• Save
PEX- Novo Acordo Ortográfico
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

PEX- Novo Acordo Ortográfico

  • 4,622 views
Uploaded on

Slide feito pela professora de Português Sidinéia da Faculdade Ruy Barbosa

Slide feito pela professora de Português Sidinéia da Faculdade Ruy Barbosa

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
4,622
On Slideshare
4,537
From Embeds
85
Number of Embeds
4

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
2

Embeds 85

http://direitofrb2011-1.blogspot.com 41
http://direitofrb2011-1.blogspot.com.br 28
http://direitofrb.blogspot.com.br 11
http://www.direitofrb2011-1.blogspot.com 5

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide
  • Homógrafas: palavras de mesma grafia.
  • Rizotônicas: Forma verbal cuja sílaba tônica cai em uma das sílabas do radical.

Transcript

  • 1. REFLETINDO SOBRE O ACORDO ORTOGRÁFICO DO PORTUGUÊS: CONTEXTO E MUDANÇAS   Profª Sidinéia Azevedo Rocha
  • 2. O que é o acordo ortográfico?
  • 3.
    • TRATADO INTERNACIONAL COM O OBJETIVO DE
    • UNIFICAR A ORTOGRAFIA DOS SEGUINTES PAÍSES:
    • ANGOLA
    • BRASIL
    • CABO VERDE
    • GUINÉ-BISSAU
    • MOÇAMBIQUE
    • PORTUGAL
    • SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE
    • TIMOR LESTE
  • 4. É possível unificar?
  • 5. Ou melhor, é possível unificar uma língua alterando apenas a ortografia?
  • 6. Por que um novo acordo ortográfico?
    • “ A inexistência de uma ortografia oficial comum cria não apenas dificuldades de natureza linguística, mas também política e pedagógica.”
    • (INSTITUTO ANTÔNIO HOUAISS, 2008, p.20)
  • 7.
    • Para Bechara, a reforma ortográfica é necessária para defender a língua portuguesa. Trata-se do único idioma falado por um grupo majoritário -mais de 230 milhões de pessoas- no mundo a ter duas grafias diferentes. "É essencial que o português se apresente internacionalmente com uma única vestimenta gráfica. Para manter o prestígio e para que seja melhor ensinado e compreendido por todos“.
  • 8.
    • Prós
    • José Saramago (escritor
    • português): “O português se
    • tornará mais influente ao adotar
    • uma grafia única.” “Se fosse
    • Portugal a ter 180 milhões de
    • habitantes, teriam imposto ao
    • Brasil a grafia, mas o Brasil é
    • maior, além de mais
    • representativo do ponto de vista
    • internacional”.
    • Contras
    • Clóvis da Rolt (sociólogo
    • brasileiro): “Não teria sido mais
    • simples, ao invés da reforma,
    • investir dinheiro público em
    • programas de qualificação do
    • ensino da língua portuguesa
    • escrita no Brasil até 2008?”.
    • “ Quem constrói a língua são os
    • seus usuários , e não a lei”.
  • 9.
    • Prós
    • José Eduardo Agualusa (escritor
    • angolano): “ Facilitará a circulação
    • do livro entre países de língua
    • portuguesa (o livro chegará mais
    • barato ao consumidor)”.
    • Antônio Houaiss (filólogo
    • brasileiro e principal responsável
    • pelos primeiros passos do acordo):
    • “ A existência de duas grafias oficiais acarreta problemas na redação de documentos em tratados internacionais e na publicação de obras de interesse público”.
    • Contras
    • Mia Couto (escritor moçambicano): “Não
    • faço guerra contra a reforma, mas acho
    • absolutamente absurdo o fundamento da
    • necessidade de fazê-la. Evidente que é
    • uma coisa convencional, não vai mudar a
    • fundo as coisas, mas as implicações que
    • isso tem do ponto de vista econômico
    • acabam sempre por sobrar para os países
    • mais pobres. Com esse dinheiro pode se
    • fazer coisas mais importantes como, por
    • exemplo, ampliar o conhecimento que
    • temos uns dos outros. Nunca tive
    • dificuldade em ler livros escritos na grafia
    • brasileira; muito pelo contrário, me
    • satisfaz muito haver essa diferença . Acho
    • que a reforma não faz sentido , não
    • subscrevo”.
  • 10.
    • Prós
    • Evanildo Bechara (gramático e
    • membro da ABL): “a unificação da
    • escrita é boa para o português,
    • pois os livros poderiam ser
    • editados igualmente em todos os
    • países de língua portuguesa e,
    • além disso, o português precisa
    • se impor como terceira língua
    • mais falada no Ocidente ”.
    • Contras
    • Cláudio Moreno (escritor e professor
    • brasileiro): A meta obsessiva dos
    • reformistas é diminuir ao máximo as
    • diferenças entre Portugal e Brasil,
    • cobrando de cada país sua taxa de
    • sacrifício. Considerando a unificação
    • gráfica do Português como um valor
    • supremo — o que é perfeitamente
    • discutível, se considerarmos o preço
    • que se vai pagar por isso —, a
    • reforma não hesita em limar aqui,
    • aparar ali, lixar acolá, numa
    • sucessão de "retoques" que
    • parecem feitos por quem não é do
    • ramo.
  • 11. Afinal? O que muda?
  • 12. 1. Nosso alfabeto passa a ter 26 letras
  • 13. Por que K, W e Y?
    • - Karina , quantos kg você emagreceu?
  • 14. - De quantos W é esta lâmpada, William ?
  • 15. - Yeda e Yury estão brincando no playground .
  • 16. Em resumo: K, W e Y já estavam no nosso idioma há muito tempo...
  • 17. TREMA A Regra Regra Antiga Como Será Não existe mais o trema em língua portuguesa. Apenas em casos de nomes próprios e seus derivados, por exemplo: Müller, mülleriano. agüentar, conseqüência, cinqüenta, qüinqüênio, frqüência, freqüente, eloqüência, eloqüente, argüição, delinqüir, pingüim, tranqüilo, lingüiça. aguentar, consequência, cinquenta, quinquênio, frequência, frequente, eloquência, eloquente, arguição, delinquir, pinguim, tranquilo, linguiça.
  • 18. PRÉ-REQUISITOS PARA APLICAR REGRAS DE ACENTUAÇÃO ANOTE QUE É IMPORTANTE!
  • 19.
    • 1) Saber separar sílaba
    • Monossílabo : pé
    • Dissílabo : sofá
    • Trissílabo : fábrica
  • 20. 2) Saber localizar a sílaba tônica: oxítona, paroxítona e proparoxítona última penúltima antepenúltima sofá solitário fábrica caju parede
  • 21. 3) Saber reconhecer os encontros vocálicos: hiato, ditongo e tritongo ditongo – vogal + semivogal (não separa) – Ex.: escritório/secretária hiato – vogal + vogal (separa) Ex.: saída/saúde tritongo – semivogal + vogal + semivogal Ex.: Paraguai/Uruguai
  • 22. ACENTUAÇÃO A Regra Regra Antiga Como Ficou Ditongos abertos (ei, oi) não são mais acentuados em palavras paroxítonas. assembléia, platéia, idéia, colméia, boléia, panacéia, Coréia, hebréia, bóia, paranóia, jibóia, apóio, heróico, paranóico. assembleia, plateia, ideia, colmeia, boleia, panaceia, Coreia, hebreia, boia, paranoia, jiboia, apoio, heroico, paranoico.
  • 23. ACENTUAÇÃO Observação 1: Nos ditongos abertos de palavras oxítonas e monossílabas o acento continua: herói, constrói, dói, anéis, papéis. Observação 2: O acento no ditongo aberto 'eu' continua: chapéu, véu, céu, ilhéu.
  • 24. ACENTUAÇÃO A Regra Regra Antiga Como Será O hiato 'oo' não é mais acentuado. enjôo, vôo, corôo, perdôo, côo, môo, abençôo, povôo. enjoo, voo, coroo, perdoo, coo, moo, abençoo, povoo. O hiato 'ee' não é mais acentuado. crêem, dêem, lêem, vêem, descrêem, relêem, revêem. creem, deem, leem, veem, descreem, releem, reveem.
  • 25. ACENTUAÇÃO A Regra Regra Antiga Como Ficou Não existe mais o acento diferencial em palavras homógrafas. pára (verbo), péla (substantivo e verbo), pêlo (substantivo), pêra (substantivo), péra (substantivo), pólo (substantivo). para (verbo), pela (substantivo e verbo), pelo (substantivo) , pera (substantivo) , pera (substantivo) , polo (substantivo).
  • 26. ACENTUAÇÃO Observação: O acento diferencial ainda permanece no verbo 'poder' (3ª pessoa do Pretérito Perfeito do Indicativo - 'pôde') e no verbo 'pôr' para diferenciar da preposição 'por‘.
  • 27.
    • TEM (3ª pessoa/singular)– TÊM (3ª pessoa/plural)
    • VEM (3ª pessoa/singular) – VÊM (3ªpessoa/plural)
    • ...e nos demais verbos terminados em – tém /- vém na terceira pessoa do singular:
    • MANTÉM – MANTÊM DETÉM-DETÊM
    • CONVÉM– CONVÊM INTERVÉM-INTERVÊM
  • 28. SERÁ QUE ELES VÊM ?
  • 29.
    • O ACENTO DIFERENCIAL ENTRE FORMA E FÔRMA É FACULTATIVO!
    • Comprei uma forma de bolo em forma de coração ou
    • Comprei uma fôrma de bolo em forma de coração
  • 30. ACENTUAÇÃO A Regra Regra Antiga Como Ficou Não se acentua mais a letra 'u' nas formas verbais rizotônicas, quando precedido de 'g' ou 'q' e antes de 'e' ou 'i' (gue, que, gui, qui). argúi, apazigúe, averigúe, enxagúe, enxagúemos, obliqúe. argui, apazigue,averigue, enxague, ensaguemos, oblique.
  • 31. ACENTUAÇÃO A Regra Regra Antiga Como Ficou Não se acentua mais 'i' e 'u' tônicos em paroxítonas quando precedidos de ditongo. baiúca, boiúna, cheiínho, saiínha, feiúra, feiúme. baiuca, boiuna, cheiinho, saiinha, feiura, feiume.
  • 32. HÍFEN A Regra Regra Antiga Como Ficou O hífen não é mais utilizado em palavras formadas de prefixos (ou falsos prefixos) terminados em vogal + palavras iniciadas por 'r' ou 's', sendo que essas devem ser dobradas. ante-sala, auto-retrato, anti-social, anti-rugas, arqui-romântico, auto-sugestão, contra-senha, extra-regimento, extra-seco, infra-som, ultra-sonografia, supra-sensível. antessala, autorretrato, antissocial, antirrugas, arquirromântico, autossugestão, contrassenha, extrarregimento, extrasseco, infrassom, ultrassonografia, suprassensível.
  • 33. HÍFEN Observação: Em prefixos terminados por 'r', permanece o hífen se a palavra seguinte for iniciada pela mesma letra: hiper-realista, hiper-requintado, hiper-requisitado, inter-racial, inter-regional, inter-relação, super-racional, super-realista, super-resistente etc.
  • 34. HÍFEN A Regra Regra Antiga Como Ficou O hífen não é mais utilizado em palavras formadas de prefixos (ou falsos prefixos) terminados em vogal + palavras iniciadas por outra vogal. auto-afirmação, auto-ajuda, auto-aprendizagem, auto-escola, auto-estrada, auto-instrução, contra-exemplo, contra-indicação, contra-ordem, extra-escolar, extra-oficial, infra-estrutura. autoafirmação, autoajuda, autoaprendizagem, autoescola, autoestrada, autoinstrução, contraexemplo, contraindicação, contraordem, extraescolar, extraoficial, infraestrutura.
  • 35. HÍFEN Observação 1: Esta nova regra vai uniformizar algumas exceções já existentes antes: antiaéreo, antiamericano, socioeconômico etc. Observação 2: esta regra não se encaixa quando a palavra seguinte iniciar por 'h': anti-herói, anti-higiênico, extra-humano, semi-herbáceo etc.
  • 36. HÍFEN A Regra Regra Antiga Como Ficou Agora utiliza-se hífen quando a palavra é formada por um prefixo (ou falso prefixo) terminado em vogal + palavra iniciada pela mesma vogal. antiibérico, antiinflamatório, antiinflacionário, antiimperialista, arquiinimigo, arquiirmandade, microondas, microônibus, microorgânico. anti-ibérico, anti-inflamatório, anti-inflacionário, anti-imperialista, arqui-inimigo, arqui-irmandade, micro-ondas, micro-ônibus, micro-orgânico.
  • 37. HÍFEN Observação 1: Esta regra foi alterada por conta da regra anterior: prefixo termina com vogal + palavra inicia com vogal diferente = não tem hífen; prefixo termina com vogal + palavra inicia com mesma vogal = com hífen. Observação 2: Uma exceção é o prefixo 'co'. Mesmo se a outra palavra inicia-se com a vogal 'o', NÃO utiliza-se hífen.
  • 38. HÍFEN A Regra Regra Antiga Como Ficou Não usamos mais hífen em compostos que, pelo uso, perdeu-se a noção de composição. manda-chuva, pára-quedas, pára-quedista, pára-lama, pára-brisa, pára-choque, pára-vento. mandachuva, paraquedas, paraquedista, paralama, parabrisa, parachoque, paravento.
  • 39. HÍFEN Observação 1: O uso do hífen permanece em palavras compostas que não contêm elemento de ligação e constitui unidade sintagmática e semântica, mantendo o acento próprio, bem como naquelas que designam espécies botânicas e zoológicas: ano-luz, azul-escuro, médico-cirurgiã o, conta-gotas, guarda-chuva, segunda-feira, tenente-coronel, beija-flor, couve-flor, erva-doce, mal-me-quer, bem-te-vi etc.
  • 40. OBSERVAÇÕES GERAIS O uso do hífen permanece Exemplos Em palavras formadas por prefixos 'ex', 'vice', 'soto‘. ex-marido, vice-presidente, soto-mestre. Em palavras formadas por prefixos 'circum' e 'pan' + palavras iniciadas em vogal, M ou N. pan-americano, circum-navegação. Em palavras formadas com prefixos 'pré', 'pró' e 'pós' + palavras que tem significado próprio. pré-natal, pró-desarmamento, pós-graduação.
  • 41. OBSERVAÇÕES GERAIS O uso do hífen permanece Exemplos Em palavras formadas pelas palavras 'além', 'aquém', 'recém', 'sem‘. além-mar, além-fronteiras, aquém-oceano, recém-nascidos, recém-casados, sem-número, sem-teto.
  • 42. OBSERVAÇÕES GERAIS Não existe mais hífen Exemplos Exceções Em locuções de qualquer tipo (substantivas, adjetivas, pronominais, verbais, adverbiais, prepositivas ou conjuncionais). cão de guarda, fim de semana, café com leite, pão de mel, sala de jantar, cartão de visita, cor de vinho, à vontade, abaixo de, acerca de etc. água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia, ao-deus-dará, à queima-roupa.
  • 43.
    • VIA DE REGRA, DESAPARECEM O C E O P EM ENCONTROS CONSONANTAIS NOS QUAIS ESSAS LETRAS NÃO SÃO PRONUNCIADAS:
    • A C ÇÃO ---------------------------------------------- AÇÃO
    • DIRE C TOR ---------------------------------------- DIRETOR
    • EXA C TO ------------------------------------------- EXATO
    • BA P TIZAR ----------------------------------------- BATIZAR
    • Obs: nos casos em que a letra c é pronunciada, como em fa c to e se c tor, o uso desta letra é facultativo.
  • 44. Uma professora de português pediu à amiga Escritora que criasse um conto ou crônica utilizando as novas regras ortográficas para trabalhar com seus alunos adolescentes. A escritora, depois de muito relutar, acabou cedendo aos insistentes apelos da amiga .
  • 45. A crônica “ Como será daqui pra frente?”
  • 46. “ Estive vendo as novas regras da ortografia. Na verdade, já tinha esbarrado com elas trilhares de vezes, mas apenas hoje que as danadas receberam uma educada atenção de minha parte. Devo confessar que não foi uma ação espontânea. Que eu me lembre, desde o ano retrasado que uma amiga me enche o saco para escrever a respeito. O faço com a esperança de que diminua o volume de e-mails e torpedos que ela me envia. Em suma, que as novas regras ortográficas a mantenham sossegada por um bom tempo.
  • 47. Cai o trema! Aliás, não cai... Dá uma tombadinha. Linguiça e pinguim ficam feios sem ele mas quantas pessoas conhecemos que utilizavam o trema a que eles tinham direito? Essa espécie de " enfeiação " já vinha sendo adotada por 98% da população brasileira. Resumindo, continua tudo como está.
  • 48. Alfabeto com 26 letras? O K e o W são moleza para qualquer internauta, que convive diariamente com Kb e Web-qualquercoisa. A terceira nova letra de nosso alfabeto tornou-se comum com os animes japoneses, que tem a maioria de seus personagens e termos começando com y . Esta regra tiramos de letra. O hífen é outro que tomba mas não cai. Aquele tracinho no meio das vogais, provocando um divórcio entre elas, vai embora. As vogais agora convivem harmoniosamente na mesma palavra.
  • 49. Auto-escola cansou da briga e passou a ser autoescola , auto-ajuda adotou autoajuda . Agora, pasmem! O que era impossível tornou-se realidade. Contra-indicação, semi-árido e infra-estrutura viraram amantes, mais inseparáveis que nunca. Só assinam contraindicação , semiárido e infraestrutura . Quem será o estraga-prazer a querer afastá-los? Epa! E estraga-prazer , como fica? Deixa eu fazer umas pesquisas básicas pela Internet. Huuummm... Achei!
  • 50. Essas duas palavrinhas vivem ocupadíssimas, cada uma com suas próprias obrigações. Explicam que a sociedade entre elas não passa de uma simples parceria. Nem quiseram se prolongar no assunto. Para deixar isso bem claro, vão manter o traço. Na contra-mão , chega um paraquedista trazendo um paralama , um parachoque e um parabrisa - todos sem tracinho. Joguei tudo no porta-malas pra vender no ferro-velho . O paraquedista com cara de pão de mel ficou nervoso. Só acalmou quando o banhei com água-de-colônia numa banheira de hidromassagem.
  • 51. Então os nomes compostos não usam mais hífen? Não é bem assim. Os passarinhos continuam com seus nomes: bem-te-vi , beija-flor . As flores também permanecem como estão: mal-me-quer . Por se achar a tal, a couve-flor recusou-se a retirar o tracinho e a delicada erva-doce nem está sabendo do que acontece no mundo do idioma português e vai continuar adotando o tracinho.
  • 52. As cores apelaram com um papo estranho sobre estarem sofrendo discriminações sexuais e conseguiram na justiça, o direito de gozarem com o tracinho. Ficou tudo rosa-choque , vermelho-acobreado , lilás-médio ... As donas de casa quando souberam da vitória da comunidade GLS, criaram redes de novenas funcionando por 24hs, para que a feira não se unisse sem cerimônia aos dias da semana. Foram atendidas pelo próprio arcanjo Gabriel que fez uma aparição numa das reuniões, dando ordens ao estilo Tropa de Elite: - Deixe o traço! Deu certo. As irmãs segunda-feira , terça-feira e as demais, mantiveram o hífen.
  • 53. Os médicos e militares fizeram um lobby, gastaram uma nota preta pra manter o tracinho. Alegaram que sairia mais caro mudar os receituários e refazer as fardas: médico-cirurgião , tenente-coronel , capitão-do-mar . Uma pequena pausa para a cultura, ocasionada pelo trauma de ler muitas pérolas do Enem e Vestibular. Só por precaução... Almirante Barroso não tem tracinho. Assim era chamado Francisco Manuel Barroso da Silva. Sim, o cara era militar da Marinha Imperial. Foi ele quem conduziu a Armada Brasileira à vitória na Batalha do Riachuelo, durante a Guerra da Tríplice Aliança. No centro do Rio de Janeiro há uma avenida com seu nome (Av. Almirante Barroso). Na praia do Flamengo, há um monumento, obra do escultor Correia Lima, em cuja base se encontram os seus restos mortais. Fim da pausa!
  • 54. Acho que algumas regras pra este tracinho, até que simpático, foram criadas por algum carioca apaixonado. Será que Thiago Velloso e André Delacerda tiveram alguma participação nas novas regras? O R no início das palavras vira RR na boca do carioca. Não pronunciamos R (como em papiro, aresta e arara), pronunciamos RR (como em ferro, arraso e arremate). Falamos rroldana e não roldana, rrodopio e não rodopio, rrebola e não rebola. Pois bem, numa das tombada do hífen, o R dobra e deixa algumas palavras com jeito carioca de ser: autorretrato , antirreligioso , suprarrenal . Será fácil lembrar desta regra. Se a palavra antes do tracinho (nem vou falar em prefixo) terminar com vogal e a palavra seguinte começar com R é só lembrar dos simpáticos e adoráveis cariocas.
  • 55. Mais uma coisinha: a regra também vale para o S . Fico até sem graça de comentar isso, pois todos sabemos que o S é um invejoso que gosta de imitar o R em tudo. Ante-sala vira antessala , extra-seco vira extrasseco e por aí vai... Quem segurou mesmo o hífen, sem deixá-lo cair, foram os sufixos terminados em R , que acompanham outra palavra iniciada com R , como em inter-regional e hiper-realista . Estes tracinhos continuarão a infernizar os cariocas. O pré-natal esteve tão feliz, rindo o tempo todo com o pós-parto de uma camela pré-histórica que ninguém teve coragem de tocar no tracinho deles. Já o pró - um chato por natureza, foi completamente ignorado. Só assim manteve o tracinho: pró-labore , pró-desmatamento .
  • 56. A vogal e o h não chegaram a nenhum acordo, mesmo com anos de terapia. Permanecem de cara virada um pro outro: anti-higiênico , anti-herói , anti-horário . Estou começando a achar que as vogais são semi-hostis com as consoantes... Uma inovação interessante: - Podem esquecer o mi x to , ele foi sumariamente despedido. Puseram o misto no lugar dele.
  • 57. Fiquei bolada com essa exceção: o prefixo co não usa mais hífen. Seguiu os exemplos de cooperação e coordenado , que sempre estiveram juntas. Não estou me lembrando no momento, de nenhuma palavra que use co com tracinho. Será que sempre escrevi errado? Quem diria que o créu suplantaria a ideia !? Teremos que nos acostumar com as ideias heroicas sem o acento agudo. Rasparam também o acento da pobre coitada da jiboia . O acento do créu continua porque tem o U logo depois. Pelo menos a assembleia perdeu alguma coisa... Resta o consolo em saber que continuamos vivendo tendo um belíssimo céu como chapéu . ” Elida Kronig
  • 58. Vejam o vídeo: http://www.atarde.com.br/videos/index.jsf?id=1272260 VÍDEO
  • 59. VAMOS TESTAR NOSSOS CONHECIMENTOS?
  • 60.
    • Observe as frases abaixo. De acordo com o novo Acordo Ortográfico, as palavras estão grafadas corretamente? Corrija quando necessário, e explique a que regra se aplica tal mudança.
    • 1. A crise financeira dos EUA pode trazer conseqüências para o Brasil.
  • 61.
    • 2. O consumo frequente de álcool durante a juventude causa danos ao cérebro.
    • 3. A idéia do presidente é que todos os países se unam contra o aquecimento.
  • 62.
    • 4. O síndico marcou uma assembleia para decidir sobre a reforma do prédio.
    • 5. A estréia de Katie Holmes foi marcada por protestos.
    • 6. Ela perdeu tudo que estava dentro da caixa de joias.
    • 7. Todos quantos crêem na verdade, levantem as mãos.
  • 63.
    • 8. Pára o carro! Tu estás me levando para o caminho errado!
    • 9. Todos lêem ótimos livros no projeto de leitura.
    • 10. Como você pôde mentir para mim? Isso não pode acontecer novamente!
  • 64. CONFERINDO:
    • 1- não se usa mais o trema na letra u, dos gripos gue e gui , que e qui. errado.
    • 2-correto . frequente não tem mais trema.
    • 3-errado. não se usa acento em ditongos abertos éi e ói das paroxítonas. ideia.
    • 4-correto. assembleia. regra acima.
  • 65.
    • 5-errado. estreia . regra acima.
    • 6-Certa. joias. regra acima.
    • 7-errado. creem. não se usa mais acento nas palavras terminadas em (êem) e ôo,s.
    • 8-não se acentuam mais os pares: pára/para, pêra/pera, pelá,s/pela,s, pêlo,s/pelo,s, pólo,s/polo,s. errado.
  • 66.
    • 9-errado. não se usa mais acento nas palavras terminadas em (êem) e ôo,s.
    • 10-correto. continuam o acento para diferenciar pôde passado de pode presente
  • 67.
    • TESTE SEUS CONHECIMENTOS:
    • http://veja.abril.com.br/idade/testes/reforma-ortografica.shtml
  • 68. DICA:
    • MEMÓRIA VISUAL = LEIA
    • Por que hoje é com h e ontem não é?
  • 69.
    • Por razões etimológicas, ou seja, o termo hoje apresenta H na sua origem.
    • Hoc die(= este dia, em latim) > hodie (=atual, moderno) > hoje.
  • 70.
    • PARA SABER MAIS:
    • PORTAL DA ABL:
    • www.academia.org.br
    • PORTAL DA LÍNGUA PORTUGUESA:
    • http://www.portaldalinguaportuguesa.org
    • ADAPTADOR DE TEXTOS:
    • http://ramonpage.com/ortografa/
  • 71.
    • REFERÊNCIAS
    • BECHARA, Evanildo. O que muda com o novo acordo ortográfico . Rio de Janeiro: Nova Fronteira , 2008.
    • TUFANO, Douglas. Guia prático da nova
    • ortografia. São Paulo: Melhoramentos, 2008.
  • 72. OBRIGADA!!!