Resumo meteorologia (pp pc) - [www.canalpiloto.com]

13,262 views
12,986 views

Published on

so test

Published in: Career
0 Comments
9 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
13,262
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
10
Actions
Shares
0
Downloads
379
Comments
0
Likes
9
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Resumo meteorologia (pp pc) - [www.canalpiloto.com]

  1. 1. Meteorologia é a ciência que estuda a atmosfera, seus fenômenos e atividades. É um ramo daGeofísica. ciência natural que se ocupa da física do globo terrestre no que diz respeito à suaestrutura sólida (1itosfera) , líquida (hidrosfera) e gasosa (atmosfera). Divisão A meteorologia divide-se em: Meteorologia pura: e aquela voltada para pesquisa. Exs: met. Climatológica , met. Polar , met . tropical ou equatorial, etc. Meteorologia aplicada: é aquela voltada para atender o homem nas suas diversas atividades. Exs: met. agrícola, met. marítima, met. aeronáutica, met. industrial, etc. Atmosfera terrestre: massa gasosa que envolve a terra, protegendo-a do excesso de radiação solar. Constante solar: é a quantidade de energia solar que atinge o topo da atmosfera. É da ordem de 1,94 cal/cm2 /min. A atmosfera terrestre filtra radiação solar para eliminar o excesso da mesma. Processo de filtragem: Absorção: Penetração dos raios solares. Ocorre nos níveis mais elevados da atmosfera. Difusão: Dispersão dos raios luminosos. Ameniza a incidência dos raios sobre a superfície terrestre. Reflexão: Parte dos raios luminosos é refletida de volta para o espaço. Albedo de uma superfície: é a capacidade de reflexão desta superfície. Albedo de uma superfície: A =Er (Quantidade de energia refletida) Ei (quantidade de energia incidente) Albedo médio da terra = 0,35 , ou seja 35% da energia luminosa que incide sobre a terra e é refletida de volta para o espaço. Superficies mais claras, mais lisas, brilhantes possuem maior Albedo. Insolação: é a energia solar residual que atinge a superfície da terra após o processo de filtragem seletiva. Provoca o aumento de temperatura da mesma durante o dia. Insol. max.: 12:00 horas. Temp. max.: Entre 15:00 e 16:00 horas (normalmente). Temp. min. : Entre 05:00 e 06:00 horas (normalmente). OBS: A terra ganha e perde calor através da radiação. Em noites de céu nublado, parte do calor desprendido pela terra, através da radiação terrestre, é absorvido pelas nuvens, evitando um maior resfrimento da superfície. Este fenômeno é conhecido por feito estufa. Composição do ar seco: 78% de N, 21% de O2 e 1% de argônio e outros gases. Além destes elementos, também estão presentes no ar: vapor dágua, partículas de poeira, fumaça, sais, etc. Estes elementos são considerados como impurezas.
  2. 2. Estrutura da Atmosfera1) Troposfera (ou baixa atmosfera): É menos espessa nos pólos e mais expandida no equador.Nos pólos: de 7 a 9 Km, no equador de 17 a 19 Km. É a de maior concentração gasosa de todas eé onde ocorrem a maioria dos fenômenos meteorológicos: chuvas, nevoeiros, neves, furacões,ventos, nuvens, trovoadas, etc. É a camada mais agitada da atmosfera. É caracterizada por umdecréscimo normal da temperatura com altitude.2) Tropopausa: é considerada como uma zona de transição. Espessura: em média de 3 a 5 Km.Característica: ausência de fenômenos meteorológicos e uma constante térmica (Isotermia).Nos pólos sua temperatura varia entre –40º C e – 50º C e no equador de – 80º C e – 90º C.E mais baixa nos pólos e mais elevada no equador.3) Estratosfera: A DIFUSÃO mais acentuada da radiação solar acontece nessa camada. A luz demaior difusão é a azul daí vem a tonalidade azulada do céu. Seu topo se estende entre 60 a 70 kmacima da superfície. Característica: ausência de fenômenos meteorológicos, e a difusão maissignificativa da radiação solar. Dentro dela, entre 25 Km e 50 Km acima da superfície, se forma aOZONOSFERA que tem a função de absorver os RAIOS ULTRAVIOLETAS (UV).4) Ionosfera: seu topo se estende entre 400 a 500 Km acima da superfície. É uma camadaeletrizada,boa condutora de eletricidade. A absorção mais significativa (raios gama, X) ocorredentro dela. É também retransmissora de ondas de rádio.5) Exosfera: se confunde gradativamente com o espaço estelar. Não tem papel no processo defiltração seletiva. OBS: o processo de filtragem começa na IONOSFERA
  3. 3. Água na AtmosferaA água está presente na atmosfera nos seus três estados físicos: GASOSA (em suspensão no ar) ;LÍQUIDA (nuvens, nevoeiros, etc) ; e SÓLIDO (neve, granizo) .Fontes: A água passa para a atmosfera através da evaporação de rios, oceanos, lagos, etc.Condensação: Vapor para LíquidoSublimação: Vapor para Sólido diretamente.Ciclo Hidrológico: É a circulação contínua da água entre a hidrosfera e a atmosfera através daevaporação e seu retomo posterior para a superfície, através das precipitações, que podem ser:LÍQUIDAS (chuvas, chuviscos) e SÓLIDAS (neve, granizo). A capacidade máxima do ar de conterágua na forma gasosa é de 4% do volume desse ar, quando isso acontece, podemos dizer que o arencontra – se SATURADO.Processos de saturação:a) Por acréscimo de vapor d água.b) Por resfriamento. É o processo mais comum, o ar ao ser resfriado diminui sua capacidade deconter água na forma gasosa. Num determinado instante, para um determinado valor detemperatura, ele se satura. Esta temperatura é chamada TEMPERATURA DO PONTO DEORVALHOO acréscimo de vapor dágua no ar se dá em detrimento do Nitrogênio e do Oxigênio , que sãomais pesados do que o vapor dágua. Por isso o ar úmido é mais leve e menos denso do que o armais seco.OBS-. O Orvalho e a Geada não são precipitações. Formam - se sobre as superfícies a partir do arsaturado e por efeito da radiação terrestre.OBS: A Aeronave tem perda de sustentação no ar mais úmido, mas ganha em velocidade eaerodinâmica.OBS: É sempre favorável voar em ar úmido, mas não é favorável para pousos e decolagens.Medidas da Umidade:A umidade do ar pode ser medida através de vários processos:1) Umidade absoluta: é a razão entre a massa de vapor dágua por volume de ar ou: g H20 / Var.2)Umidade específica: é a razão entre a massa de vapor dágua e a massa de ar úmido ou: g H20/Kg ar úmido.3)Razão de mistura: é a razão entre a massa de vapor dágua e a massa de ar seco, ou: g H2O/Kgar seco.4)Umidade relativa do ar: é a razão entre a quantidade de água presente no ar e a quantidademáxima que ele pode conter. É dada em porcentagem, variando de 0% a 100%.Ex: Um determinado volume de ar contém 30 g de vapor dágua, ele satura-se com 70 g de vapordágua, qual é a sua umidade relativa ? 70 ----- 100 30 ----- X 3000 / 70 = 43%
  4. 4. Ex:Um determinado volume de ar pode conter no máximo 12g de vapor dágua. No ínomento elecontém 3,6 g, qual é a sua umidade relativa ? 12 ---- 100 3,6 --- X 360 / 12 = 30%Ex:Um determinado volume de ar contém 1 % do seu volume na forma de vapor dágua. Qual é asuaumidade relativa ? 4% ----100% 1% --- X 100/4 = 25%OBS : O Volume do vapor d’ água máximo no ar é de 4% do volume deste ar = ar saturado =umidade relativa = máxima de 100% = ar saturadoNúcleos de condensação, núcleos higroscópicos ou aerossóis: são partículas sólidas emsuspensão no ar, em torno das quais o vapor dágua condensa ou sublima.OBS: poeira, fumaça , sais , etc.PrecipitaçõesCaráter de cada uma: Contínua: quando ocorre num período igual ou maior que 1 hora. Intermitente: sofre interrupções num período de 1 hora. Pancada: quando cai em grande quantidade num curto espaço de tempo.Instrumentos de medição: Umidade relativa: pode ser medida diretamente através do higrômetro ou indiretamente através do psicrómetro. Chuva: medida diretamente através do pluviômetro ou registrada através do pluviógrafo (representa em gráficos a quantidade de chuva).
  5. 5. CALOR E TEMPERATURACalor: é uma forma de energia. (energia em trânsito)Temperatura: é o estado de aquecimento de um corpo ou o grau de agitação das partículas que oconstitui.Termômetro: fornece a leitura momentânea da temperatura.Termógrafo: fornece a leiturae registro da mesma. ºC = 5/9 (F - 32) [] ºF = 1,8Cº + 32 [] K = Cº + 273OBS – Cº - Graus Celsius Fº - Graus Fahrenheit Kº - Graus KelvinZero absoluto: 0º K. É a temperatura na qual cessa agitação dos átomos e moléculas de um corpo.Na escala de medição Celsius corresponde a -273 Cº.Propagação do calor:A) Processo por Convecção: Se dá na vertical e é efetuado pelas CORRENTES.B) Processo por Advecção: Se dá na horizontal e é efetuado pelos VENTOS.OBS : Os dois Processos ocorrem simultaneamente , então A provoca B.C) Processo por Condução: É um Processo mais efetivo nos corpos sólidos , principalmente nosmetais onde as moléculas permanecem em sua posição original.D) Processo por Radiação: É o transporte de calor a distancia, sem contato entre os corpos , oué o transporte de calor através de fluídos rarefeitos. Ex: o calor do sol que chega à terra.Variação térmica no globo: GTV – Gradiente Térmico Vertical ( Variação da Temperatura com a Altitude) PRESSÃO ATMOSFÉRICAPressão atmosférica: P = F/Aou P = m.a / A ou P = m.g / então : P = P/AUnidade de pressão: é o Hecto-Pascal (HPa), então 1,033 Kg f /cm2 = 1013,25 hpa.Instrumentos:a) Barômetro: leitura momentânea.b) Barógrafo: leitura momentânea e registro.Gradiente de pressão:a) Na Vertical : SEMPRE diminuí com a altitude.b) Pela superfície da terra : Varia na horizontal de ponto para ponto , dependendo de váriosfatores como a Temperatura e Umidade.Pressão da estação ao nível médio da PISTA (QFE) – É a pressão lida por uma estaçãometeorológica de superfície.
  6. 6. Pressão ao nível médio do mar (QFF): É a pressão da estação reduzida ao nível médio do marpara fins puramente meteorológicos.Ajuste do Altímetro(QNH) : È a pressão da estação reduzida ao nível médio do mar para finsaeronáuticos cuja sigla é QNHCARTA SINÓTICA -. Ao analisar a variação de pressão sobre a superfície da terra verifica-se que amesma forma sistemas organizados de pressão.Isóbaras: linhas que unem pontos de mesmo valor de pressão atmosférica (QFF) , de 2 em 2 HPA . PARESCentro de alta pressão: é aquela no qual a pressão aumenta para dentro do sistema ou diminuipara a periferia. Sistema fechado.Centro de baixa pressão: sistema fechado. A pressão diminui para dentro do sistema ou aumentapara a periferia.Crista: é um prolongamento de um sistema de alta pressão, num sistema aberto.Cavado: é um prolongamento de baixa pressão num sistema aberto.Colo : Região entre 2 sistemas de alta e 2 sistemas de baixas. Nesta região os ventos são fracosporém variam bastante de direção.Atmosfera padrão: idealizada pela ICAO ou OACI para servir de referência no estudo da atmosferareal . Se estende de uma altitude aproximada de 65.000 ft.Características da atmosfera padrão:1) Ar Seco.2)Composição do ar: 78% N, 21% 02, 1 % OUTROS.3) Temperatura padrão ao nível médio do mar (NMM=15º C).4) GTV (valor médio) 0,65ºC - 100m ou 2ºC /1000 ft, ate a base da tropopausa onde a temperaturaé de - 56,5ºC.5) Pressão padrão a NMM = 10 1 3,25 hpa.6) Gradiente de pressão vertical: 1 hpa para cada 30Ft=9m.7) Densidade padrão do ar a NMM = 1.225 g/m3 de ar.8) Velocidade do som ao NMM = 340 m/s.OBS: Estas são as 8 condições ISA (atmosfera padrão da ICAO).CÁLCULO DE TEMPERATURA PADRÃO (ISA):Exercício:
  7. 7. Calcule a ISA para 1 0.000 Ft. Calcule a (ISA-10) para 15.000 Ft Calcule ISA para o FL 0802º = 1000 Ft ISA - 10 = 15 - (2 x 15) - 10. ISA 15 – (2 x 8) = -1Cº15 - (2 x 10) = -5ºC -15 – 10 = -25º C ALTIMETRIAÉ a técnica de utilização dos altímetros.Altímetro-. é um barômetro dotado de uma cápsula aneróide modificado para indicar altitudes emtermos de pressão.OBS : 1 HPA = 30ft = 9mNíveis padrões: são níveis de pressão constante para fins meteorológicos.1000 hpa = 120 m acima do nível do mar850 hpa = 1.500 m ETC.700 hpa = 3.000 m acima do nível do mar500 hpa = 5.600 mNíveis de vôo: são níveis de pressão constantes para fins aeronáuticos.OBS: os níveis são paralelos entre si e paralelos aos níveis padrão de 1013.25 hpa.Altitude de pressão: é a distância que separa um nível qualquer do nível de pressão 1013. 2 hpa.Atmosfera real: níveis deformados mas paralelos.VALOR D : O valor D é igual a diferença entre o QNH QNE multiplicado por 30Exs: VD = 30 x (1018 - 1013) = 5 x 30 = 150 Ft.Erro altimétrico devido à variação de pressão:Ajuste padrão ou ajuste universal = 1013,25 hpa = QNEAs acfts deverão voar em rota com seu altímetro ajustado em QNE. O altímetro tem comocaracterística indicar sempre a distancia que o separa do nível para o qual foi ajustado. Como novôo em rota, o altímetro estará ajustado QNE, as Indicações dadas pelo mesmo serão sempre aaltitude pressão da acft ( FL ou Nível de Vôo = AP) ).Ajuste QNH: fornece a elevação ou a altitude da pista quando uma acft está Pousada nesta.Ajuste QNE: fornece a altitude pressão da Pista quando uma aeronave estiver pousada nela eajustado seu altímetro para 1.013 hpa --(QNE).Ajuste QFE : ajuste a zero, pois quando pousada em um aeródromo com ajuste QFE, o altímetroindicará zero.Para pousar a acft , ao atingir o nível de transição deve se ajustar o altímetro de QNE para QNH ,assim obteremos a ALTITUDE INDICADA. O QNH do momento é informado pela torre. Ao decolar,uma acft estará com seu altímetro em QNH e ao atingir a ALTITUDE DE TRANSIÇÃO (AT) o pilotodeverá ajustar o altímetro para QNE.EX : Se uma aeronave voa no FL 100 e a pressão a nível do mar está a 1020 hpa, calcule adistancia da aeronave em relação ao nível do mar. QNH = 1020 VD = (1020 - 1013) x 30 210 Ft QNE = 1013 Distância = 10.000 + 210 10.210 Ft
  8. 8. Erro altimétrico devido à temperatura: 1) Voando com temperatura padrão não existe erro altimétrico e nem erro de indicação do altímetro. 2) Voando com temperaturas maiores que a padrão existe um erro altimétrico para mais e indicação do altímetro para menos. 3) Voando com temperaturas menores do que a padrão, existe um erro altimétrico para menos e de indicação do altímetro para mais.1) (QNH - QFE) x 30 = ELEVAÇÃO DO AERÓDROMO.2) (QNE - QNH) x 30 = VALOR D.3) (QNE - QFE) x 30 = ALTITUDE PRESSÃO DA PISTA.Erro de temperatura: Et = 0,004 x Ap x /T0,004 = constanteAp = altitude de pressão (FL) da aeronave/T = diferença entre a temperatura real e o padrão para o FL, considerado.Ex: Uma acft voa com temperatura de 00 C no FL 050. Nesta condição ela estará:ISA= 15-(2x5)=5ºC/T=OºC – 5º C = -5ºC.Et = 0,004 x 5000 x (-50)Et = -100 ft , a aeronave está voando a 4.900 Ft ALTITUDE DENSIDADEAd = Ap +100 x /T100 = ConstanteAd = altitude densidade/T diferença da temperatura real e a temperatura padrão (para o FL considerado)Ap = altitude pressão1) Ad = 5.000 + 100 x (5º - 5º) Ad = 5.000 Ft. (Indica que a densidade é a padrão para 5.000 ft).2) Ad = 5. 000 + 1 00 x (25º - 5º) = Ad = 7. 000 Ft. (Indica que a densidade de 7. 000 ft estáocorrendo a 5.000 ft).3) Ad = 5. 000 + 1 00 x (Oº - 5º) = Ad = 4.500 Ft. (Indica que a densidade de 4.500 ft está ocorrendo a 5.000 ft).Altitude densidade: é a altitude pressão corrigida para o erro de temperatura .AD alta é favorávelpara níveis de vôo porém não para operações de pouso e decolagem.Erro combinado: é o somatório do erro de pressão e de temperatura.OBS : O erro somente será crítico se a pressão ao nível do mar estiver baixa e a temperatura no FLtambém.ALTITUDE VERDADEIRA DA ACFT: é a indicação dada por o altímetro quando este foi corrigido
  9. 9. para o erro de pressão e temperatura. Processo AdiabáticoProcesso Adiabático: é o resfriamento do ar, sem haver troca de calor com o meio externo a ele. RAU = 0.6º C/100 RAS – 1º C / 100 rn GPO - 0,2º C/ 100 mNível de condensação convectiva (NCC): É o nível no qual o ar se torna saturado durante seumovimento ascensional.Razão adiabática seca (RAS): É o resfriamento da superfície até o NCC.Razão adiabática úmida (RAU) : É o resfriamento que o ar experimenta acima do NCC.Gradiente do Ponto de Ovalho (GPO) CALCULO DE BASE DE NUVENSBn = (Tar- Td) x 125 ( Para nuvens cumuliformes).Ex: Uma nuvem cumulus de 500 m de espessura forma - se a 900 m da superfície. A temperaturano seu topo é de 8ºC. Calcule Tar e Td na superfície.T= 8 + (0,6 x 5) = 11º C. (temperatura na base da nuvem).Tar = 11 + (1 x 9) = 20º C. Td = 11 + (0,2 x 9) =12,8º C.Equilíbrio atmosférico: é a maneira como atmosfera reage aos movimentos verticais do ar.Quando ela permite a formação destes movimentos dizemos que ela está em equilíbrio instavel.Quando ela impede estes movimentos dizemos que ela está em equilíbrio estável e quando elaignora , dizemos que ela está no equilíbrio neutro ou indiferente.Características da instabilidade (GTV > lº C/100m):1) Nuvens do aspecto cumuliforrne2) Chuva forte do tipo pancada3) Vôos turbulentos4) Visibilidade horizontal é boa exceto na hora da chuva.Características da estabilidade (GTV < 1º C/ 100m):1) Nuvens estratiformes com maior expansão horizontal.2) Chuva leve normalmente continua vôos suaves (sem turbulência).3) visibilidade horizontal é normalmente ruim. Analisando as Nuvens
  10. 10. As Nuvens podem ser divididas em 2 categorias por Aspectos.1 – ASPECTO CUMULIFORME – Indica Instabilidade Atmosférica (GTV >1º C/100M)2 – ASPECTO ESTRATIFORME – Indica Estabilidade Atmosférica (GTV<1ºC/100M)Processos de Formação de NuvensConvecção : São Chamadas de Nuvens Convectivas , SEMPRE com aspecto Cumuliforme.Orográfico : A Nuvem pode se formar em regiões montanhosas sempre a BARLAVENTO (sempre afrente das montanhas)Advecção : È quando o fluxo de ar quente e úmido sobre uma superfície fria , pode formar nuvensadvectivas de aspecto ESTRATIFORMEDinâmico : Se forma devido ao deslocamento de massas de ar (frentes)Classificando as Nuvens1 – Quanto a altura de sua BaseNuvens Baixas – Até 2 KM acima da superfície , todas podem produzir precipitações e são deestrutura LIQUIDANuvens Médias - Até 2 a 4 KM (nos pólos) , de 2 a 7 KM (nas regiões temperadas) e de 2 a 8 KM(nas regiões tropicais e equatoriais). São de Estrutura mista (água e cristais de gelo).Nuvens Altas - Todas as nuvens que se encontram acima das médias . São sempre de estruturaSÓLIDA (cristais de gelo) e não produzem precipitações.2 – Quanto ao GêneroSão Nuvens Cumuliformes – Todas aquelas que possuem a palavra CUMULUS associada ao seunome (Cc , Ac , Cu , Cb ) Formam se em equilíbrio instável , sendo portanto turbulentas tanto dentroquando fora delas.São Nuvens Estratiformes – Todas aquelas que possuem a palavra ESTRATUS associada ao seunome (Cs , As , Ns , St ) . Formam – se em equilíbrio estável , portanto não são turbulentas.OBS – O Cu e o Cb também são consideradas nuvens de desenvolvimento VERTICAL .Identificando alguns dos principais tipos de nuvensCirrus (Ci) – É a única nuvem de estrutura totalmente SÓLIDA . È a mais alta de todas , suapresença nos céus indica possíveis mudanças nas condições do tempo , pode adquirir algumasformas como o Rabo de Galo (Cirrus Uncinus) que indica a presença de ventos fortes em altitude .São bastante brancas e de aspecto fibroso ou filamentoso.
  11. 11. Cirrocumulus (Cc) – Indica a presença de turbulência em níveis elevados , forma – se em arInstável."FOTO DO CIRROCUMULUS AINDA NÃO DISPONÍVEL"Cirrustratus – Véu uniforme e transparente que encobre total ou parcialmente o céu , produzindo ofenômeno do HALO . Pode gerar também o chamado Fogo de Santelmo que causa pequenascentelhas em algumas partes da aeronave (principalmente no para-brisas) devido ao acumulo deenergia estática causada pelo atrito dos cristais de gelo. Sua presença também pode nos indicarpossível mudança nas condições de tempo."FOTO DO CIRRUSTRATUS AINDA NÃO DISPONÍVEL"Alto Cumulus (Ac) – Indica turbulência em níveis médios e não produz precipitação capaz deatingir a superfície. É bem semelhante ao Cirrucumulus porém pode ser visto mais baixo.Altostratus (As) – Véu Espesso e uniforme que encobre total ou parcialmente o céu , podendoproduzir chuva leve , normalmente contínua e até neve. Não provoca o HALO , se voar dentro destetipo de nuvem pode estar sujeito a formação do Gelo tipo ESCARCHA.Nimbostratus (Ns) – Nuvem escura de aspecto ameaçador , sem contudo ser turbulenta no seuinterior , pode produzir chuva de moderada até forte e inclusive neve . Também esta sujeito aformação de gelo ESCARCHA quando se voa dentro desta formação.FOTO DO NIMBUSTRATUS AINDA NÃO DISPONÍVELStratus (St) – Nuvem escura de aspecto ameaçador , sem contudo ser turbulenta no seu interior ,pode produzir chuva de moderada a forte e até neve. Pode haver formação de gelo tipo Escarchaquando se voa dentro desta nuvem.FOTO DO STRATUS AINDA NÃO DISPONÍVELStratocumulus (Sc) – É uma nuvem que tem uma característica especial : Ela tem 2 equilibrios( estabilidade e instabilidade ) . Só é turbulenta no seu interior e é a única que se forma emequilíbrio condicional. Pode produzir chuva fraca e neve.FOTO DO STRATOCUMULUS AINDA NÂO DISPONÍVELCumulus (Cu) – Pode ser encontrado na forma de Cumulus Humílis ou Cumulus de bom tempo ,não produz nenhum tipo de precipitação , sua estrutura é líquida e são de pequeno
  12. 12. desenvolvimento. Cumulus Humilis Cumulus de bom tempoTower Cumulus (Tcu) – Também conhecido como cúmulus de mau tempo , pode produzir pancadasde chuva e tem estrutura mista. É uma nuvem perigosa e de grande desenvolvimento.Cumulonimbus (Cb) – É a nuvem de maior desenvolvimento . Tem em média 8 KM de espessura ,e se forma normalmente entre 700 a 1.500 m . É a nuvem da trovoada , por isso é a mais perigosa ,quando se vê esta nuvem pode se esperar um fenômeno denominado WINDSHEAR , no qual éextremamente prejudicial a qualquer aeronave , ela pode também gerar queda de granizo.Variedades Especiais de Nuvens : 1)Lenticulares – Adquirem uma forma de lente , formam – se na presença de ondas orográficas , a sotavento no TOPO destas ondas. - Stratocumulus Lenticularis (Ate 2 KM) - Altocumulus Lenticularis (Níveis Médios) - Cirrostratus Lenticularis (Níveis Altos) 2) Mamatus – Indicam Agitação extrema e grande turbulência dentro da nuvem . Surgem com formas arredondadas na base da nuvem , exatamente lembrando um seio feminino. - Cumulus Mamatus e Cumulonimbus Mamatus
  13. 13. Influência dos VentosTurbulênciaTurbulência é a trepidação sofrida pelas aeronaves devido a agitação irregular no ar , ela podeprovocar desconforto , danos estruturais e em casos severos até mesmo acidentes. Existem 4 tiposde turbulência. Alguns deles estão divididos em classes , vamos ver agora quais são estes. 1.Turbulência Convectiva ou Térmica – Correntes convectivas alternadas fazem com que a aeronave suba e desça , pode ser facilmente observada através da formação de nuvens cumuliformes . No inverno ela é geralmente mais suave e no verão mais severa (na parte da tarde) 2.Turbulência Mecânica A. De Solo - Forma-se devido aos fluxos de ventos sobre superfícies irregulares. Ocorre geralmente entre 2.000 FT e 6.000 FT. B. Orográfica – Forma-se a sotavento das montanhas devido a formação de ondas orográficas estacionárias (ondas de montanha) . Pode ser facilmente identificada pela presença de nuvens lenticulares ( Cumulus Lenticularis) que se formam ao topo destas mesmas ondas , pode ser também identificada pela presença de nuvens rolo (em forma de espiral) na base das montanhas. 3.Turbulência Dinâmica A. Frontal – Forma – se devido ao deslocamento de massas de ar quente (Frentes
  14. 14. Quentes) B. Devido ao gradiente do vento – Forma se em nível que separa ventos com velocidades e direções diferentes , conhecida como “Vento Cortante” , “Tesoura de Vento” ou do inglês “Windshear” . È causadora de vários acidentes aeronáuticos e pode ser facilmente encontrada próximo a Cb’s. 4.Turbulência de ponta de asa Forma se no bordo de fuga das asas (veja Sala de Aula Teoria de Vôo), onde são formadospequenos vórtices giratórios .Geralmente pode durar de 2 a 3 minutos. 5.CAT (Clear Air Turbulence , ou Turbulência de ar claro) – É uma turbulência proveniente de um gradiente de vento provocada pela corrente de jato (Jetstream) e não pode ser identificada por nenhum tipo de nuvem. Ela se apresenta mais forte sobre os continentes e se forma abaixo do eixo da corrente do lado polar.VentosVento é o movimento do ar na horizontal que se estabelece entre pontos da superfície terrestresempre que houver uma diferença de pressão entre eles. Os ventos sempre sopram da altapressão para a baixa. E em termos de temperatura sopram da baixa para a alta temperatura. -> Podemos descobrir o valor da força que impulsiona o vento do ponto A para o ponto B aplicando uma simples fórmula que se consiste em : FG = Diferença de pressão entre A e B / Distância de A até B (FG= diferença de pressão dividido pela distância) Atenção : Quanto maior a diferença de pressão entre os pontos , maior sera o vento. Linhas Isóbaras próximas indicam Ventos Fortes Influência dos Ventos em uma aeronave A.Pouso e decolagem: Define a pista a ser utilizada , dificulta as operações . B.Nos vôos em rota: Podem retardar ou acelerar os vôos aumentando e diminuindo o consumo de combustível, assim como tirar uma aeronave do seu rumo. Características dos Ventos A. Direção: É dada em graus apartir de onde ele sopra. B. Velocidade: A unidade é o Nó (Knots) ou KT , ou unidade de intensidade. C. Caráter: É a maneira como o vento sopra , constante ou de rajadaAs Forças e os centros de pressão“Força de Coriolis”: A Força de Coriolis é uma força aparente que surge devido ao movimento derotação da terra que faz com que o vento seja desviado para a esquerda da sua trajetória nohemisfério sul , e para a direita no hemisfério norte. É sempre perpendicular ao deslocamento
  15. 15. No Hemisfério sul, num centro de alta pressão os ventos são divergentes no sentido anti-horárioNo Hemisfério sul, num centro de baixa pressão os ventos são convergentes no sentido horário. Estabilidade InstabilidadeCentro de Alta Pressão: Ventos Fracos Centro de Baixa Pressão:Ventos FortesNo hemisfério norte, num centro de alta pressão os ventos são divergentes no sentido horárioNo hemisfério norte, num centro de baixa pressão os ventos são convergentes no sentido anti-horário. Estabilidade Instabilidade Centro de Alta Pressão:Ventos Fracos Centro de Baixa Pressão :Ventos Fortes- Centro de Baixa Pressão – Ciclone – Centro Bárico De ventos convergentes – Fluxo NESO convergente (hem. Sul)- Centro de Alta Pressão – Anti-Ciclone – Centro Bárico de ventos divergentes – Fluxo NOSE divergente “O Equilíbrio Geostrófico"É um gradiente de equilíbrio entre a força do gradiente de pressão e a força de Coriolis , só existeem atmosfera livre. Em determinado ponto as 2 forças se tornam opostas. A. Vento Geostrófico: É o vento que fluí na atmosfera livre sob o efeito do equilíbrio Geostrófico, percorrendo os contornos das linhas isóbaras , fisicamente explicando é quando as partículas entram em MRU. B. Vento Gradiente: É o vento que sopra na atmosfera livre , percorrendo os contornos curvos das isóbaras sob o efeito do equilíbrio de algumas forças. C. Vento Ciclostrófico: Sopra na região equatoria , onde Coriolis é nula sobre o efeito do equilíbrio entre o Gradiente de Pressão e a Força Centrífuga da Terra D. Vento Barostrófico : Sopra dentro da camada de fricção sob o efeito quase que exclusivo da força do gradiente de pressão.Camada de Fricção: É a camada em que os ventos sofrem um efeito direto de fricção, ou seja, comas irregularidades da superfície ela pode se estender até 2.000FT de altura.Circulação Geral dos Ventos Circulação Inferior: É caracterizada pelos deslocamentos de grandes massas de ar em direçãoas regiões mais quentes . Se estende da superfície até 20.000 FT Circulação Superior: Predomina de West para East devido ao aumento da força de Coriolis.
  16. 16. Considerações sobre a Circulação Ventos Alíseos: São os ventos finais da circulação inferior que chegam na região equatorial , fluindo de Sudeste no hem. Sul e de Nordeste no hem Norte ( East to Weast) Confluência Intertropical ou CIT ou ITCZ ou Equador Metereológico ou Cavado Térmico: A Confluência Intertropical é uma região muito próxima ao equador , onde existe o encontro dos ventos alíseos provenientes do Norte e Sul. Sua Largura média se estende entre 500 KM , e é uma região de Baixa Pressão , porém existem alguns pontos chamados Doldrums que se formam dentro dela que são pontos de calmaria extrema. Devemos saber que a CIT oscila latitudinalmente em direção ao hemisfério que está no verçao , desde 15º N até 5º S. Corrente de Jato ou Jetstream ou JTST: É um fluxo de vento intenso pertencente a circulação superior , com velocidade mínima de 50 KT , porém já foram detectadas velocidades acima de 400KT em seu eixo. Ela se forma na ruptura da Tropopausa e possuí uma largura aproximada de 100 a 300 KM e tem uma espessura que varia de 5 a 7 KM , geralmente ela ocorre entre o FL 200 e o FL 400. Pode ser detectada pela presença do Cirrus Uncinus ou Rabo de Galo. Circulação Secundária ou Local São Irregularidades dentro da Circulação Geral dos Ventos , podem ser locais dependendo da diferença de temperatura entre seus pontos. A. Brisa Marítima: Do oceano para o continente, é mais intensa no período da tarde e no verão. B. Brisa Terrestre: Do continente para o oceano, é mais intensa no período da noite e no inverno. C. Ventos de Vale: É mais intenso a tarde e no verão . Pode gerar Turbulência. D. Ventos de Montanha: É mais intenso a noite (de madrugada) e no inverno. E. Vento FOHEN: É o vento quante e seco que desce a encosta de uma montanha. F. Ventos de Monsões: (Monsão de Verão – Massas de ar Provenientes do oceano) (Monsão de Inverno – Massas provenientes do continente seguindo para o oceano). G. Vento Catabático: Todo vento que desce a Montanha (SOTAVENTO) H. Vento Anabático: Todo vento que sobe a encosta de uma montanha. (BARLAVENTO)Assevio 27/11/2007

×