Apresentação Final
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Apresentação Final

on

  • 7,346 views

PETIC = ITCSP

PETIC = ITCSP

Statistics

Views

Total Views
7,346
Views on SlideShare
7,069
Embed Views
277

Actions

Likes
2
Downloads
150
Comments
0

6 Embeds 277

http://tesi-petic.blogspot.com.br 172
http://tesi-petic.blogspot.com 68
http://www.slideshare.net 24
http://tesi-petic.blogspot.pt 11
http://www.blogger.com 1
http://tesi-petic.blogspot.com.es 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Apresentação Final Apresentação Final Presentation Transcript

  • Universidade Federal de Sergipe Departamento de Ciência da Computação Estudo de Metodologias para suportar o Planejamento Estratégico de TIC em Organizações Disciplina: Tópicos Especiais em Sistemas da Informação Professor: Rogério P. Chagas do Nascimento Equipe: Daniela Santos Cruz Kharylim M. Sea Letícia Gindri Thadeu Rodrigues
  • AGENDA
    • Motivação
    • O que é o PETIC?
    • O Modelo Balanced Scorecard
    • Estudo de Caso Relativo ao BSC
    • CobiT
    • CobiT aplicado ao CPD da UFS
    • Vantagens e Desvantagens
    • Tendências e Metodologias
    • Referências
  • MOTIVAÇÃO
    • “ Empreendedores e gerentes de negócios estão constantemente muito preocupados com problemas imediatos e terminam desviando o foco dos seus objetivos finais. É por isso que uma revisão do negócio ou a elaboração de um plano estratégico é uma necessidade virtual. Elas podem não ser uma receita para o sucesso, mas sem elas um negócio ficará muito mais propenso a dar errado.”
  • O QUE É O PETIC?
    • TESI 2008.1
    • PETI – Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação
    • REZENDE, Denis Alcides. Planejamento de Sistemas de Informação e Informática. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2003.
  • O QUE É O PETIC?
    • O PETI é a evolução unificada do:
      • Plano Diretor de Sistemas de Informação (PDSI)
      • Plano Diretor de Sistemas de Informação e Tecnologia da Informação (PSITI)
      • Planejamento Estratégico de Informações e Conhecimentos (PEIC) .
  • O QUE É O PETIC?
    • O PETI é um conjunto de ferramentas e técnicas que são alinhadas ao Planejamento Estratégico da Organização (PEO) e às estratégias de negócio
    • Possibilitam a definição de estratégias de ação para identificar os “Modelos de Informações Empresariais” e os “Mapas de Conhecimento” necessários à gestão de toda a organização.
  • O QUE É O PETIC?
    • PETI + Comunicação = PETIC
  • O QUE É O PETIC?
    • “ ...definição mais detalhada do que serão as futuras necessidades de informação e comunicação da organização, e quais as tecnologias (infra-estrutura, hardware e software), dados, aplicações e recursos humanos que irão apoiar eficiente e eficazmente o desenvolvimento do negócio."
  • PETIC X SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
    • Qual o impacto que a informação pode ter no sucesso da organização?
    • Vantagem competitiva
    • É importante alinhar a estratégia de TIC à estratégia organizacional?
  • O MODELO BALANCED SCORECARD BSC
  • O MODELO BALANCED SCORECARD
    • Componentes do BSC
      • Alinhamento Estratégico : Todos os membros da organização compartilham da mesma visão e compreendem a importância da sua função para ajudar a empresa a alcançar seus objetivos
      • Mapa Estratégico : Descreve a estratégia da empresa através dos objetivos e dos relacionamentos entre eles
      • Objetivos Estratégico : O que deve ser alcançado e o que é crítico para o sucesso da empresa
      • Indicador Estratégico : Como será medido e acompanhado o sucesso do alcance do objetivo
      • Meta : O nível de desempenho ou taxa de melhoria necessário
  • O MODELO BALANCED SCORECARD
    • Metodologia desenvolvida por dois professores da Harvard Business School, em 1992
    • O termo “Indicadores balanceados” (tradução) deve-se ao fato de serem escolhidos diferentes indicadores de uma organização, não ficando apenas restrito ao foco econômico-financeiro.
    • Alguns indicadores: desempenho de mercado junto aos clientes, desempenhos dos processos internos, inovação e tecnologia, etc
  • O MODELO BALANCED SCORECARD
    • O BSC pode ser definido como uma metodologia que busca balancear e integrar a visão e a estratégia da organização
    • Um Mapa Estratégico pode ser elaborado, coerente com objetivos estratégicos, indicadores, metas e iniciativas e organizado em diferentes perspectivas:
      • Financeira
      • Cliente
      • Processos Internos e
      • Aprendizado e Crescimento
  • O MODELO BALANCED SCORECARD
  • O MODELO BALANCED SCORECARD
    • Alinhamento do planejamento estratégico com as ações operacionais da empresa:
      • Esclarecer e traduzir a visão e a estratégia
      • Comunicar e associar objetivos e medidas estratégicas
      • Planejar, estabelecer metas e alinhar iniciativas estratégicas
      • Melhorar o feedback e o aprendizado estratégico
  • O MODELO BALANCED SCORECARD
    • Etapas de modelagem do BSC:
      • Arquitetura do programa de medição
      • Inter-relacionamento de objetivos estratégicos
      • Escolha e elaboração dos indicadores
      • Elaboração do plano de implementação
  • O MODELO BALANCED SCORECARD
    • Organizações no Brasil que utilizam o BSC
    • Aracruz
    • BNDES
    • Brasil Telecom
    • Grupo Gerdau
    • Eletrosul
    • HSBC
    • Petrobras
    • Braskem
    • CST
    • Vivo
    • Phillips
    • SAP
    • SENAI
    • Shell
    • Siemens
    • Sul America
    • Unibanco
    • Visanet
    • Votorantim Papel e Celulose
    • Prefeitura de Porto Alegre
    • MAM – SP
    • Pepsico
    • Rapidão Cometa
    • Grupo ACCOR
    • Exército Brasileiro
    • SERASA
  • ESTUDO DE CASO RELATIVO AO BSC: GESTÃO ESTRATÉGICA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO: RESULTADOS DE PESQUISA EMPÍRICA NA PETROBRÁS
  • ESTUDO DE CASO RELATIVO AO BSC
    • Indícios relevantes da falta de alinhamento estratégico:
      • Investimentos realizados em TIC não agregavam valor à estratégia da organização
      • Iniciativas de TIC implementadas sem que existisse um vínculo com alguma iniciativa estratégica
      • Dificuldades na aprovação de orçamento para as iniciativas de TIC
  • ESTUDO DE CASO RELATIVO AO BSC
    • A estratégia de TIC é alinhada à estratégia de negócios das unidades de refino da Petrobrás?
    • As ações de TIC promovem de forma contínua o alinhamento estratégico?
    • Quais são os fatores que intervém – facilitando ou inibindo – no alinhamento estratégico de TIC nessas unidades?
  • ESTUDO DE CASO RELATIVO AO BSC
    • Metodologia
      • Uma pesquisa empírica com Gerentes de TIC e de Planejamento Estratégico
      • Questionário com questões objetivas
      • Os dados levantados foram tratados por meio de técnicas estatísticas simples (Distribuição de Freqüência)
  • ESTUDO DE CASO RELATIVO AO BSC
    • Resultados
        • A estratégia de TIC não existia, ou era irrelevante
        • O foco da TIC era tido como reativo
        • Não existia nenhum PETI formalizado na organização e nem documentação referente aos objetivos estratégicos da organização em ações de TIC
        • Não havia total compreensão, por parte dos gerentes, dos objetivos organizacionais
  • ESTUDO DE CASO RELATIVO AO BSC
    • Após pesquisa na literatura, a equipe optou pela metodologia do BSC:
      • Possibilidade de se traduzir a missão e a estratégia da empresa, em termos operacionais, garantindo o alinhamento entre as Iniciativas, os Objetivos, Indicadores e Metas;
      • Estruturação de um processo integrado de gestão, que permite comunicar as estratégias da empresa através de todos os níveis organizacionais;
      • Esforço gerencial focado no longo prazo, nos clientes, nos empregados, no desenvolvimento de novos produtos, negócios ou sistemas, ao invés de gerenciar apenas resultados financeiros imediatos com o objetivo de produzir ganhos no curto prazo.
  • ESTUDO DE CASO RELATIVO AO BSC
    • Com base nas iniciativas estratégicas, a equipe elaborou um Mapa Estratégico para a Petrobrás, contemplando os Objetivos Estratégicos e os Indicadores de Desempenho, segundo as quatro perspectivas definidas pelo BSC:
      • Econômico-Financeira;
      • Mercado (Cliente);
      • Processos Internos; e
      • Aprendizado e Crescimento.
  •  
  • COBIT Common Objectives for Information and Related Technology
  • CobiT - COMMON OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY
    • Guia para Gestão de TI recomendado pelo ISACA ( Information System Audit and Control Association ).
    • Primeira publicação em 1996.
    • COBIT 4.1: coordenada pelo IT Governance Institute .
      • Entidade de padronização que estabelece métodos documentados para nortear a área de tecnologia das empresas, incluindo qualidade de software, níveis de maturidade, e segurança da informação.
  • CobiT - COMMON OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY
    • Prover boas práticas através de domínios e processos de trabalho, e apresentar atividades de gerenciamento da estrutura de TIC.
      • Otimiza investimentos,
      • Assegura a entrega do serviço, e
      • Define métricas para avaliação do serviço de TIC.
  • CobiT - COMMON OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY
    • O COBIT subdivide a área de TIC em 04 domínios:
    • Planejamento e Organização
    • Aquisição e Implementação
    • Entrega e Suporte
    • Monitoração e Avaliação
    • Cada domínio possui processos associados (34 processos no total).
  • CobiT - COMMON OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY
  • COBIT APLICADO AO CPD DA UFS
    • Cenário atual da UFS na área de Dados:
      • Redundância e inconsistência de dados.
      • Os sistemas não foram projetados de forma integrada, sendo assim, para cada necessidade local, foram desenvolvidas ou compradas soluções locais.
      • Diferentes soluções, geralmente, têm suas bases de dados, e essa falha na modelagem de dados gera problemas, como desconfiança na integridade dos dados, retrabalho, redundância, etc.
  • COBIT APLICADO AO CPD DA UFS
    • Cenário atual da UFS na área de Dados (cont.):
      • A tendência é aumentar a inconsistência, já que novos cursos serão criados e aumentarão o número de alunos na instituição.
      • Não só os dados e a sua geração na base de dados está deficiente, mas também a maneira como ele é obtido. Não existe uma cultura de geração de atas de reuniões e levantamento de dados.
  • COBIT APLICADO AO CPD DA UFS
    • O CobiT está dividido em 4 domínios:
      • Planejamento e Organização
      • Aquisição e implementação
      • Entrega e suporte
      • Monitoração
  • COBIT APLICADO AO CPD DA UFS
      • Entrega e suporte (pr0cessos):
      • Define e mantém os acordos de níveis de serviços (SLA)
      • Gerencia os serviços de terceiros
      • Gerencia a performance e capacidade do ambiente
      • Assegura a continuidade dos serviços
      • Assegura a segurança dos serviços
      • Identifica e aloca custos
      • Treina os usuários
      • Assiste e aconselha os usuários
      • Gerencia a configuração
      • Gerencia os problemas e incidentes
      • Gerencia os dados
      • Gerencia a infra-estrutura
      • Gerencia as operações
  • COBIT APLICADO AO CPD DA UFS
    • Identificação de requisitos de dados.
    • Inclui também a criação de procedimentos eficazes para gerir os dados
  • COBIT APLICADO AO CPD DA UFS
    • DS11.1 Requisitos do negócio para Gerenciamento de Dados
      • Verificar se todos os dados a serem processados foram recebidos e processados totalmente, precisamente e no tempo previsto e se todas as saídas foram entregues de acordo com os requisitos do negócio.
    • DS11.2 Planejamento de Armazenamento e de Retenção
      • Armazenamento de dados eficaz e eficiente, retenção e arquivamento para conhecer os objetivos do negócio e a política de segurança da organização
  • COBIT APLICADO AO CPD DA UFS
    • DS11.3 Sistema de Gerenciamento de mídias de Biblioteca
    • DS11.4 Desalocação
    • DS11.5 Backup e Restauração
      • Backup e restauração de sistemas, aplicações, dados e documentação de acordo com os requisitos do negócio e a continuidade do plano
    • DS11.6 Security Requirements for Data Management
  • VANTAGENS E DESVANTAGENS
  • VANTAGENS E DESVANTAGENS
    • Planejamentos estratégicos são específicos!
    • Problemática: aplicar um determinado modelo de ‘PETIC’ é válido?
    • Pontos positivos
      • Metodologias são reconhecidas e aplicadas internacionalmente. BSC, CobiT
  • VANTAGENS E DESVANTAGENS
    • Diferentes requisitos de informação a serem mapeados e identificados em diferentes organizações.
      • Não teremos certeza de que vamos evitar um crescimento desestruturado, bem como fora de foco, da organização.
    • Selecionar uma metodologia não é o bastante!
  • VANTAGENS E DESVANTAGENS
    • Primeiramente, um gestor da informação deve analisar as linhas de desenvolvimento dos sistemas de informação e de tecnologias da informação e comunicação de sua organização.
    • Após esta análise, definir metas – objetivos – de acordo com a política de gestão de TIC da organização.
    • A organização poderá alcançar o que chamamos de “finalidade maior” que é a arquitetura da informação: mapeamento e identificação de requisitos básicos de informação.
  • VANTAGENS E DESVANTAGENS
    • O plano de implementação é gerado!
      • Tarefas, recursos, resultados/produtos são definidos.
      • O gestor deve prever as necessidades da organização, a longo prazo, tendo em vista o orçamento destinado para o crescimento e mudança da organização.
      • Em seguida, a identificação das TIC e a gestão de sistemas de informação são importantes para a adaptação da estrutura atual e modificação com a inserção de TIC.
  • VANTAGENS E DESVANTAGENS
    • O plano de implementação é gerado!
      • Tarefas, recursos, resultados/produtos são definidos.
      • O gestor deve prever as necessidades da organização, a longo prazo, tendo em vista o orçamento destinado para o crescimento e mudança da organização.
      • Em seguida, a identificação das TIC e a gestão de sistemas de informação são importantes para a adaptação da estrutura atual e modificação com a inserção de TIC.
  • VANTAGENS E DESVANTAGENS
    • A elaboração de um PETIC evita o surgimento de:
      • Mudanças de prioridades na organização,
      • Alocação inapropriada de recursos e
      • Sistemas de informação que causam problemas.
    • Caso contrário, um PETIC superficial, mesmo atacando todos os pontos necessários de mudanças na estrutura da organização, não são eficientes uma vez que não é específico o bastante para uma verdadeira mudança e crescimento .
  • TENDÊNCIAS E METODOLOGIAS
  • TENDÊNCIAS E METODOLOGIAS
    • A função de TIC em uma empresa possui diversas características e propriedades. Uma das propriedades mais pesquisadas é o seu alinhamento à estratégia de negócios da empresa.
    • Mais recentemente, as organizações têm buscado avaliar a maturidade da função de TIC de modo a identificar qual o seu desempenho, como ele é comparado ao das outras organizações e qual a meta para melhoria.Na pesquisa em questão, decidiu-se focar nas seguintes propriedades de TIC:
  • TENDÊNCIAS E METODOLOGIAS
    • Propriedade de TIC
    • Maturidade : Grau de evolução ou competência dos elementos de TIC.
    • Complexidade : Medida em que cada elemento de TIC possui sub-elementos e variações, necessárias às suas atividades.
    • Flexibilidade : Capacidade de reação dos elementos de TIC a novas necessidades da empresa.
    • Alinhamento : Grau de coerência interna e convergência dos elementos de TIC à estratégia de negócios da empresa.
  • TENDÊNCIAS E METODOLOGIAS
    • O Cobit, sigla para Control Objectives for Information and Related Technology, surgiu em 1996, mas só ganhou uma certificação — a Cobit Foundation — há cerca de três anos. Atualmente está na versão 4.1.
    • Opções para os novatos
    • Como chegar lá
  • TENDÊNCIAS E METODOLOGIAS
  • TENDÊNCIAS E METODOLOGIAS
    • Os profissionais de governança de TI estão ansiosos para a estréia de um novo framework: o CGEIT (Certified in the Governance of Enterprise I).
    • Esta voltada para a área de segurança. A primeira prova está prevista para dezembro de 2008.
    • O CGEIT tem foco em níveis gerenciais e exige cinco anos de experiência do profissional, com pelo menos um ano dedicado a um outro framework de governança de TI.
    • CobiT OnLine(destaque – maio de 2007)
    • CobiT - Acesso aos materiais - US$ 200 for members e US $400 for nonmembers.
  • REFERÊNCIAS
    • REZENDE, Denis Alcides. Planejamento de Sistemas de Informação e Informática. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2003.
    • BRODBECK, A. F.  AUDY, J. L. N. . Sistemas de Informação - Planejamento e Alinhamento Estratégico nas Organizações. Porto Alegre: Bookman, 2003. v. 1. 160 p. REZENDE, D. A. ABREU, A. F. . Planejamento Estratégico da Tecnologia de Informação alinhado ao Planejamento Estratégico de Empresas.. RAM. Revista de administração Mackenzie, São Paulo, v. 3, n. 2, p. 39-52, 2002.
    • FAGUNDES, E. M. COBIT - Um kit de ferramentas para a excelência na gestão de TI. http://www.efagundes.com/Artigos/Arquivos_pdf/cobit.pdf  Último acesso em 20/11/2008. VILLAS,M.V.; SOARES, T. Diana L.v.A.M.; FONSECA, M.V.M.; Gestão Estratégica da Tecnologia de Informação e Comunicação: Resultados de Pesquisa Empírica na Petrobras; Encontro de Estudos em Estratégia-3Es, 2005.
  • REFERÊNCIAS
    • KALLÁS, D. RIBEIRO, F. Balanced Scorecard (BSC) – Conceitos Gerais. Disponível em: http://www.kcd.com.br/arquivos_site/artigos/bsc_conceitos_gerais_2008.pdf
    • COLLETTI, J. Balanced Scorecard. http://jccolletti.blog.uol.com.br/images/747px-BSC.png . Último acesso em: 08 de Dezembro de 2008.   precisa colocar referencia da figura? ALBUQUERQUE, F. Comunicação e Alinhamento Estratégico. http://www.hsm.com.br/editorias/estrategia/Comunicacao_Alinhamento_Estrategico.php . Último acesso em: 08 de Dezembro de 2008. JERONIMO, C.P. RAMOS, N.M. MOURA, J.M. Uma análise da implementação do BSC na Petrobras. Revista Cadernos de Administração, nº. 01 Jan./Jun. 2008.
    • FERRARI, Bruno. A Força do CobiT. Disponível em: http://info.abril.com.br/professional/carreira/a-forca-do-cobit.shtml