Your SlideShare is downloading. ×
0
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Informações sobre Autismo

4,635

Published on

Breve informações sobre autismo

Breve informações sobre autismo

Published in: Education
1 Comment
7 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
4,635
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
15
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
7
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Informações sobre• Transtorno Global do Desenvolvimento Por Tathiane Rubin Rodrigues Cuesta
  • 2. O autismo é uma disfunção global dodesenvolvimento. É uma alteração queafeta a capacidade de comunicação doindivíduo, de socialização(estabelecer relacionamentos) e decomportamento (responderapropriadamente ao ambiente —segundo as normas que regulam essasrespostas)
  • 3. • Esta desordem faz parte de um grupo de síndromes chamado transtorno global do desenvolvimento (TGD), também conhecido como transtorno invasivo do desenvolvimento (TID)
  • 4. Mais recentemente cunhou-se o termo Transtorno do EspectroAutista (TEA) para englobar o Autismo,a Síndrome de Asperger e o Transtorno Global do Desenvolvimento Sem Outra Especificação.
  • 5. • Segundo informações encontradas no site da ASA – Autism Society os América (http://www.autism- society.org/site/PageServer, 1999), a incidência seria de 1:500, ou 2 casos a cada 1000 nascimentos. De acordo com o órgão norte-americano Center of Disease Control and Prevention (CDC, www.cdc.gov) , o autismo afetaria de 2 até 6 pessoas em cada 1000, isto é, poderia afetar até 1 pessoa em cada 166. O autismo seria 4 vezes mais freqüente em pessoas do sexo masculino. O autismo incide igualmente em famílias de diferentes raças, credos ou classes sociais.
  • 6. Podem apresentar:
  • 7. Desvios qualitativos da comunicação• Caracterizada pela dificuldade em utilizar com sentido todos os aspectos da comunicação verbal e não verbal. Isto inclui gestos, expressões faciais, linguagem corporal, ritmo e modulação na linguagem verbal.
  • 8. • Portanto, dentro da grande variação possível na severidade do autismo, poderemos encontrar uma criança sem linguagem verbal e com dificuldades na comunicação por qualquer outra via - isto inclui ausência de uso de gestos ou um uso muito precário dos mesmos; ausência de expressão facial ou expressão facial incompreensível para os outros e assim por diante - como podemos, igualmente encontrar crianças que apresentam linguagem verbal, porém esta é repetitiva e não comunicativa.
  • 9. ...• Muitas das crianças que apresentam linguagem verbal repetem simplesmente o que lhes foi dito. Este fenômeno é conhecido com ecolalia imediata. Outras crianças repetem frases ouvidas há horas, ou até mesmo dias antes (ecolalia tardia).
  • 10. • É comum que crianças com autismo e inteligência normal repitam frases ouvidas anteriormente e de forma perfeitamente adequada ao contexto, embora, geralmente nestes casos, o tom de voz soe estranho e pedante.
  • 11. Desvios qualitativos na sociabilização• Este é o ponto crucial no autismo e o mais fácil de gerar falsas interpretações. Significa a dificuldade em relacionar-se com os outros, a incapacidade de compartilhar sentimentos, gostos e emoções e a dificuldade na discriminação entre diferentes pessoas.
  • 12. ...• A dificuldade de sociabilização, que faz com que a pessoa que tem autismo tenha uma pobre consciência da outra pessoa, é responsável, em muitos casos, pela falta ou diminuição da capacidade de imitar, que é uns dos pré-requisitos cruciais para o aprendizado, e também pela dificuldade de se colocar no lugar de outro e de compreender os fatos a partir da perspectiva do outro.
  • 13. ...• Pesquisas mostraram que mesmo nos primeiros dias de vida um bebê típico prefere olhar para rostos do que para objetos. Através das informações obtidas pela observação do rosto dos pais, o bebê aprende e encontra motivação para aprender. Já o bebê com autismo dirige sua atenção indistintamente para pessoas e para objetos, e sua falha em perceber pessoas faz com que perca oportunidades de aprendizado, refletindo em um atraso do desenvolvimento.
  • 14. Desvios qualitativos na imaginação• Se caracteriza por rigidez e inflexibilidade e se estende às várias áreas do pensamento, linguagem e comportamento da pessoa. Isto pode ser exemplificado por comportamentos obsessivos e ritualísticos, compreensão literal da linguagem, falta de aceitação das mudanças e dificuldades em processos criativos.
  • 15. ...• Esta dificuldade pode ser percebida por uma forma de brincar desprovida de criatividade e pela exploração peculiar de objetos e brinquedos. Uma criança que tem autismo pode passar horas a fio explorando a textura de um brinquedo. Em crianças que têm autismo e têm inteligência preservada, pode-se perceber a fixação em determinados assuntos, na maioria dos casos incomuns em crianças da mesma idade , como calendários ou animais pré-históricos, o que é confundido às vezes com nível de inteligência superior.
  • 16. ...• As mudanças de rotina, como de casa, dos móveis, ou até mesmo de percurso, costumam perturbar bastante algumas dessas crianças.
  • 17. *Transtorno Desintegrativo da Infância é muito raro. A descrição do DSM-IV para este transtorno é que as crianças se desenvolvem como as demais até os 5 ou 6 anos, quando inicia uma regressão no desenvolvimento. Em particular, tais crianças perdem as habilidades sociais e linguísticas já adquiridas. Por fim, seus comportamentos tornam-se similares aos modelos de comportamento das crianças autistas; porém, suas consequências a longo prazo são muito piores.
  • 18. Síndrome de AspergerDr Hans Asperger foi o primeiro a descrever e classificar a síndrome de Asperger como um grupo de características do comportamento. A síndrome de Asperger é caracterizada por problemas com as habilidades sociais e comportamentos ou interesses restritos e incomuns. As crianças com síndrome de Asperger desenvolvem a fala e a linguagem junto com aquelas sem deficiências, a maioria delas tem inteligência normal. Entendem a linguagem muito literalmente, tornando-se difícil para elas formar categorias conceituais, entender piadas ou interpretar a linguagem não-verbal (como os gestos). O uso social da linguagem pode ser um desafio particular, da mesma forma para a capacidade de compreender os sentimentos ou os estados mentais de outras pessoas
  • 19. * Síndrome de Rett Às vezes chamada de distúrbio de Rett, esta é uma condição genética descoberta há mais de 40 anos por Andreas Rett, um médico austríaco. Os sinais da síndrome de Rett aparecem muito cedo, no momento em que o desenvolvimento parece normal e, então, estaciona. É mais comum em meninas. Clinicamente é caracterizada pela perda progressiva das funções neurológicas e motoras após um período de desenvolvimento aparentemente normal, que vai de 6 a 18 meses de idade. Após esta idade, as habilidades adquiridas (como fala, capacidade de andar e uso intencional das mãos) são perdidas gradativamente e surgem as estereotipias manuais (movimentos repetitivos e involuntários das mãos), que é característica marcante da doença. Muitas destas crianças têm deficiência intelectual e comprometimentos cognitivos.
  • 20. * Transtornos invasivos do desenvolvimento sem outra especificação (TID-SOE) TID-SOE é uma categoria diagnóstica de exclusão e não possui regras especificadas para sua aplicação. Alguém pode ser classificado como portador de TID-SOE se preencher critérios no domínio social e mais um dos dois outros domínios (comunicação ou comportamento). Além disso, é possível considerar a condição mesmo se a pessoa possuir menos do que seis sintomas no total (o mínimo requerido para o diagnóstico do autismo), ou idade de início maior do que 36 meses.
  • 21. Causas do AutismoOs especialistas estão tentando identificar as causas do autismo: porém, até o momento, não há respostas definitivas. Como não foi identificada nenhuma causa específica, é impossível se pensar em estratégias de prevenção. Várias suposições de causas para o autismo foram excluídas; por exemplo, o autismo não é resultado de pais negligentes. Muitos especialistas concordam que o autismo é um distúrbio neurológico vitalício. Alguns pesquisadores acreditam que algumas formas de autismo são causadas por lesões na formação do cérebro (Koegel et al, 1995).
  • 22. Outros afirmam que o autismo é basicamente uma falha do lobo frontal (Dawson et al., 1998). De qualquer modo, parece que o autismo talvez tenha uma causa genética (Piven, 2002).Como há poucas causas conhecidas não há tratamentos, de fato, eficazes (Seroussi, 2000). A internet e a imprensa popular são invadidas com histórias de crianças sendo “curadas”, mas elas frequentemente envolvem o uso de vitaminas, dietas especiais ou medicamentos. Os pais e os profissionais que apóiam esses tratamentos alternativos podem acreditar neles e que os tratamentos ajudam a remediar os sintomas da criança, mas não há evidência científica validando essas declarações.
  • 23. Autismo e Integração Sensorial• Podemos dizer que percebemos o mundo através do sistema sensorial. Que todas as informações que recebemos chegam até o nosso cérebro após entrarem pelo nossos órgãos sensoriais. Nosso mundo é sensorial e e o fato de receber, interpretar e responder aos estímulos sensoriais é chamado de integração sensorial.
  • 24. • Extremas questões sensoriais são muito comuns no autismo. Algumas crianças autistas não conseguem tolerar os sons ou abraços, enquanto a outra é indiferente aos sons e abraços. Uma criança autista pode ter uma reação explosiva e exagerada a barulhos altos, enquanto a outra não reage a todos. As crianças autistas com problemas sensoriais têm dificuldade em filtrar a entrada sensorial. Seu sistema nervoso apresenta dificuldade no processamento sensorial (interpretar e organizar as informações sensórias vindas do seu próprio corpo ou do ambiente)

×