Auditoria Contábil - Aspectos Gerais

4,233 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,233
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
11
Actions
Shares
0
Downloads
126
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Auditoria Contábil - Aspectos Gerais

  1. 1. AuditoriaSistemas de Informações ContábeisAna Riva | Rafael Coelho | Renata Santos | Thomás Freud
  2. 2. Roteiro• Contabilidade: Aspectos Gerais• Processo Contábil• Demonstrações Contábeis• Tipos de auditoria• Auditoria Contábil• Auditoria Interna• Auditoria Externa• Controle Interno• Planejamento de Auditoria• Parecer do Auditor2
  3. 3. Contabilidade• Ciência que estuda o patrimônio das entidades;• Registra acontecimentos que causam alterações nestepatrimônio; [variações patrimoniais]• Fornece aos interessados, informações qualitativas equantitativas de natureza econômico-financeira sobre opatrimônio;3
  4. 4. Contabilidade• OBJETO: O Patrimônio das Entidades• OBJETIVO: “fornecer aos usuários, independentementede sua natureza, um conjunto básico de informaçõesfinanceiras à respeito dos acontecimentos emodificações do patrimônio de uma Entidade” (IUDÍCIBUS,2009, p.4);4
  5. 5. Processo Contábil• Registro de fatos e atos administrativos;• Elaboração das demonstrações contábeis;• Publicação das Demonstrações5
  6. 6. Processo Contábilfeedback feedback feedbackEscrituraçãoElaboração dasDemonstraçõesPublicação dasDemonstraçõesDocumentoscomprobatóriosLivros Contábeis Demonstrativos6
  7. 7. DemonstraçõesContábeis• CONCEITO: um conjunto de relatórios elaborados combase na escrituração mercantil mantida pelaempresa, com a finalidade de apresentar informaçõesaos diversos usuários, principalmente de naturezaeconômica e financeira, relativas à gestão do patrimônioocorrida durante um exercício social”. Moura Ribeiro(2010, p.390),7
  8. 8. DemonstraçõesContábeisDevem fornecer informações sobre:• ativos, passivos, patrimônio líquido;• receitas e despesas, incluindo ganhos e perdas;• alterações no capital próprio decorrente daintegralização de capital ou distribuição de ganhos aossócios;• fluxos de caixa gerados pela entidade;8
  9. 9. DemonstraçõesContábeisTipos:• Balanço Patrimonial;• Demonstração do Resultado do Exercício;• Demonstrações das Mutações do Patrimônio Líquido;• Demonstração do Fluxo de Caixa;• Demonstração do Valor Adicionado;• Notas Explicativas;9
  10. 10. Tipos de Auditoria• Auditoria das Demonstrações Financeiras;• Auditoria Operacional;• Auditoria Tributária;• Auditoria de Sistemas Informatizados;• Auditoria de Cumprimento Normativo;• Auditoria Ambiental10
  11. 11. Auditoria Contábil• Conceito: “consiste na análise da escrituração contábilobjetivando apurar o grau de conformidade entre estes eos critérios estabelecidos, quais sejam: princípioscontábeis, legislação e normas internas”.11
  12. 12. Auditoria Contábil• Conceito: “consiste na análise da escrituração contábilobjetivando apurar o grau de conformidade entre estes eos critérios estabelecidos, quais sejam: princípioscontábeis, legislação e normas internas”.12
  13. 13. Auditoria Contábil• Execução de um conjunto de rotinas e técnicas;• Avalia do que está evidenciado à respeito dos fatosadministrativos;• Apura os processos contábeis adotados, e as informaçõesdeles decorrentes;• Verifica grau de conformidade entre o que consta nas peçascontábeis e os critérios legais estabelecidos;• Elaboração de parecer; [Informa]13
  14. 14. Auditoria Externa• Realizada por profissional desvinculado da empresa;• Com maior liberdade e independência de ação;• Visa emitir o parecer periódico sobre as demonstraçõescontábeis da entidade auditada;• Contribuição para aumento da credibilidade dainformação;14
  15. 15. Auditoria Interna• Executada por um funcionário da empresa;• De forma contínua;• Melhoraria da eficiência operacional e dos controlesinternos em caráter efetivo”;• Aperfeiçoamento dos controles internos e dos sistemascontábeis;15
  16. 16. Controle Interno• Acompanhamento, direcionamento ou previsão dos fatose atos que produzam reflexos no patrimônio da empresa;• Análise de documentos;• Antecedente: previsão acerca da ocorrência de um fato;• Concomitante: constata-se a ocorrência do fato nomomento em que ele ocorre;• Consequente: registra os fatos após sua ocorrência,16
  17. 17. Controle Interno: Objetivos• Garantir o fornecimento à Contabilidade de dados exatose a correta escrituração;• Identificar, bem como evitar erros e desperdícios;• Proteger o patrimônio da entidade;17
  18. 18. Auditoria das DemonstraçõesContábeis• “Consiste em um processo pelo qual é verificado se asinformações apregoadas nestas demonstrações sãocondizentes com a realidade patrimonial, econômica efinanceira da entidade; com a finalidade de atribuir ummaior grau de confiabilidade para a contabilidade daorganização”.18
  19. 19. Auditoria das DemonstraçõesContábeis: Benefícios• Reduzir o risco das informações prestadas pelacontabilidade;• Possibilidade de se ter acesso ao mercado de capitais;• Negociar títulos em bolsa;• Buscar investidores e expandir seu capital;• Obter empréstimos bancários a menor custo;• Desincentivo a ineficiência e fraudes;• Melhoria da eficiência das operações e dos controlesinternos;19
  20. 20. Auditoria das DemonstraçõesContábeis: Limitações• Limitação de tempo no processo de auditoria;• Análise por amostragem de documentação;• Estimativas contábeis;20
  21. 21. Planejamento de Auditoria• Elabora uma estratégia para todo processo;• Desenvolvimento de plano de trabalho;• Delimitação de um curso de ação;21
  22. 22. Planejamento de Auditoria:Etapas• Entendimento da entidade e do seu ambiente;• Entendimento dos controles internos;• Materialidade no planejamento e na execução daauditoria;• Identificação e avaliação de riscos;• Cronograma do planejamento;22
  23. 23. Entendimento da Entidade eAmbiente• Conhecimento do negócio e mercado;• Entendimento de:• Metas da administração e recursos organizacionais;• Estrutura organizacional;• Produtos, fornecedores, clientes e concorrentes daentidade;• Os principais processos e o ciclo operacional da entidade;• Decisões de financiamento e investimento;• Análise de risco operacional das atividades;23
  24. 24. Entendimento dos ControlesInternos• Identifica as características, os aspectos relevantes e oscomponentes do controle interno;• Controles Internos objetivam:• Confiabilidade nas informações financeiras;• Obediência a leis e regulamentos aplicáveis; o auditor éresponsável pela detecção de erros e fraudes ou atos ilegaiscometidos pela administração ou empregados.• Eficácia e eficiência de operações.24
  25. 25. Materialidade no Planejamentoe Execução de Auditoria• Identificar a materialidade de informações relevantes;• Atribuir níveis de materialidade à informaçõesenviesadas;• Avaliar riscos de distorções relevantes;25
  26. 26. Avaliação dos riscos dedistorção• Devem ser feitos questionamentos à administração;• Obtenção de informações que ajudem na identificaçãode riscos de distorção;• Identificar fraude ou erro que geram riscos significativos;• Obtenção de informações adicionais relevantes;26
  27. 27. Cronograma do Planejamento• Nesta fase do planejamento devem ser evidenciadas asetapas e as épocas nas quais o trabalho será realizado deacordo com a entidade auditada;• No cronograma devem estar descritas as áreas, unidadese partes relacionadas que estarão envolvidas com oprocesso de auditoria;27
  28. 28. Parecer do Auditor• Meio formal pelo qual comunica-se as partesinteressadas a conclusão obtida sobre o que constam nasdemonstrações auditadas;• “Deve estabelecer a distinção entre as responsabilidadesda administração e as do auditor” (BOYNTON, RAYMOND, & KELL, 2002,P.83)28
  29. 29. Parecer do Auditor• Deve registrar que a responsabilidade pelasdemonstrações contábeis é da administração dacompanhia auditada;• A responsabilidade do auditor é “[...]realizar o processode auditoria e expressar uma opinião, com base no queencontrar em seus trabalhos” (BOYNTON, RAYMOND, & KELL, 2002,P.83)29
  30. 30. Parecer do Auditor• Informar que se busca um nível de segurança razoável;• Informar que existem riscos em auditoria;• Indicar claramente o caráter de um auditoria, e tambémidentificar suas várias limitações (BOYNTON, RAYMOND, & KELL, 2002,P.83);30
  31. 31. Referencial Bibliográfico• BOYNTON, W. C., RAYMOND, N. J., & KELL, W. G. (2002). Auditoria. (J. E. Santos, Trad.)São Paulo: Atlas.• CREPALDI, S. A. (2010). Auditoria contábil: teoria e prática (6º ed.). São Paulo: Atlas.• FRANCO, H., & Marra, E. (2000). Auditoria Contábil (3ª Edição ed.). São Paulo: Atlas.• CONSELHO Federal de Contabilidade. Normas brasileiras de contabilidade. Gestão1990-2012.• ___________. Objetivos Gerias do Auditor independente e a Condução da auditoriaem Conformidade com Normas de Auditoria. Resolução CFC nº 1.329/11.31

×