Your SlideShare is downloading. ×
Information-Seeking Strategies, Uncertainty, and Computer-Mediated Communication - Toward a Conceptual Model [Fichamento]
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Information-Seeking Strategies, Uncertainty, and Computer-Mediated Communication - Toward a Conceptual Model [Fichamento]

1,267
views

Published on

RAMIREZ, Artemio; WALTHER, Joseph; BURGOON, Judee; SUNNAFRANK, Michael. Information-Seeking Strategies, Uncertainty, and Computer-Mediated Communication: Toward a Conceptual Model. Human Communication …

RAMIREZ, Artemio; WALTHER, Joseph; BURGOON, Judee; SUNNAFRANK, Michael. Information-Seeking Strategies, Uncertainty, and Computer-Mediated Communication: Toward a Conceptual Model. Human Communication Research, 28, 213–228, 2002.

Published in: Education

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,267
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. RAMIREZ, Artemio; WALTHER, Joseph; BURGOON, Judee; SUNNAFRANK, Michael. Information-SeekingStrategies, Uncertainty, and Computer-Mediated Communication: Toward a Conceptual Model. HumanCommunication Research, 28, 213–228, 2002. Sobre os Autores:Artemio Ramirez é professor no Communication in the College of Applied Arts & New Media,com pesquisa focada nos aspectos interpessoais da comunicação mediada por computador.Joseph Walther é professor na Michigan State University e também pesquisa aspectosinterpessoais e identidade na comunicação mediada por computador. Seus trabalhos podemser acessados em https://www.msu.edu/~jwalther/vita/vita.htm. Judee Burgoon é professorada Universidade do Arizona e pesquisa manipulação de informação. Michael Sunnafrank éprofessor na Universidade de Minnesota Duluth e pesquisa desenvolvimento de relaçõesinterpessoais online. Objetivos do Artigo:A proposta do artigo é analisar o processo de auto-apresentação de pessoas em sites de Argumentação Central:Os autores iniciam o trabalho explicando a questão da pesquisa: como o desenvolvimento dacomunicação mediada por computador interfere na construção de relacionamentosinterpessoais? E, mais especificamente, a CMC tem particularidades quanto ao processo debusca por informações sociais?As perspectivas teóricas sobre busca por informações são abordadas na primeira seção doartigo. Inicia citando a perspectiva das “pistas deixadas de lado”, através da qual muitapesquisa acadêmica sobre CMC observou seus fenômenos. Citando trabalho de Culnan eMarkus (1987), mostram como os primeiros pesquisadores acreditavam que não sedesenvolviam relacionamentos nem se estabeleciam a formação de impressões sobre osoutros, devido a uma suposta falta de pistas sociais.Outras perspectivas mais recentes teriam oferecido ideias alternativas. Os autores as resumemde forma breve: SIDE (identificação social/modelo de desindividuação); SIPT (teoria doprocessamento de informação social); e a perspectiva hiperpessoal. O primeiro, SIDE, se baseianos processos de categorização social pra propor que os indivíduos formam impressões sobreos outros baseados em informações mínimas, e isto se deve a relação entre identidade grupale individual. A teoria do processamento de informação social (SIPT) propõe que os indivíduosse adaptam às pistas reduzidas e também utilizam fatores temporais. O modelo hiperpessoal,por fim, explica o desenvolvimento das relações online através dos processos atribucionaispara redução de incerteza. Além disso, mostra como a CMC pode reunir informações que atéultrapassem a riqueza do contexto face a face.Os autores buscam entender o processo de busca por informação social online quecomplemente o que as teorias citadas oferecem em termos de entendimento das relaçõesonline. Propõe um Modelo Conceitual de Busca por Informação Social na CMC e Novas Mídiasque leva em conta fatores relacionados a tecnologia, informação, metas, situação/contexto,comunicador, seleção de estratégia, feedback, experiências e avaliação. A busca por
  • 2. informação social é mediada pelo nível de incerteza presente na situação. Os autores definemincerteza como “um estado cognitivo que flutua baseado na discrepância entre informaçãodesejada e a qualidade da informação adquirida”.Três assunções básicas sobre a busca por informação na comunicação mediada porcomputador. Em primeiro lugar, essa busca é direcionada por objetivos. Ou seja, não seprocura a informação nela mesma, mas sim a informação que está relacionada a algumobjetivo social, emocional ou instrumental. Em segundo lugar, a busca por informação émultifacetada, pois é realizada de diferentes modos. Por fim, a depender da importância doobjetivo, mais estratégias diferentes de busca por informação serão utilizadas.A comunicação mediada por computador traria particularidades ao processo de busca porinformação. Em relação ao contexto face a face, traria duas vantagens: algumas estratégiasexclusivas e a possibilidade de empregar estratégias de busca por informação durante aprópria interação.Estratégias interativas constituem a primeira categoria entre quatro outras possíveis. Nestecaso, os autores falam da interação direta entre o indivíduo que busca informação e o alvosocial. No caso da CMC, investigações anteriores descobriram que a falta de algumas pistassociais favorecem o uso de estratégias interativas nos primeiros encontros entre indivíduos.Por exemplo, perguntas sobre aspectos físicos do interagente emergem pois, comumente, nãoestavam presentes pistas visuais – tais como imagem de rosto.As estratégias ativas envolvem um terceiro ou mais indivíduos, na medida em que o que buscainformação pode recorrer a outros. Ou seja, ao invés de interagir com o alvo social, se interagecom outros que o conheçam.Aspectos como armazenamento, visibilidade e possível navegação anônima, próprias da CMC,oferecem modos alternativos de busca por informação social que não envolvem a interaçãodireta. Através de estratégias extrativas, os indivíduos acessam repositórios de informaçãosocial, tais como fóruns, chats e sites de redes sociais, para acessar os comentários e outrasinformações sobre o alvo social. Os autores identificam que estas estratégias possuemaspectos únicos na CMC. A última categoria de estratégia é chamada de passiva, através daobservação não intrusiva como pela visualização de mensagens em fluxos ou recebidas semações realizadas.Todas estas estratégias ganham particularidades na CMC e, especialmente, se observa amudança possível da fonte de informação em direção à rede sociotécnica. Assim, o papel deobservador – ao invés de participante – ganharia mais saliência.Em seguida, ainda se debruçando sobre o modelo desenhado, os autores falam sobre osfatores influenciando a seleção de estratégias.Fatores relacionados ao comunicador podem ser da ordem das características depersonalidade, habilidades e preferências. A situação e contexto interferem, na medida emque um ambiente pode favorecer outras práticas e uma categoria (novato) outras, porexemplo. Relacionados aos objetivos, fatores como duração e importância estão presentes. Otipo de informação também interfere, pois determinadas qualidades ou quantidades deinformação não podem ser conseguidas com qualquer estratégia. Os fatores relacionados atecnologia também estão presentes, pois estas exercem constrições e possibilidadesdiferentes, em termos de assincronicidade e velocidade por exemplo. Todos estes fatorespodem estar presentes de forma individual ou coletiva.
  • 3. Em seguida, os autores vão discutir as consequências da busca por informação social naformação de impressões e desenvolvimento de relacionamentos. Sobre as diferenças entreestratégias que colocam o indivíduo em situações de observação ou participação, os autoreschamam atenção para a relevância de se pensar como isto influencia os modos pelos quais aspessoas formulam impressões no momento da interação ou em outras ocasiões. Estudos quemapeiem as sequências das utilizações das estratégias, para os autores, poderão trazer maisluz ao desenvolvimento de relacionamentos. Sobre a veracidade das informações nas relaçõesiniciadas nos ambientes online, os autores propõe a análise da correspondência entre asinformações providas online e “quem a pessoa realmente é na interação off-line”. Ocompartilhamento de informações exerceria um papel de garantia no reforço da conexãoonline/off-line quando parece não ser voluntário. Concluindo, os autores reforçam aimportância de se pesquisar a CMC, pois modelos previamente desenhados podem serdesafiados nestes ambientes.