• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
A Anorexia
 

A Anorexia

on

  • 8,035 views

 

Statistics

Views

Total Views
8,035
Views on SlideShare
2,567
Embed Views
5,468

Actions

Likes
0
Downloads
30
Comments
0

14 Embeds 5,468

http://tecnicasaccaoeducativa.blogspot.pt 2936
http://tecnicasaccaoeducativa.blogspot.com 2015
http://tecnicasaccaoeducativa.blogspot.com.br 461
http://tecnicasaccaoeducativa.blogspot.fr 13
http://www.tecnicasaccaoeducativa.blogspot.com 12
http://www.google.pt 11
http://tecnicasaccaoeducativa.blogspot.com.es 10
http://tecnicasaccaoeducativa.blogspot.ru 3
http://webcache.googleusercontent.com 2
http://www.google.com 1
http://www.facebook.com 1
http://tecnicasaccaoeducativa.blogspot.de 1
http://tecnicasaccaoeducativa.blogspot.ch 1
http://tecnicasaccaoeducativa.blogspot.com.ar 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    A Anorexia A Anorexia Presentation Transcript

    • O QUE É A ANOREXIA?
    • A anorexia nervosa é uma disfunção alimentar, caracterizada por uma rígida e insuficiente dieta alimentar e stress físico. A anorexia nervosa é uma doença complexa, envolvendo aspectos psicológicos, fisiológicose sociais
      e pode ser também
      pessoa com bulimia.
    • Sintomas da Anorexia Nervosa
      • Uma doente com anorexia nervosa, recusa manter o peso corporal num nível igual ou acima do mínimo normal adequado à idade e à altura;
      • Medo intenso de ganhar peso ou de se tornar gordo mesmo com o peso abaixo do normal;
       
      • Recusa em ingerir alimentos ricos em hidratos de carbono e gorduras;
      • Perdem a auto-estima em relação ao seu próprio corpo;
      • Têm dificuldades de comer em locais públicos;
      • Submetem-se a exercícios físicos excessivos;
      • Diminuem as horas de sono;
      • Interessam-se especialmente pelo valor nutritivo de cada alimento;
      • Interrupção do ciclo menstrual;
       
      • Isolamento social;
       
      • Provocação do vómito;
       
      • Emagrecimento rápido e sem causa aparente.
       
      • Perda de erecção nos rapazes;
    • Sinais de Alerta
      Come pouco;
      está a perder peso e cor;
      Que ela anda mais cansada;
      Tristezas;
      Isolamento
      Alterações comportamentais;
      Alterações emocionais;
      Reacção excessiva perante situações normais;
      Alteração do sono;
      Falta de vontade em viver ou não ter grandes interesses;
      Desejos por doces;
      Indecisões ou falta de vontade de fazer coisas;
    • Causas da Anorexia Nervosa
      Não se conhecem as causas fundamentais da Anorexia Nervosa. Há autores que evidenciam como causa a difícil interacção sociocultural, factores biológicos e ficam especialmente vulneráveis à sua personalidade.
      Aspectos biológicos incluem as alterações hormonais que ocorrem durante a puberdade e as disfunções de neurotransmissores cerebrais, tais como a dopamina, a serotonina, a noradrenalina e dos peptídeosopióides, sabidamente ligados à regulação normal do comportamento alimentar e manutenção do peso, além dos aspectos genéticos.
    • Tratamento da Anorexia Nervosa
      Uma vez iniciado esse processo, há que o corrigir e para isso temos de:
      • Detectá-lo
      • Assumi-lo
      • Corrigi-lo
      • Uma das primeiras dificuldades diz respeito ao paciente aderir ao tratamento, pois, a negação da doença é muitas vezes parte integrante do quadro clínico.
      • A ingestão de medicação é indispensável e normalmente é tratada á base de antidepressivos, que tenham como efeito colateral também o estímulo do apetite e o ganho do peso.
      • Psicologicamente deve-se abordar o caso cognitivamente, encorajando o paciente a ter atitudes mais sadias, recompensando-o com elogios e diminuindo as situações de stress.
      • A família deve ser orientada sobre a gravidade do problema, sobre falsas expectativas e de que a cura não será fácil.
      • Mesmo após a melhoria é bom ter em mente que as recaídas são frequentes. No caso de internamento, a taxa de recaída imediata é superior a 25%. Portanto o acompanhamento destes pacientes deve ser gradual.
    • Conclusão:
      • Na nossa opinião e perante toda a informação que foi referida anteriormente pensamos que é da maior importância estarmos informados e atentos aos sintomas aqui descritos, pois poderemos alertar os pais para alguma situação que possa ocorrer no nosso contexto profissional ou pessoal.
    • Trabalho realizado por:
      Rosália
      Patrícia
      Idalina
      Sara
      Sameiro