AÇÕES CONSCIENTES E DESVIOS NUTRICIONAIS NA INFÂNCIA   O FOME ZERO E O CONSUMO CONSCIENTE INSTITUTO AKATU São Paulo, 29 de...
TRANSIÇÃO NUTRICIONAL E INCLUSÃO SOCIAL <ul><li>A transição nutricional faz parte de uma série de transições inter-relacio...
TRANSIÇÃO NUTRICIONAL E URBANIZAÇÃO <ul><li>A urbanização e a industrialização promovem mudanças importantes nos hábitos e...
TRANSIÇÃO NUTRICIONAL E ACESSO AOS ALIMENTOS <ul><li>As indústrias de alimentos crescem para satisfazer tal demanda, molda...
CONSUMO DEFICIENTE / EXCESSIVO DE ALIMENTOS E DOENÇAS ASSOCIADAS <ul><li>Indivíduos com distúrbios nutricionais, tanto por...
Milhões de crianças brasileiras menores de 5 anos MILHÕES DE CRIANÇAS BRASILEIRAS MENORES DE CINCO ANOS COM DISTÚRBIOS NUT...
 
AÇÕES CONSCIENTES E DESVIOS NUTRICIONAIS NA INFÂNCIA   O FOME ZERO E O CONSUMO CONSCIENTE INSTITUTO AKATU São Paulo, 29 de...
UTILIZAÇÃO CONSCIENTE DOS RECURSOS   CUSTOS DE DIFERENTES INTERVENÇÕES NUTRICIONAIS (US$/CRIANÇA/ANO)
GERENCIAMENTO CONSCIENTE DOS RECURSOS   PERVERSÕES E IMPERFEIÇÕES DOS PROGRAMAS DE PROMOÇÃO NUTRICIONAL DIRIGIDOS ÀS CRIAN...
UTILIZAÇÃO CONSCIENTE DOS BENEFÍCIOS   <ul><li>Os gerentes e corpo técnico responsável pela operacionalização devem se con...
UTILIZAÇÃO CONSCIENTE DOS BENEFÍCIOS   <ul><li>Os beneficiários devem ser devidamente informados sobre a proposta e objeti...
AÇÕES CONSCIENTES E DESVIOS NUTRICIONAIS NA INFÂNCIA   O FOME ZERO E O CONSUMO CONSCIENTE INSTITUTO AKATU São Paulo, 29 de...
PROBABILIDADE DE SE TORNAR UM ADULTO OBESO SEGUNDO DIFERENTES RISCOS NA INFÂNCIA % Obesidade no Adulto EPSTEIN ET.AL 1985/...
ANOS POTENCIAIS DE VIDA SAUDÁVEL PERDIDOS (APVSP) QUE PODERIAM SER EVITADOS COM MUDANÇAS NOS ESTILOS DE VIDA. MASON 1998
CUSTOS DA OBESIDADE NOS EEUU Por outro lado, as empresas que comercializam alimentos industrializados, gastam  10 bilhões ...
OBESIDADE, SEDENTARISMO CLASSE SOCIAL <ul><li>Os mais pobres e menos informados apresentam piores hábitos alimentares e de...
OBESIDADE, SEDENTARISMO E MORBI-MORTALIDADE  <ul><li>A crescente onda de doenças crônicas  deve acometer de forma intensa ...
CUSTOS DA OBESIDADE PARA O SUS <ul><li>R$1,2 bilhão gastos anualmente no Sistema Único de Saúde, podem ser atribuídos ao s...
SUSCEPTIBILIDADE DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES A NOVOS PRODUTOS <ul><li>Empresas produtoras de guloseimas, assim como as prod...
NORMATIZAÇÃO DA MÍDIA <ul><li>Na Bélgica e Noruega estão proibidas propagandas de alimentos dirigidos a menores de 12 anos...
“ As evidências de que obesidade infantil é prevenível ou tratável são de nível 4 -  opinião de especialistas REILLY (2002...
Impacto de 45 aulas de educação nutricional e de estímulo a atividade física entre 437 escolares da rede pública de Vila M...
Estimativas de obesidade (em milhões) entre crianças e adolescentes brasileiros Estimativas populacionais da IBGE 2000.  P...
Estimativas (em milhares) de crianças e adolescentes obesos brasileiros que procurarão atendimento, que deixarão de ser ob...
AÇÕES CONSCIENTES  <ul><li>Áreas urbanas: </li></ul><ul><ul><li>Criar mais espaços para pedestres </li></ul></ul><ul><ul><...
<ul><li>Legislação: </li></ul><ul><ul><li>Rotulagem de produtos alimentícios  (valor energético, composição) </li></ul></u...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

AçõEs Conscientes E Desvios Nutricionais Na Infancia

1,139

Published on

ações

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,139
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

AçõEs Conscientes E Desvios Nutricionais Na Infancia

  1. 1. AÇÕES CONSCIENTES E DESVIOS NUTRICIONAIS NA INFÂNCIA O FOME ZERO E O CONSUMO CONSCIENTE INSTITUTO AKATU São Paulo, 29 de agosto de 2003 I - TRANSIÇÃO NUTRICIONAL II - AÇÕES CONSCIENTES NO CONTROLE DOS DESVIOS NUTRICIONAIS ASSOCIADOS AO CONSUMO INSUFICIENTE DE ALIMENTOS III - AÇÕES CONSCIENTES NO CONTROLE DOS DESVIOS NUTRICIONAIS ASSOCIADOS AO CONSUMO EXCESSIVO DE ALIMENTOS JOSÉ A A C TADDEI DISCIPLINA DE NUTRIÇÃO E METABOLISMO DEPARTAMENTO DE PEDIATRIA
  2. 2. TRANSIÇÃO NUTRICIONAL E INCLUSÃO SOCIAL <ul><li>A transição nutricional faz parte de uma série de transições inter-relacionadas em tecnologia, economia, demografia e saúde, que juntas ajudaram a definir o desenvolvimento industrial no século vinte. </li></ul><ul><li>No Brasil, que encontra-se em estágio intermediário dessa transição, a população incluída no mercado de consumo apresenta doenças associadas aos excessos alimentares enquanto que, os ainda excluídos desse mercado, continuam a apresentar doenças devidas a ingestão insuficiente de alimentos . </li></ul>
  3. 3. TRANSIÇÃO NUTRICIONAL E URBANIZAÇÃO <ul><li>A urbanização e a industrialização promovem mudanças importantes nos hábitos e costumes da população que levam à obesidade e ao sobrepeso. </li></ul><ul><li>Assistir televisão e jogar videogames, associados à disponibilidade de veículos, elevadores e eletrodomésticos, promovem sedentarismo e associam-se a maior consumo de alimentos de preparo mais fácil e rápido. </li></ul>
  4. 4. TRANSIÇÃO NUTRICIONAL E ACESSO AOS ALIMENTOS <ul><li>As indústrias de alimentos crescem para satisfazer tal demanda, moldando-a aos seus interesses comerciais, oferecendo alimentos mais saborosos, com maiores conteúdos de gordura, sal, açúcar e pouca fibra. </li></ul><ul><li>Por outro lado, em economias emergentes com distribuição desigual de bens e serviços, importante contigente populacional não tem acesso a alimentos em quantidade e qualidade suficientes para manter a saúde </li></ul>
  5. 5. CONSUMO DEFICIENTE / EXCESSIVO DE ALIMENTOS E DOENÇAS ASSOCIADAS <ul><li>Indivíduos com distúrbios nutricionais, tanto por falta como por excesso alimentar, são mais susceptíveis a doenças. Ambos apresentam redução nas suas expectativas de vida. </li></ul><ul><li>Desnutrição energético-protéica, falta de vitaminas e minerais promovem problemas de saúde preponderantemente na infância, excessos alimentares se fazem sentir mais intensamente na maturidade. </li></ul>
  6. 6. Milhões de crianças brasileiras menores de 5 anos MILHÕES DE CRIANÇAS BRASILEIRAS MENORES DE CINCO ANOS COM DISTÚRBIOS NUTRICIONAIS
  7. 8. AÇÕES CONSCIENTES E DESVIOS NUTRICIONAIS NA INFÂNCIA O FOME ZERO E O CONSUMO CONSCIENTE INSTITUTO AKATU São Paulo, 29 de agosto de 2003 I - TRANSIÇÃO NUTRICIONAL II - AÇÕES CONSCIENTES NO CONTROLE DOS DESVIOS NUTRICIONAIS ASSOCIADOS AO CONSUMO INSUFICIENTE DE ALIMENTOS III - AÇÕES CONSCIENTES NO CONTROLE DOS DESVIOS NUTRICIONAIS ASSOCIADOS AO CONSUMO EXCESSIVO DE ALIMENTOS
  8. 9. UTILIZAÇÃO CONSCIENTE DOS RECURSOS CUSTOS DE DIFERENTES INTERVENÇÕES NUTRICIONAIS (US$/CRIANÇA/ANO)
  9. 10. GERENCIAMENTO CONSCIENTE DOS RECURSOS PERVERSÕES E IMPERFEIÇÕES DOS PROGRAMAS DE PROMOÇÃO NUTRICIONAL DIRIGIDOS ÀS CRIANÇAS - Brasil 1975-2002 <ul><li>Os recursos dos programas acabam sendo utilizados pelas elites federais, estaduais e municipais para aumentar seus ganhos financeiros ou influência política. Os objetivos principais, controlar os distúrbios nutricionais, ficam relegados a segundo plano. </li></ul><ul><li>Inexistência de recursos para: </li></ul><ul><ul><li>treinamento de recursos humanos, </li></ul></ul><ul><ul><li>atividades de avaliação e supervisão continuadas . </li></ul></ul>
  10. 11. UTILIZAÇÃO CONSCIENTE DOS BENEFÍCIOS <ul><li>Os gerentes e corpo técnico responsável pela operacionalização devem se conscientizar de que trata-se de atividade que utiliza recursos da população brasileira para diminuir injustiças e sofrimento humano. </li></ul><ul><li>Devem conhecer e repassar para os beneficiários : </li></ul><ul><ul><li>os objetivos do programa </li></ul></ul><ul><ul><li>a população alvo a ser atendida </li></ul></ul><ul><ul><li>os detalhes operacionais referentes ao armazenamento, distribuição e forma de utilização dos alimentos/medicamentos. </li></ul></ul>
  11. 12. UTILIZAÇÃO CONSCIENTE DOS BENEFÍCIOS <ul><li>Os beneficiários devem ser devidamente informados sobre a proposta e objetivos do programa para que: </li></ul><ul><ul><li>Se sintam parte do esforço da sociedade para diminuir as injustiças e sofrimentos associados à fome e desnutrição, </li></ul></ul><ul><ul><li>Evitem perdas ou contaminação dos alimentos, </li></ul></ul><ul><ul><li>Evitem diluição dos alimentos entre membros da família que não fazem parte do grupo alvo, </li></ul></ul><ul><ul><li>Não redirecionem recursos da família destinados à produção ou compra de alimentos para outros fins, o que diminuiria os efeitos esperados do programa, </li></ul></ul><ul><ul><li>Participem das ações de educação nutricional e de promoção da saúde integradas ao programa. </li></ul></ul>
  12. 13. AÇÕES CONSCIENTES E DESVIOS NUTRICIONAIS NA INFÂNCIA O FOME ZERO E O CONSUMO CONSCIENTE INSTITUTO AKATU São Paulo, 29 de agosto de 2003 I - TRANSIÇÃO NUTRICIONAL II - AÇÕES CONSCIENTES NO CONTROLE DOS DESVIOS NUTRICIONAIS ASSOCIADOS AO CONSUMO INSUFICIENTE DE ALIMENTOS III - AÇÕES CONSCIENTES NO CONTROLE DOS DESVIOS NUTRICIONAIS ASSOCIADOS AO CONSUMO EXCESSIVO DE ALIMENTOS
  13. 14. PROBABILIDADE DE SE TORNAR UM ADULTO OBESO SEGUNDO DIFERENTES RISCOS NA INFÂNCIA % Obesidade no Adulto EPSTEIN ET.AL 1985/INAN-PNSN-1989
  14. 15. ANOS POTENCIAIS DE VIDA SAUDÁVEL PERDIDOS (APVSP) QUE PODERIAM SER EVITADOS COM MUDANÇAS NOS ESTILOS DE VIDA. MASON 1998
  15. 16. CUSTOS DA OBESIDADE NOS EEUU Por outro lado, as empresas que comercializam alimentos industrializados, gastam 10 bilhões de dólares/ano para promover aumento do consumo
  16. 17. OBESIDADE, SEDENTARISMO CLASSE SOCIAL <ul><li>Os mais pobres e menos informados apresentam piores hábitos alimentares e de atividade física. </li></ul><ul><li>Nos Estados Unidos os hispânicos e africanos tem taxas de obesidade 50% maior que as dos brancos. </li></ul><ul><li>Os melhores hábitos irão se espalhar das elites para toda sociedade ou a obesidade se tornará mais uma doença dos pobres em todo mundo? </li></ul>
  17. 18. OBESIDADE, SEDENTARISMO E MORBI-MORTALIDADE <ul><li>A crescente onda de doenças crônicas deve acometer de forma intensa as populações em desenvolvimento nas próximas décadas. </li></ul><ul><li>O número de diabéticos no mundo deve duplicar em 2025 atingindo 300 milhões de indivíduos, 75% desse crescimento ocorrendo em países em desenvolvimento. </li></ul><ul><li>Nos países desenvolvidos a mortalidade proporcional por câncer deve se manter estável, em torno de 18%. Tais taxas devem duplicar nos países em desenvolvimento, atingindo 14% em 2015 . </li></ul>
  18. 19. CUSTOS DA OBESIDADE PARA O SUS <ul><li>R$1,2 bilhão gastos anualmente no Sistema Único de Saúde, podem ser atribuídos ao sobrepeso e obesidade que aumentam consumo de medicamentos, procedimentos diagnósticos e internações por: </li></ul><ul><ul><li>obesidade mórbida </li></ul></ul><ul><ul><li>hipertensão </li></ul></ul><ul><ul><li>acidente vascular cerebral </li></ul></ul><ul><ul><li>infarto do miocardio </li></ul></ul><ul><ul><li>diabetes </li></ul></ul><ul><ul><li>cancer de colon </li></ul></ul><ul><ul><li>colelitíase Sichieri, Vianna & Coutinho 2003 </li></ul></ul>
  19. 20. SUSCEPTIBILIDADE DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES A NOVOS PRODUTOS <ul><li>Empresas produtoras de guloseimas, assim como as produtoras </li></ul><ul><li>de cigarros, focalizam seus esforços de divulgação nos jovens e crianças. </li></ul><ul><li>Além de receptivos para novos produtos, esses indivíduos estão </li></ul><ul><li>formando seus padrões de consumo, e, uma vez conquistados, </li></ul><ul><li>se transformam em consumidores pelo resto de suas vidas. </li></ul><ul><li>Acesso nunca visto a alimentos saborosos, de alto valor </li></ul><ul><li>calórico e que são intensamente promovidos por </li></ul><ul><li>campanhas que os associam à beleza, ao prazer e à felicidade. </li></ul>
  20. 21. NORMATIZAÇÃO DA MÍDIA <ul><li>Na Bélgica e Noruega estão proibidas propagandas de alimentos dirigidos a menores de 12 anos. </li></ul><ul><li>No Brasil existem: </li></ul><ul><ul><li>um projeto em tramitação no Senado que restringe a propaganda de alimentos, </li></ul></ul><ul><ul><li>uma ação do Ministério Público do Estado que pede a proibição da propaganda de refrigerantes em programas e publicações voltadas ao público infantil, </li></ul></ul><ul><ul><li>leis municipais que proíbem a comercialização de alimentos obesogênicos nas escolas. </li></ul></ul>
  21. 22. “ As evidências de que obesidade infantil é prevenível ou tratável são de nível 4 - opinião de especialistas REILLY (2002) - REVISÃO SISTEMÁTICA CRIANÇAS OBESAS QUE VOLTARAM AO PESO NORMAL E PERMANECEM DESTE MODO NA IDADE ADULTA COORTES % HAASE-HOSENFEL (1956) 20 MOLLINS (1957) 25 LLOYD (1961) 20 LODI (1970) 18 HAMANAR (1971) 28 BONNET (1974) 15
  22. 23. Impacto de 45 aulas de educação nutricional e de estímulo a atividade física entre 437 escolares da rede pública de Vila Mariana - São Paulo 2000 Taddei, Bracco & Colugnati 2001 Gasto Energético em Kcal medidas pelo SOFIT Guloseimas - mais que duas ao dia por quatro ou mais dias na semana Obesidade - prevalência % ZPE>2
  23. 24. Estimativas de obesidade (em milhões) entre crianças e adolescentes brasileiros Estimativas populacionais da IBGE 2000. Prevalências estimadas de obesidade de 10% para os três grupamentos etários.
  24. 25. Estimativas (em milhares) de crianças e adolescentes obesos brasileiros que procurarão atendimento, que deixarão de ser obesos na idade adulta e que permanecerão obesos na idade adulta. 20% procurarão atendimento 4% deixarão de ser obesos na idade adulta OBESOS Permanecerão obesos na idade adulta
  25. 26. AÇÕES CONSCIENTES <ul><li>Áreas urbanas: </li></ul><ul><ul><li>Criar mais espaços para pedestres </li></ul></ul><ul><ul><li>Ciclovias seguras </li></ul></ul><ul><ul><li> Utilização de carros </li></ul></ul><ul><ul><li>Centros recreativos e parques </li></ul></ul><ul><ul><li>(  atividade física, práticas esportivas) </li></ul></ul><ul><li>Envolvimento toda sociedade (família, escola, órgãos governamentais, mídia, indústria de alimentos, empresas em geral) </li></ul><ul><li>Modificar o ambiente “patológico” que favorece instalação da obesidade em indivíduos geneticamente predispostos </li></ul>
  26. 27. <ul><li>Legislação: </li></ul><ul><ul><li>Rotulagem de produtos alimentícios (valor energético, composição) </li></ul></ul><ul><ul><li>Limitar propaganda de alimentos nos horários de programação infantil na tv </li></ul></ul><ul><ul><li>Subsídios para produtos com baixa densidade energética </li></ul></ul><ul><li>Mídia: </li></ul><ul><ul><li>Programas educativos para promoção estilo de vida saudável </li></ul></ul><ul><li>Serviços de Saúde, Escolas, Serviços Públicos, Empresas : </li></ul><ul><ul><li>Programas de monitoramento do peso visando ações de prevenção da obesidade a partir da orientação nutricional e do estímulo a atividade física </li></ul></ul>AÇÕES CONSCIENTES
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×