Historia do computador_2003

1,905 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,905
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
41
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Historia do computador_2003

  1. 1. Conteúdo Programático de Redes Windows 2000 – 60h O aluno deverá ter habilidade necessária para realizar, após a instalação, tarefas de administração em um único domínio ou múltiplos domínios em rede baseada no Microsoft Windows 2000.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  2. 2. •Software que controla e gerencia o hardware,que opera o computador•Gerencia todo o software•Fornece ferramentas para administração darede•Reduz custos com sobrecarga administrativa
  3. 3. • O Windows 2000 controla: • Inputs / Outputs do sistema • Processos do sistema • Alocação de memória • Dados que serão armazenados, o local, o nome, etcPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  4. 4. • Multitarefa1. Recursos do Windows 2000 • Suporte à memória • Escalonabilidade • Plug and Play • Recursos de sistema de arquivos • Qualidade do serviço • GUI- (Graphical User Interface)PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  5. 5. 2. Área de trabalho do Windows 2000 Área de trabalho Menu iniciar Barra de tarefasPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  6. 6. Maximizar 3. JanelasMinimizar Fechar PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  7. 7. 4. Acessórios do sistema operacional
  8. 8. Calculadora • Fácil acesso a qualquer operação básica, além de poder utilizar funções da calculadora científica. • Start Programs Acessories Calculator.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  9. 9. Prompt de comando • Interface de linha de comando que interpreta os comandos digitados pelo usuário em operações que o computador pode executar. • Start Programs Acessories Command PromptPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  10. 10. Bloco de notas • Editor de textos simples, utilizado para anotações rápidas que não requerem formatação. • Start ProgramsPROJETO ALUNO MONITOR 2003 Acessories Notepad NRTE CAMPINAS OESTE
  11. 11. WordPad • Editor de textos mais poderoso do que o Bloco de notas, porém muito pobre se comparado com o Microsoft Word. • Start Programs Acessories WordPadPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  12. 12. Paint • Aplicativo utilizado para a criação de imagens de bitmap • Start Programs Acessories PaintPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  13. 13. 5. Meu computador e Windows Explorer • Ferramentas usadas para a manipulação de arquivos e diretórios • Start ProgramsPROJETO ALUNO MONITOR 2003 Acessories Windows Explorer NRTE CAMPINAS OESTE
  14. 14. Arquivos e Pastas • Arquivo é uma coleção de dados ou informações agrupadas de determinada forma. • Em aplicações de interfaces gráficas, um pasta é um objeto que pode conter múltiplos documentos, e as pastas são utilizadas para manter as informações organizadas no disco.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  15. 15. Propriedades de arquivos e pastas • Para exibir ou ocultar arquivos marcados como ocultos, deve-se habilitar/desabilitar esta opção em opções de pasta na guia View. • Para configurar um arquivo ou pasta como oculto, deve-se habilitar esta opção em suas propriedades.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  16. 16. Manipulação de arquivos e pastasPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  17. 17. Lixeira • Jogue arquivos indesejados ou que não for mais utilizar na lixeira.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  18. 18. Abrindo programas na inicialização • As vezes se deseja, ou se faz necessário a execução de um determinado programa ou a abertura de determinado documento assim que o Windows 2000 é iniciado.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  19. 19. Pesquisar por arquivos e pastas • Pesquisa • Por data • Por tipo • Por tamanho • Opções avançadas: • Pesquisar em sub-pastas • Case sensitive (diferenciar maiúsculas de minúsculas) • Pesquisar arquivos lentos (de dispositivos removíveis) • No exemplo, há uma pesquisa dos arquivos de fontes True Type acessados no período de 13/09/2003 a 13/10/2003 e que tenham no máximo 100Kb. • Start Search For Files and FoldersPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  20. 20. 6. Configurações do Painel de Controle Control Panel File Edit View Favorites Tools Help Back Search Folders History Address Control Panel Go Accessibility Add/Remove Add/Remove Administrative Date/Time Display Control Panel Options Hardware Programs Tools Use the settings in Control Panel to personalize your computer. Folder Options Fonts Game Internet Keyboard Licensing Select an item to view its Controllers Options description. Windows Update Windows 2000 Support Mouse Network and Phone and Power Printers Regional Dial-up... Modem... Options Options Scanners and Scheduled Sounds and System Cameras Tasks Multimedia 22 object(s) Start → Settings → Control Panel Iniciar Configurações Painel de ControlePROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  21. 21. Adicionar/Remover Hardware Start → Settings → Control Panel Add/Remove Hardware Iniciar Configurações Painel de Controle Adicionar/Remover HardwarePROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  22. 22. Adicionar/Remover programasStart → Settings → Control Panel Add/Remove ProgramasIniciar Configurações Painel de Controle Adicionar/Remover ProgramasPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  23. 23. AcessibilidadeStart → Settings → Control Panel Acessibility OptionsIniciar Configurações Painel de Controle Opções de Acessibilidade PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  24. 24. Data e Hora Start → Settings → Control Panel Acessibility Options Iniciar Configurações Painel de Controle Opções de AcessibilidadePROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  25. 25. Monitor Start → Settings → Control Panel Display Iniciar Configurações Painel de Controle VídeoPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  26. 26. Opções de pasta Start → Settings → Control Panel Folder Options Iniciar Configurações Painel de Controle Opções de PastaPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  27. 27. Teclado Start → Settings → Control Panel Keyboard Iniciar Configurações Painel de Controle TecladoPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  28. 28. Mouse Start → Settings → Control Panel Mouse Iniciar Configurações Painel de Controle MousePROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  29. 29. Conexões Dial-Up e de RedeStart → Settings → Control Panel Network and Dial-up ConnectionsIniciar Configurações Painel de Controle Conexões Dial-up e de RedePROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  30. 30. Impressoras Start → Settings → Control Panel Printers Iniciar Configurações Painel de Controle ImpressorasPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  31. 31. Opções regionais Start → Settings → Control Panel Reginal Options Iniciar Configurações Painel de Controle Opções RegionaisPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  32. 32. Tarefas agendadas • Agendar tarefas,diariamente, semanalmente, mensalmente ou horários específicos. Alterar , interromper, executar e personalizar tarefas agendadas Para executar uma tarefa agendada Start → Programs → Acessories → System Tolls → Scheduled Tasks Botão direito do mouse → Run Start → Settings → Control Panel Scheduled Tasks Iniciar ConfiguraçõesPROJETO ALUNO MONITOR 2003 Painel de Controle Tarefas Agendadas NRTE CAMPINAS OESTE
  33. 33. Propriedades do Sistema System Properties System Properties Control Panel General Network Identification Hardware User Profiles Advanced General Network Identification Hardware User Profiles Advanced File Edit View Favorites Tools Help User profiles contain desktop settings and other Back Hardware Wizardrelated following information to identify your Performance uses the to your logon. A different profile can Windows Search Folders History System: information the network. Address computer on Control Panel be created on each computer you use, or you can Go The Hardwareoptions control how applications use Performance wizard helps you install, uninstall, Microsoft Windows memory, which London.nwtraders.msft oncomputer. repair, Full computer name: affects the speed of your every select a unplug, eject, and configure your hardware. roaming profile that is the same 5.00.2195 computer you use. Registered to: Hardware Options... Profiles Accessibility computer: PerformanceWizard... Domain:stored on thisAdd/Remove Add/Remove Administrative Date/Time nwtraders.msft Display Control Panel Options Hardware IBTA S/A Type Tools Programs Name Size To rename this computer or join a domain, Modified Properties System Environment Variables São Paulo Local Device Manager NWTRADERSadministrator 2184 KB click Properties. 12/22/1999 51879-005-0249992-05552 Provides system information The Device Manager lists allyourRoaming 12/22/1999 NWTRADERSkimyo variables tells KB hardware devices 643 the computer where Environment Start → Settings → Control Panel and changes environment settings ScheduledLicensing Tasks Folder Options installed on your Fontsof information. Device computer. Use the Internet to find certain types Game Computer:Controllers Options Manager to change the properties of any device. Note: The identification of the computer cannot be changed Keyboard x86 Family 6 Model Variables... 0 Environment 6 Stepping Iniciar Configurações Windows Update Painel de Controle Regional Windows 2000 Support because: Tarefas Driver Signing... - The computer is a domain AT/AT COMPATABLE Mouse controller Device Manager... Network and Phone and 261,688 KB RAM Power Printers Agendadas Startup and RecoveryDial-up... Options Hardware Profiles Modem... Options Startup and recovery options tell your computer Hardware profiles provide a way for you to set up and store different hardwareifconfigurations. your how to start and what to do an error causes Scanners to Scheduled computerand stop. Sounds and System Cameras Tasks Multimedia Hardware Profiles... Startup and Recovery... Provides system information Delete and changes environment settings Change Type Copy To... My Computer OK OK Cancel Cancel Apply ApplyPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  34. 34. Usuários e senhas • Os usuários podem alterar sua própria senha através da janela Users and Passwords, porém nem todos os usuários possuem esse privilégio. • Mesmo assim, uma outra forma que o usuário tem para alterar a sua senha no Windows 2000 é pressionando CTRL+ALT+DELETE e escolhendo a opção Change Password. • Start Settings Control Panel Users and PasswordsPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  35. 35. 7. Ferramentas administrativas Gerenciamento do computador • Start Settings Control Panel Administrative Tools Computer ManagementPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  36. 36. Usuários e grupos • Start Settings Control Panel Administrative Tools Computer ManagementPROJETO ALUNO MONITOR 2003 Users and Local Groups NRTE CAMPINAS OESTE
  37. 37. Visualizador de eventos • Na ocorrência de um evento, o Windows 2000 registra sua ocorrência em um log de evento Event Viewer Action View Tree Event Viewer (Local) Event Viewer (Local) Name Type Description Size Application Log Application Log Log Application Error Records 512.0 KB Security Log Security Log Log Security Audit Records 64.0 KB System Log System Log Log System Error Records 512.0 KB Directory Service Directory Service Log Custom Log Error Records 128.0 KB File Replication Service File Replication Service Log Custom Log Error Records 64.0 KB • Start Settings Control PanelPROJETO ALUNO MONITOR 2003 Administrative Tools NRTE Computer Management CAMPINAS OESTE Event Viewer
  38. 38. Serviços • Na ocorrência de um evento, o Windows 2000 registra sua ocorrência em um log de eventoPROJETO ALUNO MONITOR 2003 Start → Settings → Control Panel → Administrative Tolls NRTE CAMPINAS OESTE
  39. 39. HISTÓRICO DOS COMPUTADORSÁbaco Chinês - aproximadamente Soroban - Ábaco Japonês
  40. 40. Evolução dos processadoresPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  41. 41. • 500 A.C. - ábaco - primeiramente utilizado pelos babilônios - forma atual: China, em 1300 D.C. • 1642 - Blaise Pascal - construiu uma máquina de somar (“the Pascaline”) - conseguiu vender em torno de uma dúzia delas • 1822 - Charles Babbage - projetou seu primeiro computador mecânico - protótipo da máquina de diferença • 1848 - George Boole - criou a álgebra booleana - computadores bináriosPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  42. 42. XVII - O francês Blaise Pascal projeta umacalculadora que soma e subtrai e o alemãoGottfried Wilhelm Leibniz incorporaoperações de multiplicar e dividir à máquina.
  43. 43. • 1890 - Herman Hollerith - utilização de cartões perfurados - censo dos EUA de 1890 - previsão: 10 anos de trabalho - com o método de Hollerith: 6 semanas! • 1896 - fundação da “Tabulating Machine Company”, por Herman Hollerith (futura IBM) • 1906 - Lee De Forest - invenção da válvula • 1924 - International Business Machines (IBM) fundada, depois de fusões entre empresas em 1911; fundador: Herman HollerithPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  44. 44. • 1928 - fundação da Galvin Manufacturing Corporation (que se torna a Motorola em 1947) por Paul V. Galvin •1937 - George Stibitz (Bell Telephone Laboratories) - construiu um somador binário de 1 bit • 1939 - David Hewlett e William Packard - fundam a Hewlett-Packard (HP) em uma garagem na Califórnia • 1946 - construção do ENIAC (Electronic Numerical Integrator Computer) - pesava 30 toneladas e usava 18.000 válvulas - capaz de realizar 100.000 cálculos por segundo - cálculo de trajetórias balísticas e teste de teorias sobre a bomba HPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  45. 45. 1946 - O Eletronic Numerical Integrator andComputer (Eniac), primeiro computadoreletrônico, é criado nos EUA.
  46. 46. • 1947 - William B. Shockley, John Bardeen e Walter H. Brattain - invenção do transistor, no Bell Laboratories - 1951 - Maurice V. Wilkes - descreve os conceitos fundamentais da microprogramação - 1958 - Jack St Clair Kilby (Texas Instruments) Primeiro transistor e Robert Noyce (Fairchild Semiconductor) - invenção do circuito integrado - 1968 - Robert Noyce funda a Intel - 1969 Primeiro circuito integrado - Jarry Sanders funda a AMD (Advanced Micro Devices)PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  47. 47. • 1970 • Projeto do IBM 801 é iniciado (RISC) • 1971 (Novembro) - primeiro microprocessador - 4004 da Intel - 2300 transistores - processador de 4 bits (instruções Intel 4004 tinham 8 bits) - 60.000 interações por segundo - clock de 108 kHz - utilizado em calculadoras - memórias de dados (1 Kb) e de programa (4 Kb) separadas - 46 instruções - extensão: 4040 - mais 14 instruções e interrupções - PC de 14 bits (contra 12 do 4004) Intel 4004 (visão interna)PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  48. 48. •1972 (Janeiro) - processador 8008 lançado pela Intel - 8 bits - parecido com o 4040 - 3.500 transistores - endereçamento de 16 Kb de memória - desenvolvida a linguagem C - 1974 - fundação da Zilog, por Frederico Faggin - Intel lança o 8080 - 16 bits para endereço e 8 para dados Intel 8008 - stack pointer de 16 bits (substitui a pilha (visão interna) interna dos seus predecessores) - primeiro microprocessador da Motorola - MC6800 - 4000 transistores - 8 bitsPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  49. 49. - 1976 - Zilog lança o Z80 - clock de 2.5 MHz; processador de 8 bits - pretensão: ser um 8080 melhorado - compatível com o 8080 Zilog Z80 - Intel lança o 8085 - um 8080 melhorado (como o Z80) - MOS Technologies lança o 6502 - escolhido para equipar o Apple II - dados: 8 bits; endereços: 16 bits - clock: 1 MHz - 56 instruções; 13 modos de endereçamento - desenvolvido o Cray 1 CP 500 (Prológica) Micro brasileiro - primeiro supercomputador comercial que utilizava o Z80 - 200.000 circuitos integrados - 150.000 operações de ponto flutuante por segundoPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  50. 50. 1976 - Lançamento do Apple I, primeiromicrocomputador comercial, inventado por StevesJobs e por Steves Woznick. Os anosmaravilhosos: início da década de 80, Jobse Wozniak iniciaram uma revolução com olançamento do Apple II.
  51. 51. - 1978 - Intel lança o 8086 - primeiro processador de 16 bits de sucesso comercial - 8 MHz, 29.000 transistores e 0.8 MIPS - 300 instruções; “segmentação” - prefetch + execution Intel 8086 - 1979 - Intel introduz o 8088 - uma “regressão” do 8086 - 8 bits de dados - Motorola lança o 68000 - usado pela Apple no Macintosh - registradores de 32 bits; barramento de dados e ALU de 16 bits; internamente: 32 bits Motorola 68020 - “pipeline” de 2 estágios (fetch+execução) - Joseph. Fisher - trace scheduling (VLIW)PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  52. 52. - 1979 - IBM começa a perder fatias de mercado para os Apple e Comodore - CD inventado pela Phillips - 1981 - IBM lança o PC (personal computer) - processador: Intel 8088 - 64 Kb de RAM; - preço: U$ 2880,00 - S.O. : PC-DOS (IBM/Microsoft) IBM PC - 100.000 encomendas no natal - IBM PC eleito pela revista Time como “man of the year” - projetos nas Universidades de Berkeley (RISC I e II) e de Stanford (MIPS) - CPI = 1 - pipelining - grande número de registradoresPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  53. 53. - 1982 - Intel lança o 80286 - processador de 16 bits - endereçava 16 Mb de memória - 1 Gb de memória virtual - MMU (Memory Management Unit) - segmentação Intel 80286 - modo protegido (multitasking) - 12.7 MHz, 2,7 MIPS e 134.000 transistores - SUN Microsystems é fundada - 1983 - IBM lança o PC XT (Extended Technology) - 1984 Intel 80286 - Joseph Fisher funda a Multiflow (outro encapsulamento) - construir supercomputadores VLIWPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  54. 54. - 1985 - Intel lança o 80386DX - processador de 32 bits - clock: 16 MHz; - endereçava 4 Gb de memória e 64 Tb de memória virtual - 275.000 transistores - Windows é criado - 1987 Intel 80386 - Connection Machine - arquitetura paralela (inspirada no cérebro) - 65.536 processadores “simples” - Primeiro processador SPARC - Multiflow produz o Trace/200 - VLIW (256 a 1024 bits por instrução) - 1988 Connection Machine - Intel lança o 80386SX - barramento de dados de 16 bits multiplexadoPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  55. 55. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  56. 56. - 1989 - Tim Berners-Lee - “cria” a World Wide Web - Intel lança 80486DX - 1.2 milhões de transistores; 25 MHz - versões posteriores: DX/2 e DX/4 - FPU (Floating Point Unit) - 1 nível de cache Intel 80486 - 1990 - Windows 3 lançado - características multitarefa - Multiflow fecha as portas - 1991 - Intel lança 80486SX - IBM e Motorola - começo do PowerPC PowerPC - Linux “nasce” na Usenet NewsgroupPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  57. 57. - 1992 - Microsoft lança Windows NT e 3.1 - Id Software lança Wolfenstein 3D - 1993 - Intel lança o Pentium - 3.1 milhões de transistores - arquitetura superescalar - 2 instruções por ciclo de clock Intel Pentium 100 - 16 Kb de cache no chip - 1995 - lançamento do Windows 95 - Intel lança o Pentium Pro - 5.5 milhões de transistores; - 3 instruções por clock - 14 estágios de pipeline; Dynamic Execution Sun UltraSparc - cache de 2 níveis - 1996 - Sun lança o UltraSparcPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  58. 58. - 1997 - Intel lança o Pentium MMX - AMD lança o K6 MMX - Intel lança Pentium II - 300 MHz; Celeron, Xeon e versões para laptops - 1998 - Windows 98 é lançado - 1999 Intel Pentium II - Linux kernel 2.2.0 é lançado - número de usuários do linux estimado: 10 milhões - AMD lança o K6 III com 3D Now - Intel lança o Pentium III - 2000 - Transmeta lança o “Crusoe” - para laptops; compatível com Pentium II AMD K6 IIIPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  59. 59. - 2000 - Windows 2000 é lançado - AMD lança o Athlon de 1 GHz - Intel lança o Pentium III 1 GHz -2001 - Windows XP é lançado - Intel lança o Pentium 4 - Intel lança o Itanium - arquitetura VLIW - 2002 - Intel lança o Pentium 4 2.53 GHz - 0.13 micrômetros; 55 milhões de transistores - barramento: 533 MHz - 512 Kb de Advanced Transfer Cache - AMD lança o Athlon XP 2200+ - QuantiSpeed technology - 1,8 GHzPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  60. 60. Tendências Futuras - Microprocessadores - arquiteturas de 64 bits - processadores dedicados - DSP (digital sign processing) para aplicações multimídia - (DVD, home theater, etc.) - processadores configuráveis - o processador pode ser “definido” pelo usuário - Grandes computadores - processamento paraleloPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  61. 61. Empresas - genealogia 1896 Tabulating Machine Company 1924 1928 IBM Tabulating Machine Company torna-se IBM 1939 Galvin Manufacturing Corporation 1947 HP Coronado Corporation 1951 Motorola Coronona Corporation torna-se Texas Intruments 1957 Texas Instruments Digital Equipment 1959 1968 National Semiconductor 1969 Intel Compaq compra a Ex-engenheiro da DEC em 1998 1974 AMD Intel funda Zilog 1976 Zilog 1982 Apple Computer Sun Compaq 2002 Fusão HP - Compaq HP adquire Compaq Fusão HP - CompaqPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  62. 62. CLASSIFICAÇÃO DOS COMPUTADORESA Primeira Geração: é constituída peloscomputadores construídos entre os anos 1950 e1960. Trata-se das primeiras máquinas deste tipofabricadas com fins comerciais, sendo ocomponente eletrónico básico que tornava possívelo seu funcionamento a válvula de vácuo(dispositivo eletrónico formado por dois eletrodosencerrados numa ampola em que se criou umvácuo). Estas máquinas programavam-sediretamente em código máquina e eram capazesde realizar até 1000 instruções por segundo.
  63. 63. A Segunda Geração: compreende os computadoresconstruídos entre 1960 e 1965. Caracteriza-se pelo fatode o componente eletrônico, sobre o qual se baseia, sero transistor (dispositivo eletrônico que atua como uminterruptor, já que determina a passagem ou não dacorrente entre dois pontos, em função da tensãoaplicada a um terceiro).Este fato faz com que a referidageração reduza substancialmente o consumo deenergia e o volume ocupado pelas máquinas, assimcomo por um aumento da fiabilidade e da velocidade decálculo das instalações. Os progressos do sistemalógico dos computadores deram lugar ao aparecimentodos sistemas operativos, do processamento em regimede multi-utilizador das linguagens de alto nível, etc.
  64. 64. Terceira GeraçãoA terceira geração, que abarca o período de 1965a 1975, caracteriza-se fundamentalmente pelaredução das dimensões das instalações, já que asua construção e funcionamento se baseia noemprego de circuitos integrados. Por volta de1974, logrou-se obter, graças às técnicas VLSI(Very Large Scale Integrator, integração a muitogrande escala) um circuito integrado quealbergava até 20 000 componentes numasuperfície de 25 mm2.
  65. 65. A quarta geração abarca o período desde 1975 até aosnossos dias e caracteriza-se fundamentalmente pelacontinuação do processo de integração que culminou,em 1975, com a consecução de uma escala deintegração que permitia colocar 60 000 componentesnuma superfície de 25 mm2. Neste aspecto, aintegração dos circuitos alcança o nível de VLSI, isto é,a de pelo menos 1000000 transistores em 25 mm2. Poresta razão está ligada com o aparecimento domicroprocessamento (chip no qual se integram aunidade aritmética e lógica, a unidade de controlo e osregistos, isto é, a obtenção mediante circuitosintegrados de uma unidade central de processamento).
  66. 66. O surgimento domicrocomputador permitiu, que a informática se popularizasse, chegando a todos os cantos do planeta e aplicando-se a grande quantidade de atividadeshumanas, passando a fazer parte da vida do ser humano.
  67. 67. A quinta geração, posta em marcha pelasindústrias japonesas de setor e mediante a qual, apartir de 1981, se trabalha no desenvolvimento decomputadores inteligentes, do ponto de vista dosistema físico, sem por isso abandonar a idéia de umsistema lógico que trabalhe com base na simulaçãodos processos que tem lugar no intelecto humano. Oconceito das máquinas da quinta geração baseia-seem quatro elementos fundamentais: o módulo deresolução de problemas, o dispositivo de gestão dasbases de conhecimentos, uma fase intermédia delinguagem natural e, finalmente, um módulo deprogramação.
  68. 68. O software da rede – Funções Básicas O software de rede controla o as operações entre osequipamentos, permite controlar quem tem acesso a ele eregula o fluxo de informações entre cada usuário para o usodos recursos entre todos. É uma grande tarefa.Parte do software de uma rede é o redirecionador da rede,assim chamado porque ele direciona e redireciona comandosque se encontram flutuando pela rede. O redirecionadoragarra todos os comandos e examina-os para ver se umcomando é alguma coisa da qual o equipamento deveriacuidar. Protocolos também fazem parte do sistemaoperacional. Os protocolos são essencialmente um conjunto deregras de comportamento que devem ser seguidas para queexiste uma comunicação efetiva entre os componentes. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  69. 69. Noções de Arquitetura de Computadores 1. 2. 3. Etapas para a Por que Performance execução de números entre um programa. binários? máquinas.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  70. 70. A CPU (Central Processing Unit) é a unidade mais importante de um computador. Composta por um certo número de registradores, pela unidade de controle e pela unidade lógico-aritmética, sua função é executar programas armazenados na memória principal. A organização de um simples computador com uma CPU e dois dispositivos de entrada e saída é apresentado abaixo:PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  71. 71. Organização da CPU Uma CPU clássica possuiregistradores (tipicamente entre 1 a16) e a ALU (Arithmetic LogicalUnit), como veremos a seguir. Umadas funções dos registradores éfornecer à ALU dois operandos, quesão armazenados em registradoresespeciais. Com estes operandos, sãorealizadas operações simples como aadição e subtração, fornecendo oresultado num registrador de saída.Este resultado pode ser armazenadoem outro registrador ou ir para amemória.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  72. 72. Arquitetura Plug and Play do Windows 2000 C las s C ontrol Pa ne l Spoo ler Installers Ap plets (o th er) G erenciad o r Plug and Play S etup H ard ware Enu m eratio n ev ent control m a nag e m en t Enum Application s co ntrol, H ard w are and so on event n otification U ser m ode K ernel m ode P nP I/O P ower (other Executive com ponents) Manager Manager Manager E xecutive I/O Interfac e Plug an d Play In te rface Po w er M an ag em ent Interface M ore W in d ow s In terfaces W D M Interface W ind o ws Plu g W DM Plu g and Play B us Driv ers W DM Dev ic e Driv ers and Play Driv ers ACPI PC Card USB PCI H ard w are Ab stra ctio n Layer (H AL )PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  73. 73. Exemplo de árvore de dispositivo Plug and Play do Windows 2000 USB Hub FDO (usbhub.sys) USB Hub PDO (uhcd.sys or openhci.sys) LAN Adapter FDO USB Host Controller FDO (LAN adapter driver) (uhcd.sys or openhci.sys) LAN Adapter PDO USB Host Controller PDO (pci.sys) (pci.sys) PCI Bus FDO (pci.sys) PCI Bus Controller PDO (acpi.sys) ACPI FDO (acpi.sys) ACPI PDO (ACPI HAL) ACPI HAL FDO Attachment (FDO, PDO) ACPI HAL PDO Parent-child relationship (PnP Manager) Logical device instancePROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  74. 74. HARDWARE BÁSICO PLACA MÃEA função da placa mãe é criar meiospara que o processador possacomunicar-se com todos os demaisperiféricos do micro com a maiorvelocidade e confiabilidadepossíveis. O nome “placa mãe” émais do que justo, já que todos osdemais componentes sãoencaixados nela. O suporte a novastecnologias, as possibilidades deupgrade e, até certo ponto, aprópria performance doequipamento, são determinadospela placa mãe.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  75. 75. :. FormatosAtualmente, encontramos tanto placas no formato AT,mais antigo, quanto no formato ATX. Os dois padrõesse diferenciam basicamente pelo tamanho: as placasadeptas do padrão ATX são bem maiores, o que permiteaos projetistas criar placas com uma disposição maisracional dos vários componentes, evitando que fiquemamontoados. Os gabinetes para placas ATX também sãomaiores, o que permite uma melhor ventilação.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  76. 76. CONECTORESPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  77. 77. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  78. 78. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  79. 79. Tipos de Conectores ConfiguraçõesPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  80. 80. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  81. 81. A operação de Boot não faz muita coisa. Ela possuisomente duas funções: executar o POST ou Auto-Testeinicial e pesquisar as unidades de disco para o SistemaOperacional. Ao terminar as duas funções, inicia-se oprocesso de leitura dos arquivos do Sistema Operacional ea cópia destes arquivos para a memória de processoaleatório (RAM).PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  82. 82. Como funciona o Auto-Teste (ou POST)É a primeira coisa que o PC executa quando é ligado, e e´o primeiro a avisarquando há problemas em qualquer um dos componentes. Quando o Auto-Testedetecta erro no monitor, na memória, no teclado ou em algum componente básico,ele exibe uma mensagem de erro na tela e - caso o monitor não seja um dosproblemas - mostra onde está o erro, emitindo uma série de sinais sonoros ou bips.Normalmente, nem os bips nem a mensagem de tela são suficientes para informarcom exatidão o que há de errado. Na verdade, o que se pretende com isso é indicarde forma genérica qual componente está com problema. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  83. 83. RAM (Random-Access Memory): Quando você liga o computadorpela primeira vez, a RAM está vazia. A memória é preenchida com0´s e 1´s lidos do disco ou criados pela tarefa que você realiza nocomputador. Quando o PC é desligado, tudo que estava na RAM éperdido. A maioria destes chips de memória só funcionam sehouver uma fonte de eletricidade para abastecer continuamente asmilhares ou milhões de descargas elétricas individuais quecompõem os programas e os dados armazenados na RAM. Todo oprograma, para ser executado, deve antes ser carregado namemória RAM. Os dados, planilhas, bancos de dados ou qualqueroutro tipo de arquivo precisam ser armazenados na RAM, mesmoque temporariamente, antes que o programa possa utilizar oprocessador para manipulá-losPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  84. 84. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  85. 85. PARA INSTALAR UMAMEMÓRIA: Encaixe fazendopressão vertical para baixo(ângulo de 90° com o slot);tome cuidado para não encaixarerrado: basta olhar para astravas do slot e encaixá-los nascavidades do pente de memóriaDimm. Agora, basta fazer maispressão até que a memória seencaixe totalmente, para depoisencaixá-la com os pinos do slot.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  86. 86. Cache de RAM Os chips de Memória de Acesso Aleatório (RAM) são encontrados em todosos computadores, mas nem sempre os chips de memória são feitos da mesmaforma. Alguns são mais rápidos que os outros e quanto mais rápidos, maiscaros serão. A função do Cache é movimentar os dados entre a memóriaprincipal e o processador, no menor tempo possível. Um Cache de RAM érápido e barato no custo do computador. Sem Cache, o processador poderiaficar vários ciclos de clock inativo, esperando que os dados solicitados lhefossem transmitidos. Com o Cache, o computador pode manter o quenecessita ao seu alcance, ou seja, os dados mais prováveis de serem solicitadospelo microprocessador com tempo de espera mínimo, às vezes nulo.nuloPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  87. 87. Cache de Disco O ponto mais lento de qualquer computador é sua unidadede disco. Por ser uma parte mecânica, deve-se levar emconsideração sua massa e inércia também. Uma maneirade se tornar este acesso ao disco mais rápido é utilizar umcache de disco. Um cache de disco torna mais rápida asoperações do computador, mantendo na RAM os dados deseu aplicativo que têm maior probabilidade de seremsolicitados à unidade. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  88. 88. Os Barramentos são um conjunto de circuitos dentrodo PC que pode ligá-lo a todas as suas partes e periféricos.Com os slots de expansão do barramento podemostransformar o computador pessoal de tal forma que ele podepassar a realizar tarefas jamais imaginadas pelos seusprojetistas. Os circuitos do barramento são utilizadostambém para a comunicação com alguns periféricos - comoo teclado - não ligados a uma placa de expansão. Todo equalquer tipo de dado que estiver sendo processado pelocomputador passa pelo barramento. Com isso, é possívelque todos os periféricos recebam esses dados e saibam oque o processador está fazendo. O processador podeenviar comandos neste barramento e cabe a cada periféricointerpretar o seu comandoPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  89. 89. Barramento de 8 bitsOs dados são transmitidos para os slots deexpansão e para os outros componentes do bussomente através de 8 linhas paralelas de dados.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  90. 90. Barramento ISA ou de 16 Bits Os dados são transmitidos para os slots deexpansão e para os outros componentes do busatravés de 8 ou 16 linhas de dados, dependendodo tipo de placa utilizada no slot de expansãoPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  91. 91. Barramento MCA Os dados são transmitidos para as placas projetadas especificamente para trabalhar com barramentos de 32 bits, através de 32 linhas de dados. Os slots de expansão MCA não aceitam placas de 8 ou 16 bits.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  92. 92. Em uma Rede de Barramento, todos osnós ligam-se a ela como ramos de umalinha comum. Cada nó possui umendereço único. A placa de rede, oservidor de arquivo ou o servidor deimpressão deve certificar-se de que nãohá nenhum outro sinal na rede. Entãoenvia uma mensagem para a rede atravésde um transceptor (transceiver). Cada nópossui seu próprio transceptor. Otransceptor difunde a mensagem emtodas as direções de forma que elaalcance todos os demais nós da rede. Amensagem inclui os endereços da fonte edo destino, os pacotes de verificação deerros e os dados. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  93. 93. Cada nó do barramento verifica as informações de endereçamentocontidas na mensagem. Se esses nós não são o endereço, elesignoram a mensagem. Quando a mensagem chega ao nódestinatário, ele lê os dados, verifica se houve erro e envia um sinalde volta ao emissário. Quando dois nós enviam suas mensagenssimultaneamente, a colisão dessas mensagens cria umainterferência elétrica e a rede é bloqueada durante um tempo paraque nenhum nó envie mais mensagens. O processo se repete atéque um dos nós envie sua mensagem sem encontrar mensagem deoutro nó. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  94. 94. O Disco Rígido é uma unidade fixa no computador, que serve paraarmazenar arquivos e programas. Cada operação de disco para ler ougravar um arquivo aciona uma sequência absurda de movimentos - quedevem ser executados com precisão microscópica pelas cabeças deleitura /gravação. Os ajustes de um disco rígido obedecem umaexatidão íncrivel para a unidade poder desempenhar sua tarefa semdanos. Diferente de quaisquer componentes do PC que obedecem oscomandos do programa sem reclamar, a Unidade de disco Rígido comoum dos poucos componentes nos computadores pessoais que é tantomecânico quanto eletrônico.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  95. 95. O Modem é uma ponte entre os sinais analógicos e digitais. Ele coverte os dados digitais ligado e desligado(1 e 0) em um sinal analógico variando, ou modulando, a frequência de uma onda eletrônica, um processo similar ao utilizado pelas estações de FM. Como ponta de recepção de uma conexão eletrônica , o Modem faz exatamente o oposto: demodula os sinais analógicos em códigos digitais. Os dois termos, MOdular e DEModular, deram ao modem seu nome.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  96. 96. Os monitores coloridos mais recentes, já possuem hoje em dia uma paleta de no mínimo 256 cores e alguns até milhões de cores. No lugar da velha resolução de 640 colunas por 200 linhas pixels, os monitores mais modernos possuem resolução de 1024 colunas por 768 linhas pixels. O segredo dos melhores monitores é a combinação do adaptador de vídeo VGA(Variable Graphics Array) com monitores versáteis que podem operar com grande variedade de sinais da placa de vídeo. O VGA utiliza um sinal analógico ao invés de informações digitais(que indicavam somente se um pixel estava ligado ou não) e converte as informações digitais em diferentes níveis de tensão que variam a intensidade de um pixel. O processo exige menos dados e é mais versátil. Os monitores Super VGA usam um conjunto de chips especiais e uma maior freqüência de refresh para aumentar ainda mais o número de cores e a resolução sem afetar a qualidade do vídeo.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  97. 97. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  98. 98. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  99. 99. Pela inconveniência do teclado, os pesquisadores criaramo conceito de um dispositivo de apontamento, algo que ousuário pudesse mover com a própria mão, produzindoum movimento correspondente na tela. Devido ao seutamanho e fio semelhante ao de um rabo de camundongo,o dispositivo foi chamado de Mouse. Desde então oMouse tornou-se um componente padrão com oscomputadores Macintosh e a popularidade da interfacegráfica. O Mouse e seu primo Trackball sobreviveram aosmétodos incômodos de navegação pelo teclado. Elesnunca substituirão o teclado, mas podem complementá-loexecutando tarefas tais como mover e apontar objetos natelaPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  100. 100. Quando um scanner lê a imagem de um documento, ele converte os elementosescuros - texto e partes gráficas - da página em um mapa de bits (bitmap), umamatriz de pixels quadrados que podem estar ativos (pretos) ou inativos(brancos). O programa de OCR (reconhecimento óptico de caracteres) lê obitmap gerado pelo scanner e mapeia o espaço em branco da página. Istopossibilita que o programa separe em blocos os parágrafos, colunas, títulos epartes gráficas. Na primeira etapa, o programa tenta reconhecer cada caracteratravés de uma comparação pixel a pixel com o modelo de caractere que oprograma guarda na memória. Os caracteres não reconhecidos passam por umprocesso mais minucioso e demorado conhecido como extração de recursos. Oprograma calcula a altura do texto e analisa cada combinação das linhas retas,curvas e áreas preenchidas de cada caracter. Como estes dois processos acabampor não decifrar todos os caracteres, os programas OCR marcam os caracteresnão reconhecidos com um caractere especial - como ~, #, ou @ - e desistem.Faz-se necessário então o uso de um processador de textos com corretorortográfico para localizar tais caracteres e corrigí-los. A maioria dos programasOCR permite que o documento seja gravado em ASCII ou em um formatopossível de ser reconhecido pelos processadores de textos ou planilhaseletrônicas.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  101. 101. CDs Os CDs são o tipo mais popular de unidade óptica e muito usados hoje em dia, principalmente para multimídia. Um CD tem a capacidade de 650 MB (aproximadamente 500 disquetes), o que faz com que ele seja usado para jogos ou instalação de programas, mesmo porque isso seria inviável através dos disquetes hoje em dia.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  102. 102. O QUE SÃO REDES DE COMPUTADORES? REDE é um conjunto de computadores autônomos interconectados capazes de trocar informações e compartilhar recursos (conceito de redes de computadores). Objetivos almejados pela rede: * Compartilhamento de recursos; * Transferência de informações; * Aumento de confiabilidade; * Redução de custos; * Facilidade de atualização.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  103. 103. Basicamente uma rede consiste em 2computadores interligados com o objetivo decompartilhar dados. Isso já pode serconsiderado uma rede.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  104. 104. O funcionamento de uma rede de computadores implica umdeterminado conjunto de meios. Ao nível dos meios físicos ouhardware uma rede necessita: computadores, periféricos, meiosfísicos de transmissão, dispositivos de ligação. Em nível desoftware, uma rede de computadores normalmente implica:drivers de placas de rede, protocolos de comunicação, sistemasoperativos específicos para redes, utilitários e programas.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  105. 105. ISO/OSIO modelo OSI (Open System Interconect) foi criado em 1977pela ISSO (International Organization for Standardization) como objetivo de criar padrões de conectividade para interligarsistemas de computadores locais e remotos. Os aspectos geraisda rede estão divididos em 7 camadas funcionais, facilitandoassim a compreensão de questões fundamentais sobre a rede.A tabela apresentada mostra o modelo ISO/OSI e a atuação dosprodutos de comunicação em cada uma das camadas destemodelo, em uma divisão muito clara das camadas de umsistema de comunicação. Este é um grande auxílio para oentendimento dos diversos protocolos de mercado.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  106. 106. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  107. 107. AS REDES NA ATUALIDADEPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  108. 108. Topologia: distribuição física e lógica doscomputadores em uma determinada rede.(barramento, estrela, anel)A topologia da rede é umnome fantasia dado ao arranjodos cabos usados parainterconectar os clientes eservidores. A maneira comoeles são interligados temalgumas implicações sobre amaneira como o sistemaoperacional de rede gerenciatanto os clientes quanto o fluxode informações sobre a rede,PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  109. 109. Tecnologia Ethernet• Hoje a mais utilizada • balanço entre velocidade, custo e facilidade de instalação. • aceitação no mercado de computadores e existência de bom suporte. • Padrão definido pelo IEEE.• A que topologia pertence ?PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  110. 110. Ethernet - BarramentoPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  111. 111. Ethernet - EstrelaPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  112. 112. Ethernet - MistaPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  113. 113. Cabeamento Ethernet• Quatro tipos de cabos mais usados hoje: • 10Base5 : coaxial grosso (thick ethernet) • 10Base2 : coaxial fino (thin ethernet) • 10BaseT (UTP) : par trançado • 10BaseFL : fibra óptica • ambientes com interferência • 2 km de distância • 100 MbpsPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  114. 114. Como funciona: Ethernet • Não há uma “central” de coordenação. • Xerox - início anos 70 (1973 - Bob Metcalf) • Ethernet: 10Mbps • Fast Ethernet: 100Mbps. • Pode haver colisão. • Como controlar ?PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  115. 115. Fluxo de dados na Ethernet Comprimento máximo da ethernet: 2500 m distância max. percorrida por 64 bits (10Mbps) sem colisãoPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  116. 116. Cabeamento de Rede: esquema de cores Normal Cross OverPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  117. 117. Protocolos de rede Protocolos são basicamente a parte do sistemaoperacional da rede encarregada de ditar as normaspara a comunicação entre os dispositivos.TCP/IPTransfer Control Protocol/Internet Protocol. Ele foidesenvolvido para ser um protocolo roteável, eserve como padrão para redes de longa distância(WAN’s) e para acesso a internet.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  118. 118. ISO-OSI TCP/IP Ausentes Aplicativo Aplicativo Apresentação Sessão Transporte Transporte Rede Internet Data Link Interface de Física RedePROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  119. 119. As fronteiras do modelo TCP/IP Aplicativo Software fora do SO Transporte Software dentro do SO Internet Somente IP usado Interface de Endereço Físico Usado RedePROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  120. 120. A camada de Rede - Internet Roteador Rede Física InternetPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  121. 121. O modelo de camadas TCP/IP Host A Host B Mensagens Aplicativo Idênticas Aplicativo Pacotes Transporte Idênticos Transporte Roteador IP Datagramas IP Datagramas IP Idênticos Idênticos Int. de Rede Frames Int. de Rede Frames Int. de Rede Idênticos Idênticos Rede Física A Rede Física BPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  122. 122. Endereçamento Internet 0 8 16 24 31Classe A 0 netid hostidClasse B 1 0 netid hostidClasse C 1 1 0 netid hostidPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  123. 123. Notação Decimal Pontilhada 10000000 00001010 00000010 00011110 128.10.2.30 Faixa de Valores Decimais por Classe Classe Endereço Mais Baixo Endereço Mais Alto A 0.1.0.0 126.0.0.0 B 128.0.0.0 191.255.0.0 C 192.0.1.0 223.255.255.0PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  124. 124. Espaço de EndereçamentoNro de redes e hosts por rede em cada uma das três classes primárias de endereços IPPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  125. 125. Exemplo de EndereçamentoPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  126. 126. Hosts com múltiplos Endereços IP: não identifica um computador Identifica uma conexão entre um computador e uma redePROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  127. 127. Endereço IP e Tabela de RoteamentoPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  128. 128. Roteamento Direto Comunicação de A para B, por exemplo.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  129. 129. Roteamento Indireto Comunicação de A para E sempre que os nros das redes origem e destino não coincidemPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  130. 130. • Entre as funções de uma placa de rede temos:• - Preparação dos dados: Para que possam ser enviados pelos cabos. A placa de rede converte os bits de dados em um sentido e no outro quando estes passam do computador para o cabo.• - Endereçam os dados: Cada placa de rede tem seu próprio e único endereço, que ela fornece a corrente de dados. A placa coloca um identificador nos dados quando estes são postos na rede.• - Controlam o fluxo de dados: A placa dispõe de uma RAM para ajudá-la a controlar o fluxo de dados e não sobrecarregar o computador nem os cabos.• - Faz a conexão com o outro computador: Antes de enviar alguma informação, cada placa inicia primeiramente um diálogo com cada uma das outras placas da rede. Algumas informações sobre tamanho das palavras, intervalos de comunicação etc. são resolvidos nesta etapa. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  131. 131. Figura 1: Conectores típicos de uma placa de rede.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  132. 132. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  133. 133. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  134. 134. Tecnologia de ConectividadePROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  135. 135. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  136. 136. Hubs • Inicialmente: um concentrador de fiação • Hubs mais modernos • stack (pilhas de hubs): max 10 (IBM) • SNMP (Simple Network Management Protocol) • gerenciamento remoto do hub • Portas “bufferizadas”: armazena frames • filtragem de pacotes: descarta frames ruins • agem como repetidoresPROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  137. 137. Switches • Tem a aparência de um hub • HUB: age como um longo fio compartilhado • SWITCH: simula uma rede com várias bridges! • Permite comunicação em paralelo • aumentam performance da rede • agem também como um filtro • qd um pacote chega, lê o header e o repassa ao segmento destino ( • Funcionam na camada 2. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  138. 138. Roteadores • Transfere dados de uma rede para outra (que podem ser fisicamente diferentes - frames diferentes) • Camada 3 (Redes) do modelo ISO. • Inteligente: tenta encontrar a melhor rota para o pacote. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  139. 139. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  140. 140. •Gateway: dispositivo que atua em qualquer camada domodelo ISO/OSI para vencer “diferenças” entre redes.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  141. 141. TECNOLOGIAS DE ACESSO RAPIDOADSL: Assymetrical Digital Subscriber Line é uma tecnologia que utiliza linha telefônicadigital para tráfego de dados em velocidades de até 8 megabits por segundo (asvelocidades máximas oferecidas por provedores brasileiros são menores).Como funciona: A empresa (uma operadora de telefonia) instala um modem própriopara ADSL, que faz a conversão de dados que chegam e saem pela linha telefônica. Avelocidade é garantida por um processo digital avançado que comprime essainformação. Ao contrário do que se pode imaginar, a linha telefônica não fica ocupada,porque o modem contém um chip chamado splitter, que separa voz e dados. Assim,você pode receber ligações mesmo enquanto está navegando. Por sua vez, a parte dedados também é dividida em download (recepção de dados) e upload (envio de dados).A velocidade do upload, geralmente, é bem inferior à de download. PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  142. 142. Baseado na tecnologia de terceirageração (3G) CDMA2000 1xEV-DO, oGiro vai permitir a transmissão edownload de grandes arquivos, utilizaçãode recursos multimídia nas mensagens,videoconferências e alta qualidade nareprodução de vídeos diretamente daInternet, além da conexãoextremamente rápida à Web e intranets.A tecnologia CDMA2000 1xEV-DOpermite a transmissão de dados comvelocidades de até 2,4 Mbps (Megabitspor segundo) - ou seja: 16 vezes maisveloz que as opções tecnológicas sem fiodisponíveis no Brasil atualmente e 50vezes superior às velocidades de acessodiscado.PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE
  143. 143. Cable modem: Cable modem, na verdade, é tão somente o aparelho que converte os dados que chegam da Internet para o seu computador. Mas acabou batizando o serviço de acesso em alta velocidade por meio de cabo, oferecidas pelas TVs por assinatura. Como funciona: Para quem tem TV por assinatura, o funcionamento é bastante similar: uma extensão do cabo coaxial, que recebe os sinais da televisão, é conectada ao cable modem, que faz as vezes do transcodificador - aquele aparelho que fica em cima ou embaixo da TV e permite a troca de canais. Do cable modem, sai outro cabo que é ligado ao computador por meio da placa de rede, um hardware que dificilmente você tem na máquina mas que, com certeza, não vai comprometer seu orçamento. Resultado: da mesma forma que a televisão, basta ligar o seu computador que você estará conectado à Internet, e em velocidades superiores às oferecidas por meio de modems comuns. Alguns provedores, no entanto, oferecem velocidades de upload (envio de dados do computador para a Internet) menores do que de download (recebimento de dados).PROJETO ALUNO MONITOR 2003 NRTE CAMPINAS OESTE

×