Petroleo 3a2
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Petroleo 3a2

on

  • 4,599 views

 

Statistics

Views

Total Views
4,599
Views on SlideShare
4,594
Embed Views
5

Actions

Likes
0
Downloads
47
Comments
0

1 Embed 5

http://www.eebfmazzola.pro.br 5

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Petroleo 3a2 Petroleo 3a2 Presentation Transcript

  • Petróleo e Hulha...
  • Equipe:
    • Cleisiane Visnheski
    • Angela Lofy
    • Kátia Gisélle Vargas
    • Dionata da Cruz Monteiro
    • Série: 3ª02
  • Petróleo
      • O petróleo (latim: petro, oleum = óleo) é um líquido oleoso, insolúvel em água e mais leve que esta.
      • Apresenta cor que varia de pardo-escuro a negro e encontra-se no subsolo de várias regiões do globo terrestre.
    • Quimicamente o petróleo varia de região para região e, assim, temos que o petróleo das Américas é constituído quase que exclusivamente pelos Alcanos, ao passo que o petróleo da URSS tem predominância de ciclanos. Há, no entanto, petróleos que apresentam alcanos e ciclanos e outros que possuem alto teor de hidrocarbonetos aromáticos. As maiores jazidas de petróleo, exploradas, encontran-se no México, Venezuela, URSS, Romênia,Polônia, EUA e países árabes.
  • Origem:
    • Os cientistas Berthelot, Moissan, Mendeleev e outros defenderam a teoria mineral ou inorgânica, segundo a qual os hidrocarbonetos simples, constituintes do petróleo, originaram-se da hidrólise de carbetos metálicos existentes no subsolo.
    • Al4C3 + 12H2O 4Al(OH)3 + 3CH4
    • metano
    • CaC2 + 2H2O Ca(OH)2 + C2H2
    • etino
    • A partir desses hidrocarbonetos simples, através de reações de adição e polimerizações, originaram-se os hidrocarbonetos mais complexos.
    • Essa teoria está abandonada, pois ela não explica alguns fatos, tais como:
    • Existência de compostos orgânicos nitrogenados.
    • Existência de compostos opticamente ativos.
    • Existência de compostos derivados clorofila.
  • A destilação do petróleo
    • O petróleo é extraído do interior da terra. Após a eliminação de areia e água, ele é transportado para uma fornalha onde é aquecido a alta temperatura. Da fornalha é levado de fracionamento, onde então irá ocorrer a separação das várias frações, de acordo com os pontos de ebulição.
    • Entre as várias frações, temos:
    • Fração gasosa (gás natural-CH4 e C2H6) e (gás engarrafado- GLP: C3H8 e C4H10)
    • Gasolina
    • Querosene
    • Gasóleo
    • Óleos lubrificantes
    • resíduos
  • Cada fração é uma mistura de composto que destila em acerto intervalo de temperatura: Asfalto(resíduo final) De 26 a 38 carbonos 400-520°C Óleos lubrificantes De 18 a 25 carbonos 300-400°C Óleos combustíveis De 13 a 17 carbonos 230-300°C Óleo diesel De 11 a 12 carbonos 180-230°C Querosene De 6 a 10 carbonos 40-180°C Gasolina Composto de 1 a 5 carbonos Até 40°C Gás Composição (hidrocarboneto) Temperatura de destilação Fração
  • Gasolina Sintética
    • Pode-se obter, sinteticamente, uma mistura de hidrocarbonetos que equivale à gasolina. A essa mistura dà-se o nome de gasolina sintética.
    • Existem dois processos de obtenção da gasolina sintética, ambos surgidos na Alemanha.
  • Processo Bergius
    • Surgiu em 1917, durante a Primeira Guerra Mundial, criado por Friedrich Bergius. Consiste no tratamento juntamente com hidrogênio de carvão finamente dividido e impulsionado em óleo, a 450°C,200atm e catalisadores. Formam-se assim uma mistura de hidrocarbonetos, que é submetida à destilação, originando três frações:
    • Gasolina sintética: contém 74% de parafinas, 22% de aromáticos e 4% de olefinas.
    • Gasóleo.
    • Resíduos: esta fração é reciclada, entretanto no processo para produzir mais gasolina.
  • Processo de Fischer-Tropsch
    • Surgiu em 1933, criado por Franz Fischer e Hans Tropsch. Consiste na conversão do carvão em gás e este posteriormente, é tratado com hidrogênio na presença de catalisadores, a 200°C.
  • Hulha:
    • DESTILAÇAÕ SECA:
    • A hulha é uma variedade de carvão mineral que apresenta, aproximadamente, 80% em carbono e possui um grande interesse industrial. Isso ocorre porque, ao ser aquecido entre 1000ºC e 1300ºC, numa retorta e em presença de corrente de ar, são obtidas três importantes frações: a fração gasosa, líquida e a sólida.
  • Fração Gasosa :
    • Constituída, em volume, por aproximadamente 50% de H2, 3% de CH4, 7% de CO, 5% de N2, 4% de olefinas, 2% de CO2, etc. Esta mistura recebe o nome de gás de iluminação porque foi usada, antigamente, na iluminação de ruas (lâmpadas e gás), é atualmente é usada como combustível doméstico e também na indústria.
  • Fração líquida :
    • É formada por duas fases: gases amoniacais e alcatrão da hulha
    • - Águas amoniacais: fase clara, menos densa que a água e rica em NH3, que é empregado na preparação de ácido nítrico (HNO3), na produção de fertilizantes (na agricultura), etc.
    • Alcatrão da hulha: fase escura e mais densa que a água. Constitui-se na mais importante fonte natural de compostos aromáticos.
  • Veja as frações que se obtêm do alcatrão da hulha, por destilação fracionada:
    • 1ª fração: óleo leve (benzeno, tolueno, xilenos, etc.)
    • 2ª fração: óleo médio (fenol, naftaleno, xilenos, etc.)
    • 3ª fração: óleo pesado (naftaleno, naftóis, cresóis, etc.)
    • 4ª fração: óleo verde (antraceno, denantreno, etc.)
    • 5ª fração: resíduo (60% de piche)
  • Fração Sólida:
    • Resíduo sólido da destilação, denominado carvão coque. Este carvão é consistente, poroso e bastante usado na siderurgia para produção de ferro e aço, na produção de gasolina sintética, na obtenção de gás de água. (combustível industrial).
    • O carvão vegetal é poroso, menos denso que a água e menos consistente que o carvão coque. É empregado como absorvente na recuperação de solventes industriais (da gasolina), etc. E na clarificação de óleos comestíveis, de açúcar, etc.
  • Carvão animal:
    • Obtém-se da destilação seca (calcinação) dos ossos. É empregado como absorvente na recuperação de solventes industriais e na clarificação de óleos comestíveis, de açúcar, etc.
  • Negro-de-fumo:
    • Carvão constituído por carbono, em pó, finamente dividido, que se obtêm nas combustões incompletas de metano e acetileno.