Sessao 4   Teresa Semedo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Sessao 4 Teresa Semedo

on

  • 576 views

 

Statistics

Views

Total Views
576
Views on SlideShare
576
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Sessao 4 Teresa Semedo Presentation Transcript

  • 1. SESSÃO 4: MODELO DE AUTOVALIÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR PLANOP PLANO DE AVALIAÇÃO O MODELO DE AUTOAVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES: metodologias de operacionalização (Parte I) 1. MOMENTOS DO PLANO DE AVALIAÇÃO 1.1 CONSTITUIÇÃO DE UMA EQUIPA RESPONSÁVEL PELA APLICAÇÃO DO MODELO DE AUTOAVALIAÇÃO DA BE: Esta equipa incluirá o professor bibliotecário, a equipa educativa da BE, dois ou três elementos do Conselho Pedagógico de acordo com os níveis de ensino da escola/agrupamento, o Director ou adjunto da direcção a quem o director delegue tais funções. 1.2 - DOMINIO SELECCIONADO E INDICADORES A AVALIAR: DOMINIO SELECCIONADO INDICADORES 1 PROCESSO B1 – Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura na escola/agrupamento. B – Leitura e literacias IMPACTO B3 – Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e das literacias. Maria Teresa Semedo Novembro 2009
  • 2. SESSÃO 4: MODELO DE AUTOVALIÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR PLANOP PLANO DE AVALIAÇÃO 1.3. ASPECTOS A AVALIAR EM CADA INDICADOR, MÉTODOS A UTILIZAR INSTRUMENTOS A APLICAR INDICADOR DE FACTORES CRITICOS DE SUCESSO O QUE PRETENDEMOS AVALIAR INSTRUMENTOS/MÉDTODOS DE PROCESSO RECOLHA DE EVIDÊNCIAS A BE disponibiliza uma colecção variada e adequada A colecção que a BE disponibiliza é UTILIZAÇÃO DE METODOS aos gostos, interesses e necessidades dos utilizadores. variada e adequada aos gostos e QUALITATIVOS E A BE identifica novos públicos e adequa a colecção e interesses de informação dos QUANTITATIVOS: as práticas às necessidades desses públicos (CEF, EFA, utilizadores? Plano anual de actividades CNO, outros). A BE desenvolve um trabalho da escola/agrupamento. A BE identifica problemáticas e dificuldades neste sistemático de promoção da Plano anual de actividades domínio e delineia acções e programas que melhorem leitura? as situações identificadas. O trabalho desenvolvido na da BE. A BE promove acções formativas que ajudem a promoção da leitura envolve todas Registos de opiniões de desenvolver as competências na área da leitura. as turmas da Escola/agrupamento? avaliação das actividades. A BE incentiva o empréstimo domiciliário. O trabalho de promoção da leitura, Memorandos das B1 A BE está informada relativamente às linhas de envolve os alunos dos CEF, EFA, reuniões com 2 orientação e actividades propostas pelo PNL e CNO e/ou outros? Departamentos, Trabalho da BE ao desenvolve as acções implicadas na sua A BE organiza actividades diversas Directores de turma, serviço da promoção implementação. com o objectivo de promover o Coordenador de Projectos da leitura na A BE incentiva a leitura informativa, articulando com gosto pela leitura? da escola/agrupamento, escola/agrupamento. os departamentos curriculares no desenvolvimento A BE promove o diálogo informal Coordenador do CNO. de actividades de ensino e aprendizagem ou em com as crianças e os jovens Projectos elaborados no projectos e acções que incentivem a leitura. utilizadores da BE, incentivando-os A BE desenvolve, de forma sistemática, actividades no à leitura? âmbito do PNL. âmbito da promoção da leitura: sessões e clubes de A BE promove o diálogo informal Estatísticas de requisição, leitura, fóruns, blogs ou outras actividades que com os alunos dos CEF, EFA, CNO circulação na escola/ associem formas de leitura, de escrita ou de e/ou outros novos públicos da agrupamento e uso de comunicação em diferentes ambientes e suportes. escola/agrupamento? recursos relacionados com A BE promove encontros com escritores ou outros As actividades de leitura em voz a leitura. eventos culturais que aproximem os alunos dos livros alta, de leitura partilhada ou Estatísticas de utilização ou de outros materiais/ambientes e incentivem o animações promovidas pela BE informal da BE. Maria Teresa Semedo Novembro 2009
  • 3. SESSÃO 4: MODELO DE AUTOVALIÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR PLANOP PLANO DE AVALIAÇÃO gosto pela leitura. estão a cativar as crianças e os Estatísticas de utilização A BE incentiva a leitura em ambientes digitais jovens, induzindo-as à leitura? da BE para actividades de explorando as possibilidades facultadas pela WEB, Os encontros com escritores ou leitura como o hipertexto, o e-mail, blogs,wikis, slideshare, outros eventos culturais estão a programada/articulada youtube… aproximar os alunos dos livros ou com outros docentes. A BE organiza e difunde recursos documentais que, de outros materiais/ambientes e a Registos de associando-se a diferentes temáticas ou projectos, incentivar o gosto pela leitura? suportam a acção educativa e garantem a A BE desenvolve um trabalho actividades/projectos. transversalidade e o desenvolvimento de articulado com departamentos, Questionário aos docentes competências associadas à leitura. projectos em curso na (QD2). A BE apoia os alunos nas suas escolhas e conhece as escola/agrupamento, com Questionário aos alunos novidades literárias e de divulgação que melhor se docentes e com a Biblioteca (QA2). adequam aos seus gostos. Pública no âmbito da promoção da leitura? A leitura em ambientes digitais é incentivada? 3 A BE recorre às ferramentas da Web 2.0 para divulgar novidades editoriais e/ou aquisições recentes? A BE explora as possibilidades facultadas pela Web, no âmbito da promoção da leitura e das literacias? A BE está informada relativamente às linhas de orientação e actividades propostas pelo Plano Nacional de Leitura? A BE desenvolve projectos no âmbito do PNL? A BE proporciona acções dirigidas Maria Teresa Semedo Novembro 2009
  • 4. SESSÃO 4: MODELO DE AUTOVALIÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR PLANOP PLANO DE AVALIAÇÃO no âmbito das várias literacias? INDICADOR DE FACTORES CRITICOS DE SUCESSO INSTRUMENTOS/MÉDTODOS DE O QUE PRETENDEMOS AVALIAR IMPACTO RECOLHA DE EVIDÊNCIAS Os alunos usam o livro e a BE para ler de forma Com que finalidade os alunos MÉTODOS QUALITATIVOS E recreativa, para se informar ou para realizar utilizam a BE: para ler de forma QUANTITATIVOS: trabalhos escolares. recreativa; para se informar; Comentários no blogue da Os alunos, de acordo com o seu ano/ciclo de para realizar trabalhos BE. escolaridade, manifestam progressos nas escolares? Participação nas actividades competências de leitura, lendo mais e com maior Os alunos demonstram de promoção de leitura profundidade. progressos nas competências de propostas na plataforma Os alunos desenvolvem trabalhos onde interagem leitura? Moodle. Os alunos realizam trabalhos, B3 com equipamentos e ambientes informacionais variados, manifestando progressos nas suas recorrendo a equipamentos e Estatísticas de utilização da BE para actividades de 4 competências no âmbito da leitura e da literacia. ambientes informacionais leitura. Impacto do trabalho variados? da BE nas atitudes e Os alunos participam activamente em diferentes Estatísticas de requisição actividades associadas à promoção da leitura: Os alunos manifestam domiciliária. competências dos progressos nas suas alunos, no âmbito clubes de leitura, fóruns de discussão, jornais, Observação da utilização da blogs, outros. competências no âmbito da BE (O3; O4). da leitura e da leitura e das literacias? literacia. Trabalhos realizados pelos Os alunos participam alunos. activamente em diferentes Análise diacrónica das actividades associadas à avaliações dos alunos. promoção da leitura, recorrendo Questionário aos docentes para o efeito ao blogue da BE, à (QD2). Plataforma Moodle, ao Jornal Questionário aos alunos escolar? (QA2). Maria Teresa Semedo Novembro 2009
  • 5. SESSÃO 4: MODELO DE AUTOVALIÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR PLANOP PLANO DE AVALIAÇÃO 1.4. INTERVENIENTES NO PLANO DE AUTOAVALIAÇÃO Director Professor bibliotecário Equipa educativa da BE Coordenadores de Departamento Directores de Turma Coordenador dos Projectos da escola/agrupamento Coordenador do CNO Professores da escola (20%) que integram a amostra definida 5 Alunos da escola (10%) que integram a amostra definida 1.5. CALENDARIZAÇÃO A calendarização do Plano de autoavaliação da BE, a propor e a aprovar em Conselho Pedagógico, deverá ser estruturada em colaboração com o Director prevendo a articulação necessária com o processo de avaliação da escola/agrupamento. Para o efeito, deverão ser contempladas as orientações constantes no Modelo de autoavaliação da BE: a recolha de evidências. Maria Teresa Semedo Novembro 2009
  • 6. SESSÃO 4: MODELO DE AUTOVALIÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR PLANOP PLANO DE AVALIAÇÃO 1.6. PLANIFICAÇÃO DA RECOLHA E TRATAMENTO DOS DADOS A recolha de dados realizar-se-á, de acordo com a calendarização acordada com o Director e aprovada em Conselho Pedagógico. Os questionários destinados a alunos poderão ser aplicados, nas aulas de Estudo Acompanhado, Formação Cívica e Área de Projecto, em colaboração com os docentes. Os questionários destinados a professores poderão ser aplicados nas reuniões de departamento ou nas reuniões de Conselho de Turma ou disponibilizados on-line (plataforma Moodle da escola/agrupamento). Os relatórios de avaliação de actividades ligadas ao PNL poderão ser remetidos para o professor bibliotecário por cada um dos docentes de Língua Portuguesa, no final de cada período. A equipa da Biblioteca, em colaboração com a equipa PTE fará o tratamento de dados dos questionários. 6 1.7. ANÁLISE DAS EVIDÊNCIAS RECOLHIDAS Ao longo do ano lectivo, importa ir recolhendo os diferentes tipos de evidências de forma a ir tratando os dados recolhidos, procedendo de seguida à análise dos mesmos. Assim, proceder-se-á à verificação dos níveis de desempenho alcançados nos indicadores propostos. 1.8. COMUNICAÇÃO DOS RESULTADOS A comunicação dos resultados poderá ser faseada, em consonância com a calendarização do Plano de autoavaliação, efectuando e comunicando em Conselho Pedagógico os pontos de situação relativos à análise dos dados recolhidos. Maria Teresa Semedo Novembro 2009
  • 7. SESSÃO 4: MODELO DE AUTOVALIÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR PLANOP PLANO DE AVALIAÇÃO No final do ano lectivo, importa apresentar e colocar à discussão os resultados obtidos, em Conselho Pedagógico, em termos das evidências recolhidas ao nível dos indicadores avaliados. O relatório de autoavaliação será posteriormente redigido, apresentado e aprovado neste órgão de gestão pedagógica. O relatório final de autoavaliação da BE deverá ser divulgado, junto da comunidade educativa e do Conselho Geral, através dos canais de comunicação de que a BE dispõe. O Plano de Melhoria, que será elaborado tendo em conta a existência de pontos fracos e a necessidade de priorizar acções, deverá ser igualmente apresentado no Conselho Pedagógico, sendo aqui solicitada uma análise conjunta acerca do referido Plano de forma a recolher eventuais sugestões de enriquecimento por parte dos elementos deste órgão. 7 Maria Teresa Semedo Novembro 2009