Apresentação sp

  • 881 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
881
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
8
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide
  • O Desemprego maior é o dos que não concluiram o segundo grau; o menor,, dos que entraram no nível superior

Transcript

  • 1. Projeto Jovem de Futuro Adesão Transferência São Paulo Wanda Engel 27/10/2011
  • 2.
    • Dados Gerais: 24 mil escolas
    • 8.3 M no Ensino Regular
    • 1.6M no EJA
    • Modalidade: Somente 9% de Ensino Profissionalizante
    • Professores: 413 mil professores
    • Déficit de 240 mil professores da 5ª série ao EM
    • Áreas mais críticas: física, química e matemática
    • Quem atende: Federal: 1%
    • Municipal: 1.6%
    • Privado: 11.6%
    • Estadual: 85.6%
    • Turnos: Matutino: 48%
    • Vespertino: 15%
    • Noturno: 37%
    • Fluxo: Matrícula na primeira série: 3.6 M
    • Conclusão da terceira série:1.8 M
    • Ingresso no superior: 1.3M
    Ensino Médio no Brasil
  • 3.  
  • 4. Entre 18 a 24 anos a média é de 9,1 anos de estudo o que corresponde ao Ensino Fundamental completo. 7,2 anos é a média nacional de anos de estudos.
  • 5. Fonte: Education at a Glance, 2007
    • No Brasil, o percentual da população de 25 a 34 anos com Ensino Médio completo (38%) é o triplo em relação à faixa etária de 55 a 64 anos (11%). Apesar desse avanço significativo, no mesmo período, a Coréia fez suas taxas de conclusão do Ensino Médio saltarem de 35% para 97%.
    PEA com pelo menos Ensino Médio completo. Comparação entre duas gerações Conseqüências para o desenvolvimento econômico
  • 6. Fonte: IPEA, 2008. Dados da PNAD, 2007 Evolução histórica da exigência por escolaridade para o mercado de trabalho
  • 7. Diferença entre a estimativa da oferta de mão-de-obra escolarizada e com experiência profissional que procura trabalho e a geração projetada de emprego formal em 2007 Fonte IPEA: Demanda e perfil dos Trabalhadores formais no Brasil em 2007
  • 8. Educação e Emprego EF incompleto EF completo EM incompleto EM completo Superior incompleto ou mais
  • 9.
    • Atendimento direto: criar uma escola
    • Programas de voucher para boas escolas privadas
    • Movimentos de advocacy
    • Parceria público privada:
      • Escola(s) modelo(s)
      • Desenvolvimento de tecnologias aplicáveis a qualquer escola
    O que é possível ser feito?
  • 10. O que o Instituto Unibanco se propõe a fazer?
  • 11. Missão do IU Contribuir para o desenvolvimento dos alunos de Ensino Médio de escolas públicas, concebendo, validando e disseminando novas tecnologias educacionais que melhorem a qualidade e a efetividade de políticas públicas de educação. Concepção Reduzir a evasão escolar Melhorar o desempenho Promover a conclusão do Ensino Médio Transferência Validação Implantação IU Apoio SEE Avaliaçãode impacto externa Resultados Escola Resultados dos Sistemas Implantação SEE Apoio IU
  • 12. Principal tecnologia: Projeto Jovem de Futuro Como promover fatores de êxito nas escolas?
  • 13. Características do Jovem de Futuro
    • Projeto de investimento (duração limitada) X programa de custeio.
    • Intervenção multidimenonal: (dinheiro na escola + apoio técnico (gestão para resultados) + monitoramento + usos diversificados da avaliação em larga escala + sistema de reconhecimento.
    • Principal diretriz: autonomia com responsabilidade
    • Principal crença: possibilidade de uma escola pública qualquer transformar seus resultados a curto prazo, antes de serem implantadas macro transformações (carreira docente, currículo, formação).
  • 14. Avaliação de desempenho das escolas Aumentar a média do desempenho escolar em um desvio padrão (25 pontos) em língua portuguesa e matemática Terceira serie Segunda serie Primeira serie Linha de Base Diagnóstica Somativa (1 e 2) Somativa (3) Ano 0 Ano 1 Ano 2 Ano 3
  • 15. Resultados de Desempenho: equidade
  • 16. Ano 0 Ano I Ano II Ano III Global Global > 40% Primeira série Segunda série Terceira série Resultados no Índice de Abandono
  • 17. Projeto Jovem de Futuro Supervisão Intensiva Monitoramento Físico Financeiro Gestão Escolar para Resultados Agente Jovem Fundos concursáveis Monitoria Sistemas de reconhecimento Uso pedagógico da Avaliação em Larga Escala Metodologias PJF Recursos Financeiros Jovem de Futuro: um investimento de 3 anos para a grande virada Metodologias IU Avaliação Superação na escola
  • 18. Metodologias Complementares
  • 19. Processo de validação do Jovem de Futuro 2008 - 2010 * 2011 O projeto em números MG – Belo Horizonte | 20 escolas RS – Porto Alegre | 22 escolas
  • 20.  
  • 21.  
  • 22.  
  • 23.  
  • 24. O que aprendemos?
    • Mesmo sem mudanças significativas estruturais, é possível avançar na melhoria do desempenho das escolas públicas.
    • O resultado mais difícil de alcançar parece ser o da diminuição do abandono
    • A comunidade escolar precisa querer melhorar, comprometer-se com resultados, dispor de autonomia na definição de suas ações estratégicas, e contar com instrumentos técnicos e financeiros adequados.
    • Incentivos positivos parecem funcionar como importantes instrumentos de mobilização, mas precisam estar baseados em consistentes sistemas de avaliação.
    • Enfim... há um espaço para micro transformações: a escola pública, seus alunos, seus professores e gestores estão vivos e ansiosos por uma oportunidade!
    • Mas as grandes transformações são fundamentais e inadiáveis
  • 25. Comprovado o impacto, é possível transferir.
  • 26. Transferência: o que é
    • Expansão (fazer mais) x Transferência (ensinar a fazer)
    • Gestão direta X apoio à gestão
    • Tratamento artesanal X tratamento industrial
    • Autonomia da escola X Autonomia do sistema
    • Importância do detalhamento dos processos através de manuais e instrumentos próprios
    CAPACITAÇÃO APOIO TÉCNICO + + RECONHECIMENTO AVALIAÇÃO +
  • 27. Proposta MEC Metodologias IU: Contribuição na ampliação da jornada e na organização do currículo
  • 28. O Mapa da Transferência
  • 29. Transferência em Números *expansão em processo de definição 2012 2013 2014 Escolas Alunos Escolas Alunos Escolas Alunos Ceará 100 70.000 300 210.000 523 366.100 Goiás 120 71.896 300 179.740 600 359.480 Pará 110 100.320 260 237.120 495 451.440 Mato G. do Sul 100 41.000 197 80.770 299 122.590 Minas Gerais 100 31.300 100* 31.300*  100* 31.300* São Paulo 200 120.000 700 420 .000 1200 720.000 Total 730 434.516 1.557 738.930 3.617 2.050.910
  • 30. Transferência Recursos Diretos na Escola em Milhões Ensino Médio Inovador/Jovem de Futuro 2012/2014   2012 2013 2014 Total Ceará 7.0 21.0 36.6 64.6 Goiás 7.2 18.0 36.0 61.2 Pará 10.0 23.7 45.1 78.8 Mato G. do Sul 4.1 8.1 12.3 24.5 Minas Gerais 3.1 3.1* 3.1* 9.3* São Paulo 12.0 42.0 72.0 126.0 Total 43.4 116.0 205,0 364.4 *Expansão em processo de definição
  • 31. Política de Reconhecimento
  • 32. Sistema de Reconhecimento Anual Unidades Premiados Responsável pelo Reconhecimento Estados Governador, Secretário de Educação e Coordenador do PJF Instituto Unibanco Sistema Regionais de Ensino, Supervisores e Grupos Gestores das Escolas Estado Escola Turmas, Alunos, Professores e Funcionários Escola
  • 33. Sistema de Reconhecimento Anual ESTADO Estado com maior crescimento do IDEB SISTEMA Conjunto de Critérios a Serem Pontuados Melhor ganho em Língua Portuguesa e Matemática Melhor desempenho em Língua Portuguesa e Matemática Maior diminuição do percentual de alunos no padrão de desempenho BAIXO Maior redução no índice de abandono Maior crescimento no índice de aprovação
  • 34. Sistema de Reconhecimento Anual ESCOLA Professor Sistema de Pontuação que inclui critérios de Freqüência, Desempenho dos Alunos, Participação em Projetos de Professores e Alunos e no atendimento às demandas da Coordenação Pedagógica Turma Turma com MAIOR GANHO na média das notas dos alunos no simulado aplicado pela escola ou nas provas bimestrais Aluno Sistema de Pontuação que inclui critérios de Freqüência, Desempenho e Participação em Projetos
  • 35. Uma nova tecnologia a ser validada: a Rede de Escolas Jovem de Futuro
  • 36. Rede de Escolas Instituto Unibanco Instituto Unibanco continuará apoiando técnica e financeiramente este grupo de escolas, para que continuem melhorando seus indicadores. Rede de relacionamento com as escolas que participaram dos 3 anos do Jovem de Futuro (validação e transferência) como uma metodologia de sustentabilidade do Projeto. O relacionamento com (e entre) as escolas será presencial e virtual , para manutenção da boa gestão conquistada por estas escolas: Virtual: portal interativo, banco de boas práticas, relatórios dos planos de trabalho, sistematizações, Campanha Estudar Vale a Pena, Fóruns de discussão,... Presencial: seminários, encontros locais, eventos periódicos, encontros inter-pólos, 02 reuniões nacionais de governança,...
  • 37. Objetivo
    • Forma de reconhecimento às escolas que
    • cumpriram as metas anuais estipuladas pelo projeto;
    • Forma de incentivo para que as escolas permaneçam com bons indicadores;
    • Sustentabilidade das ações que o projeto proporcionou no período de atuação;
    • Manter o contato e a troca de experiências das escolas com o IU e entre elas;
    • Oferecer informações privilegiadas e fundo de apoio à projetos .
  • 38. Manutenção do selo IU Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5 Ano 6
  • 39. Obrigada!