Your SlideShare is downloading. ×
Um dia normal de escola
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Um dia normal de escola

1,430
views

Published on

Published in: Education

0 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,430
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
14
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
6
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 1
  • 2. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 2Era uma vez um dia normal de escola.Um rapaz como tantos outros acordounormalmente dos seus sonhos,
  • 3. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 3Levantou-se como era normal da suacama, fez como normalmente umchichi, tomou normalmente o banhonormal, vestiu a roupa normal,
  • 4. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 4e tomou o seu pequeno almoço normal.Esse mesmo rapaz lavou normalmente osdentes, despediu-se normalmente da mãe e saiude casa em direcção à escola, comonormalmente fazia.
  • 5. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 5Andou normalmente pelas mesmas ruas, passou normalmentepelas mesmas lojas e atravessou as mesmas avenidas, tambémnormalmente,
  • 6. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 6Enquanto meditava normalmente nosmesmos pensamentos.
  • 7. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 7Ao chegar à escola, esse mesmo rapaz, igual atantos outros, jogou futebol como erahabitual, exactamente com os mesmos amigos, atésoar o toque para a entrada nas aulas,como normalmente.
  • 8. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 8O rapaz igual a tantos outros entrou na sala habitual esentou-se na sua mesa, como era normal. Foi então queaconteceu algo de absolutamente fora do normal….
  • 9. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 9- Bom dia a todos! – disse alguém, com arabsolutamente extraordinário, ao entrar derompante na sala. – Eu sou o vosso novoprofessor e chamo-me Gee.
  • 10. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 10Ainda não nos conhecemos uns aosoutros, mas eu tive uma ideia que vai ajudar-mea conhecer-vos melhor….- Nesta nossa primeira aula, quero queouçam música, que deixem que a melodia vosfaça lembrar imagens e que essas imagens sesoltem das vossas cabeças. Está entendido? –ia dizendo o professor enquanto distribuía umafolha de papel a cada aluno.
  • 11. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 11- Ele é estranho! É meio tonto! É mesmo doido! Música?Desenhos?Qual a ideia dele? – cochicharam osalunos uns para os outros, comonormalmente. – Silêncio, fechem osolhos, abram bem os ouvidos eouçam! – continuou o professor.
  • 12. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 12
  • 13. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 13De repente, a música parou. Então, o professor disse:- Ora digam lá o que a música vos faz lembrar!Uma das raparigas respondeu entusiasmada:- Cavalos a galope!Outro aluno disse: - Não, era uma corrida de carros!
  • 14. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 14E o rapaz como tantos outros disse: - Eu vielefantes, professor, centenas de elefantes!
  • 15. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 15
  • 16. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 16E enquanto os ritmos progrediam eregrediamrepentinamente, rodopiavam evoltavam a rodopiar, o rapaz comotantos outros escrevia.
  • 17. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 17Por vezes não entendia perfeitamente as palavras queutilizava e a história parecia não fazer sentido,
  • 18. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 18Mas isso não era importante e nem sequer opreocupou.
  • 19. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 19Escrevia tão rápido quanto conseguia e, mesmoassim, sentia que precisava de escrever maisrápido ainda -
  • 20. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 20- Havia tanto para dizer! Era como se existissedentro da sua cabeça um dique que, derepente, ao abrir-se, a inundava de palavras…
  • 21. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 21… e as palavras divertiam-no como os brinquedos, esentia-se mergulhado naquele jogo – o jogo de contarhistórias.
  • 22. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 22
  • 23. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 23
  • 24. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 24
  • 25. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 25
  • 26. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 26
  • 27. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 27
  • 28. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 28
  • 29. 2012/2013 BE/CRE Dr. João Rocha - Pai 29FIM