscular: baixa segurança devido aos efeitos do cortisol sistêmico ◦ Atualmente: predomínio da terapia inalatória  Ainda hoje existem tratamentos com corticosteroides orais na asma, pricipalmente naqueles pacientes que são sensíveis à terapêutica inalatória e em crises  Efeitos adversos principais no uso contínuo de corticoides sistêmicos: osteoporose, aumento da pressão intraocular, catarata, adelgaçamento e equimoses da pele e descompensação da glicemia
  • 17.  Inaladores de dose dosimetrada (MDI-spray): ◦ Grande evolução na veiculação dos ativos até o órgão alvo (pulmão) ◦ Necessário uso de gás propelente (questões ambientais envolvidas) ◦ Pode causar efeitos adversos orais, como candidíase, devido à deposição do agente imunossupressor na mucosa da boca
  • 18.  Moléculas principais dessa classe terapêutica: ◦ beclometasona ◦ fluticasona ◦ mometasona ◦ ciclesonida Uso como sprays (inalatórios orais ou nasais) ou pó secos (inalatórios orais)
  • 19.  Ciclesonida: ◦ CI inalatório mais recentemente introduzido na terapêutica ◦ Principal exemplo no quesito segurança  fração livre na forma de metabólito inativo  molécula necessita da presença das estearases pulmonares para ser transformada em des-CIC, sua molécula ativa
  • 20.  Ciclesonida:
  • 21.  Evolução Farmacotécnica: ◦ 1950: via IM ◦ Necessidade de um tratamento tópico ◦ 1958: prednisolona em spray (MDI com gás fréon)  Via inalatória:  Melhora adesão ao tratamento  Menor taxa de eventos adversos  Menores doses necessárias para obtenção da mesma eficácia clínica
  • 22. Via Via oral inalatóriaVia IM
  • 23. Tabela 2: Parâmetros farmacocinéticos dos corticoides utilizados por inalação no tratamento da asma. Disponibil Disponibilidade Meia- Cmáx CL Corticoide idade oral Vd (L/kg) sistêmica inalada vida (h) (pg/mL) (L/min) sistêmica ciclesonida < 0,1% <1% (estimado) 0,36-3,4 40 2,07 2,53-3,8 mometasona < 0,1% <1% (estimado) 4,5 49,8 4,5 0,892 12-16% (Diskhaler*) 3,7-14,4 500 3,7-12,1 0,9-1,3 17% (Accuhaler*) --- --- --- --- fluticasona < 1% 26-31% - (MDI- 7,8 500 --- --- Spray) 39% (Turbuhaler*) 2,8 700 2,7-4,3 0,9-1,4 budesonida 6 – 13% 26% (MDI-Spray) 2,9 --- --- --- beclometasona 15 – 25% 25% (MDI-Spray) 0,5 --- --- 3,8 32-39% - (MDI- flunisolida 21% 1,6 2800 1,8 1,0 Spray) triancinolona 23% 22% (MDI-Spray) 1,5-3,6 500 1,3-2,1 0,7-1,2 Abreviaturas: Cmáx = concentração máxima do fármaco no plasma; Vd = volume de distribuição; CL = clearance do plasma. * Formas farmacêuticas comercializadas como pó para inalação. Fonte: Global Initiative for Asthma (GINA). Global strategy for asthma management and prevention. 2011.
  • 24.  A evolução ambiental ligada ao tratamento da asma: ◦ Propelente usado até meados do séc. XXI – CFC  Gás conhecido pelos efeitos nocivos à camada de ozônio ◦ No Brasil – RDC 88/2008  Dispõe sobre a adequação dos medicamentos que contém clorofluorcarbonos  Tornou proibida a fabricação dos mesmos a partir de janeiro de 2011  Gás substituinte  HFA (hidrofluoralcano)
  • 25.  Vantagens do gás HFA: ◦ Não interage com a camada de ozônio ◦ Gera maior deposição pulmonar, pois:  Os MDIs de HFA geram maior massa de partículas finas, com tamanho próximo a 1,1 μm, em comparação com os tamanhos de partículas de 3,5 μm a 5,0 μm gerados em MDIs por clorofluorcarbono (CFC)  As formulações em solução produzem aerossol de partículas mais finas que as formulações de CIs em suspensão tradicionalmente utilizadas na maioria dos MDI de CFC, proporcionando assim melhor deposição pulmonar e maior percentagem de deposição da dose inalada nas vias aéreas menores
  • 26.  Vantagens do gás HFA:
  • 27. INTRODUÇÃOOBJETIVOMATERIAIS E MÉTODOSRESULTADOSCONCLUSÃO
  • 28.  Corticosteroides são tratamento de escolha para a maioria dos pacientes com asma São altamente recomendados por importantes diretrizes internacionais de manejo da patologia Classe terapêutica que sofreu grandes evoluções ao longo dos últimos 100 anos Descoberta de subclasses mais seguras dessa família de moléculas nos últimos anos
  • 29.  Forma mais comum de usar-se os corticosteroides na asma – MDIs (“bombinhas” para asma) Uso de gás propelente para veiculação do ativo Evolução ambiental nos últimos anos, dada a troca do gás propelente CFC para HFA ◦ Não danifica a camada de ozônio ◦ Importante destaque ao que se refere à deposição pulmonar e eficácia nas pequenas vias aéreas
  • 30.  Existe ainda muito espaço para evoluções nessa importante classe terapêutica Novas terapias com corticosteroides para o tratamento da asma são possíveis e desejáveis Próximos passos mais prováveis: ◦ Melhoria da tecnologia de entrega do fármaco ao local de ação (atualmente na forma de MDIs) ◦ Perfeição da terapia tópica?  Advento de uma formulação com 100% de aproveitamento pulmonar e zero biodisponibilidade sistêmica  Importante lacuna a ser preenchida nessa patologia de grande prevalência e importância mundial
  • 31. MuitoObrigado! A evolução de terapias baseadas em corticosteroides para o tratamento da asma Aluno: Thalles Diório Peixoto Orientadora: Profa. Dra. Carlota de Oliveira Rangel Yagui