Mitos e lendas com astros

2,589 views
2,292 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,589
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
251
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Mitos e lendas com astros

  1. 1. Mitos e lendas com astros
  2. 2. O Sol e a LuaConto Cubano
  3. 3. O sol e a lua viviam numa caverna. Nem a luzdo sol nem a luz da lua podiam sair daquele lugar.Somente as estrelas brilhavam no céu nestaépoca.
  4. 4. Certo dia, o sol e a lua cansaram- se de viver juntosnuma caverna. Era muito apertado para os dois e o sol disseà lua:- Eu sou o pai da vida. Não é certo que eu viva emnuma caverna contigo. Vai-te embora e deixa a cavernaapenas para eu viver.
  5. 5. - Para onde irei? – perguntou a lua – Nãotenho outro lar.- Vai para o céu. Há bastante espaço para ti lá, nogrande céu azul.Muito triste, a lua saiu da caverna.
  6. 6. A Lua ficou um pouco assustada com o grandecéu azul, afinal de contas, ela era apenas uma luaprateada e magra. A princípio, ela escondeu- se atrás dasnuvens.Quando se acostumou, resolveu mostrar-se aospoucos e logo todos puderam ver como ela era bela.
  7. 7. O sol viu a lua no lindo céu azul e ficou furioso. Apequena lua estava num lugar melhor que o dele. Ele saiuentão da sua caverna e saltou para o céu. Quando a luaviu o sol aproximar-se, ficou com medo e fugiu. Ninguémconseguia encontrar a lua.
  8. 8. O sol começou a ter o céu inteiro para viver. Ele mandavaos seus raios maravilhosos em todas as direções. Aqueciao planeta até então frio. Plantas verdes e lindas florescomeçaram a nascer e crescer. As pessoas dançavam erezavam para o sol.
  9. 9. Apesar de tudo isso, o sol vivia solitário. Ninguémconseguia chegar perto dele. Ele não tinha com quemconversar. Ele queria muito encontrar a sua amiga lua edecidiu procurá-la.A lua tinha-se escondido dentro da velha caverna.Quando o sol foi procurá-la lá, ela começou a fugir.
  10. 10. - Ei, lua! – gritou o sol – onde vais? Por que fogesquando me aproximo? Não fujas de mim!A lua não queria esperar o sol. Correu para o céu equando o sol a alcançou, a lua partiu.
  11. 11. Desde esse dia que o sol não consegue ficar nomesmo lugar que a lua. Às vezes, a lua mostra o seu rostofrio ao sol por um curto período de tempo. Às vezes elavira-lhe as costas e passa silenciosamente à sua frente.
  12. 12. Agora, o sol e a lua fazem turnos de sono nasua velha caverna e a cada novo dia, eles viajamseparadamente pelo lindo céu azul.Por isso, temos o dia com os luminosos raiosdo sol e a noite com a suave luz da lua.
  13. 13. FIM
  14. 14. Lenda do Sol e da LuaOrigem desconhecida
  15. 15. Conta a lenda que o Sol e a Lua eram príncipesem reinos diferentes, cujos pais se odiavam.Quis o acaso do destino que se conhecessem ese apaixonassem.Por saberem que os pais não iam aceitar ocasamento, casaram em segredo.
  16. 16. Logo que os pais souberam de tal feito recorreram aum feiticeiro.O feiticeiro não conseguiu anular o casamento, mascondenou-os a viverem, para toda a eternidade, separados– o Sol reinaria de dia e a Lua à noite.
  17. 17. Felizmente o Mar, amigo de ambos, conseguiu, com aforça da sua amizade, anular parte dacondenação, permitindo ao Sol e à Lua que se encontrem, porbreves instantes, no fim de cada reinado.
  18. 18. Foi ainda, pela força da sua amizade, que seprontificou a servir de mensageiro entre o Sol e aLua, e entre todos os amantes que estejamseparados por alguma razão.
  19. 19. FIM
  20. 20. O MENINO SOL QUE NUNCA QUERIA IR DORMIRautor desconhecido
  21. 21. Há muito, muito tempo, há milhões de anos atrás, nãoexistia nada à face da terra. Nada de nada! Nem mesmopessoas ou animais. Em contrapartida, o céu já era habitado: oSol, a Lua, as estrelas… Já lá estavam todos.Naqueles tempos, eram ainda muito novos,caprichosos, malucos e, por vezes, mal-educados. Sobretudo oSol! Passava o tempo a passear os seus raios novos eofuscantes, todo orgulhoso por ser o mais luminoso, o maiscintilante! Aborrecia toda a gente com os seus raios, o seucalor e a sua luz.
  22. 22. — Pára de brilhar! Fazes-nos mal aos olhos! — diziam asnuvens.— Apaguem-no! Não consigo fechar os olhos!— resmungava a Lua.
  23. 23. — Ah, estes jovens! Julgam que podem fazer tudo!— protestavam as estrelas mais velhas.— Nunca estás quieto? — suspirava a Terra, extenuada.— É sempre de dia! Nem podemos fechar os olhos! — diziamas pequenas estrelas, que, como todas ascrianças, precisavam de dormir.
  24. 24. Todos os habitantes doCéu, cansadíssimos, irritados, tristonhos, começaram apensar no que fazer ao menino Sol para ele brilharmenos: fechá-lo num armário escuro, pôr-lhe graxapreta…
  25. 25. — Isto não pode continuar! — trovejava a Trovoada. —Temos de encontrar uma solução.E teve logo uma ideia, que contou à Lua e às estrelas.A Trovoada teve então uma conversa com o menino Sol.
  26. 26. — Solzinho, tivemos uma ideia. Vais brilhar entre nósalgumas horas e, depois, ala!… vais brilhar para o outrolado da Terra. Assim, fazes algumas horas connosco ealgumas horas com o outro lado. Enquanto láestiveres, eles divertem-se e nós dormimos. E enquantoestiveres entre nós, são eles a descansar. Assim, nãoprecisas de parar e toda a gente ficará satisfeita!
  27. 27. O menino Sol saltou de alegria face à ideia de terduas casas e, sobretudo, amigos em todo o lado.A partir daí passou a haver noite na terra, paragrande felicidade dos seus habitantes, que podem assimrepousar. Foi nessa altura, aliás, que os homensapareceram, dizendo que, com um pouco de Sol durante odia e um pouco de escuro à noite, a vida seria bemagradável na Terra.
  28. 28. Sabe-se que, à noite, o Sol nunca chega adesaparecer totalmente, mas que está simplesmente dooutro lado da Terra, a viver a sua segunda vida, na suasegunda casa, à espera de voltar.É por isso que nunca se deve ter medo do escuro.
  29. 29. FIM

×