Embriologia e células troncoEmbriologia e células tronco
Sucessivas divisões celularesSucessivas divisões celulares
• Até a fase de 8 células, são
chamadas de
TOTIPOTENTES, ou sej...
Diferenciação celularDiferenciação celular
1ª. diferenciação: blastocisto
(embrião com cerca de 100
células; 5 dias após
f...
Diferenciação celularDiferenciação celular
CTE – células-troncoCTE – células-tronco
embrionáriasembrionárias
• ainda não diferenciadas – podem
formar qualquer tecido...
Reprogramação celularReprogramação celular
ovelha Dolly (jul/1996)
• clonagem da Dolly
mostrou pela 1ª vez
que célula já
d...
Uso terapêutico das CTUso terapêutico das CT
• em tecidos
lesionados;
• doenças como
diabetes,
esclerose
múltipla,
infarto...
Como diferenciarComo diferenciar
CT no lab?CT no lab?
• células são cultivadas em meios
de cultura com substâncias
específ...
Problemas para o uso terapêutico das CTProblemas para o uso terapêutico das CT
Efeitos inesperados => “as
células não fica...
CTE PLURIPOTENTESCTE PLURIPOTENTES
QUANDO COMEÇA A VIDA?
RegulamentaçãoRegulamentação
dos estudosdos estudos
EUA
• jul/2010 – FDA autorizou o início
dos 1os. testes em seres
human...
• falta de comprovação
científica
• cientistas combatem
centros que oferecem falsa
esperança de cura e se
aproveitam do de...
Celulas-tronco
Celulas-tronco
Celulas-tronco
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Celulas-tronco

1,848

Published on

Aula sobre células tronco elaborada para o ensino médio (biologia).

Published in: Education, Business, Technology
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,848
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
83
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Ou seja, se fosse possível separar as oito células sem destruí-las e colocá-las em útero, poderíamos gerar, teoricamente, oito gêmeos idênticos.
    <http://www.the-scientist.com/blog/display/57626/>.
  • <http://www.estadao.com.br/noticias/suplementos,tambem-as-adultas,601748,0.htm>.
  • Vantagens das iPS: contornam os questionamentos éticos que cercam o uso de CTE e podem ser criadas a partir do corpo do próprio receptor de um eventual transplante, evitando o risco de rejeição; Desvantagens das iPS: têm memória, tendo uma preferência para formar os tecidos de onde elas foram retiradas, e têm maior risco de virar tumores, o que deixa seu uso terapêutico mais distante. Assim, por enquanto precisamos das CTE, pois elas são as grandes formadoras de tecidos por excelência. Até o momento, por exemplo, elas são as únicas que se mostraram capazes de formar células nervosas funcionais, objetivo dos testes aprovados e agora sob risco nos EUA.
  • Fonte: <http://www.revistapesquisa.fapesp.br/index.php?art=6672&bd=2&pg=1&lg>.
  • <http://scienceblogs.com.br/vqeb/2009/03/estamos-em-busca-de-um-conceito-para-o-vocabulo-vida.php>.
  • <http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2010/07/pesquisadores-ja-podem-testar-celulas-tronco-em-seres-humanos.html>;
    <http://oglobo.globo.com/ciencia/mat/2010/07/30/autorizada-primeira-experiencia-com-celulas-tronco-embrionarias-em-humanos-917279820.asp>.
  • Fonte: <http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/787002-cientistas-atacam-tratamentos-com-celulas-tronco.shtml>.
  • Celulas-tronco

    1. 1. Embriologia e células troncoEmbriologia e células tronco
    2. 2. Sucessivas divisões celularesSucessivas divisões celulares • Até a fase de 8 células, são chamadas de TOTIPOTENTES, ou seja, qualquer uma delas tem o potencial, se colocada em útero, de formar um ser completo. • vídeo: embriogênese em peixe “paulistinha”)
    3. 3. Diferenciação celularDiferenciação celular 1ª. diferenciação: blastocisto (embrião com cerca de 100 células; 5 dias após fecundação) • células da parte externa se diferenciam e formam os anexos embrionários; • a massa interna é constituída de células- tronco PLURIPOTENTES (têm o potencial de formar todos os tecidos, mas um ser completo).
    4. 4. Diferenciação celularDiferenciação celular
    5. 5. CTE – células-troncoCTE – células-tronco embrionáriasembrionárias • ainda não diferenciadas – podem formar qualquer tecido • problema: mais difíceis de controlar no laboratório; muitas vezes se diferenciam espontaneamente em um tipo de célula (neurônio, muscular, ósseo etc) • podem ser obtidas de embriões que sobram nas clínicas de fertilização ou por reprogramação celular. CTA – células-troncoCTA – células-tronco adultasadultas • já diferenciadas e, portanto, mais limitadas (só conseguem formar alguns tecidos) • estão presentes em: medula óssea, cordão umbilical, tecido adiposo, polpa dentária, trompa descartada em operação de laqueadura, sangue menstrual. [procura-se aproveitar todos os “descartes biológicos”] Técnica que gerou Dolly e Tiny
    6. 6. Reprogramação celularReprogramação celular ovelha Dolly (jul/1996) • clonagem da Dolly mostrou pela 1ª vez que célula já diferenciada de mamífero pode ser reprogramada e voltar a ter o potencial de CTE PLUTIPOTENTE (formar qualquer tecido). camundongo Tiny (set/2009) • clonagem de Tiny com células IPS mostrou que algumas células adultas podem voltar ao estágio de CTE com o potencial de se diferenciar em qualquer tecido . células de pluripotência induzida (criadas com introdução de 3 genes nas CTA)
    7. 7. Uso terapêutico das CTUso terapêutico das CT • em tecidos lesionados; • doenças como diabetes, esclerose múltipla, infarto, distrofia muscular, mal de Alzheimer e doença de Parkinson.
    8. 8. Como diferenciarComo diferenciar CT no lab?CT no lab? • células são cultivadas em meios de cultura com substâncias específicas para a diferenciação que se deseja. • esses meios de cultura são patenteados (ninguém sabe ao certo o que eles contêm). • São testados diferentes métodos e protocolos até chegar ao resultado esperado. O desafio é conseguir controlar esse processo (evitar que as células se diferenciam em tecido diferente do desejado).
    9. 9. Problemas para o uso terapêutico das CTProblemas para o uso terapêutico das CT Efeitos inesperados => “as células não ficam onde deveriam ficar” • ex.: estudo com céls-tronco injetadas diretamente no coração – as células espalharam-se pelo corpo. Estratégia: injeção combinada com células-tronco mesenquimais, extraídas de tecido adiposo (doadas pós procedimentos de lipoaspiração). Legislação • desenvolvimento de procedimentos seguros dependem de pesquisas científicas; • essas pesquisas precisam ser regulamentadas; • a regulamentação depende da sociedade (morosidade, dilemas éticos e religiosos). “estamos mapeando nossa ignorância”
    10. 10. CTE PLURIPOTENTESCTE PLURIPOTENTES QUANDO COMEÇA A VIDA?
    11. 11. RegulamentaçãoRegulamentação dos estudosdos estudos EUA • jul/2010 – FDA autorizou o início dos 1os. testes em seres humanos de um tratamento com CTE para ptes com lesões na medula espinhal (videoreportagem; vídeo da pesquisa). • ago/2010 - decisão da Justiça proibiu uso de verbas governamentais nos estudos com CTE. Obama disse que vai recorrer da decisão. BRASIL • 24/03/2005 – Lei no. 11.105 • 2005 – ação questionando a constitucionalidade das pesquisas partiu da Procuradoria Geral da União, com a participação de instituições como a CNBB. • 16/08/2010 – publicado no Diário Oficial da União a decisão definitiva do STF sobre a legalidade do uso de CTE em pesquisas científicas. Não há mais possibilidade de recurso.
    12. 12. • falta de comprovação científica • cientistas combatem centros que oferecem falsa esperança de cura e se aproveitam do desespero da doença • Sociedade Internacional de Pesquisas com Células- Tronco (ISSCR) criou site para esclarecimentos => <www.closerlookatstemcellwww.closerlookatstemcell s.orgs.org>
    1. A particular slide catching your eye?

      Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

    ×